História Before Memories - Romanogers Fanfic - Capítulo 28


Escrita por: ~

Postado
Categorias Agents of S.H.I.E.L.D., Capitão América, Jovens Vingadores (Young Avengers), Os Vingadores (The Avengers)
Personagens Anthony "Tony" Stark, Bobbi Morse, Clint Barton, Dr. Bruce Banner (Hulk), Maria Hill, Natasha Romanoff, Nick Fury, Peggy Carter, Pepper Potts, Phillip Coulson, Sharon Carter (Agente 13), Steve Rogers, Thor
Tags Capitão América, Romanogers, Stasha, Vingadores
Exibições 416
Palavras 2.814
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Dessa vez o capítulo foi curtinho, estou encerrando um ciclo dessa fic e a continuação vai levar mais um tempinho pra sair. E já sei o ódio que vocês vão sentir de mim depois de ler, mas estou preparada.

Capítulo 28 - Capítulo 28


Fanfic / Fanfiction Before Memories - Romanogers Fanfic - Capítulo 28 - Capítulo 28

Natasha mal conseguia enxergar o que estava à frente dela, as lágrimas não permitiam. Ela dirigia em alta velocidade para chegar na base o mais rápido possível.

Não demorou até Natasha conseguir controlar o choro e fazer uma ligação para Maria Hill.

H: Então?

N: Está feito.

H: Aonde você está?

N: Dirigindo.

H: Natasha, não faça nada estúpido. Eu não quero ser viúva antes de casarmos.

N: Hill, compre uma passagem em nome de Nadine Roman para daqui a duas horas.

H: Para onde?

N: Londres.

H: Vai sumir? Natasha...

N: Apenas compre, Hill!

Natasha encerrou a chamada e dez minutos depois estava estacionando na rua, em frente a base dos Vingadores.

Natasha entrou correndo na base, eram 11 horas da noite, os vingadores estavam reunidos no longe da recepção, conversando e alguns jogando e outros bebendo. Todos olharam para Natasha entrando bruscamente com a aparência de abatida, mas imaginaram que ela estava vindo de alguma missão e estava cansada.

Natasha olhou para todos e se aproximou de Sam e Bucky, que estavam tomando cerveja junto com Tony Stark no mini bar.

N: Preciso falar com vocês dois.

Natasha virou de costas e subiu as escadas correndo.

Sam e Bucky pareciam confusos, eles se olharam e depois Bucky se moveu para seguir Natasha. Sam parecia desanimado para conversar com Natasha, mas seguiu os dois.

Natasha parou em frente ao quarto de Sam.

N: É o seu quarto?

Sam: Sim, mas...

Natasha rapidamente manejou para destravar a porta e entrou.

Sam: Eu estava com a chave aqui, mas ok. Fique à vontade para arrombar ele...

Natasha entrou e ficou perto da porta do banheiro de costas para Bucky e Sam.

Sam: Olha, Natasha, você não tem o direito de chegar assi...

Bucky percebeu que Natasha não estava bem e encostou no braço de Sam para que ele parasse de falar.

Ficou alguns segundos de silêncio dentro do quarto e depois Natasha cruzou os braços e suspirou.

N: Eu fiz algo horrível.

Sam: O que você...

Bucky novamente fez Sam ficar quieto.

N: Eu só preciso que ajudem Steve.

Sam: O que quer dizer?

N: Ele vai precisar de vocês.

Sam: Ele está no hospital? O que aconteceu?

Natasha fez negativo com a cabeça e quando ela virou para encarar Sam e Bucky, eles puderam ver que ela estava com lágrimas no rosto. Sam nunca viu isso antes, ele ficou completamente mudo.

B: Eu tenho certeza que seja o que for, nós podemos chegar num senso comum. Aonde você está indo, Natalia?

Natasha olhou para Bucky com a testa franzida. Como ele pode chamar ela assim? Ele lembra? Ele sabe o que aconteceu?

N: Steve confia em vocês, eu confio em vocês também e eu preciso que prometam que farão ele ficar bem.

Sam: O que aconteceu? Você terminou com ele?

N: Eu traí ele.

Sam: O que? E você vem pedir ajuda? Mas você não tem um pingo de vergonh...

B: Isso não é verdade. Você não faria isso.

N: Você sabe que eu faria.

B: Natalia...

N: Não me chame assim.

Sam: Eu quero entender, mas eu não consigo. Algo aqui não se encaixa... Natasha eu vi vocês dois juntos e eu sei que você sente algo. Por que fez isso?

Natasha olhou para baixo.

N: Porque eu não sou boa para Steve, você mesmo disse isso pra mim.

