História Before I Fall - Capítulo 9


Escrita por: ~ e ~BolinhoDbatata

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Namjin, Vhope, Yoonmin
Exibições 342
Palavras 3.688
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OLAR ARMY! 💖
Não, você não leu o nome do cap errado.. Estamos atrasadas MESMO ;-;
Boa leitura 💖💖

Capítulo 9 - Especial Namjoon Birthday


Fanfic / Fanfiction Before I Fall - Capítulo 9 - Especial Namjoon Birthday

POV Namjoon 

Eu estava no ensaio final da peça, observando o Seokjin correndo de um lado para o outro. Acho que a qualquer momento era teria um infarto e cairia duro no chão de tanto estresse. 

Também pudera, aquela peça era seu TCC, peça que ele passou meses preparando e ele queria que tudo saísse perfeito. Mas justamente hoje era nosso aniversário de namoro, e eu já tinha uma ideia perfeita para ele relaxar. 

Ok que eu sou um desastre ambulante, mas acho que não é tão difícil assim comprar comida e colocar na mesa, certo? Bom, a comida eu já tinha comprado e mandado entregar lá em casa às 18:00h, agora só precisar colocar o Yoongi para fora do apartamento. 

Às vezes ficava pensando no que o Jin viu em mim, porque sinceramente eu não tinha nada de mais perto de outros homens, eu era só mais um calouro desajeitado que não sabia o que estava fazendo na faculdade quando nos conhecemos. Lembro perfeitamente do primeiro dia de aula, o dia do trote e o dia em que o conheci. Ele ainda tinha o cabelo castanho e a boca mais bonita que já vi em minha vida, totalmente desenhada e rosada parecendo que havia acabado de receber um beijo bem profundo. 

Lembro-me de ficar o encarando no meio daquela confusão toda do trote, eu sentia jatos de tinta por todo o meu corpo, mas quando eu encontrei os seus olhos foi como se tudo ficasse em câmera lenta. Sentia meu corpo formigando e minha cabeça rodando quando ele me encarou de volta e soltou aquele sorrisinho de lado que eu tanto amo. 

Voltando pra realidade do ensaio percebi que o mesmo já tinha sido finalizado, então fui de encontro a Seokjin para leva-lo finalmente para casa. 

- Jinnie... Vamos embora... – o abracei por trás dando um beijo estalado em sua nuca. 

- Nam, eu só preciso terminar mais algumas coisas. Você poderia esperar mais uns minutinhos? – ele disse sem me olhar, completamente absorto pelo papel que tinha a sua frente. 

- Não, Seokjin, eu não posso esperar. – disse ríspido, enquanto o virava de frente para mim. – Essa peça já está mais que perfeita, e hoje é o nosso aniversário. 

- Moni... Desculpe! Eu estava tão ocupado com a peça, que acabei me esquecendo disso. – disse envergonhado me dando um selinho molhado. – A gente podia ir para casa, e eu poderia cozinhar alguma coisa para a gente, que tal? 

- Não se preocupe com isso amor, do nosso jantar eu já cuidei. A única coisa que você precisa fazer é ficar bem cheiroso e gostoso para mim. – apertava sua cintura, colando nossos corpos cada vez mais. 

- Hm.. Mas gostoso eu já sou. – ele lambia meu lábio inferior, fazendo-me estremecer de desejo. 

- Vocês poderiam se comer em um lugar mais privado, o que acham? – Jackson falou enquanto andava apresado em direção à saída do local. 

Jin riu no meu ouvido, agarrando minha mão enquanto se despedia do restante do pessoal que continuava por ali. 

 

[...]

 

Chegamos ao apartamento após um longo tempo parado em um engarrafamento na Yeouidaebang-ro, tempo que aproveitei para ligar para o Yoongi e expulsa-lo de casa e ouvir alguns xingamentos, mas nada de novo vindo daquela coisa. 

