História Befour. - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction, Zayn Malik
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Personagens Originais, Zayn Malik
Tags Escola, Filha, Idade, Jovem, Professora, Romance, Zayn Malik
Exibições 159
Palavras 1.344
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


I had loved you since we were eighteeeeen🎶
Desculpa gente, eu precisava fazer isso kkkk

Capítulo 18 - Eighteen.


Zayn POV

Já se passaram MUITOS dias desde meu encontro com Kath e nós não nos vimos depois disso, quer dizer, se nos vimos... foi bem rápido. Eu estou tão ocupado com meu trabalho, que mal tenho tempo para respirar (exagero mesmo). Parte de mim insiste que tenho estado nesse ritmo frenético para que termine todos esses processos logo e consiga um tempo para resolver o problema de Katheryn, já outra parte diz que tenho dobrado minhas horas de trabalho porque sou um profissional muito dedicado. 

Depois daquele episódio com Madison, nós não nos falamos muito e Lilian me ligou dizendo que a situação era a mesma com ela, mas pelo menos Madz estava cumprindo seu castigo corretamente. Admito que não tenho dado muita atenção a Samantha essas semanas, mais uma consequência do meu trabalho excessivo. 

 

(...)

 

Katheryn puxava meu cabelo com força enquanto eu estocava cada vez mais fundo, seus gemidos ficando mais altos, seus olhos fechados e seu corpo balançando sobre a mesa estavam me levando a loucura, foi ai que eu percebi que estávamos em sua sala de aula. Na sala de aula da minha filha. Olhei ao redor e encontrei vários pares de olhinhos curiosos em cima de nós. Um homem e uma mulher, nús, seus corpos conectados, suados, gemendo e dizendo coisas mais que inapropriadas. Realmente parece muito educativo. Imediatamente parei com meus movimentos quando notei as crianças, mas Katheryn começou a puxar meu cabelo mais forte e falar coisas do tipo "estou quase lá", não é possível que ela não tenha visto essa quantidade de crianças aqui. Os alunos dela!

Eu ainda estava imóvel, sem saber o que fazer ou falar, até que encontrei os olhos de Sam no meio dos alunos, minha reação foi instantânea. Me afastei do corpo da mulher loira e sai correndo porta afora, sim, corri muito. Mas pra qualquer lugar que eu olhava eram crianças, às vezes acompanhadas dos pais (que logo cobriam os olhos dos filhos ao me verem). 

Eu não sei mais quanto tempo isso durou até me sentar na cama em um sobressalto. Mas que merda de sonho foi esse? Ou melhor, pesadelo. Não pela parte da Katheryn, estaria mentindo se dissesse que foi a primeira vez que pensei nela daquela maneira, mas todos aqueles pequenos seres, nos encarando, inclusive a minha filha... Um arrepio passa pelo meu corpo todo. Assustador. E constrangedor. Sinceramente, não sei por que sonhei uma coisa dessas. NÃO FAZ O MENOR SENTIDO. 

Olhei no relógio na mesinha de cabeceira, ainda eram 5:10 da manhã porém resolvi levantar, tomar um  banho e talvez assistir televisão. Não quero arriscar dormir e ter outro sonho maluco como esse.

 

Katheryn POV.

Esses dias não tem sido exatamente bons, Zayn e eu não temos nos falado ou visto muito desde nosso encontro, foram só poucas mensagens e breves olhares na saída da escola, mas tudo bem, em uma dessas curtas conversas pelo facebook ele me disse que estava bem ocupado e sem tempo pra várias coisas. Admito que na hora fiquei um pouco (muito) triste, mas algo dentro de mim insiste que quanto mais rápido ele terminar esses casos, mais rápido ele vai poder cuidar de mim... Quero dizer, da minha... er... situação.

Bateu o sinal do intervalo e meus pequenos sairam correndo da sala, nem esperaram eu autorizar ou dizer nada. Fiquei na sala mesmo, sou uma dessas pessoas que não sente muita fome entre as refeições, então aproveitei meu tempo para descontrair jogando Candy Crush, sim, 2016 e ainda jogo isso. Bem, eu estava jogando pois não se passaram 2 minutos e meu celular começou a tocar, por impulso atendi sem sequer ver quem era.

- Oi? - falei porém não obtive resposta. - Olá? - a linha continuou muda. - Então ta.... - antes que eu desligasse a chamada, escutei uma voz (muito conhecida por sinal).

