História Beautiful - Son Hyunwoo - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Monsta X
Personagens Joo Heon, Min Hyuk, Personagens Originais, Show Nu
Tags K-drama, Monstax, Romance, Shownu
Visualizações 24
Palavras 1.938
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 5 - Dreams and Young Love


Fanfic / Fanfiction Beautiful - Son Hyunwoo - Capítulo 5 - Dreams and Young Love

(S/N)

 

Sentada em frente ao CEO que tomava seu tão desejado Americano, enquanto eu, tomava um sorvete pequeno. Desde quando chegamos ele não abriu a boca para nada, mas quando comecei o encarar, ele finalmente quebrou o silêncio.

 

- O que está achando da empresa?

- Hm, ótima! – Sorri de leve e ele me olhava comendo um pedaço da torta de bluberry. – É acolhedora e tem ótimos funcionários. E claro! Um CEO ótimo!

- Kansamida. – Deu um sorriso sincero. – Você realmente parece ser alguém que gosta de ficar ocupada.

- Sinceramente? Sim. Desde que tive problemas com raiva tive que procurar por coisas que me distraíssem.

- Problemas com raiva? – Ficou surpreso. – Sério?

- É coisa do passado. – Ri sem jeito olhando o sorvete. – Já melhorei.

 

Um silêncio surgiu novamente e quando olhei para Hyunwoo, o mesmo me olhava e parecia preocupado, ou curioso.

 

- Senhor?

- Ah? – Fez ainda me encarando, logo acordou desviando o olhar sem graça. – Perdão, me distraí com....essa confissão.

- Não é nada demais. – Ri de leve. – Já que vamos começar com o pé direito, poderíamos nos conhecer mais. Faça uma confissão, pode ser?

- Você é uma garota justa. – Sorriu e tomou o último gole do café, apoiou os braços na mesa me olhando. – Quer ouvir minha história, Srt. S/n?

 

Realmente aquilo me pegou de surpresa, ele já parecia bem animado pela ideia de...talvez ficarmos mais íntimos? Parece que sim.

 

- Oh...acho que ficaria honrada. – Sorri nervosa e ele suspirou desviando o olhar.

- Bem, primeiramente, nunca quis ser CEO. – Me encarou e comecei a ficar atenta. – Essa empresa é dos meus pais desde a década de 80. Sou filho único e eles sempre quiserem criar um filho como objeto, que seria eu. Me abandonaram na casa da minha tia, também dona, porém de uma loja de roupas, ou seja, minha família sempre foi ligada na moda. Eu não. Quando completei meus 15 anos, meus pais me colocaram em casa novamente, porém apenas para aprender à ser um maldito CEO da empresa deles. Eu odiei a ideia, mas nunca pude me revoltar contra.

- Senhor... – Me fiz surpresa com a história.

- Shownu. – Sorriu de canto.

- Oh...Shownu-shi. O senhor tem um sonho?

- Sonho? – Riu sem graça desviando o olhar. – Sim, mas...é estranho.

 

Eu sorri de canto e suspirei apenas o encarando, o mesmo me olhou e ficou em silêncio, apenas esperei ele responder.

 

- Tudo bem, eu conto. – Disse em meio de risos, logo sorri mais. – Mas não dê risada!

- Sim, senhor.

 

Era como se os tambores rufassem naquela hora, eu estava curiosa! Gostaria de ajuda Shownu a se guiar para um caminho melhor! Pff...quem sou eu pra falar isso? Uma mera administradora de sites de moda!

 

- Meu sonho é....viver uma história.

- Oh! Mesmo? Que surpresa! Que tipo de história, Shownu-shi?

- Como posso dizer? – Riu de leve desviando o olhar.

 

De repente, seu olhar se fixava para um casal que saia da cafeteria, o maior engoliu tentando disfarçar aquilo...mas não sou burra e logo descobri.

 

- Senhor, sem querer ser intrometida, mas...você já teve alguém?

- Hm? Namorada? – Na hora seu rosto corava. – Bem...nunca tive uma oportunidade, você ouviu minha história.

 

Abri um sorriso enorme, era tão fofo! Seu sonho era namorar alguém!

 

- Quer viver uma história de amor? – O encarei sorrindo e o mesmo riu abafado.

- Bem...por aí. Então, não é à toa que chamei você para ser minha secretária e trabalhar comigo.

 

Na hora meu rosto queimava e Shownu percebia o que havia dito, entrou em desespero.

