História Beber, Rezar e Esquiar. - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jungkook, Suga
Tags Bottom!jimin, Casamento, Jikook, Kookmin, Top!jungkook, Yoonseok
Exibições 641
Palavras 3.548
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Aloha!!.

Eu demorei muito dessa vez?. Acho que não, né kkk.

Bom, eu realmente queria postar hoje para vocês, queria tirar vocês do tédio pelo menos por alguns minutos. Eu sei como o domingo é chato.

Sem mais delongas, boa leitura!

Capítulo 10 - Conectados.


Fanfic / Fanfiction Beber, Rezar e Esquiar. - Capítulo 10 - Conectados.

—Eu quero fazer sexo. - Jimin disse, sem nenhuma vergonha.

 

Jungkook na mesma hora engasgou-se um pouco com a espuma do creme dental e olhou o marido de forma horrorizada. Estava acostumado com Jimin ser sincero, mas aquela foi demais para o seu cérebro que entrou em curto-circuito. Afinal, a ultima vez que fizeram sexo foi quando estavam em Toscana, e fora Jungkook quem deu o primeiro passo para aquilo acontecer. E agora estava ali, com cara de idiota e com a boca toda suja de espuma... olhando Jimin encostado no batente da porta e lhe dizendo que queria fazer sexo.

 

— Ham?. - Perguntou de forma lenta, ainda processando a informação.

 

— Eu disse que quero fazer sexo. - Ele continuo com a sua expressão neutra e calma. Sabia que ainda era seis e doze da manhã, e que tinham que ir até o templo interno para cantar os mantras, depois ir para o café da manhã e provavelmente começarem alguma atividade. Mas queria sentir Jungkook perto de si, sentia saudades dos toques dele... não poderia negar. Achava que estava mais do que na hora de dar o primeiro passo em alguma coisa.

 

Jeon olhava para o ruivo ainda surpreso. Piscou três ou quatros vezes até que voltou para o mundo real, virou-se para a pia e cuspiu a espuma. Logo lavando a sua boca e escova.

 

—Você... quer agora?.

 

— Aham. Você não quer?. - Jimin aproximou-se sorrateiramente, até ficar perto das costas do marido, onde passou a mão por cima do tecido macio e ia alisando a linha de sua coluna. Ficou um pouco na ponta dos pés, e beijou a nunca exposta de Jungkook.

 

— Não é que eu não queira. - Sorriu e enxugou o rosto com a toalhinha, a deixando de volta no lugar. Levou o braço para trás e puxou Jimin, para que ele ficasse em sua frente. — Mas temos que ir até o templo interno.

 

O ruivo fechou os olhos assim que sentiu os braços de Jungkook passar pela sua cintura, fazendo com que suas costas colasse no tronco do outro. Um beijo cálido e carinhoso foi depositado em sua bochecha.

 

— Eu sei que temos um compromisso. Mas, queria aproveitar que estamos sozinhos, não há ninguém pelos corredores. - Abriu os olhos e mirou o espelho a tempo de ver Jungkook passando o nariz em seus cabelos e fazendo uma expressão serena. — Não vamos poder ficar sozinhos o tempo todo. E... eu realmente quero fazer amor com você. Tipo, agora.

 

O moreno também olhou para o espelho, vislumbrando o reflexo dos dois. Tentava decifrar o rosto de Jimin, as expressões ou que seu olhar queria transmitir. Toda vez que se pegava prestando atenção nele, sempre vinha uma frase em sua mente: '' Decifra-me ou Devoro-te''. Essa frase era do famoso enigma da esfinge, e Jungkook sempre a associava a Jimin. Afinal, para si, Jimin era seu enigma.

 

— Eu estou surpreso. - Jungkook disse risonho e começou arrastar o nariz pela bochecha quente de Jimin. — O que deu em você?.

 

—Eu estou com saudade. - Disse sem hesitar. Estava sendo sincero, estava com saudades dos toques de Jungkook. Mordeu o lábio inferior assim que sentiu o moreno passar o queixo pelo seu pescoço até o ombro. Sentia a barba de Jungkook lhe espetando, afinal, ela estava nascendo e ficava pontiaguda. Gostava de sentir ela arrastando em sua pele, por estranho que pareça...acha gostoso. — Não faça a sua barba. Deixa ela um pouquinho assim.

