História Be Ready and Shoot - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Aventura, Comedia, Selena Gomez, Taylor Momsen, Yuri
Exibições 5
Palavras 1.271
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Romance e Novela, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


O 3°Capítulo pra vocês ai gatas (os)

Capítulo 3 - Abby Simpson


Fanfic / Fanfiction Be Ready and Shoot - Capítulo 3 - Abby Simpson

                                             P.O.V Mellanie Evans
   Segui o corredor do segundo andar, cheguei na sala 14, o ruim de chegar depois de todo mundo é que, eles param o que estão fazendo e olham pra você. Assim que abrir a porta o professor ajeitou o óculos e perguntou:
 - Posso ajudar?
 - Eu cheguei atrasada porque tive um imprevisto e... - Eu tentava me explicar mas ele acabou respondendo logo de cara.
 - Senhorita, você deve entender a diferença de escola e faculdade, não posso aceitar atrasos. - Ele iria fechar a porta novamente, mas a tal "Debby" se não me engado se explicou.
 - Professor, eu derramei café na blusa dela hoje mais cedo, a culpa foi minha, pode me expulsar da aula se quiser. - Ela disse com aquela voz doce.
 - Se é assim, vão pros seus lugares as duas. -Ele ordenou e assim foi feito, acabei me sentando atrás da garota.
   A aula decorreu até bem eu diria, não foi tão cansativa e entendi a maioria das coisas que ele explicou. Sai para o intervalo de uns 15 minutos, fui me organizar sobre o próximo horário, já que não tem ninguém pra me jogar no chão e me molhar de café.
   Eu fiquei confusa, sou nova e as salas parecem ser lá no quinto dos infernos, eu estava perdida, não dizia em que corredor ficava a sala 9, eu saí procurando por aí com um donuts na mão, eu estava realmente muito confusa.
 - Oi, quer que eu te ajude? - A menina literalmente brotou do meu lado. - Desculpa mesmo por hoje cedo, não quero que tenha raiva de mim.
   A presença dela não era desagradável, menos o fato que ela é desastrada e faz besteira o tempo todo.
 - Tudo bem, mas, como você conhece aqui? Não está fazendo o primeiro ano?
 - Eu meio que não passei... Em nenhuma matéria, mas vou me esforçar mais esse ano. Desde aquilo tem sido difícil...  - Ela sussurrou a ultima parte, fingi que não ouvi porque parecia um assunto delicado.
   Eu não queria dizer a ela que sentia muito por algo, por eu odeio quando falam essa frase tão comum para momentos difíceis, enquanto eu tinha devaneios pensando em coisas tão longe, ela apertou meu braço e fez uma proposta.
 - Não quer me ajudar com o trabalho de Neurologia? Podemos fazer juntas.
   Eu não ia recusar, não conhecia ninguém e essa coisa só pode em dupla "Um bom método para vocês se conhecerem e ainda ter um conhecimento maior" ¬¬ .
 - Ta bom. - Ela deu um sorriso enorme e lambeu minha bochecha. - Ei, o que você ta fazendo? -falei limpando com a manga da blusa.
 - Meu nome é Abby, e você parecer ter um gosto bom... -Ela riu. -Qual seu nome?
 - Mellanie... Evans.
 - Abby Simpson. -Ela pegou o celular e começou a jogar uma joguinho estranho. - A sala 9 é no primeiro, fica no final do corredor, perto da escada, depois pego seu número.
   E assim ela sumiu no meio de um monte de alunos, eu já sabia onde ficava a sala, apenas acabei de comer e fui para a sala, assim que foi dado um sinal. Cheguei lá e fiquei um pouco surpresa, achei que os professores eram velhos, mas em antropologia, uma mulher bem jovem e ruiva de olhos verdes dava aula.
   A aula decorreu normalmente, como esperado, tive dúvidas e anotei. Aquela professora de todo modo era simpática demais, a falta de ironia me da um certo enjoo digamos assim, parecia que ela não tinha personalidade. Me dei conta que estou analisando muito as pessoas ultimamente, devo lembrar que não sou jurada de um concurso de modelos.
