História Begin Again - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Flexjikook, Fluffy, Jikook, Kookmin, Menção Namjin, Menção Taegi
Visualizações 109
Palavras 3.000
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Fluffy, Romance e Novela, Shoujo-Ai, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


olá, meus chuchus~~

como vocês estão? eu não to bem, eu não to-

mano, eu disse que demoraria para escrever esse capítulo, eu disse e vocês lembram o motivo, certo?

cara, último capítulo de Begin Again, eu to bem chorosa :')

capítulo acabado de sair do forno antes que eu desista e não poste mais, ok?

espero que gostem, de verdade, esse capítulo não tem lemon por simplesmente não precisar (na minha opinião), mas um bônus pode rolar, quem sabe, pq eu me apaixonei por essa estória e espero que vocês também <3

boa leitura e até as notas finais~

Capítulo 4 - Epílogo


Fanfic / Fanfiction Begin Again - Capítulo 4 - Epílogo

Não existia lugar melhor para Jimin estar que não fosse na sua cama.

Nas últimas semanas, o loiro não tinha tempo nem sequer de tomar um banho decente. Sua vida virou de cabeça para baixo nos últimos anos desde que se casou com Jeon Jungkook. Porém, o loiro não poderia estar mais feliz, a vida que Park Jimin sempre sonhara tinha se tornado realidade.

Já fazia quatro anos que Jungkook e Jimin estavam juntos desde àquela noite em seu primeiro encontro. Depois daquela noite, os dois começaram a namorar oficialmente e, depois de um ano juntos, decidiram se casar.

Apesar das inseguranças e dos medos, Jungkook e Jimin se amavam inteiramente. Ambos estavam dispostos a se sacrificarem um pelo outro como na primeira vez, porém, tudo seria diferente para os dois.

Eles tinham amadurecido, tinham crescido e se tornado homens. Claro que os dois estavam mais decididos do que anos atrás quando começaram a namorar na adolescência, a vida cobrou responsabilidades de ambos e eles notaram que tinham mudado, para melhor.

O namoro não foi difícil para nenhum dos dois, era como se nem tivessem se separado por anos. No entanto, Jimin se surpreendia todas as vezes quando Jungkook lhe contava um pedaço da sua vida enquanto estava na faculdade, assim como acontecia com Jimin quando o loiro mencionava como tinha sido a faculdade para Jungkook. Só que isso não fazia com que os dois se sentissem mal ou arrependidos. Certas coisas aconteciam por um proposito e ambos tinham certeza que o término foi necessário.

Por mais estranho que fosse, ainda que separados, Jungkook e Jimin sempre seriam destinados a ficarem juntos. Talvez o tempo queria lhes dar uma lição, fazer com que ambos crescessem e amadurecessem para ficarem juntos sem perigos de se separarem futuramente.

Isso deu certo, pois os dois estavam mais fortes do que nunca.

No meio tempo de namoro, muitas coisas aconteceram. Além de terem um ao outro, a academia de dança de Jimin e Hoseok ganhou muito reconhecimento. Depois de uma visita inesperada – talvez inesperada por Jimin não achar que aquilo fosse realmente acontecer – de Son Sungdeuk no seu local de trabalho, a academia ganhava cada vez mais popularidade entre as pessoas e até alguns artistas apareciam por lá para uma visita.

Óbvio que isso deixou Hoseok e Jimin nas nuvens, seus sonhos estavam se tornando realidade depois de muitos anos trabalhando duro. O sucesso foi tanto que logo não demorou muito para que os sócios Jung e Park procurassem novos coreógrafos para dar aulas também, assim como eles. No entanto, apesar de serem muitas pessoas a fazerem dança com diversos horários e professores, Jimin e Hoseok sempre eram os coreógrafos mais procurados para as aulas pelos alunos.

Isso enchia o coração do Park de orgulho.

Nem mesmo Jungkook ficou para trás. O moreno tinha sido indicado para várias apresentações e exposições de artes pelo mundo todo. O Jeon já passara por várias cidades, cada uma com sua peculiaridade, mostrando seu talento nas telas de pintura para dezenas de pessoas.

Jungkook também estava orgulhoso do seu trabalho, cada vez mais pessoas se interessavam por seus quadros e, melhor ainda, se interessavam por arte sem nunca ter presenciado ou gostado, tudo por conta do artista moderno que ele era.

Nem mesmo o mais novo achou que poderia ganhar tanto sucesso com sua arte, mas isso aconteceu e Jungkook não poderia se sentir mais realizado. Bom, talvez ele se sentia ainda mais realizado quando via a aliança de casamento em seu dedo.

Quando se casou com Jimin, nunca pensou que isso poderia acontecer. Foram tantos anos separado do mais velho que quando o Jeon viu o Park entrando naquela capela em Las Vegas mal podia acreditar que aquilo estava realmente acontecendo.