 

—Você ainda não perdeu essa sua tara por barba?. - Desde a adolescência, Jungkook sabia que Jimin possuía algum fetiche com homem de barba cerrada. Mas as bem feitinhas, é claro. Quantas e quantas vezes ja teve que escutar elogios dele para algum astro de hollywood enquanto viam algum filme. Sofreu bastante naquela época, principalmente quando o menor faltava babar pelo Chris Evans.

 

—Não muito. -Sorriu e continuou sentindo o esposo esfregar o queixo em si. De forma inconsciente e deixando-se levar pelo momento, começou a esfregar sua bunda no quadril do outro. Graças aquelas calças de tecido fino, era fácil ambos sentirem seus corpos em atrito. Se fosse em outro momento, provavelmente Jungkook estaria reclamando pelo fato de ja terem tomado banho e depois do ato teriam que tomar de novo. Mas aquele Jungkook que estava ali, apenas apertava Jimin contra si e impulsionava seu quadril para frente em busca de mais contato e calor.

 

A cada minuto que se passava, o atrito ficava um pouco mais rápido. Jungkook distribuía chupões e mordidas pelo pescoço e nuca do esposo, e esse, apenas levou a mão para trás e segurou os cabelos do moreno e apertava os fios entre os dedos. Seu membro já estava semi ereto, e tudo piorou ainda mais quando Jeon enfiou a mão dentro das suas calças e rodeou a sua mão no seu pênis, o estimulando de forma firme.

 

Ele passava o dedão pela sua glande ja úmida e Jimin contorcia-se pedindo por mais. Por uma fração de segundos, Jungkook se perguntou se não era errado estarem fazendo aquele tipo de coisa dentro de um templo. Mas seus pensamentos foram cortados quando Jimin gemeu.

 

Perdão, Buda... Jungkook pensou, mas logo mandou aqueles pensamentos para o fim do mundo. Agachou-se por detrás de Jimin, levando os dedos na barra de sua calça e a puxando com facilidade para baixo. Segurou a cueca boxer cinza e também a puxou para baixo, vendo que o tecido havia deixado marcas pela pele do esposo. Deixou as roupas perto dos pés do ruivo e beijou atrás de sua coxa.

 

Sem resistir, apertou a nádega direita dele e mordeu a outra.

 

— O... o que você esta fazendo?. - Tentou olhar para trás. — Jungkook!. Sai daí. - Tentou afastar a cabeça do outro para longe de si, mas parou assim que sentiu a sua perna ficar bamba por conta da boca quente de Jeon entre suas nádegas. Arqueou as costas, sentindo o moreno estimular a sua entrada com a língua. Apertou a borda da pia fria com força.

 

Tentava reclamar, tentava abrir a sua boca para mandar Jungkook sair dali, mas por deus, estava tão bom. Sentia-se mais excitado, não se conteve e deixou que um gemido arrastado preenchesse o local. Fazendo que sua voz ecoasse rapidamente pelo banheiro. Jogou a cabeça para trás, sentindo um de seus joelhos fraquejar, estimulava o seu membro de forma rápida... querendo que o orgasmo chegasse logo.

 

Jungkook, percebendo o que o esposo estava fazendo, levantou-se e segurou a mão de Jimin, para que ele parasse.

 

— Aish!. - O ruivo murmurou de forma irritada, estava chegando quase lá e foi duramente frustrado.

 

— Calma... - Riu de forma divertida.— Eu ja volto. - Antes de sair, deixou uma mordida no ombro do outro por cima da blusa.

 

Jimin apenas encarou seu reflexo no banheiro, seu rosto estava corado por conta do corpo quente. Gotículas de suor começavam aparecer em sua testa, fazendo com que alguns fios ficassem colados na pele. Não que fosse tão narcisista, mas ao se deparar com a sua imagem no espelho... viu que querendo ou não, estava sexy com aquela expressão.

