História Beau Swan and Edythe Cullen - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Saga Crepúsculo
Tags Saga Crepusculo Romance
Exibições 10
Palavras 872
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Ficção, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


A primeira noite de Beau e Edythe juntos no quarto de Edythe. Tudo o que está acontecendo, é novo para ambos. Mas agora, não há limites ou restrições

Capítulo 3 - Capítulo 3 - Nossa primeira noite juntos


Pov Beau

—Acho que preciso de alguns segundos sozinho. Serei rápido, eu prometo. - Mordi os lábios e olhei para ela. Edythe segurava minha mão, olhava-me com uma expressão de expectativa. Parecia segurar o riso ao me ver naquela situação. - Acho que de uma forma ou de outra, você sempre acha uma maneira de rir de mim. - Comentei derrotado e ela riu mais alto. 

Sua voz melodiosa soou pelas paredes da casa.

—Me desculpe, mas não consigo evitar. Você sempre acaba fazendo algo espetacularmente engraçado. Ou se vê em uma situação que para você é embaraçadora. - Ela riu exibindo os dentes perfeitos e brancos. 

Não resisti e beijei sua bochecha. Senti sua pele que agora era da mesma temperatura que a minha, mas incrivelmente macia me fazia viajar. Ainda mais quando eu olhava para seu rosto belo e fitava seus olhos dourados. 

—Eu já volto. Não saia daqui. - Me afastei com algumas trocas de roupas que eu usaria depois do banho. 

Não pude deixar de me sentir constrangido. Edythe sentou-se perfeitamente ereta na cama. Com as pernas cruzadas, mordendo os lábios segurando o riso. Parecia uma bela estátua de um museu que eu visitaria sem nenhuma reclamação. 

Afastei-me com um sorriso e entrei dentro do banheiro. Livrei-me das minhas roupas sujas e as deixei em cima da pia com cuidado. Mesmo ainda morando aqui, eu não me sentia confortável para fazer as coisas que eu costumava fazer em casa.

Nova vida, novos costumes e nova casa. 

O banheiro era incrivelmente branco. O piso, as paredes e os móveis do banheiro. Havia uma ducha e uma banheira, preferi usar a ducha, pois não queria sujar o banheiro ou fazer bagunça.

Levando em conta como eu era incrivelmente distraído, acho que isso não mudou depois da transformação. 

Girei a maçaneta e deixei a água corrente cair. Entrei dentro do box e aproveitei a água quente. Os Cullen tinham um ótimo chuveiro, bem melhor do que o da minha antiga casa. Isso era bem notável. 

Tirei toda aquela sujeira de mim e tratei de ficar o mais apresentável possível. Fui rápido com o banho, logo que terminei sai do chuveiro. Enxuguei meu corpo e estendi a toalha. 

Vesti um suéter cinza, uma calça jeans de tonalidade clara e calcei um dos sapatos que peguei no closet. Abri a porta e dei de cara com Edythe. Na mesma posição anterior que eu havia visto, sentada com um sorriso no rosto.

—Demorei? - Perguntei. 

—Não muito. - Ela riu. 

—O que eu faço com...? - Mostrei à ela minhas roupas.

Em um segundo, ela estava do meu lado.

—Eu fico com isso. - Ela apanhou minhas roupas e desapareceu no exato momento. Fiquei ali parado encarando o vazio de boca aberta.

Logo ela apareceu na porta novamente.

—Aonde você...?

—Lavanderia. - Ela respondeu com um sorriso.

—Ah, claro. - Suspirei e sentei na cama. - Desculpe, ainda não conheço sua casa direito. 

—Não tem problema. - Ela se aproximou com um sorriso e sentou ao meu lado na cama. 

—Sabe, você não precisava mesmo fazer... - Apontei para o quarto ao nosso redor e ela revirou os olhos.

—Se disser isso de novo, vou ser obrigada a lhe dizer algo bem rude em resposta. - Ela disse com uma careta engraçada e eu ri sem graça. 

Tentei parecer confortável. Meu corpo estava ereto, ainda não havia me acostumado com isso. Às vezes tentava me lembrar de ter que respirar, não por obrigação. Mas, porque eu queria isso, ainda era estranho não fazê-lo. E a sede não era tão irritante, eu estava bem. Era só não pensar nela. 

Senti Edythe pegando em minha mão. Virei-me para ela com um sorriso no rosto e ela sorriu de volta. Sem dizer nada, ela se aproximou e roubou um beijo.

Não agi por conta própria, meu corpo fez o trabalho por mim. Mais uma vez eu estava avançando o sinal. Indo na direção dela e aprofundando o beijo. Ignorando todos os sinais e obstáculos, ela não recuou ou fugiu de mim desta vez.

Edythe retribuiu o beijo, enroscou seus dedos nos meus cabelos, trazendo-me mais para perto dela. 

Meus lábios protestaram quando os dela se afastaram dos meus. Seus lábios carnudos estavam vermelhos, eu ri de sua expressão.

—O que acha de irmos devagar? - Ela propôs. 

—Mais do que já fomos? - Indaguei e ela riu.

Edythe deitou na cama. A cama tinha uma bela vista da floresta à nossa frente pelo vidro da janela. Deitei ao seu lado, sem dizer uma palavra, ela se aproximou e deitou em meu peito.

Abracei-a fortemente. 

—Como você está? - Ela perguntou brincando com o botão do meu suéter e eu ri.

—Fisicamente me sinto ótimo. 

—Não me referi à isso. 

—Bem... Estou tentando lidar com tudo.

Ela virou o rosto para mim. Olhei no fundo dos seus olhos dourados, que teimavam em me estudar.

—Sei que é egoísta de dizer, mas... Estou feliz aqui com você. - Ela disse cabisbaixa. Acariciei seus longos cabelos cor de bronze.

—Eu também estou. - Falei baixinho.

Não precisamos dizer mais nada naquele momento, ficamos ali abraçados pelo resto da noite. E quando o sol nasceu, tivemos uma bela vista para apreciar

 


Notas Finais


Aproveitem :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...