História Before the Dawn - Capítulo 20


Escrita por: ~ e ~Isajikookvhope

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Bromance, Bts, Drama, Jikook, Lemon, Namjin, Romance, Vhope, Yaoi
Exibições 80
Palavras 2.062
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oiii pessouass lindaaas *desvia dos tomates* Eita

Prometo que tenho uma justificativa plausível para a demora: não decidi o título do capítulo.
Em partes foi isso, mas também fiquei um pouco insegura quanto a esse capítulo, achei que não ficou bom o suficiente, apesar da Isa me falar que tava ótimo, eu não me senti muito segura, mas não queria deixar vocês tanto tempo sem a continuação.

Sem mais delongas,
Boa leitura, chuchus <3

Capítulo 20 - Capítulo 17 - De novo


Fanfic / Fanfiction Before the Dawn - Capítulo 20 - Capítulo 17 - De novo

Vou até a cozinha e vejo meu pai sentado no chão com um litro de bebida alcólica em uma das mãos. Provavelmente minha mãe não está em casa. Tento dar meia volta sem ser percebido mas é tarde demais!

- Aonde você pensa que vai, guri? - Meu pai fala com a voz embargada.

- Vou até o meu quarto, pai. - Falo e ele vem em minha direção, puxando meus cabelos e me fazendo gritar de dor.

- Onde você estava até essa hora, moleque? - Ele grita e me arremessa no chão. - Hein? - Me dá um chute no estômago e eu começo a tossir pela falta de ar. - ME RESPONDE! - Grita

- Estava na escola, pai. - Tento falar com a voz embargada pelo choro.

- MENTIRA! - Ele me levanta pelos cabelos novamente. - VOCÊ ESTAVA ANDANDO COM AQUELES ARRUACEIROS NÃO É, KIM TAEHYUNG! - Me desfere alguns tapas no rosto.

Não entendia. Ele sempre gostou dos meninos, por que ele estava falando assim deles?

- Para, pai. Por favor. - Peço baixinho, ainda chorando. Meu rosto queimava pelos tapas que ele me dava.

- EU NÃO TE CRIEI ASSIM, SEU BASTARDO! - Me joga no chão novamente, agora me dando chutes no estômago e no tórax, me fazendo perder o ar e até tossir. Ele me levanta pelos cabelos novamente. - VOCÊ É UM LIXO! - Me dá um murro no maxilar fazendo com que eu cambaleasse para trás. - VOU ACABAR COM VOCÊ AGORA! - Pega uma faca no faqueiro que tinha em cima de uma das bancadas e parte pra cima de mim. Antes de ele me golpear, pude segurar seu punho e o empurrar pra longe. Aproveitando que ele estava longe, pude correr para fora da cozinha subindo as escadas correndo e trancando a porta logo em seguida. Me encolhi em cima da minha cama chorando. Me assustei quando ouvi que ele dava murros fortes na porta, me encolhendo mais à cada baque.

Ele tinha perdido o controle denovo.

Peguei meu celular e liguei para o primeiro número da minha agenda.

- Alô.

- Me ajuda, por favor. - Cochichei desesperado.

- Tae?! - Jin falou surpreso.

- Jin, por favor me ajuda! Ele tá fazendo denovo. - Continuei.

- Está bem, estou chegando. Quando ouvir uma buzina curta pule da janela. - Disse.

- Okay. - Confirmei e sentei num dos cantos do quarto. Eu estava assustado. Se eu não saísse daqui o mais rápido possível ele viria me matar.

Dez minutos depois, ouço a buzina. Coloco meu celular no bolso, abro a janela e vejo o carro do Jin na rua. Pulo a janela tentando ao máximo não me machucar mais, mas acabo torcendo o pé no impacto, afinal pulei do segundo andar.

Corri mancando até o carro, com a mão no tórax tentando fazer com que a dor pare.

- Ai meu Deus, Tae - Ele sai apressado do carro me apoiando. Ouvimos o barulho de vidros quebrando e ele apressou-se em me colocar no carro, entrando no mesmo logo em seguida. Ele dá a partida no carro e acelera o máximo que pode. - Como isso foi acontecer, Tae? - Pergunta preocupado. Me ajeito no banco, fazendo uma cara de dor.

- Eu não sei! Ele estava bêbado e partiu pra cima de mim! - Falo e ele me pede para contar o que exatamente aconteceu, o fiz e ele ficou chocado.

- Como ele teve coragem de fazer isso? - Pergunta indignado.

- Eu não sei. - Respondo chorando e com dificuldade.