Pegamos o elevador junto com um senhor de idade e um casal de gêmeos de mais ou menos seis anos, elas nos olhavam curiosas escoradas no lado oposto daquela caixa de metal.  Acariciava levemente a mão do Jin, pensando em todos aqueles anos em que estávamos juntos, mesmo depois de todas as brigas, ciúmes ou palavras que não deveriam ser ditas, ele continuava ali, comigo. Me apoiando, me amando. 

Não comentei isso com ninguém, mas há algumas semanas eu fui visitar um orfanato. Não foi nada planejado, apenas estava passando pelo local e quando percebi, já tinha passado pela porta de entrada sendo recebido pelo cheiro de bolo de chocolate que impregnava o local. Fui abordado pela responsável do lugar, que me proporcionou um tour por todos os espaços, me informando de como funcionava todo o processo de adoção, eu sabia que não seria fácil, ainda mais para um casal homossexual, mas quando eu olhava para a carinha daquelas crianças correndo pelo pátio eu só conseguia imaginar em formar uma família com o Seokjin. 

Sai de meus devaneios quando o elevador apitou indicando que tínhamos chegado ao nosso andar. Saí de lá sendo puxado por Jin, ainda olhando para aqueles rostinhos gordinhos que agora nos encaravam sorridentes.  

Entramos no apartamento, e eu mandei Jin ir tomar banho enquanto eu preparava o nosso jantar. Bom, esquentava né, porque meu querido amigo Youngjae que trabalhava em um restaurante tailandês deixou a comida pronta no forno, então eu só precisava colocar nos pratos e esquentar, só não podia me esquecer de pegar a chave da porta com ele depois.

Continuava a arrumar, colocando os pratos e talheres cuidadosamente sobre a mesa. Mas tão cuidadosamente, que cada coisa eu pegava com as duas mãos para que não houvesse a possibilidade de cair e quebrar.

A comida estava dentro do fogão para que não perdesse a temperatura, e eu já estava abrindo a boca do forno quando um caham indicando uma tosse forçada, me fizesse virar para trás. Fiquei boquiaberto no mesmo instante. Quase caí para trás quando o vi. Ele estava sexy demais.

Jin trajava um uniforme de policial. Preto. Que se resumia a um mini short de couro, e um top com um zíper no meio do mesmo tecido. Suas pernas eram envoltas em uma meia 7/8 também preta rendada em sua borda, presa a uma cinta liga que sumia dentro do short curto. Seus pés eram protegidos por coturnos curtos, com os cadarços afrouxados. Segurava um cassetete em uma mão e algemas em sua outra livre. Sua cabeça era adornada por um quepe e eu notei seus fios em uma tonalidade diferente. Ele havia pintado o cabelo de rosa? Pensei, mas esqueci até meu nome ao ver ele mordendo o lábio daquela forma luxuriosa, me enchendo de uma vontade de pega-lo de jeito.

- Wow. – foi tudo o que eu consegui dizer, totalmente perdido e atrapalhado no que eu fazia anteriormente. – Você está tão... gostoso. Puta que pariu, Jin! – ele ria de forma convencida, colocando uma mão encostada em sua cintura e a outra contornando a aba de seu quepe policial.

- Eu sei. – disse simples, se aproximando finalmente. – Mas isso não me faz esquecer seus crimes imperdoáveis cometidos durante esses três anos. É hora de pagar por todos eles. Kim Namjoon, você está preso em nome da lei. – apertava minha cintura, colando nossos corpos momentaneamente, mordendo meu lábio inferior, logo o soltando para me algemar com as mãos frente ao meu corpo. – Você tem o direito de permanecer calado, pois tudo o que você disser, pode e será usado contra você. – dito isso, passou a me puxar pela corrente de união das duas pulseiras metálicas. Rebolava de propósito, com o cassetete em seu ombro, o deixando ainda mais sexy. Sua bunda mexia para lá e para cá, e tudo o que eu queria era colocar minhas mãos em cada parte daquele pedaço de carne.

Ao entrar no quarto, Jin me empurrou para a cama, subindo em meu colo em seguida. Tentava me ajeitar em uma posição confortável, mas seu corpo sentado no meu, impedia essa tarefa.