Sam: Sim, mas ele está feliz com você. Ele vai ficar miserável sem você. Você o traiu mesmo?

Natasha não respondeu.

Sam: Eu não acredito que tenha.

N: Não importa! Eu estou indo embora, eu só... Eu me importo com ele, eu não quero que ele sofra. Faça com que ele ache alguém legal e que você acha que mereça ele.

Sam: Natasha, eu não... Me desculpe pelas coisas que eu disse, não faça isso.

Natasha saiu do quarto de Sam e caminhou para o quarto dela. Assim que ela entrou, começou a procurar por uma mala, ela jogou em cima da cama, procurou seus documentos, pegou algumas roupas e começou a enfiar na mala.

Bucky: Natasha.

Natasha olhou para Bucky na porta do quarto.

B: O que isso é realmente sobre? Eu sei que estava em missão.

N: Me espionando?

B: Eu observo algumas coisas, o jeito como Steve saiu, estava claro que ia para uma missão extra, todos os vingadores estão aqui.

Natasha ignorou Bucky e continuou a arrumar a mala.

B: Você não precisa sumir.

N: Eu preciso.

B: O que você descobriu?

Natasha diminuiu o ritmo com que estava guardando seus pertences e olhou para Bucky.

N: Os pais dele...

B: Foi você. Eu sei.

Natasha estava perplexa.

B: Por que não disse a verdade para Steve? Seria muito mais fácil que partir o coração dele e sumir no mundo.

N: Eu não posso! Ele amava a mãe dele! Ele fala dela sempre! Eu não posso me perdoar, como ele poderia?

B: Porque ele é o Steve. E acredite eu sei como dói te perder.

Natasha franziu a testa e olhou para baixo.

N: Isso que fiz é muito baixo, ele não perdoaria.

B: Tente.

N: Não! Eu.... Eu já resolvi isso! Está decidido. Eu vou embora e ele vive a vida dele, sem uma assassina por perto.

B: O que você fez?

N: O suficiente para que ele não queira mais estar comigo.

B: Ele te ama, Natasha.

N: E eu amo ele!

B: Você ama?

Bucky parecia completamente surpreso por Natasha admitir isso, mesmo que para ele e não para Steve, ele nunca imaginou que ela seria capaz de admitir um sentimento desse.

Natasha novamente tornou a chorar.

N: Não é o suficiente!

B: O que mais você acha que é preciso para ser suficiente?

N: Eu não posso estar com ele, ocultando isso. Está me matando cada dia. É muito difícil.

B: Eu sei que é difícil, Natasha, mas quando você estiver longe, não vai ser?

N: Será melhor. Ele poderá ser feliz.

B: Ele vai entender, Natasha. Você nem se mandava nessa época, foi há muito tempo atrás. Fora que ele vai se dar conta que o que você fez hoje foi por algum motivo, ele vai sentir que tem algo de errado. Ele já deve ter realizado isso na cabeça dele a essa hora.

N: Mas eu não estarei aqui.

- Aonde você estará?

Bucky e Natasha olharam para Steve Rogers no corredor, em frente ao quarto de Natasha.

Natasha deixou a roupa cair no chão ao ver Steve e ele olhou para a mala sobre a cama, em seguida nos olhos de Natasha.

Bucky saiu do quarto de Natasha, silenciosamente e Steve entrou, a encarando, querendo uma explicação.

S: Você está indo embora?

Natasha olhou para o lado.

S: Eu quero saber o que aconteceu.

N: Steve, por favor.

Natasha fez negativo com a cabeça e pegou a roupa que caiu no chão.

N: Apenas me deixe.

S: Eu não posso, não assim. Eu não entendo, nós somos amigos antes de mais nada.

N: Pare! Você está tornando tudo pior.

S: Eu não vou implorar que fique, mas acho que depois de todo esse tempo, você me deve uma explicação. Você não acha que eu mereço ao menos isso?

N: Eu já disse que sou uma péssima pessoa, o que mais você quer? O que, Steve?

S: Você não é uma má pessoa, Natasha. Hoje você estava numa missão, que eu odiei e eu não acredito que tenha gostado de beijar aquele homem como você disse. E o que disse pra mim, pareceu ser de propósito. Se era missão, eu não tinha o que fazer a não ser guardar o ciúme, mas você disse coisas para me machucar e isso foi do nada, sem justificativa. Como que de uma hora para a outra tudo mudou entre nós? Nós estávamos bem e tudo mudou depois que dormimos longe um do outro. Eu exijo saber o motivo, Natasha. Me diz e depois você pode ir embora, se você realmente quiser ir.

