História Begin again - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Castiel, Dakota, Debrah, Leigh, Lysandre, Melody, Rosalya, Viktor Chavalier
Tags Amor Doce, Castiel
Visualizações 121
Palavras 2.388
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá!
De longe, esse é o capítulo que mais deu trabalho para escrever, e peço desculpas se ficou chato :( mas realmente precisava dessa parte da história, e vocês vão entender.
NÃO ME MATEM, SÉRIO!
E COMO EU SOU UMA FOFA, NÉ? ATUALIZANDO DUAS FICS NO MESMO DIA! ❤

A música do capítulo é amnesia - 5 Seconds of Summer

Boa leitura e espero muito que gostem! <3

Capítulo 17 - I'm not fine at all.


Fanfic / Fanfiction Begin again - Capítulo 17 - I'm not fine at all.

3 semanas depois

Fazer Rosalya ficar parada está sendo uma tarefa bastante difícil. Estou tentando terminar de arrumar seu cabelo e posicionar o véu, mas ela está tão ansiosa para se casar que não para de se mexer um segundo.

- Você pode ficar no mesmo lugar por um segundo? – pergunto, enquanto ela anda de um lado para o outro no quarto.

Nathaniel gentilmente ofereceu sua casa para nos arrumarmos, já que a casa de Rosa estaria lotada com convidados dela e não seria muito prático ficarmos na casa de Leigh. Pelo menos estando aqui, facilita irmos para a igreja.

- E se ele desistir? Se ele não estiver lá quando eu chegar? – suas mãos tremem e vejo o medo em seus olhos.

- Só pode estar falando do fotógrafo, né? – digo e ela arqueia uma sobrancelha. – Rosa, o Leigh nunca fugiria de se casar com você.

- Mas isso pode acontecer, Mad. Ele pode perceber o que fez e se arrepender, pode fugir, me deixar plantada lá, eu não sei..

- Rosalya, respira! – seguro seus ombros e faço ela me olhar. – Ele estará lá. – olho no fundo de seus olhos e ela balança a cabeça, afirmando levemente. – Agora posso terminar de te arrumar?

Ela se senta na beirada da cama, tomando todo o cuidado para não amassar o vestido. Pego o estojo de maquiagem e começo a retocar a sombra e seu rímel. Para que tudo fosse mais rápido, eu me arrumei para depois ajudar Rosalya, assim não corremos o risco de nos atrasar.

- Posso entrar? – ouvimos uma voz doce e duas batidas de leve na porta. A senhora Cleare está parada, olhando para Rosa com lágrimas nos olhos. – Oh, meu Deus, você está linda. – sua voz falha e Rosa se levanta, caminhando em direção a sua mãe.

- Mãe, assim vai borrar a sua maquiagem. E a minha também. – ela a abraça e eu sorrio ao ver a cena.

Logo atrás, Nathaniel está parado, com as mãos em frente ao corpo. Fico admirada de ver o quanto ele está ótimo em seu terno. Ando até ele e paro ao seu lado.

- Nervoso? – pergunto, escondendo um sorrio.

- Um pouco. – ele puxa a gola da camisa. – Até parece que sou eu quem vai casar.

- Você vai levar a noiva até o altar, e todos esperam que você não faça nada de errado. – sussurro.

- Não está ajudando em nada, Mad. – dou risada de seu nervosismo. Fico de frente para ele e arrumo sua gravata.

- Fique tranquilo, você fará um ótimo trabalho. Como sempre. – levanto o olhar e percebo que ele está me encarando. Sua mão faz um leve carinho em minha bochecha e seus lábios se curvam em um sorriso meigo.

- Acho que já podemos ir. – a voz de Rosalya me desperta e eu corro até ela, abraçando-a.

- Você está linda. – sussurro em seu ouvido e seus braços me apertam mais. – Não esqueça da sua amiga solteirona só porque será a senhora Blanc.