 

Sorriu minimamente e mexeu as pernas, afim de tirar aqueles panos parados nos seus pés. Aproveitou para tirar a blusa, colocou as peças em cima da tampa do vaso. Escutava barulho de algo sendo remexido dentro do quarto, infelizmente estava fora do seu campo de visão.

 

— Amor?. Está tudo bem aí?.

 

— Aham!. Ja estou indo!. - Jungkook respondeu de forma afogada.

 

— Esta fazendo o que?.

 

— Procurando algo, não saia daí.

 

— Ah é, porque vou muito sair daqui pelado e andar por aí. - Deixou uma risada divertida escapar. Antes que pudesse falar algo a mais, viu Jungkook aparecer na porta do banheiro completamente nu e com o pênis ereto. Ergueu uma sobrancelha com aquela visão. Jungkook já estava daquele jeito, e sequer o tinha tocado ainda. — O que é isso?.

 

— Meu pênis. - Respondeu como se fosse obvio, ja que o marido estava olhando para o meio de sua perna. — Pênis, Jimin. Jimin, pênis. - Disse em um tom de apresentação.

 

— Arg!. Não, seu idiota. Estou perguntando o que tem na sua mão. - Revirou os olhos, ainda de forma divertida.

 

— Ah, lubrificante. Eu fiquei apavorado porque não estava achando. - Aproximou-se mais de Jimin. Queria prolongar mais as preliminares, mas a sua ansiedade falava mais alto. Jimin estava nu, segurando a borda da pia e a sua silhueta sexy mexia com a cabeça de Jeon.

 

—Foi por isso que colocou o quarto abaixo?.

 

— Não coloquei o quarto abaixo, apenas uma das malas.

 

— Você vai arrumar depois. - O ruivo ralhou de forma mandona.

 

— Faço tudo que você quiser.

 

Jimin sentiu as mãos do moreno passear em seu corpo e aperta a sua bunda.

 

— Se eu soubesse que você ficava tão submisso quando estou pelado, teria ficado antes e mandado você lavar a louça. Com certeza você lavaria.

 

— Se você surgisse na minha frente nu e mandando eu lavar a louça, acredite, a ultima coisa que eu faria... seria lavar a louça. - Abriu o tubo do lubrificante, fazendo uma boa quantia escorrer em sua mão. — Eu deveria prolongar mais nossas preliminares... - O moreno deixou que um leve tom de culpa tomasse sua voz, pois queria dar mais atenção ao marido. E isso incluía os toques durante o sexo.

 

— Não. Você esta tão necessitado quanto eu. E não é como se tivéssemos tempo. - Fechou os olhos, assim que sentiu os dedos longos de Jungkook tocar a sua entrada. Ele o acariciou, fazendo Jimin se contrair um pouco.

 

— Posso?.

 

— Pode.

 

— Certeza?.

 

— Jeon, eu não sou uma mocinha virgem.- Revirou os olhos.

 

O moreno apenas sorriu, castigando o lábio inferior com os seus dentes salientes. Penetrou Jimin com o primeiro dedo, bem lentamente. Ouviu um suspiro baixo vindo dele, sentia a entrada de Jimin contraindo. Forçou seu dedo mais um pouco, deslizando facilmente. E enfim, de forma lenta, movimentou seu dedo.

 

Aumentou a velocidade gradualmente, até que o esposo estivesse mais acostumado. Não importava quantas e quantas vezes fizessem sexo, Jimin sempre teria que ser bem preparado antes do ato. Esperou mais um pouco, e logo colocou o segundo dedo. Vendo que dessa vez Jimin deixou um gemido escapar, voltou a forma lenta afim de que ele se acostumasse de novo.

 

Jimin nunca falava, mas sempre admirou o fato de Jungkook ser carinhoso e paciente consigo durante o sexo. Agradecia por isso, pois mesmo gostando de ser passivo... não era fácil. Mesmo não sendo virgem, ainda doía. Sentindo que já estava mais preparado, levou a mão para trás e fez com que Jungkook tirasse os dedos dentro de si.

 

— Já...