Natasha caminhou pelo quarto e ficou de frente para a janela.

N: Steve...

Natasha esfregou a testa e fez negativo com a cabeça.

N: Eu nunca quis te machucar.

Natasha baixou o tom de voz. Steve permaneceu no mesmo lugar, esperando a explicação.

N: O que você lembra sobre a sua mãe e o seu pai?

S: O que isso tem a ver?

N: Você lembra o que aconteceu, antes de ser aceito no exército?

S: O que?

N: Me diz.

S: Vagamente.

N: Havia algo diferente na sua vida para que você tentasse mais uma vez se alistar?

S: Sim, eu prometi a minha mãe que seria alguém bom. Ela morreu, meu pai morreu e...

Steve franziu a testa, tentando puxar na mente as lembranças daquela época.

S: E eu...

N: O que?

S: Nada, eu apenas lembrei de uma menina que acolhemos em nossa casa. Eu a perdi no mesmo dia que perdi meus pais. Eu nunca mais pensei nela.

N: Qual era o nome dela?

S: Eu não lembro...

Steve franziu a testa de novo, tentando lembrar o nome.

N: Natalia?

S: É. Eu acho que sim. Sim, era isso mesmo.

N: Uma bailarina?

S: Sim...

Natasha virou e encarou Steve de frente. Steve olhou para Natasha e parecia ter dado um estalo na mente dele e ele a olhou confuso.

S: Não pode ser...

N: Era eu.

S: Você nasceu em 1986.

N: Eu achava isso também.

S: Mas... Por que você foi embora?

N: Porque eu tinha completado minha missão.

S: Missão?

N: Seus pais.

A expressão de Steve no rosto mudou novamente, dessa vez para de completamente chocado. Steve começou a relutar contra a ideia.

S: Você era só uma criança, você não poderia ter feito aquila... Minha mãe morreu de causas naturais.

Natasha olhou para cima, como se pudesse evitar qualquer lágrima de cair, mas elas caíram de qualquer jeito.

N: Ela não morreu disso. Eu envenenei ela.

S: O que? Natasha! Se isso é uma brincadeira...

N: Não é!

Steve caminhou, ficou de costas e parou, ele fez negativo com a cabeça, repetidamente.

S: Ela era boa. Ela era boa. A minha mãe ela era... Ela era uma ótima mãe. Ela ajudou você.

N: Eu sei!

S: POR QUE?

Natasha deu um passo para trás, quando Steve gritou com ela e estava com os olhos vermelhos e lacrimejantes.

S: POR QUE VOCÊ FARIA UMA COISA DESSAS? EU... Ela não merecia...

Natasha abriu a boca pra falar, mas nada saía, ela fez negativo com a cabeça, ela se imaginou contando a verdade para Steve e imaginava ele chorando, e até com raiva dela, mas ele estava mais do que o esperado, mas ela não pode culpar ele por isso. Ele tem todo o direito.

S: Ela era tudo que eu tinha na vida, a única coisa boa. E você fez aquilo com o meu pai? O caixão teve que ficar fechado durante a missa.

N: Eu estava...

S: O QUE? Você, o quê?

Steve caminhou na direção de Natasha e antes de chegar perto dela, ele passou as mãos pela cabeça, tentando assimilar a informação que recebeu e tentando se controlar para não encostar em Natasha. Não que ele bateria nela, mas apertaria os braços e a sacudiria e apesar de toda raiva, ele não é capaz disso.

N: Eu sinto muito.

S: Você sente? Eu não acredito que acolhi uma assassina em minha casa, eu causei a morte dos meus pais.

N: Steve, não...

S: Ela sofreu?

N: Steve...

S: ELA SOFREU?

Natasha fez negativo com a cabeça.

N: Eu gostava dela.

S: Cala a boca! Cala essa boca! Não fala dela! Você é... Você!

N: Steve, eu...

S: Eu não quero ouvir! Como você pôde ficar comigo, como se nada tivesse acontecido? Como você? O quão fria e desumana você é?

N: Eu não sabia! Eu descobri anteontem, na SHIELD! Eu jamais ficaria com você se soubesse, Steve! Eu sequer me lembro disso, eu sei o que eu li no livro da KGB sobre mim. Eles apagaram as minhas lembranças.

S: Por isso você tem estado estranha...

N: Steve, eles me fizeram, eles me obrigaram.

S: Para com isso! Não banque a vítima aqui. Eles eram os meus pais! Você tirou o que eu mais amava na vida.

N: Eu sinto muito, Steve. Eu...

S: Vai.

Natasha olhou para Steve, surpresa.