 

- Não não não! Digo! Não estou dizendo que vou dar em cima de você! – Ria nervoso e continuei ainda paralisada e vermelha, ainda não me convencia. – Estou tentando dizer que parece entender bastante sobre isso! Entende? Amor, amizade, friendzone! Não sei, vocês garotas... tem muitas habilidades.

 

Ele se encostava na cadeira com o olhar baixo e suspirava, levou a mão ao rosto arrependido, estava completamente envergonhado! Mas logo o compreendi e tratei de conforta-lo soltando um riso, o mesmo logo tratava de me olhar.

 

- Entendi, senhor! Não precisa se preocupar! Eu ajudo, claro!

- Ah, claro! Kansamida! – Riu aliviado e voltou a apoiar os braços na mesa.

- Oh...! – Olhei o meu relógio. – Senhor, preciso ir! Meu horário já terminou!

- Já? – Estranhou e olhou seu relógio. – Uwah! Passou rápido! Eu pago!

 

Ele se levantou rapidamente indo até o caixa e logo fui atrás.

 

- Eu pago o meu!

- Senhorita, eu lhe convidei, então eu lhe pago. – Sorriu pegando o cartão e na hora estiquei eu cartão na frente, o caixista ficava confusa com dois cartões de créditos em sua frente. Apenas nos encaramos por um tempo e ele sorria. – Você é adorável, sabia?

- Que? – Corei e ele sorria abaixando meu braço pagando com seu cartão.

 

Fiquei paralisada, de novo.

Saindo da cafeteria eu estava um tanto sem jeito, Hyuwoon me olhava.

 

- Vai como embora?

- Meu irmão já deve estar na empresa. – Logo meu celular tocava. – Ah, é ele. Alô, Dani?

- S/n! Aonde você está?!

- Perdão! Estou indo agora! – Fiquei desesperada. – Estava na cafeteria!

- Pode ficar, eu te pego aí! Mas nunca mais me assuste deste jeito! Já faz 20 minutos que estou te procurando pela empresa!

- Desculpa! – Fechei os olhos sentindo repreendida. Desliguei o celular e olhei o maior.

- Estava bravo? – Perguntou e afirmei com a cabeça um tanto medrosa. – Sabe, eu poderia leva-la para sua casa, assim não acontece essas coisas.

- Oh? – Fiquei surpreso. – Está falando sério?

 

Logo o carro do meu irmão parava e buzinava alto de propósito! Hyunwoo se incomodava quase xingando alto, Dani abaixava o vidro e estava furioso!

 

- Vamos! Tenho consulta atrasada!

- Dani! Pode ir! – Sorri nervosa e olhei Shownu. – Meu chefe pode me levar.

- Seu...chefe? – Ele olhava um tanto assustado. – Oh...se-senhor.

- Olá. – Shownu sorriu de canto. – Pode ir, levarei ela em segurança.

- Ótimo. – Ele sorriu e parecia que sua personalidade mudará. – Bem, irmãzinha...te ligo mais tarde.

- Claro. – Sorri e ele ia embora, olhei o maior que apenas o observava ir embora com a face séria. – Tudo bem?

- Sim... odeio buzina de carro. – Bufou e começava a andar até a empresa.

 

No carro pronto para dar a partida, Shownu suspirava e apenas o olhei.

 

- Seu computador. – Pegava o celular e ligava para alguém. – Jooheon? Por favor, traga as coisas de s/n para fora, estou no carro logo em frente.

 

Ele desligava e esperamos por um momento, até Jooheon finalmente chegar carregando minha bolsa.

 

- Aqui está, s/n! – Ele sorriu e olhava o chefia. – Senhor!

- Jooheon. – O maior sorriu para o funcionário. – Kansamida, garoto e bom trabalho, podem sair mais cedo para jantarem.

- Mesmo?! – Ele se fazia realmente surpreso. – Daebak! Kansamida!

 

Jooheon fazia um “fighting” para mim e sorri de leve, quando ele entrou ouvi uma voz familiar me chamar.

 

- S/n! Espere!

- Oppa! – Olhei sorrindo para Minhyuk que vinha até mim com algo embrulhado em uma das mãos. – Shownu, espere um pouco...! Ah!

 

O carro dava a partida, o meu vidro fechava e Shownu ia embora! O rosto de Minhyuk me vendo ir embora, era de dar dó! Me virei para o maior.

 

- Senhor!

- Mwo? – Me olhou confuso. – Fechei no seu nariz?

- Eu disse para esperar, Minhyuk parecia ter algo para me entregar e o senhor foi embora?

- Me chame por Shownu, seja informal, por favor. Aliás... Minhyuk estava vindo? – Me olhou estranhando. – Eu juro, nunca nem vi! Nem escutei!