 

— Certo. - Confiou na resposta do ruivo e jogou mais lubrificante em sua mão, espalhou o liquido que logo ficaria quente em seu membro. Jogou o recipiente dentro da pia e posicionou-se na entrada do menor, olhou rapidamente para o espelho, tentando achar os olhos do ruivo. E quando os achou, penetrou primeiro a glande... sentindo o outro querer lhe expulsar.

 

Novamente esperou com paciência, e então, penetrou lentamente sem parar. Os gemidos dentro daquele cômodo se misturaram

.

.

.

 

— Mais rápido...Mais...- Jimin suplicava com a sua voz arrastada, jogava a cabeça para trás deixando que ela ficasse deitada contra o ombro nu do marido. Seu pescoço estava simplesmente a mercê das vontades de Jungkook.

 

— Você... é uma delicia. - Jungkook sussurrou no ouvido do outro. Segurou umas das coxas de Jimin e o fez posicionar seu joelho na borda da pia, deixando o ruivo exposto e facilitando a penetração mais rápida. Segurou a sua cintura com força, enquanto impulsionava seu quadril para frente. O som da pélvis do moreno se chocando contra a bunda do outro era extremamente obcena, Jimin não fazia mais nada a não ser gemer e apertar os cabelos de Jungkook.

 

Levou a mão até o membro do ruivo, e o começou a masturbar de forma rápida. Sabia que Jimin estava chegando ao ápice, pois suas pernas tremiam e ele se contorcia de uma forma bela. Isso deixava Jungkook orgulhoso, pois sabia que era ele que conseguia dar aquele tipo de prazer para o menor. O seu eu interior ficava feliz por que ainda conseguia satisfazer muito bem o seu esposo.

 

Sentiu o interior dele se contrair ao redor de seu membro, gemeu alto com aquilo. Não demorou para Jimin sujar uma das mãos de Jungkook com o seu gozo, o gemido do ruivo havia saído de uma forma tão arrastada... que Jungkook rapidamente chegou ao orgasmo, e se derramou dentro de Jimin.

 

Querendo prolongar mais a sensação gostosa, Jungkook continuo o estocando até perder velocidade. Saiu do menor com cuidado.

 

Abraçou a cintura de Jimin, segurou seu queixo e o fez virar para trás. Finalmente pode beijar aquela boca carnuda que estava castigada com mordidas.

 

 

                                                                               [...]

 

 

O refeitório estava vazio, as mesas longas de madeira velha estavam todas limpas. A sorte do casal, é que ainda havia duas pessoas na cozinha. Assim, ambos puderam pegar suas bandejas com a refeição.

 

A bandeja era redonda e feita de alumínio. Em um prato, havia uma espécie de crepe feito de arroz dobrado ao meio e com recheio de algum molho agridoce. De acordo com um dos cozinheiros, aquela comida era tipicamente chamada como Dosa. Ao lado, vinha algumas frutas e uma xicara de chá.

 

O casal comia em silencio, mas de forma alguma incomodava. De vez em quando, trocavam sorrisos simples e até mesmo levavam a mão até a boca do outro, afim de tirar alguma comida que estava no cantinho dos lábios. A sensação que tinham, era de recém casados.

 

— Achei vocês.!

 

Ambos se assustaram e olharam rapidamente para cima, encontrando um cara com traços iguais aos seus.

 

— Vocês não foram ao templo interno hoje, enquanto cantávamos os mantras o Amnon disse que um certo casal não estava lá.

 

— Desculpa. - Jimin falou enquanto limpava a boca com um guardanapo, sentia vergonha pois era o segundo atraso deles naquele local. Sentia-se como se fosse um aluno pego matando aula pelo seu professor. Bom, ele era um aluno...e provavelmente aquele era Taehyung, um de seus professores.

 

—Isso não vai mais se repetir. Sentimos muito mesmo. - Jungkook dizia de forma sem graça.

 

—E qual é a desculpa de vocês?.- Taehyung sentou-se no banco de madeira perto deles.

 

O casal ficou em silencio e olhando para a própria bandeja, o constrangimento havia os denunciado.