Ela solta uma risada nasalada.

- Nunca vou te esquecer, Mad. – sussurra de volta.

Sei que se pararmos para nos despedir da forma correta, choraríamos até não sobrar mais lágrimas. E não é isso o que eu quero. Hoje é um dia feliz. Um dia só de Rosalya e Leigh. Nas entrelinhas, já nos despedimos, facilitando a minha partida.

- Vamos? – Nathaniel se aproxima e estende o braço a platinada, que está tentando limpar o pouco de maquiagem borrada embaixo dos olhos. Ela assente, sorri e acompanha Nathaniel, enquanto eu fico atrás arrumando seu vestido e trancando a casa.

Ajudo ela a entrar no carro com certa dificuldade, tentando amassar o mínimo possível do vestido. O trajeto até a igreja é torturante, todos estão nervosos e aflitos. Rosalya ainda mais, que não para de abrir e fechar a janela do carro.

- Você quer parar com isso? – bufo

- Com o que? – ela sobe e desce o vidro da janela de novo.

- Isso. – aponto – Está me dando nos nervos. Estou quase indo aí e arrancando seus dedos com o dente se fizer mais uma vez.

Ela franze a testa e cruza os braços, emburrada.

Assim que chegamos na igreja, a mãe de Rosalya desce primeiro e entra, para ver se está tudo pronto para iniciarmos a cerimônia. Eu, Rosa e Nathaniel descemos também e ficamos em um lugar que não consigam ver Rosa.

A senhora Cleare volta com Lysandre.

- Agora tudo está pronto. Vou lá me sentar, nos vemos depois, querida. – ela dá um beijo na testa de Rosa e entra.

Rosa respira fundo e abre um enorme sorriso. Eu lhe entrego o buquê e a abraço de novo.

- Nos vemos lá. – sussurro e a solto, segurando o braço de Lysandre.

As portas da igreja se abrem, nós entramos. O mar de pessoas nos olha e apenas sorriso. Lysandre mantem sua postura séria, mas vejo um rubor em suas bochechas. Olho para o altar e vejo Leigh inquieto, com um sorriso bobo nos lábios.

Chegamos perto do altar e Lysandre beija as costas da minha mão e vai ao lado do irmão, enquanto eu fico do lado esquerdo, aguardando em pé.

Olho para frente e, no meio daquelas pessoas, vejo dois olhos cinzas me fitando. Perco o ar e tento disfarçar, mas estou hipnotizada pela visão deslumbrante que é Castiel de terno. Ele nem sequer pisca. Sua expressão está séria e seu maxilar travado. A única coisa que me desperta, é a marcha nupcial. Todos se levantam e as grandes portas são abertas de novo.

Rosalya aparece, mais linda do que quando estávamos juntas. Seu sorriso cativante está estampado em seu rosto e enquanto todos olham para ela, eu desvio meu olhar para Leigh.

É indescritível o modo como ele olha Rosalya. Seus olhos brilham e seu sorriso se alarga mais. De repente, parece que tiraram seu nervosismo com a mão, e ele estufa o peito ao ver a noiva caminhando em sua direção. Olho para a senhora Cleare e ela já não contém mais as lágrimas nos olhos, o que faz meus olhos marejarem.

Rosa finalmente chega no altar e Nathaniel beija sua testa. Uma lágrima escorre dos meus olhos ao pensar no quanto que ela queria que seu pai estivesse ali, mas o quanto ela se sentia feliz por ter Nathaniel.

Leigh estende a mão para ela, e ela a segura.

O padre começa seu discurso sobre como o amor pode vencer barreiras e o tempo.

Nunca fui uma pessoa que gosta de ficar parada em um mesmo lugar por muito tempo, e já que preciso realmente ficar, meus olhos circulam por toda a igreja, tentando desviar a dor que os saltos estão causando nos meus pés.