 - Oi, linda. - pigarreou e prosseguiu - Desculpa só ter te ligado agora, sei que é o intervalo dos seus alunos. - dessa vez, eu estava muda. Por que ele me chamou de linda? Por que ele sabe os horários das aulas? E ainda pede desculpas por não ter ligado antes?! Quanta audácia! - Você ta bem? Ficou quieta do nada...

- Para. De. Me. Ligar. - disse com raiva, quando ele vai entender, senhor???

- O que você quer dizer com isso, linda?

- Eu quero dizer que já faz 3 malditos anos que nós não namoramos mais, para de me tratar assim. Por que você não segue sua vida em frente? Me esquece! - Apesar das palavras duras, eu estava fazendo de tudo para não me exaltar.

- Eu não sei do que você ta falando, Kath. Eu nunca te esqueceria, não dá pra imaginar minha vida sem você.

- Pelo amor de Deus, para de dizer essas coisas! Qual o motivo de ter me ligado afinal?

- Eu... Eu só quero saber como você está... E quando vamos nos ver novamente. Apesar de você ter me decepcionado umas semanas atrás por ter saído com aquele cara, eu sinto muito sua falta. - Revirei os olhos, quem ele pensa que é para tentar controlar minha vida ou pensar que quero ver ele?! 

- Você é maluco. - pensei alto

- Não faz assim, Kath. Eu te amo e você... Você ainda me ama né? - revirei os olhos novamente e fiz uma cara de desgosto, desejando que ele pudesse ver minha reação. 

- Tenho que ir agora. Tchau. - Não sei nem porque estou sendo 'boazinha' com ele. Medo, talvez.

- Ainda não acabou seu tempo livre, Katheryn, ainda faltam... - ele fez uma pausa e eu olhei para o relógio na parede pra me certificar de quanto tempo faltava, só que ele continuou sua frase ao mesmo tempo que eu conclui meu pensamento. - 3 minutos.

- Mesmo assim to ocupada. - não me despedi, muito menos esperei sua resposta, só desliguei o aparelho e o guardei na bolsa. 

Respirei fundo apoiando minha cabeça na mãos sobre a mesa e massageando minhas têmporas. Eu quero muito que isso acabe, eu quero muito que isso acabe logo. O sinal de retorno para sala tocou e eu me obriguei a manter firme, pelo menos até a saída.

(...)

Faltavam poucos alunos para irem embora, então fui buscar minha bolsa e meu material depressa na sala. Esperar todos os alunos saírem é um dos pontos que eu não gosto nessa escola, mas nunca ocorreu dos pais se atrasarem muito. Não antes do sr. Malik, mas se aquele dia se repetisse, eu faria a mesma coisa sem mudar nada, tudo acabou ótimo no fim das contas. Quando penso em Zayn algo dentro de mim muda, eu gosto dele, isso é bem claro, mas... Esse sentimento dentro de mim é incontrolável, eu quero estar com ele, conversar com ele, ficar olhando pra ele... Eu sinto falta dele.

Todos já havim ido embora sem que percebesse, estava perdida nos meus pensamentos. Comecei a andar e assim que atravessei o portão esbarrei em algo, ou melhor, alguém, todo o material que eu levava em mãos acabou no chão e eu imediatamente abaixei para pegar as coisas.

- Oh meu deus, me perdoa. - o homem que esbarrei disse enquanto se abaixava para recolher meus livros, o diário de professor e algumas folhas que se espalharam.

- Não, tudo bem. Deixa comigo. - Respondi enquanto tentava recolher todas as folhas dispersas na calçada. 

- Olha, me desculpa, eu só ia lá dentro entregar o atestado do meu filho e... Eu não te vi... Er... Me desculpa de verdade por isso.

- Sem problemas, eu sou bem desastrada. - sorri envergonhada enquanto levantava com minhas coisas arrumadas. Finalmente olhei para o homem a minha frente, não muito mais alto que eu, vestindo uma blusa da adidas, calça jeans e tênis branco, mas quando olhei em seus olhos, rapidamente me lembrei dele.

Eu o conhecia, claro que o conhecia. Ele era o pai de um dos meus alunos. Seus olhos azuis acinzentados são inconfundíveis.

Louis... Louis Tomlinson.


Notas Finais


Gostaram do capítulo?? Espero que sim!
BEIJOS 😘 x


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...