 

— Sexo, não é?. - O garoto de cabelo loiro- escuro sorriu, olhou para a cabeça de cada um e viu que os cabelos estavam molhados. Provando que realmente haviam feito sexo e depois tomaram banho. —É uma otima desculpa. Mas precisam entender que vocês estão aqui para aprender algo, então precisam ter disciplina. Sem disciplina nada anda, se vocês realmente querem que aja uma mudança, precisam buscar por isso.

 

O professor apenas deu um sorriso quadrado vendo que os dois assentiam com a cabeça, a expressão era igual a de adolescentes que haviam sido pegos fazendo algo errado.

 

—Bom, como vocês não estavam pela manhã com todo mundo, vou explicar como algumas coisas vão funcionar por aqui. - Limpou a garganta. — Pela manhã, todos nós vamos ao templo para cantar e recitar os mantras. Porque?. Nós usamos os mantras com palavras de paz, alegria e amor. Nós acreditamos que tudo que jogamos para o universo, ele nos jogara de volta. Então nada melhor do que começar o dia mandando vibrações boas, certo?. - Sorriu, vendo o casal sorri também. — Depois irão poder tomar café da manhã, e logo, todos novamente voltarão para o templo. Pois vão fazer uma atividade voluntaria, que consiste em limpar o templo. Eu e Amnon limpamos também.

 

— Limpar o templo?. - Jungkook franziu o cenho.

 

— Sim. O templo interno onde fazemos as meditações e cantamos os mantras. Não podemos meditar em um local sujo, certo?. Além disso, o lugar é sagrado. Não podemos manter apenas nossa mente limpa, mas sim o local que nos encontramos também. Então todos ajudam. Entenderam?.

 

—Sim. - Disseram em uníssono.

 

Jimin afastou a bandeja, ja que havia terminado de comer.

 

—Você é coreano, não é?. Você é da capital?.- O ruivo perguntou.

 

— Na verdade não sou coreano, apenas tenho os traços. - Taehyung deixou uma risada escapar. —Sou americano. Meu pai é coreano e a minha mãe americana. Bom, puxei o rosto do meu pai e a personalidade da minha mãe.

 

—Nunca acharia que você é americano. - Jungkook riu. — Se bem que o seu inglês é extremamente fluente, o nosso ainda tem certo sotaque. Há quanto tempo vocês esta aqui na Índia?.

 

— Há cinco anos e alguns meses. Não trabalho apenas no retiro espiritual, mas tambem dou aulas de inglês aqui na Índia.

 

— Nossa, que legal. - Jimin sorriu.

 

— Minha mãe não acha. - Riu mais uma vez. — Ela ainda diz que foi loucura. Quer dizer, eu larguei tudo e vim para cá, sabe?. Eu ja havia sido aceito no curso de engenharia elétrica, eu tinha uma namorada e vários amigos me rodeando o tempo todo. Eles eram bons, mas mesmo assim me sentia de certa forma... deslocado e até um pouco solitário. Eu sei que é confuso de entender, pois minha vida parecia perfeita. - Sorriu de forma leve. — Nunca tive do que reclamar da minha vida, mas... eu me sentia de alguma forma desconectado e vazio. Enfim, foi algo bem pessoal. Eu morria de medo de desapontar meus pais, mas... eu tomei coragem e enfrentei meu medo. Vim para a Índia porque era um país que eu ja sentia uma conexão.

 

— Você se arrepende... - Jungkook perguntou. — ...De ter largado tudo?

 

— Não digo que me arrependo. Mas também não vou mentir dizendo que não sinto saudades de certas coisas. Passar esse tempo na Índia fez mudar a minha mentalidade e amadurecer para muitas coisas, não foi um tempo perdido. Me sinto bem aqui, o que é engraçado porque não tenho mais aquela facilidade e comodidade como eu tinha nos Estados Unidos, mas eu me sinto feliz e bem comigo mesmo.

 

O casal apenas sorriu para Taehyung, admirando o rapaz de certa forma. Era bonito como ele dizia aquilo e carregava um sorriso no rosto.

 

— Bom... - O loiro olhou o relógio preto no pulso e levantou-se. — Daqui a pouco já é oito e quarenta, horário da minha aula com vocês. Então vamos porque o pessoal ja devem estar esperando no jardim.