Durante toda a cerimônia, os olhos de Castiel não desviam de mim. Tento fingir que não os sinto analisando cada movimento meu, mas é impossível. Me permito algumas vezes olha-lo, mas não por muito tempo. A expressão que vejo em seu rosto é de... tristeza? Talvez. Provavelmente não.

Só percebo que a cerimônia chegou ao fim quando ambos falam o tão esperado “sim”.

- Eu os declaro, marido e mulher. – o padre diz, com um sorriso meigo. – Pode beijar a noiva.

Rosa não espera muito e se joga nos braços de Leigh. Todos aplaudem e vejo que algumas pessoas enxugam os olhos cheio de lágrimas.

Ambos começam a andar em direção a saída da igreja e Lysandre vem até mim, estende o braço e eu o seguro.

Lá fora, as pessoas jogam arroz nos noivos e eu não poderia estar mais feliz pela minha amiga. A sessão de fotos no pequeno jardim ali se inicia e fazemos a maior festa. Tento ignorar o fato de ainda sentir os olhos de Castiel em mim.

Quando Rosa fica satisfeita com a quantidade de fotos tiradas, nós nos organizamos para irmos em direção ao salão onde ocorrerá a festa.

Eu vou no carro com Lysandre, Rosa, Leigh e Castiel. O clima não é nada bom, mas Rosa consegue aliviar.

- Eu estou morta de fome. – ela reclama, mostrando um sorriso amarelo.

- Você sempre está com fome. – retruco e ela ri.

- Isso é verdade. – constata.

Castiel está sentado ao meu lado, sem dizer nada. Nossos corpos se tocam um pouco devido ao aperto que estamos e sinto meu coração bater forte. Só de saber que ele está tão próximo, minhas pernas ficam bambas.

Chegamos no local da festa e os recém casados são recebidos com gritos e aplausos. O lugar é grande, com decorações lilás claro e prata. As flores são brancas e as mesas redondas cobertas por uma toalha toda em renda. A iluminação é delicada e a mesa do bolo está toda decorada com doces finos. Tudo branco.

Ao decorrer da festa, as pessoas vão se juntando para dançar. Estão servindo vinho, e eu pego uma taça. Estranho que depois de tanto tempo, outra bebida me interesse que não seja whisky. Ando pelo salão conversando um pouco com cada convidado de Rosa, e todos dizem o quanto a decoração está ótima.

Lysandre está parado em pé em um canto. Vou até ele, que sorri ao notar minha presença.

- Achei que você já estaria convidando as mulheres para dançar. – digo e dou um gole no vinho.

- Não. – ele diz.

- Deveria. Todas não param de olhar para você. – olho para um grupinho de mulheres que estão se derretendo toda pelo platinado.

- Claro que não. – resmunga.

- Lysandre, elas estão olhando para cá, e certamente, não é para mim. – digo e ele ri.

- Acha que eu deveria..

- Sim. Vai. – dou um tapinha em seu ombro e ele respira fundo, tomando coragem.

 Ele sorri e vai de encontro ao grupinho que suspira. Ele escolhe a moça ruiva de trança e a chama para dançar. Me sinto uma daquelas casamenteiras.

- Você está bebendo vinho. – essa voz. Minha pele se arrepia e eu fico paralisada. Castiel para na minha frente, com uma mão no bolso e outra segurando sua taça.

Não, não, não. O plano era manter distância o resto da noite, para não tornar as coisas mais difíceis.

- Acho que sim. – desvio o olhar. Lysandre ergue o pescoço de longe, conferindo se está tudo bem.

- Eu queria mesmo falar com você. – ele começa. – Preferia que não fosse aqui, mas é a única opção, antes que você fuja de mim, como sempre. – ele solta uma risada baixa. – Mad, eu sinto muito, mesmo. Não queria fazer nada daquilo e..