Relaxei minhas costas no chão, aproveitando a visão em minha frente, Jin estava simplesmente maravilhoso naquela roupa.

Estremeci quando acomodou o seu corpo em cima do meu, passando suas mãos frias pela minha lateral, pegando nos meus braços os colocando acima de minha cabeça. Seu rosto estava próximo ao meu, e juro ter ouvido um chick ao fundo, mas estava tão concentrado no rosado, que me perdi quando ele olhou para mim com um sorrisinho sacana. Ele se retirou de cima de mim, e eu tentei segura-lo, mas minhas mãos foram impedidas de seguir seu corpo. Ele havia me prendido à cabeceira da cama.

- Jin... o quê? – o olhava confuso, o observando enquanto o mesmo sentava em mim novamente, mas dessa vez em cima da minha virilha.

- Você foi um menino muito mau, Namjoon.... Você me fez passar por momentos difíceis. – ele se remexia no meu colo, encostando seu membro no meu. Arfei. – Por todos esses anos que você me fez passar ciúme e raiva, eu decidi que a punição ideal para você seria a tortura. As algemas são apenas uma pequena demonstração do que está por vir.

Colocou as mãos por dentro da minha camiseta, levantando-a e enrolando o tecido ao redor dos meus braços algemados, deixando-a atrás da minha cabeça para que não escapasse. Desceu do meu colo indo em direção à bolsa que estava em cima da minha cômoda

- Jin... Mas o que é isso? – ele caminhava lentamente de volta para a cama com um chicote em mãos.

- É o seu castigo, Nammie.

Ele chegou na ponta da cama segurando o chicote com a boca, enquanto suas mãos desabotoavam o top da fantasia que usava, jogando-a no chão em seguida.

- Você fez muitas coisas ruins nesses três anos, Kim Namjoon – ele sentou novamente em meu colo. – E eu tenho uma listinha razoável aqui comigo. – ele tirou um bloquinho de notas -não sei da onde- e o abriu. Isso poderia até ser cômico, se a sua pele exposta não estivesse atraindo tanto a minha atenção.  – Lembra daquela sua prima Namjoon? Pois eu lembro. Lembro também de como ela dava em cima de você...

Ele lia cada folha lentamente, recitando cada um dos meus “crimes”. Eu estava convicto de que Seokjin era o diabo em pessoa. Sentia sua bunda rebolando em meu pau ainda coberto pelo tecido da calça jeans que usava, a cada movimento sentia o tecido me apertar ainda mais, me torturando. Estava tão excitado que sentia o suor escorrendo pelas minhas têmporas, se me deixasse levar pelas sensações poderia sentir o calor do seu interior envolvendo meu membro.

- Jinnie... AISH - sentia a pele arder no local onde o chicote encostou. -Você me bateu?!

- Eu não disse que você podia falar, ou disse?! - ele colocava uma mão no queixo, olhando para cima, como se forçasse a se lembrar o momento. Voltou a me encara, e negava lentamente balançando a cabeça, com uma expressão de falsa indignação na face. - Você me atrapalhou Monie. Não te ensinaram que não se pode interromper os mais velhos?  Acho que você terá que aprender agora...

Ele sussurrou essa última parte junto aos meus lábios, mordendo o inferior em seguida. Desceu os lábios pelo meu pescoço, seguindo o desenho de cada veia mais proeminente me fazendo arfar.

 

[...]

 

- Nossa. - Minha cabeça rodava enquanto Seokjin mantinha meus quadris colados à cama e passava a língua pelo meu pênis. Minha pele estava coberta por uma fina camada de suor e minha visão embaçou quando meu ventre se contraiu violentamente à espera do orgasmo. Minha pulsação estava acelerada, em compasso com o movimento da sua cabeça. Ele já tinha me feito gozar duas vezes, com a visão da sua cabeleira rosada no meio das minhas pernas, aliada à sua língua perversamente habilidosa. 