 

— Você da aula de que?. - Jimin perguntou, ja se levantando do banquinho e pegando as bandejas para levar até a cozinha junto com Jungkook.

 

— Vocês verão.

.

.

.

 

Os quinze casais estavam sentados no gramado bem aparado daquele jardim. O local era bonito, tinha arvores e alguns bancos abaixo delas. Flores enfeitavam lugares aleatórios.

 

Com certeza aquele era um local de paz e sentimentos bons.

 

—Bom, todos vocês ja sabem que meu nome é Taehyung e que serei um dos professores de vocês.- O rapaz deu seu sorriso quadrado. — E não, não sou coreano e nem japonês. Sou americano, e não, não gosto de sushi.

 

Acabou arrancando risadas dos presentes, pois era exatamente isso que a maioria das pessoas estavam pensando.

 

— Serei o professor de terapia do riso. - Ajeitou a postura. — Ja foi comprovado que uma fisionomia alegre muda completamente a mente, o espirito e a alma das pessoas. E isso é um fato. Ja perceberam que quando estamos alegres e de bom humor, dificilmente nos estressamos?. - Viu algumas mulheres e homens acenando com a cabeça. — Pois então, nas nossas aulas vamos elevar nosso espirito alegre e mudar nossas mentes utilizando o riso. Muitos de vocês vão achar que o que vamos fazer assemelhasse a brincadeira de criança, e de fato vai se parecer. Mas é isso que precisamos, precisamos achar aquela criança interior que todo mundo tem. E além disso, é uma otima forma de vocês deixarem a timidez de lado, pois isso pode atrapalhar nas atividades futuras.

 

Taehyung se levantou, pedindo para que todos se levantassem junto a ele. Logo começou a se alongar, fazendo com que todos o imitassem também.

 

— Sabe quando você esta entre os seus amigos... - Ele começou. — Rindo de uma coisa bem engraçada e sem querer solta aquele som de porquinho no meio da risada?. - Viu os alunos acenar, ja rindo. — Pois é, vocês vão começar a fazer esse barulho e vão ver que as risadas vão surgir de uma forma tão natural e... ÓH! Já tem um lá atrás começando a rir!. - Apontou de forma ''acusatória'' para o aluno, todo mundo virou-se para trás e o acompanharam na risada.

 

Jimin e Jungkook estavam nesse meio, e sinceramente, não se lembravam de quando haviam rido tanto e por nada daquela forma. O professor mandavam os alunos dançar, pular, fazerem sons com a boca e até mesmo abraçar uma arvore. Jimin de vez em quando deixava seu olhar se perder no sorriso bonito e alegre de Jungkook, aqueles dentinhos de coelho era uma de suas paixões. Sentia-se tão bem, tão leve e feliz por estar rindo de coisas tão bobas mas que naquele momento era a coisa mais engraçada do mundo.

 

E Jimin teve a certeza de que aquela viagem foi a decisão mais certa que o casal havia tomado.

 

Finalmente, depois de tanto tempo, sentia que estava conectado com Jungkook novamente.


Notas Finais


Bom, para quem não sabe, terapia do riso realmente existe.

Enfim, não vou dizer que fiquei completamente satisfeita com esse capitulo. Sinto que poderia ter sido melhor, só que eu o mudei tantas vezes...apaguei e reescrevi muitas vezes. Se eu fizesse isso de novo, o capitulo iria demorar horrores para sair e não seria justo com vocês. Fiquei até mesmo insegura com esse Lemon, porque há um tempinho que não escrevo cenas hots kkk.

Não desistam de mim auhsuh

Bom, peço desculpas e prometo que no próximo vou tentar melhorar.

Obrigada se leu até aqui <3.

=======//========//========//=======//


Há duas one-shots Kookmin novas.

Peculiar ( achei ela perdida no pen-drive e resolvi postar) : https://spiritfanfics.com/historia/peculiar-6716413

Nosso mundo : https://spiritfanfics.com/historia/nosso-mundo-6695883



Bom... é isso. Espero que tenham gostado kkk

Um beijo, um queijo e Au Revoir!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...