- Querida. – a senhora Cleare abre os braços e vem andando na minha direção. Ela me abraça e eu retribuo. – Não tive tempo de falar com você antes! Que festa maravilhosa, você se dedicou mesmo! – ela sorri e passa a mão pelo meu cabelo. – Queria dar os parabéns também. – Castiel levanta a sobrancelha e parece atento às palavras que vem a seguir. – Soube que vai para Londres!

Castiel engasga com o próprio ar.

- Sim, vou. – forço um sorriso olhando para a doce senhora na minha frente. – Daqui a pouco, aliás.

- Vamos sentir tanto a sua falta. – ela me abraça de novo e eu olho para Castiel.

Ele parece desolado, confuso e triste.

- Bom, aproveite a festa e boa viagem. – ela diz e saí andando.

Demoro um tempo para criar coragem e encarar Castiel, mas finalmente faço. Ele passa a mão pelo cabelo, pelo rosto e afrouxa o nó da gravata.

- Londres? Sério? – seu tom de voz é estridente.

- Sim. – forço-me a sorrir – Fui aceita em uma bolsa de pintura.

- Legal. – ele diz e vira todo o vinho na boca. – Você vai hoje mesmo?

- Vou. Minhas malas estão no carro do Nate, ele vai me levar ao aeroporto.

Castiel bufa e anda de um lado para o outro.

- Você não.. não pode fazer isso. – seus olhos estão suplicantes.

- Por que não? – digo, encorajando-o a dizer.

- Porque eu.. eu.. – ele se perde na própria fala. – Vai estragar tudo.

Suspiro. Dou um passo em sua direção e seguro seu rosto com as duas mãos. Ele fecha os olhos ao sentir meu toque.

- Cassy.. – sussurro e ele abre os olhos, me olhando de forma intensa. – Já estragamos tudo. – forço um sorriso.

- Não diga isso.. – ele segura minha mão que está em seu rosto e a beija. – Não diz que eu estraguei mais uma coisa..

- Nós estragamos juntos. – murmuro e puxo minha mão. – Adeus. – uma lágrima solitária escorre pelo meu rosto, e com certeza, não passa despercebido por Castiel.

A dor é grande, mas eu preciso senti-la. Eu preciso sair daqui antes que esse sentimento me faça mudar de ideia. Peço a Nathaniel pela chave do carro e pego uma troca de roupa que deixei separada. Vou até o banheiro do salão e tiro o vestido, colocando algo mais confortável para a viagem.

Procuro Rosalya e Leigh e desejo-lhes toda a felicidade do mundo, e garanto a minha amiga que retornarei assim que possível. Ela chora, e consequentemente eu também. Mas preciso ir.

Olho uma última vez para Castiel. Um olhar de despedida, e vejo o desespero em seus olhos. Nathaniel entra no carro e eu entro em seguida. Ele dá partida e pelo retrovisor, vejo Castiel correndo para fora da festa e olhando para o carro. Meus olhos se enchem de lágrimas. Castiel tenta correr atrás do carro, mas Nathaniel acelera, sem ao menos saber que Castiel estava atrás. Me forço a olhar para frente e me convenço de que é o melhor.

O caminho é curto e a conversa é escassa. Ele sabe que quanto menos eu falar, menos lágrimas vamos derramar. Quando chegamos ao aeroporto, faço todas as etapas necessárias. Nathaniel fica ao meu lado durante todo o tempo.

Assim que termino, estou pronta para ir embora.

- Então, é isso.. – digo, tentando conter as lágrimas.

- Vem ca. – Nathaniel me puxa para um abraço e me aperta tão forte que sinto o calor de seu corpo pela roupa. Me agarro em seu corpo e não quero ir. Ou quero que vá comigo. – Não use aqueles pijamas horríveis. – ele brinca e eu rio entre as lágrimas.

Me solto e dou um beijo em sua bochecha.

- Nos vemos em dois anos. – falo, antes de me virar para embarcar no avião.

Adeus Paris, olá Londres.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...