Ele dirigiu até um prédio enorme, onde ele residia sozinho. Seus pais e seu irmão moravam em Busan e bancavam as despesas dele aqui em Seoul. Ele colocou o carro na garagem e fomos até o seu apartamento. Ele tirou meus sapatos e me colocou deitado em sua cama.

- Você consegue tomar banho sozinho? - Me analisou e ele mesmo respondeu - Acho que não!

- Não quero ser um incômodo Jin. - Falo.

- Você nunca é um incomodo Tae. - Ele fala e sorri amigavelmente. Ele foi até o banheiro de seu quarto e depois de uns dois minutos voltou, me ajudando a ir até o banheiro. Me sentou no vaso e me ajudou a me despir. Quando ele tirou minha blusa, ele ficou espantado. - Nossa!

- Tá tão ruim assim? - Eu perguntei e ele foi até o quarto, me trazendo um espelho. Quando olhei meu reflexo, não acreditei no que eu vi. Eu estava destruído. Meu olho estava roxo, meu nariz e minha boca sangravam um pouco e haviam hematomas no meu dorso.

Ele colocou o espelho em um canto qualquer do quarto e terminou de me despir, me ajudando a entrar na banheira cheia de espumas. Me sentei e ele foi até um armário, pegando uma maletinha de primeiros socórros, se sentando ao meu lado, só que fora da banheira. Ele cuidou dos ferimentos do meu rosto e me deu um remédio para dores. Terminado o meu banho, ele me deu uma muda de roupas dele e uma toalha para eu poder me secar. Quando terminei, ele me ajudou a voltar para a cama.

- Eu acabei de fazer rámen. Você quer? - Pergunta.

- Não, obrigado.

- Quer sim. Você precisa comer algo! - Fala e sai do quarto, quando voltou trouxe consigo duas tigelas de Rámen, me entregando uma das tigelas. Se sentou ao meu lado na cama, ligando a TV. Comemos enquanto conversávamos e assistíamos TV. Quando terminamos de comer ele levou as tigelas até a cozinha e se deitou ao meu lado.

- Posso tentar algo? - Pergunta.

- Depende do quê. - Falo.

- Se você não quiser, pode falar que eu paro! - Fala.

- Okay. - Falo um pouco relutante.

Ele saiu e foi até o banheiro, voltando com alguns produtos em mão e um espelho pequeno. Aquilo me parecia...

- Maquiagem? - Pergunto incrédulo.

- É. - Ele fala e me olha com uma cara tipo "Dââ". - Ou você pensa que vai pra escola com esses roxos pelo rosto?!

- Tá bom, mas cuidado... Não quero ficar cego com isso. - Falo apontando pro lápis que ele carregava em uma das mãos e nós rimos.

- Relaxa! Agora recoste no travesseiro e feche os olhos. - Fala e eu o faço. Ele começou a passar algo meio molhado e gelado em algumas partes do meu rosto.

- Eww. - Falei fazendo cara de nojo. - O que é isso?

- É só corretivo pra esconder esses hematomas no seu rosto. - Fala continuando a passar.

- Posso olhar no espelho? - Pergunto apreensivo.

- Uh... Pode. - Fala pegando o espelho. Me olhei incrédulo, havia manchas amarelas em cima dos hematomas

- Você não tá tirando uma com minha cara não, né? - Falo.

- Por quê?

- Minha cara tá toda manchada de amarelo. - Falo e ele começa a rir.

- Calma, nem acabei ainda! - Fala rindo, tirando o espelho de minhas mãos. Quando ele ia continuar, meu celular toca. Vou até minha calça, que se encontrava em um quarto, e volto para a cama.

- Alô?! - Atendo.

- Meu bebê! Onde você está? - Minha mãe pergunta preocupada.

- Tô na casa do Jin, mamãe. - Falo. - Quer que eu volte? - Falo sentindo um nó se formar na minha garganta. Não queria voltar pra lá, tenho medo de que ele me mate.

- Não não, filho. - Fala tentando esconder o nervosismo. - Me deixe falar com o Jin, sim?!

- Tudo bem, mamãe. - Me despedi.

Entreguei o celular pro Jin, que pegou de minha mão e saiu.

Dois minutos depois o Jin volta e me entrega o celular. Ele dá um suspiro derrotado, olha pra mim e sorri.

- Você vai dormir aqui - Ele fala sorrindo. Sorrio também - Só que tem um problema. - Paro de sorrir.

- Qual?