 

Suspirei olhando para frente e cruzei os braços, logo meu celular tocava, atendi na hora.

 

- Oppa! Desculpa, meu chefe acabou não ouvindo você chamar.

- Está tudo bem. – Riu de leve. – Não era nada importante.

- Certeza? Parecia ser.

- Não é. – Ria. – Bem, queria apenas saber do porquê. Mas está tudo bem agora. Preciso ir!

- Tudo bem, oppa, até! – Desliguei e suspirei olhando de canto para o maior que estava atento à estrada.

- Só me dizer aonde é, tudo bem? – Sorriu de leve.

- Tudo bem. – Desviei o olhar preocupada com Minhyuk.

 

Ele estava realmente bem com aquilo? Ele é tão sensível.

 

(MINHYUK)

 

- Não era nada importante. – Disse à ela no telefone.

 

Foi nessa hora que fiquei olhando o embrulho, bem, eu acho que realmente não era. Quando desligamos, guardei o celular e desembrulhei seu lanche preferido de peito de peru. Suspirei pensando se deveria comer aquilo, já que não consegui entregar para ela por conta do chefe. Aliás, o que esses dois tem? Bem, não importa, preciso ir para casa.

Em casa, moro sozinho e não muito bem, sempre desejei uma pessoa comigo, pelo menos eu tenho minha cachorrinha branquela Poppy, que logo venho correndo para mim quando abri a porte de casa.

 

- Oi garota! – Me agachei a acariciando enquanto Poppy chorava de felicidade. – Demorei demais? Desculpa, tive alguns problemas com sentimentos...de novo.

 

Me levantei e fui até meu quarto, aonde me despi da parte de cima ficando apenas com a calça jeans. Fui até um moral que eu possuía desde os primórdios do colégio com s/n. Sempre tiramos fotos juntos quando saímos juntos, eram fotos engraçados e memoráveis, eu sempre ria as olhando e relembrando dos momentos perfeitos. Como em uma das fotos em que tiramos com maças na boca e nariz de porco que compramos em uma lojinha de fantasias.

Peguei uma das fotos, minha favorita. Era a imagem apenas dela quando tirei enquanto ela andava de patinete pela primeira vez e eram meus! Esse dia foi incrível... a primeira vez da nossa amizade.

 

(Flashback on – Minhyuk POV)

 

Já que ambos gostamos de experimentar novas coisas, decidimos sair juntos e nos encontrar em uma rua sem saída perto da minha casa aonde não tinha movimentação. Eu levei meu patins para ela já que me disse que nunca tinha andado antes e ela? Ainda não sei, mas quando ela chegou, ela me trouxe um teclado! Fiquei bem surpreso!

Quando chegamos na rua sem saída, s/n me ensinou algumas músicas simples no teclado e eu me apaixonei, assim, começando a cantar junto à ela. Acho que depois daquilo, eu gostaria de fazer um curso de piano, apenas para surpreende-la! Logo foi minha vez de mostrar-lhe o patins.

 

- Eu não consigo! – Ela ria após colocar os patins, apenas a ajudei a levantar. – Eu vou cair!

- Não vai não, olhe nos meus olhos e não separe as pernas, deixa-as firmes! – Na hora era me olhava e eu a puxava lentamente. – Está indo bem, continue me olhando.

- Espere...acho que consigo. – Lentamente ela soltava minhas mãos e eu fiquei bem surpreso! - –u consigo me equilibrar!

 

Me afastei um pouco e a mesma começava a tentar patinar pouco a pouco, até finalmente conseguir. Ela aprendia bem rápido! Meu deus! Ela era incrível!

 

- Estou andando! Minhyuk! – Ela ria e gritava de alegria!

- Continue assim! – Eu sorria e corria até minha mochila pegando minha câmera fotográfica. Logo ia em frente dela pegando um ângulo perfeito de frente. – Sorria, pequena!

 

(Flashback off)

 

Assim a foto foi tirada, ela sorria com seus braços esticados e tentando permanecer de pé em cima dos patins pretos. Ela estava linda, parecia tão livre e feliz, aquilo me fazia pensar que... tirando nossos problemas na escola, ambos éramos adolescentes normais. Precisamos afastar aquilo que nos impede de achar a felicidade... e parece que encontrei outro obstáculo em meu caminho. Coloquei a foto no lugar e me joguei na cama, Poppy subia deitando sua cabeça em meu peito, dei um longo suspiro.

 

- Como é possível ainda gostar de alguém depois de anos? 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...