S: Você estava indo embora... Então vai. Eu não preciso de você aqui. Eu não quero mais ver você.

Natasha não conseguia se mover, era o pior pesadelo dela, ouvir e ver Steve com tanto ódio dela.

S: VAI!

Steve teve que gritar, para que Natasha conseguisse se mover, ela pegou os documentos e a mala ainda aberta, caminhou para a porta e antes de sair o olhou mais vez.

N: Steve?

S: Você sabe que eu achei que amava você tanto e que eu nunca seria capaz de deixar de amar você, mas isso... Agora eu tenho certeza, eu não posso te amar.

N: Stev...

A voz de Natasha fraquejou, enquanto ela abaixava a cabeça.

Steve socou a parede com toda força e Natasha mordeu o lábio e correu para fora do quarto.

Enquanto Natasha descia as escadas correndo, ela podia ouvir o grito de dor de Steve e os murros que ele estava dando na parede.

Natasha entrou dentro do carro e deu partida o mais rápido possível.

Wanda saiu do quarto e correu pelo corredor até o quarto de Natasha, ela entrou e viu Steve socando a parede.

W: Steve? Steve? Pare, calma. Você vai se machucar.

Steve parou de socar a parede e ajoelhou no chão, chorando. Wanda se aproximou dele e encostou a mão no ombro dele.

Sam e Bucky chegaram logo depois, e mais alguns minutos, Tony também apareceram no corredor para saber o que estava acontecendo.

Steve não ficará desamparado de pessoas para consolá-lo. Ao contrário de Natasha que estava indo para o aeroporto, e não estava com humor nem para contatar Hill.

Natasha chegou no aeroporto em 20 minutos, foi até o banheiro rapidamente, passou água no rosto e se recompôs, ela foi até o guichê de embarque, usando óculos escuros e entregou a documentação para a atendente.

- Seu cabelo está diferente.

N: Sim, eu pintei, mas odiei esse tom. Assim que chegar em Londres, pintarei de novo.

Natasha deu um pequeno sorriso.

- Tenha um bom vôo, Srta. Roman.

A atendente marcou a passagem e devolveu para Natasha que entrou no corredor de embarque, olhou para trás brevemente e voltou a seguir seu caminho.

Natasha embarcou rumo a Londres.

♪ You and me

We used to be together

Every day together always

Você e eu

Costumávamos estar juntos

Todos os dias juntos sempre

 

I really feel

that I’m losing my best friend

I can’t believe

This could be the end

Eu realmente sinto

Que eu estou perdendo meu melhor amigo

Eu não posso acreditar

Este pode ser o fim


It looks as though you’re letting go

And if it’s real

Well I don’t want to know

Parece que mesmo assim você está deixando acontecer

E se isso é real

Bem eu não quero saber

 

Don’t speak

I know just what you’re saying

So please stop explaining

Don’t tell me ’cause it hurts

Não fale

Eu sei do que você está falando

Então por favor pare de explicar

Não me diga porque isso machuca

 

Don’t speak

I know what you’re thinking

I don’t need your reasons

Don’t tell me ’cause it hurts

Não fale

Eu sei o que você está pensando

Eu não preciso de suas razões

Não me diga porque isso machuca

 

Our memories

They can be inviting

But some are altogether

Mighty frightening

Nossas lembranças

Elas podem ser convidativas

Mas algumas são completamente

Muito assustadoras


As we die, both you and I

With my head in my hands

I sit and cry

Conforme morremos, ambos você e eu

Com a minha cabeça em minhas mãos

Eu me sento e choro

 

It’s all ending

I gotta stop pretending who we are

Está tudo acabando

Eu tenho que parar de fingir quem nós somos

 

You and me

I can see us dying... are we?

Você e eu

Eu posso nos ver morrendo... nós estamos?

 

I know you’re good

I know you’re good

I know you’re real good oh

La da da da da da

La da da da da da

Don’t, don’t

Ohh Ohh

Eu sei que você é bom

Eu sei que você é bom

Eu sei que você é realmente bom oh

La da da da da da

La da da da da da

Não, não

Ohh Ohh

...

Hush me hush me darling

Hush me hush me darling

Hush me hush me, don’t tell me ’cause it hurts

Me acalme, me acalme querido

Me acalme, me acalme querido

Me acalme, me acalme, não me diga porque isso machuca ♫

 

No Doubt – Don’t Speak


Notas Finais


Música do capítulo: https://www.youtube.com/watch?v=TR3Vdo5etCQ
Quem tem twitter aí? Me segue lá e me avisa que eu sigo de volta @ daredevilosa


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...