- Vou ter que terminar a maquiagem correndo porque sua mãe vai vir trazer suas coisas. - Fala pegando outro produto. - Agora feche os olhos. - Fala e eu obedeço. Ele passa mais algumas coisas no meu rosto e logo depois passa um pó, que me fez espirrar.

Minutos depois a campainha toca e Jin corre até seu guarda-roupa pegando uma blusa de manga comprida e me manda vestir rápido. Pego as maquiagens que ficaram espalhadas em cima da cama e coloco-as embaixo do lençol.

Ele vai até a sala e ouço vozes se aproximando do quarto. A porta se abre revelando o semblante preocupado de mamãe. Ela corre até mim e me abraça, me enchendo de beijos.

- Tae. - Ela passa a mão por meu rosto me fazendo fechar os olhos e sorrir. - Você vai passar essa noite na casa do Jin, tá?

- Tudo bem, mamãe. Mas, o que aconteceu? - Ela tenta disfarçar o nervosismo.

- Não aconteceu nada, meu filho. - Fala pegando em minhas mãos. As suas estavam frias e suadas, algo tinha acontecido.

- Mamãe, não minta pra mim. - Falo sério.

- Não há nada para se preocupar meu filho. - Fala sorrindo. - Trouxe suas coisas - Ela me entrega minha mochila e meu uniforme da escola. - Na mochila tem tudo que você precisar e seus materiais. Qualquer coisa me ligue, meu anjo - Fala, me dando um beijo na testa.

- Okay. - Falo e nos despedimos. Eles saem do quarto e fecham a porta. Ouço eles conversando e me levanto, colocando ouvido na porta para tentar ouvir alguma coisa.

- Jin, por favor, não deixa ele saber! - Minha mãe pedia desesperada.

- Pode deixar. Vou fazer o máximo para que ele não saiba, tia Hani. - Jin fala.

- Muito obrigado, meu anjo. - Ela fala.

Eu corro com dificuldades, por causa do tornozelo torcido, e subo na cama, tentando parecer o mais normal possível.

Minutos depois ele entra no quarto denovo e se deita ao meu lado sem dizer uma palavra. De repente, ele levanta e se pronuncia:

- Vamos tirar toda essa maquiagem. - Ele levanta, vai até o banheiro e volta com um frasco e algumas bolinhas de algodão. Ele molha o algodão com o produto do frasco e me entrega o algodão. - Você vai passar o algodão em todo o rosto até ele ficar limpo, okay? - Assinto e ele coloca o espelho em minha frente.

Vou passando o algodão por meu rosto, tomando cuidado com os ferimentos e a medida que ia passando em cima dos cortes minha pele ardia, fazendo eu 'abanar minha mão perto do meu rosto para que o vento fizesse o ardor passar.

Quando o algodão ficou bem sujo, Jin me entregou outro algodão e eu fiz o mesmo, até meu rosto ficar sem uma gota de maquiagem.

- Agora vai lá no banheiro lavar o rosto. - Ele fala e eu vou até o banheiro me apoiando nas paredes e nos móveis. Lavo o meu rosto com a água corrente e me olho no espelho soltando um suspiro cansado.

Volto até o quarto e me deito novamente do lado dele.

- Vou dormir, viu? Boa noite - Ele fala sorrindo e vira pro outro lado.

- Eu também vou dormir - Falo desligando a luz - Boa noite e obrigado - Falo e me ajeito na cama, pegando no sono.

 

 

 

-:-

Acordo com meu celular vibrando loucamente em cima do criado mudo, fazendo um barulho terrível. Olho no relógio e eram 2:45 da manhã.

Desbloqueio o celular e vejo que tinham chegado quatro mensagens pra mim. Mas quem seria a essa hora?

Meu coração falha uma batida e sinto uma sensação estranha, porém gostosa, em meu estômago.

Era ele.

Hoseok: Oi

Hoseok: Espero que vc n tenha se chateado com o que aconteceu hj no salão

Hoseok: Isso pode acontecer com qualquer um, n precisa vc ficar assim

Hoseok: Vc está bem?

Sorrio e olho pra Jin, que, apesar do barulho infernal, continuava dormindo profundamente. Ele tinha sono pesado.

Mordo o lábio inferior tentando conter o enorme sorriso. Ele havia se preocupado comigo.

Meu coração batia forte e, depois de muito hesitar eu finalmente respondo.

Depois de responder, coloquei meu celular de volta no criado mudo e, minutos depois, caí no sono.


Notas Finais


Foi isso =P

Esperamos que tenham gostado e até o próximo <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...