- Baby... pa-para. - sentia minha garganta seca e os meus dedos do pé se retorcerem no lençol. - Eu preciso de você, preciso te sentir.

Ele deu uma última lambida no meu membro me fazendo soltar um grunhido. Ele ficou em pé no chão começando a retirar os coturnos que ainda usava, jogando-os atrás de si. Não demorou muito e seu pequeno short seguiu o mesmo caminho, junto com minhas roupas que já se encontravam ali há alguns minutos.

Ele se posicionou em cima de mim, sentado em meu ventre. Seus cabelos caíram como uma cortina sobre seu rosto, e seu corpo se impôs como uma sombra sobre o meu. Baixando a cabeça, ele levou sua boca até a minha e me lambeu de leve com a ponta da língua. Senti quando o mesmo mexeu na algema que me prendia me soltando, retirando juntamente a camisa que ainda estava enrolada em meus braços.

Sem pensar duas vezes, agarrei sua cintura alva, enquanto colava nossos corpos ainda mais. Beijei sua boca de maneira selvagem e apressada, depois da surra que eu levei de Jin, ainda sentia meu peito arder, ele não poupou esforços para me marcar.

- Você ainda tem chance de revogar liberdade sobre seu último crime. - se desprendeu de mim, sentado em meu colo friccionando nossos membros duros como pedra.

- E qual seria? - o observava encostando-me na cabeceira, arfando levemente pelo contato torturante, enquanto apertava minhas mãos em sua cintura o marcando.

- Não ter me fodido ainda. - ri soprado, o encarando com um sorriso sacana.

Antes que Jin pudesse me lançar mais um daqueles seus olhares, o joguei na cama me colocando por cima de seu corpo. Ele me encarava corado, e eu achava incrível mesmo depois de todos esses anos ele ainda se sentir assim comigo. Eu não poderia negar que eu adorava isso.

Desci meu corpo até seu quadril, lambendo a extensão de seu membro para invadir sua entrada com a língua sem aviso prévio. Jin gemeu pelo toque repentino, agarrando meus fios enquanto o preparava para o que viria a seguir.

Fiquei ali mais alguns minutos, até que o vendo lubrificado o suficiente, voltei a minha posição anterior, me encaixando ao seu corpo, o penetrando de forma devagar e cuidadosa. Por mais que ele já estivesse mais que acostumado, a dor da primeira penetração ainda existia. O beijei delicadamente assim que me vi totalmente dentro de si, já começando os movimentos de forma lenta, para que não o machucasse. Ele resmungava em meio ao beijo, me fazendo sorrir. Ele odiava quando eu me movia devagar, ainda mais quando seu fogo era tanto, que se dependesse dele, a cama já teria quebrado -de novo-.

Quebrei nosso contato, levantando meu corpo para ter uma posição melhor de como fazer da forma que ele apreciava.

- Me fode, Monie... Por favor... - e sem que ele precisasse pedir novamente, passei a estocar-lhe de maneira impiedosa, adorando o resultado de seus gemidos altos e sem pudor. O fato de estarmos sozinhos era maravilhoso, eu conseguia aproveitar a deliciosa sonoridade que seus grunhidos e gritos faziam ecoar por todo o grande quarto. - Mais rápido.. M-mais... - ele implorava com os nós de suas mãos já brancos pelo segurar agressivo no lençol. O suor colava os cabelos recém tingidos em sua testa, e sua boca entreaberta fazia o tesão crescer ainda mais dentro do meu baixo ventre.

Nossos corpos ondulavam juntos, em um frenesi louco por mais contato, ainda que isso fosse humanamente impossível. Após longas e profundas investidas, percebi seu timbre atingindo agudos em meio aos gemidos, e com a melodia erótica permiti me desfazer em seu interior, sentindo seu líquido jorrar no mesmo instante sujando nossos abdomens. Contornei seu membro sensível com a mão, prolongando um pouco mais o orgasmo do rosado. Assim que me retirei de dentro de si, joguei-me ao seu lado no grande colchão, esperando minha respiração normalizar, e os espasmos pararem, deixando o meu corpo inerte. Jin me abraçou, colando-se à minha lateral. Enquanto posicionava sua cabeça a fim de me encarar.

