História Before I Fall (vhope) - Capítulo 3


Escrita por: ~ e ~WriterFujoshi

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Jikook, Namjin, Vhope, Yaoi
Visualizações 350
Palavras 606
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ecchi, Josei, Lemon, Poesias, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo-Ai, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Annyeonghaseyo unicórnias

Voltei com mais um cap para vocês S2

Capítulo 3 - Ascensão


 

No dia seguinte, minha cabeça doía, e eu não tinha certeza do que havia acontecido.

Não me lembrava se fora um sonho ou se realmente aconteceu, até que retirei o papel de meu bolso, e me lembrei de seu lindo rosto. Seu doce aroma permanera no papel.

Jamais esquecerei aquilo, que encarei como um abraço. Seu corpo estava quente, seu coração acelerado, e suas mãos eram macias. Se o endereço era dele, eu tinha de vê-lo novamente.

Finalmente saí para procurar um emprego. No caminho, eu percebi algo.

Percebi que mesmo depois de desistir de meu sonho, aquele garoto me alegrou, o que me deixou ainda mais intrigado em vê-lo.

Eu fui diretamente para o endereço, sequer me lembrara de procurar um emprego. Era um bairro nobre da cidade, onde só moravam os mais ricos.

Eu encontrei a casa, que tinha um cartaz em sua frente. O cartaz dizia que estavam contratando alguém para cuidar de um garoto, que sofria de um problema que não foi citado, por ser particular.

Sem pensar duas vezes, eu toquei a campainha. Um mordomo me atendeu, olhou-me de cima a baixo e disse, com uma voz esnobe:

- Pois não? Quem é o senhor, e o que deseja?

Eu respondi que estava lá pelo emprego e que tinha formação na área. Eu menti, mas, sabendo que estavam desesperados, com certeza me aceitariam.

Ele me olhou novamente, e me. "convidou" a entrar. Ele levara-me à um escritório.

Sentado em uma poltrona, havia um homem grisalho, de óculos e terno. Ele lia papéis atentamente, até que notou nossa presença. Ele mirou-nos, e então questionou o mordomo:

- Quem é esse garoto? - O mordomo disse que eu era um psicólogo, e estava lá pelo emprego.

O homem pediu para que o mordomo se retirasse, e apontou-me uma cadeira, para que eu me sentasse. Eu me sentei. Ele tirou os óculos e olhou fixamente para mim:

- Tem experiência nesse tipo de caso?

- Q-Qual é a situação? - Eu disse gaguejando.

- Olha, eu sei que está confuso, não precisa fingir que sabe o que está falando. Explicarei direito o problema.

- Obrigado...

- Tae é um bom garoto, ele nunca mereceu aquilo. Ele sempre teve doenças cardíacas, e agora, se encontra em um estado crítico. Pouco tempo atrás, nós descobrimos que ele era portador de uma rara doença, que não tinha cura. Uma doença terminal. Nunca teríamos contado isso a ele, mas ele descobriu sozinho.

- E-eu sinto muito. - Ele parecia um homem sério, mas logo se mostrou um homem de bom coração, porém preocupado com seu filho.

- Desde esse incidente, ele não fala com ninguém, ele não sai do quarto, ele não come diante de ninguém. A úncia coisa q ele ainda faz, é escrever em seu diário.

- Um... Diário?

- Um caderno, ele anota tudo lá. Eu e sua mãe líamos o diário quando ele não percebia ou estava dormindo. Mas ontem aconteceu algo estranho. Ele fugiu de casa, e só voltou a tarde. Ele escreveu em seu diário sobre um rapaz salvou sua vida.

- U-Um rapaz?

- Ele disse que aparentava ser a sua idade. Como você.  Por isso, assim que vi você entrando, achei que seria uma boa ideia contratá-lo.

- Eu dedicarei todo o meu tempo à felicidade de seu filho.

- Sinto que posso confiar em você. Tenho esperanças em seu trabalho.

- Não se preocupe, eu serei de grande ajuda.

Ele me agradeceu, e disse que eu poderia começar no dia seguinte.

Me entregou um papel com vários horários. Entitulado como: Rotina de TaeHyung.

Então esse era o nome. TaeHyung.


Notas Finais


Comentem, favoritem quero saber de tudo povão

Ate a próxima
Saranghae S2


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...