História Before the world ends (Imagine Woozi) - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Seventeen
Personagens Lee Jihun "Woozi"
Tags Imagine, Lee Jihoon, Seventeen, Stephenk, Você, Woozi
Exibições 67
Palavras 1.318
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Josei, Universo Alternativo

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


olá pessoas <3

bem, antes de tudo eu gostaria de agradecer (isso já está começando a virar hábito aqui), sério pessoal, eu não quero ser muito demorada e dramática por aqui mas eu preciso agradecer à todos que estão se preocupando comigo e vindo me dar apoio, realmente não estou na minha melhor fase, digamos assim, mas se não fosse por todo o suporte que recebo aqui no site vindo das minhas leitoras e amigos que fiz aqui eu já teria desistido de fazer o que faço aqui, então, muito obrigada <3

bom, agora indo ao que interessa (gente, aguenta que vai ser rapidinho), abrindo a minha sessão de pedidos hehehe eu trago este imagine especialmente para a ~porrajhope ou a tia aimeudeus (ou nega, um apelido usado por mim <3 haha), espero que tu goste, nega <3 (demorei mas finalmente trouxe hgha)

fiquem com meu primeiro imagine com um membro do seventeen ><

Capítulo 1 - Fique comigo um minuto, eu farei valer a pena


Fanfic / Fanfiction Before the world ends (Imagine Woozi) - Capítulo 1 - Fique comigo um minuto, eu farei valer a pena

Então, uma última vez 
Eu preciso ser 
Aquela que te leva para casa 
Mais uma vez 
Prometo que depois dessa, te deixo partir 
Querido, eu não ligo se ela está em seu coração 
Eu só me importo em acordar com você em meus braços 
Uma última vez 
Preciso ser aquela que te leva para casa 

One last time – Ariana Grande 

 

Before the world ends   

Capítulo único - Fique comigo um minuto, eu farei valer a pena  

 

Sabe quando as pessoas dizem que estão se sentindo um grão de areia no deserto ou na praia?  

Era exatamente assim que metade da população mundial se sentia naquele momento.  

 

"A previsão de colisão do cometa com a Terra  é de sete dias" anunciava o noticiário na tevê. "Os radares detectaram fortes vibrações vindas, indicando que o cometa pode até mesmo chegar antes da previsão do dia 30 de novembro de 2018" 

"Uma nova sequência de movimentos é localizada no espaço..." 

"Especula-se que o cometa poderá destruir toda a Ásia com o seu impacto, podendo causar um tsunami levando o Japão a submergir-se em apenas uma onda, seguindo com a chuva que derivada do cometa após a chegada deste" 

Cometa, cometa, cometa.  

"Após a chegada deste", a mídia fala como se o cometa que está prestes a destruir a Terra fosse um senhor inglês mal humorado e dono de uma multinacional que salvaria o país de uma crise financeira.  

O fim do mundo está acontecendo, bem aqui, no quintal da minha mãe onde está havendo um engarrafamento de carros enquanto algumas pessoas estão deixando suas casas e correndo para onde quer que acreditassem estarem salvas do fim que os aguardava.  

Eu desliguei a televisão e coloquei para o rodar o meu disco preferido, aproveitando para desfrutar das melodias que mais amei na minha vida antes que a energia acabasse. Em seguida caminhei até o quintal dos fundos para olhar o céu, como sempre fazia quando era criança, quando nem sequer fazia ideia de que acabaria morrendo durante o "apocalipse".  

Pisquei os olhos com a claridade, as nuvens já não existiam mais no meio daquela grossa camada roxa de poeira e fumaça química, respirar já era uma tarefa onde você ficava por dez minutos tomando um ar fresco e em questão de segundos estaria a engasgar com o próprio oxigênio inalado, os olhos secos e os pulmões sangrando.  

Suspirei e chutei o piso de cerâmica, me remetendo contra minha vontade ao breve monólogo do meu pai sobre percas, quase que eu conseguia ouvir sua voz ali comigo, falando sobre as pessoas especiais e como eu descobria que as tinha em minha vida.  

Só foi necessário um movimento de cabeça para a esquerda para eu ter notado a minha pessoa especial, bem ali, onde eu sempre sabia que estaria, isso até crescermos e nos tornarmos dois adultos responsáveis, e claro, morrermos após um cometa atingir a Terra. (mas quem contaria com o fim do mundo enquanto se matava de estudar para entrar na faculdade dos sonhos para assim não passar a sua vida ser ter sido alguém e ter feito algo de relevante, não é mesmo?)  

E agora o mundo estava prestes a acabar.  