- Desculpe pelas chicotadas. - riu fraco, sua respiração ainda era descompassada.

- Depois de ouvir todos os motivos, posso concordar que mereci cada uma delas. - apertei seu corpo ainda mais junto ao meu. - Feliz aniversário, meu amor.

- Feliz aniversário, minha vida. - selei nossos lábios de maneira suave, sorrindo ao final. Jin possuía a mesma expressão em seu rosto, aquela que poderiam passar os anos que forem, aquele sorriso sempre existiria ali para mim, e o meu para ele.

 

[...]

 

Eram 3:45 da manhã quando acordei. A minha surpresa para o mais velho estava apenas começando.

Levantei e me troquei, colocando uma calça de moletom cinza, e uma blusa na mesma cor. Assim que juntei o telescópio e a mochila com café quente e uma manta, permiti despertar meu ainda namorado de seu mundo dos sonhos.

- Namjoon... Mas que horas são? - dizia com os olhos semicerrados e o cabelo rosa bagunçado, buscando o celular de maneira falha.

- Hora de levantar e vir comigo. Tenho uma coisa para te mostrar.

 

Estávamos a caminho do Bukhansan National Park, hoje decidi utilizar o Pagani Huayra que foi presente da minha mãe pelo aniversário de 20 anos. Jin cochilava no banco do passageiro com um bico enorme nos lábios, ele odiava quando o acordava cedo, então ele estava realmente puto comigo agora.

Chegamos ao parque perto das 05:20h da manhã, e após muita luta consegui acorda-lo e o retirar do quentinho do carro.

Caminhávamos pela trilha, em direção ao lago que ficava do lado oeste do parque. Eu tinha meu braço esquerdo por cima dos seus ombros o aquecendo, o mesmo me abraçava pela cintura com o braço direito enquanto o outro carregava a manta vermelha.

- Nam, o que estamos fazendo aqui à essa hora? - se jogava emburrado na grama já forrada com a coberta, assim que paramos em um local onde eu achei ser bom o suficiente para o que viria.

- Você realmente se esqueceu, não é? - me virei para ele com as mãos na cintura. - Onde você colocou o garoto que gostava de Astronomia e de observar chuva de estrelas cadentes por quem eu me apaixonei?

- Espera, hoje é dia sete?! - disse se levantando desesperado. E eu acenei com a cabeça assentindo. - MEU DEUS COMO EU PUDE ESQUECER?! - colocava as mãos em casa lado da cabeça, andando de um lado para o outro. - RÁPIDO NAMJOON, TÁ ESPERANDO O QUE PRA POSICIONAR ESSE TELESCÓPIO?! - ri de seu desespero negando com a cabeça, achando aquela reação dele extremamente característica.

Hoje, dia sete de maio, haveria uma chuva de meteoros, com as sobras espaciais do Cometa Halley, e estava previsto até sessenta estrelas cadentes por hora da noite do dia anterior até o amanhecer do dia de hoje. Jin e eu estávamos falando desse evento desde o começo do ano, e eu sabia que ele havia esquecido, mas não o culpava, já que seu TCC se aproximava cada vez mais, e ele corria como um louco para lá e para cá em busca da perfeição para o mesmo.

Ajeitei o telescópio posicionando-o para o céu. Pelas minhas coordenadas, o pico aconteceria próximo à constelação de Sagitário. Jin acompanhava de perto, tomado por uma animação que eu nem sabia que existia dentro de seu corpo.

Havíamos nos conhecido no trote, quando entrei na faculdade. Quando começamos a sair e nos conhecer, descobri seu fascínio por corpos celestes e o cosmos -assim como eu-, e fez com que eu me apaixonasse ainda mais por ele. Acompanhávamos os eventos do céu juntos, e foi em um eclipse que assistíamos no meu quarto, que nos amamos pela primeira vez. Estávamos tão ligados um ao outro, quanto as estrelas eram ao céu.

