História Beauty And The Beast - Hiatus - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Visualizações 52
Palavras 2.113
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Fantasia, Mistério, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Eu demorei, mas eu cheguei *-*

Queria avisá-los de que essa é uma mini fanfic, ela terá, se não me engano, 9 capítulos. É pouco? Sim, mas eu estou apenas reescrevendo uma história que eu criei lá em 2015...

Enfim, leiam as notas finais ♥
Capítulo betado por: TheOnlyOne/IAmTheDarkness ♥

Capítulo 2 - Conhecendo a Fera


E mais um dia amanheceu na pequena vila onde Kim Seokjin morava com seu pai. Como já era de seu costume, levantou-se de forma animada como sempre, trocou suas vestes, comeu uma maçã rapidamente e saiu andando com seu livro em direção à biblioteca para poder devolver o mesmo e pegar um outro emprestado.

Ler era o que mais amava fazer. Adorava a ideia de poder conhecer tantos mundos diferentes apenas com o poder de palavras. Muitos o achavam estranho, mas Jin não se preocupava com tal opinião, afinal sabia o quão são ele era e o quão sem cultura as outras pessoas eram.

Todos sempre o davam bom dia, já que mesmo o achando estranho ele tinha uma simpatia invejável com todos da vila, sempre cumprimentava todo mundo e perguntava a cada um se estavam bem ou não.

- Bom dia! – Disse ele ao entrar na biblioteca, já observando os exemplares expostos e pensando no que levar.

- Bom dia, Sr. Kim. – Respondeu o bibliotecário, com um sorriso enorme. – Já sabe o que você vai levar hoje?

- Ainda não sei. Tem alguma novidade? – O bibliotecário pareceu estar pensativo, então Seokjin avistou um livro em sua frente. – Vou levar esse aqui.

- Pela terceira vez? – O senhor perguntou rindo e Jin apenas assentiu. – Então pegue ele para você, já que gosta tanto de o ler.

E, agradecendo imensamente com um largo sorriso no rosto, Kim Seokjin saiu de dentro da biblioteca quase saltitando de alegria, em seguida voltando a andar pela vila para ir de volta até sua casa, já de olho nos primeiros parágrafos daquele livro que tanto gostava de ler.

- Bonjour, Jin! – Cumprimentou Min Yoongi, esbarrando em Jin praticamente. O Kim sorriu fraco e apenas o cumprimentou com a cabeça em resposta.

- Bom dia. – Respondeu em um tom baixo.

Era verdade que Jin gostava de todo mundo e fazia amizade muito facilmente e com qualquer pessoa que tentasse, mas havia algo em Yoongi que ele não conseguia gostar, até mesmo detestava estar na presença do garoto de cabelos pretos.

Quase gritou ao ver o Min arrancar o livro de sua mão e começar a folheá-lo sem nenhum cuidado. Jin sempre tinha o maior cuidado do mundo com qualquer um de seus livros, principalmente o seu preferido, recém havia o recebido de presente e aquele ser desprezível em sua frente já o estragaria. Aquilo foi mais do que o suficiente para fazer Jin ficar irritado e com uma carranca no rosto.

- Min Yoongi, me devolve o meu livro! – Ordenou ele, sendo ignorado, como já era esperado.

- Como você consegue ler isso? – Perguntou Yoongi com uma careta até um pouco cômica. – Não tem nenhum desenho.

- Algumas pessoas usam a imaginação. – Rebateu Jin, cruzando os braços irritado. Yoongi jogou o livro dele no chão.

- Você deveria largar esses livros e se preocupar com coisas mais importantes. Como eu. – Jin riu e juntou o livro do chão, chamando Yoongi de “primitivo” em seguida.

Como Yoongi era desprovido de inteligência, pensou que aquilo fosse um elogio e agradeceu, logo dizendo para Seokjin que o castanho precisava largar os livros e se preocupar com ele e coisas desse gênero.

Mas Jin não quis, então disse que “talvez uma outra hora” ele aceitasse. Claro que era mentira, mas no momento pareceu ser bem convincente.

- Obrigado pela oferta de me levar para conhecer os seus... troféus. – O Kim pareceu pensar para concluir sua frase. – Mas preciso voltar para casa para ajudar meu pai.

- Aquele louco? – Perguntou Hoseok, o amigo e maior companheiro de Yoongi, provavelmente a única pessoa que o aguentava.

- Ele não é louco. Ele é um gênio! – E, dito isso, Jin voltou correndo para casa para poder ver seu pai e ajudá-lo.

Odiava quando Yoongi cruzava seu caminho, porque os dois sempre acabavam trocando farpas desnecessárias. Era claro para Seokjin o interesse amoroso que o outro tinha em si, mas ele não dispunha de nem um por cento do mesmo interesse, pelo contrário, tinha apenas um desejo enorme de manter distância.