E assim como eu, o meu antigo vizinho, aquele que eu brincava de casinha com pratos de brinquedo e comida de barro, que conseguia arrancar sorrisos de mim na época triste do ensino fundamental, aquele que ouviu minhas palavras como armas quando gritei dizendo que aquela cidade não era lugar para mim.  

Lee Jihoon, ou Woozi, como todos o chamavam quando éramos crianças.  

Assim como eu, voltara para a cidade onde nasceu, certamente após as notícias alertando o início do fim.  

Não me considero uma pessoa muito paciente, muito menos educada em explicar acontecimentos recentemente ocorridos aos desavisados.  

Então sejamos diretos de uma vez, a porcaria do planeta vai ser arrasado por um cometa.  

E tudo o que eu mais queria naquele momento era poder voltar para cinco anos atrás e dizer a ele que eu também gostava muito dele, mais do que melhores amigos podem gostar um do outro.  

Porque nada mais importava agora, porque o curso da faculdade nunca seria terminado, porque os conflitos entre países extremistas não teriam um fim digno, porque eu não me importava mais se não conseguiria dar entrada naquele apartamento lindo do centro, e porque essa provavelmente seria a última vez que eu iria ouvir Coldplay com ele no quintal ao lado enquanto sorria para mim.  

Porque naquele momento meu peito se contraía com a dor de não ter sido uma pessoa boa com ele, ele que sempre fora a minha pessoa especial.  

Como seria a sensação de poder tê-lo feito feliz?  

-Espero que essa seja a chamada surpresa boa – ele riu como sempre fazia quando me aproximei da cerca que dividia nossos quintais. - Mesmo com o tom de espanto em seu olhar sempre que nos encontramos, não importa quanto tempo passe.  

-Estou impactada, admito, embora não como nas últimas vezes – contornei com calma, o contrário do que eu sentia no momento.  

Jihoon se apoiou na base da cerca e olhou para a calçada coberta de lixo, onde algumas  pessoas reviravam as sacolas em busca de algo útil.  

-Qual foi a sua reação - ele perguntou. - Digo, quando anunciaram sobre o cometa.  

Coloquei as mãos nos bolsos e voltei a cabeça para o céu tóxico acima.  

-Tomei várias doses de uísque - dei de ombros. - E quando acordei só consegui pensar no último livro daquela série que nunca será lançado - comentei com falsa inocência e comecei a rir, sendo acompanhada por Jihoon. Não perguntei sobre ele pois não queria saber qual fora sua reação, na verdade qualquer coisa que ele poderia dizer naquele momento tinha o poder de me causar um mini ataque interno, então eu procurei fugir das suas palavras, mesmo querendo saber sobre tudo o que ele pudesse soltar durante esse preciosos tempo juntos.  

Era irônico estarmos marcados para morrer e eu não querer me separar dele, eu que sempre acreditei me dar muito bem sozinha.  

-Woozi – me peguei o chamando, esganiçada e hesitante. - Eu preciso ser rápida pois já estou começando a sentir a dor da falta de ar... Eu preciso ser honesta com você porque eu preciso de você, Jihoon. Quando percebi que iríamos morrer de verdade com esse cometa, não havia nada na minha cabeça que não fosse você e a minha vontade de ter, de sentir você e poder ouvir seu coração batendo, nem que fosse uma última vez e você me odiando por ter sido tão má com você na nossa adolescência... eu poderia ter te dado tudo de bom que existia em mim quando só fiz mentir e fugir daquilo que me ajudava.  

Eu não estava chorando, estava ofegando pela queimação que invadia meus pulmões. 

-E eu posso me considerar um bobo por ter voltado pra cá na esperança de que você estaria aqui, não por mim mas apenas por não perder a sua essência como a pessoa que era quando viveu neste planeta – ele sorriu e inclinou levemente a cabeça para o lado, afagando meu rosto. - Sabe, eu não me importo com tudo o que vivi até agora. Estou sendo eu mesmo neste exato momento enquanto você fez suas confissões desesperadas – ele alargou seu sorriso, tentando ser mais forte do que as marcas transparentes no canto de seus olhos puxadinhos.  

-Tudo se trata do agora – fechei os olhos e deitei a cabeça contra sua mão, acariciando a mesma com o meu polegar, sua pele continuava macia, como eu me lembrava da última vez.  

-Acha que tem fôlego para um beijo? - questionou, soprando contra meus lábios.  

-Me beija logo antes que eu morra – ironizei meio tonta, ouvindo ele sorrir antes de sentir o contato de nossos lábios.  

Ele era a minha pessoa especial, de todo o planeta.  

E quando o cometa chegou, eu não poderia estar mais conformada. 


Notas Finais


nunca achei que escreveria sobre o fim do mundo dessa forma
<3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...