- Pronto, meu amor. - olhava por entre a lente, me maravilhando com o espetáculo que já varria o extenso azul escuro. Jin se abaixou onde eu estava e eu lhe dei espaço para que ele admirasse a cena. Ele sorria enquanto buscava minha mão, apertando-a.

- Isso é lindo, Nammie! - dizia sem tirar os olhos dos corpos celestes. - Eu até faria um pedido - agora me encarava sorridente. -, mas todos os meus desejos já foram atendidos. - senti meu coração falhar uma batida, e eu sabia que essa era a minha deixa.

- Pois os meus não. - ele me olhava confuso, e eu me segurei para não rir da feição de indignação que adornou o seu cálido rosto. - Sabe Seokjin, eu ainda lembro da primeira chuva de meteoros que eu assisti na vida, e eu achei aquilo a coisa mais incrivelmente linda de todo o universo. Entretanto, anos mais tarde eu conheci você, e então notei que na verdade eu estava enganado. Aquela não é a coisa mais incrivelmente linda de todo o universo, você é. E depois de todos esses anos junto a você, eu percebo que conseguiria perder tudo, inclusive a capacidade de apreciar o céu. Mas eu não suportaria ficar sem você. - fiz um carinho com o polegar em sua mão, sorrindo para ele, que tinha os olhos marejados. - Se depois de todo esse tempo eu te dissesse que tenho alguma dúvida sobre o que sinto por você, estaria mentindo descaradamente. É por isso que digo com toda a convicção do mundo que eu amo você, e quero passar o resto da minha vida ao seu lado. - ele já chorava, tentando controlar as lágrimas com a mão livre, sem deixar de me olhar com aquele meio sorriso. - Kim Seokjin, casa comigo?

Ele arregalou os olhos, passando a chorar ainda mais, me agarrando eu um abraço desesperado e apertando-me forte.

- Namjoon! É claro que eu caso com você! - soltou-me do abraço, encarando-me com os olhos ainda marejados e o rosto molhado pelas lágrimas, para então me apertar novamente. - Você é o homem da minha vida, a pessoa mais importante para mim. Não sei o que eu faria sem você, e quero passar essa, e as vidas que virão ao seu lado. Eu te amo para sempre, Nammie.

Sem mais delongas, levantei seu queixo e tomei seus lábios, e o beijo em aceite ao meu pedido foi calmo e apaixonado. Eu gostaria de congelar esse momento por toda a eternidade.

Depois de algum tempo, nos separamos. Jin se posicionou entre minhas pernas, de costas para mim. Eu o abracei enquanto observávamos o céu, que era tomado por riscos de corpos celestes que cruzavam sua imensidão. Meu desejo era apenas um: que o sentimento que tínhamos um pelo outro jamais acabasse.

Por algum motivo, eu sentia que ele seria atendido.


Notas Finais


QUEM CHOROU ESCREVENDO Õ/
Espero que tenham gostado ;u; foi muito amorzinho para nós escrever esse cap sz
SABEMOS QUE HOJE É ANIVERSÁRIO DO CHIM CHIIMMMMM E ESPECIAL DELE VAI CHEGAR EM BREVE, NÓS PROMETEMOSSSSS Yoonmin shippers, aguentem o coração que logo sai 💖
Até o próximo, amorzinhos! Amamos vocês 💖

Leiam nossa outra fic, ela é ABO (se não sabe o que é ABO, chega junto tbm que a gente explica) 💖 [Yoonseok] [Namjin] [Vkookmin]

https://spiritfanfics.com/historia/lirio-branco-6620042
https://spiritfanfics.com/historia/lirio-branco-6620042
https://spiritfanfics.com/historia/lirio-branco-6620042
https://spiritfanfics.com/historia/lirio-branco-6620042
https://spiritfanfics.com/historia/lirio-branco-6620042


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...