Para Seokjin, casar deveria envolver amor por ambos os lados, e mesmo que viesse a gostar de Yoongi sabia que o Min só gostava de si mesmo e que a única pessoa com quem o mesmo deveria namorar era o reflexo do espelho, nada além disso.

Soltou um suspiro e adentrou sua residência, agradecendo por finalmente ter paz, longe de Yoongi, Hoseok e todos que achavam ele e seu pai loucos.

[...]

- Você já vai para a feira, papai? – Perguntou Jin, vendo seu pai, Taeshin, colocar as coisas necessárias na carruagem e arrumar o cavalo deles, o Phillippe.

- Sim, o caminho é longo. – Respondeu Taeshin, logo subindo no cavalo e já começando a andar. – Jin, meu pequeno, cuide-se enquanto eu estiver longe. Eu não devo demorar a voltar.

- Boa sorte lá, papai! – Seokjin gritou abanando para seu pai.

Jin odiava saber que ficaria certo tempo longe de seu pai, afinal os dois moravam sozinhos, tinham apenas um ao outro. Esperava com todas as forças que ficasse tudo bem com o mais velho, queria que o aperto em seu coração fosse apenas saudade precipitada.

Mas de fato não era.

Taeshin estava nervoso no caminho, ele queria muito ganhar o prêmio principal na feira que participaria. Tentou de todas as formas arrumar as geringonças que levaria e torcia para que elas dessem certo, a decepção de fracassar mais um ano seria grande, mas não é como se não estivesse acostumado.

A verdade é que o Kim mais velho queria ser motivo de orgulho para seu filho.

Taeshin começou a ficar mais nervoso ainda quando já estava há tempos na estrada e ainda não tinha chegado ao seu destino. Algo estava errado. Extremamente errado e isso o deixou aflito.

Ele começou a se preocupar, até que ficou dividido entre dois caminhos e, para sua infelicidade, ele escolheu o caminho mais sombrio e tenso. A estrada tortuosa e deserta o dava calafrios, apenas uma escuridão podia ser vista, só faltava tocar uma trilha sonora de filme de terror para piorar tudo.

O cavalo de Taeshin dava uns tremeliques do nada, provavelmente estava tão assustado quanto seu dono. Não havia luz quase para iluminar eles, havia apenas o lampião do Kim, coisa que não os ajudava muito. Na verdade nem ajudava.

O barulho de algum animal andando pela floresta pôde ser escutado e aquilo assustou o pobre cavalo. Os dois começaram a ir mais para trás e, com o susto que Phillippe levou, ele acabou derrubando Taeshin e fugiu totalmente atordoado.

Com a queda, o lampião de Taeshin se quebrou e ele precisou seguir seu caminho a pé e às escuras. Mas, mesmo assim, ele seguiu o caminho. Ele precisava seguir em frente para poder encontrar o caminho de volta para casa.

Taeshin encontrou um enorme portão e o abriu para passar por ele e fugir dos lobos que estavam o perseguindo e uivavam sem parar. Para ajudá-lo ainda por cima começou a chover e ficar ainda mais frio. Quando ele olhou para a frente, viu que aquele portão dava a algum lugar: ele estava dentro do ‘pátio’ de um enorme castelo.

Ele entrou então no castelo, afinal precisava se abrigar em algum lugar. Foi cautelosamente entrando e observando o lugar enorme – e praticamente vazio – em sua frente. Era lindo.

- Tem alguém aí? – Taeshin perguntou um pouco alto, fazendo eco pelo castelo. – Eu não quero incomodar, eu só preciso de um lugar para passar essa noite.

- O senhor é muito bem-vindo. – Taeshin pegou um castiçal que estava em uma cômoda ao lado de um relógio.

- Quem disse isso? – Perguntou o mais velho, sendo cutucado na cabeça, percebendo que quem tinha falado com ele havia sido o castiçal. Ele acabou derrubando o objeto no chão com o susto.

Taeshin pegou o relógio também, já que o mesmo também falava e começou a mexer nele, fazendo cócegas no mesmo, ainda que fosse sem querer. Ele começou a espirrar por conta do frio e pelo fato de estar molhado, então Jimin, o castiçal, resolveu ajudar o Kim.

O que supostamente era a mobília da casa, começou a arrumar um lugar confortável para o mais velho, o colocando em uma poltrona confortável, perto da lareira, colocando nele uma ‘coberta’ por cima para ele se esquentar, oferecendo um chá e coisas assim.

As portas da sala se abriram e um vento frio passou por ela, o fogo chegou a se apagar e todos começaram a tremer, inclusive Taeshin.