   Ela passou um teste pra saber até onde a maioria da turma sabe, ela queria economizar tempo para dar mais matérias e aprofundar. Assim que essa aula acabou, fui procurar Abby, afinal, tinha que entrar em contato com ela mais tarde.
 - Essa menina não aparece. - Resmunguei enquanto a procurava no terceiro andar.
 - Apareço sim. -Ela surgiu novamente do meu lado. - Podemos fazer hoje a tarde? A noite eu trabalho.
 - Trabalha? No que? -Perguntei um tanto curiosa.
 - Um trabalho normal. Èrr... Os outros dois horários de hoje vão ser palestras chatas, é sempre assim, vamos ir embora? - Percebi que ela ficou incomodada, ela parece ter muitos segredos, então apenas respondi.
 - Claro. -De repente ela me puxou para o estacionamento  e achou seu carro. -Você tem um carro?
 - Sim, na verdade eu ganhei dos meus pais.
   Entramos, e eu disse a ela onde fica meu apartamento, chegamos em menos de 3 minutos, entramos no elevador, enquanto eu ficava brincando com um pedaço de papel ela estava arrumando seu cabelo num espelho.
   Eu apenas ria de algumas caretas que ela fazia.
   Chegamos ao meu apartamento, fui jogando as coisas no sofá, fui tirando o Tênis e a Blusa de frio. Ficando somente com o sutiã, já que eu tinha tirado a blusa.
 - Vou tomar um banho, estou melada. - Falei tirando a calça. - Ah, fica a vontade, se quiser internet a senha do wi-fi está no roteador.
 - Okay, adorei sua sala, vou ver a cobertura. - Ela saiu subindo as escadas.
   Apenas fui pro banheiro, liguei o chuveiro numa deliciosa água quente, me depilei, lavei meu cabelo e por fim cantei uma composição minha. Fucked up world.
   - It's a fucked up world. - Saí do banheiro enrolada na toalha e subi pro meu quarto, e como eu esperava, ela estava fazendo coisas que me deixam incrédula.
 - Seus sutiãs são tão pequenos pra mim. -Ela estava se olhando no espelho, eu até achei muito atraente com aquele preto renda, mas isso não vem ao caso.
 - Quem mandou você nascer peituda? Vou me trocar, pode descer. -Falei.
 - Pode se trocar aí, vou ir vendo suas coisas, não vou espiar.
 - Você é impossível.
   Me sequei e vesti uma roupa leve, tudo que tenho são cores escuras, então acabei colocando meu pijama. Penteei meu cabelo e fiz um rabo de cavalo, ele solto e molhado não é tão legal.
   Nós descemos e fomos pro computador procurar pela matéria do trabalho, fizemos um resumo, uma boa introdução. Imprimimos tudo e colamos algumas imagens boas que tinha num livro velho que achei, ele era bom.
 - Tá perfeito, vamos tirar total. -Ela pulou em cima de mim e me abraçou. - Vamos ser boas amigas, e você é macia. -Ela estava deitando nos meus seios.
 - Okay okay. -Eu estava um pouco vermelha por ser branca, outra coisa que não gosto.
 - Acho melhor eu ir já é... -Ela se virou para o relógio de parede. - 4:00PM, está cedo. Quer ir lá em casa?
 - Não, tudo bem, acho que vou fazer um brigadeiro. - Fui pra cozinha e ela me seguiu.
 - O que é um brigadeiro?
 - Um doce brasileiro, vá colocar uma série na TV, acabo rápido.
   E assim ela fez, peguei o leite condensado, o chocolate em pó, duas colheres de manteiga e voalá. O meu não fica tão bom como o do meu pai mas, dá pra levar. Peguei morangos, e um monte de porcaria que achei, como refrigerante, chips e etc.
   Cheguei na sala e ela havia colocado The vampire diaries, já ouvi falar mas sempre tive preguiça de ver, começamos a ver do primeiro episódio, fomos conversando e comendo. Eu realmente gosto da presença dela, até que aquela vaca não foi tão retardada de me mandar pra cá.
   Acabamos ficando com sono, e por fim dormimos.
 


Notas Finais


Comentem o que acharem <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...