- Tem um estranho aqui e eu não gosto de estranhos aqui! – Era a fera quem falava. Namjoon, mais especificamente.

Jimin correu para tentar explicar, ele disse que Taeshin precisava de um lugar para ficar e que provavelmente se resfriaria por conta de estar encharcado por causa da chuva. Mas a única resposta que o castiçal teve, foi um urro alto e forte da fera.

- Quem é você? – Perguntou a fera. – E o que você está fazendo aqui?

Taeshin nem conseguiu falar, pois a fera começou a enchê-lo de perguntas, a maioria relacionada a assuntos que o pobre Kim nem sabia sobre.

- Eu só queria um lugar para ficar. – Ele disse com medo.

- Eu vou te dar um lugar para ficar. – A fera pegou Taeshin pela roupa e saiu o carregando porta a fora.

Jimin olhou para o relógio ao seu lado, que tinha a melhor expressão de “eu avisei”.

- Aish, Jungkook, você não era assim. – Reclamou com um sotaque que não possuía antes de a maldição ser jogada no castelo. – Eu sei que não deveria ter feito algo contra a vontade do príncipe, mas meu coração doeu de ver ele passando por problemas.

- Você é um castiçal agora, não tem um coração. – O relógio riu, recebendo uma bela queimada por uma das velas que estava no castiçal. – Isso machuca! Se um dia essa maldição for embora eu vou estar cheio de marcas de queimado. Por culpa sua!

- Você era uma boa pessoa, só porque agora é feito de madeira não precisa agir como se seus sentimentos tivessem ido embora. – Jimin parecia um pouco triste. – Com o tempo você está ficando cada vez mais frio, não vai demorar para esquecer o que costumava sentir por mim também.

- Posso até ser meio frio e ficar ainda mais gelado, mas eu tenho as suas velinhas para me esquentarem. – E o castiçal sorriu, Jungkook imaginava que Jimin estaria com as bochechas coradas caso ainda tivessem sua forma humana. – Agora precisamos ver onde colocaram o pobre homem. Se você se preocupa tanto assim, vamos o ajudar.

[...]

Na vila Jin estava cantarolando enquanto passeava pelo campo, atividade que fazia muito, quando viu Phillippe voltar sozinho para lá. Ele obviamente se assustou por perceber que o cavalo estava sozinho e resolveu ir atrás de seu pai.

Ele subiu no cavalo e ordenou que o mesmo o levasse até seu pai. Philippe logo levou Seokjin até o castelo e o Kim desceu do bicho para entrar no lugar, que o dava arrepios por conta da escuridão que o cercava. O lugar não era dos melhores, mas era um castelo lindo, de tirar o fôlego.

Jin atravessou o portão e andou lentamente até a porta que dava entrada ao palácio. Ele entrou perguntando por seu pai em voz alta, mas não obteve nenhuma resposta.

Seokjin começou a explorar o castelo em busca de seu pai, mas não o encontrava em lugar algum. Ele subiu as escadas, ouviu um barulho, virou-se para trás e viu uma porta aberta. Decidiu então ir até essa porta e em seguida passou pela mesma, vendo que tinha uma escadaria que levava mais para cima ainda.

Quando ele chegou na parte de cima da escada, ele encontrou seu pai em uma cela. O mais velho estava tossindo freneticamente, tentando dizer para seu filho ir embora, mas o mesmo se negou. Seokjin foi tirado de perto de seu pai bruscamente pela fera.

- Quem é você? – Perguntou o Kim mais novo, sem demonstrar que estava com medo.

- O mestre desse castelo. – Respondeu Namjoon.

- Eu vim buscar meu pai, deixe ele ir, ele está doente! – Implorou Jin.

- Ele não deveria ter entrado aqui! – Esbravejou a fera, gritando e soltando um urro forte novamente.

- Eu faço qualquer coisa, por favor... – Jin tentou dizer, mas a fera estava indo embora. – Espere! Eu fico no lugar dele.

Namjoon levou uns bons segundos para entender que realmente havia escutado aquilo e mais alguns para conseguir responder.

- Com uma condição! – Kim Seokjin o olhou esperançoso e então a fera prosseguiu. – Você terá que me prometer que ficará aqui para sempre. 


Notas Finais


Gente, estou entrando em hiatus em praticamente todas as minhas histórias, incluindo essa. Eu não sei quando voltarei, eu só espero que me perdoem e não me abandonem, saibam que tenho meus motivos para fazer isso :(

Grupo do whats para se quiserem falar comigo: https://chat.whatsapp.com/7yhGlmj3qUy9ai4DNHVvs9
Meu cronograma de postagem e avisos (além de maiores explicações): https://spiritfanfics.com/jornais/cronograma-de-postagens-e-hiatus-9544252


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...