Eles haviam se casado fora do país e, mesmo que na Coreia o casamento não era válido, estavam satisfeitos demais por si só.

Jimin se remexeu na cama vazia, sentiu que estava sozinho naquele cômodo e não podia evitar de não se sentir desconfortável com isso. Jungkook deveria estar na cozinha ou ainda trabalhando no porão, já que ali ficava o estúdio improvisado do mais novo. Porém, Jimin gostava de acordar com o moreno ao seu lado, era uma das melhores visões que ele tinha de manhã.

Quando o loiro decidiu voltar ao mundo dos sonhos, Jimin ouviu a porta sendo aberta e logo ele já soube quem poderia ser. O mais velho tratou de fechar os olhos antes que aquele ser pudesse o ver acordado, fingiu estar dormindo apenas para enganá-lo.

– Appa, appa, acorde! – gritou Jong-Suk enquanto balançava Jimin pelo braço, logo em seguida tentando subir na cama alta dos seus pais.

Jimin não conseguiu se conter e abriu um sorriso para seu filho.

O mais velho abriu seus olhos e viu Jong-Suk em cima de sua cama, com os olhinhos curiosos em si. O pequeno menino de cinco anos com cabelos negros sorriu, Jimin era seu herói e naquele dia tão especial, Jong-Suk amava ainda mais o pai.

– Feliz aniversário, appa! – e a criança se jogou nos braços de Jimin, que agarrou o menino em um abraço apertado e cheio de carinho.

– Obrigado, garotão. – Jimin não poderia estar mais feliz, quer dizer, até a porta ser aberta novamente e de lá entrar outra pessoa.

Ou melhor, outra pequena pessoa.

– Appaaa! – e um pequeno grito animado de uma garotinha chamou a atenção de Jimin e Jong-Suk.

Jimin sorriu ainda mais quando viu sua filha, sua princesinha, tentar inutilmente subir na cama já que esta era menor que Jong-Suk.

– Somin. – o loiro chamou a filha e a menina o olhou, a pequena tinha os olhinhos tristes e desapontados – O que houve, minha garotinha?

– Suk não deveria te acordar, era para nós três te acordarmos. – a garota respondeu e Jimin achou a coisa mais fofa do mundo a sua filha falar coreano da melhor forma possível já que a mesma não conseguia falar tudo corretamente.

– E por que vocês teriam que me acordar? – perguntou o loiro enquanto erguia sua filha do chão para coloca-la na cama ao lado de Jong-Suk.

– Porque iriamos te acordar com um café da manhã na cama.

Jimin pulou de susto ao ouvir aquela voz.

Jungkook estava na porta com uma bandeja cheia de comida nas mãos. Os olhos do loiro percorreram o corpo do moreno sem ao menos notar que estava fazendo isso, era tão automático. Jungkook estava lindo, apesar da camisa e o moletom todo manchado de tinta, o moreno conseguia ficar bonito com qualquer coisa. O sorriso que o Jeon tinha no rosto era tão radiante também que fez o Park sorrir bobo para o marido.

– Desculpa, appa, eu não resisti. – Jimin voltou sua atenção ao dono daquela voz baixa e olhou para Jong-Suk, este que olhava  com culpa para Jungkook, porém, o sorriso animado ainda estava em seu rosto.

Essa criança era terrível, mas ambos amavam tanto Jong-Suk que era quase impossível ficar irritado com o mesmo.

– Tudo bem, filhão, eu entendo que estava animado para dar os parabéns para seu appa Jimin. – respondeu Jungkook, que logo tratou de colocar a bandeja na cama e as crianças olharem para aquela comida com devoção, porém, Jungkook não conseguia desviar o olhar para Jimin, ele estava tão lindo com aquela cara amassada pós-sono e ainda com uma camisa que era do moreno em seu corpo que deixava Jungkook desnorteado.

Jimin olhava para Jungkook também, mas aquela intensidade no olhar do moreno deixava o loiro constrangido de certa forma. Não era todo dia que Jungkook o olhava com tamanha admiração, eles se amavam, sim, porém, com o casamento, filhos e trabalho, ambos tinham pouco tempo para aproveitarem um ao outro.

Apenas as noites eram preenchidas por palavras de carinho e amor entre os dois, além de momentos mais calorosos, onde eles matavam a saudade e necessidade de cada um.

– Você não irá dar os parabéns para o appa? – perguntou Somin para Jungkook, a menina tinha um olhar animado para o moreno, em expectativa para ver seus pais ainda mais próximos.

Jungkook sorriu com a sugestão de sua filha, não poderia adorar ainda mais aquela menina, mas Somin tinha o poder de deixar o moreno orgulhoso quando a pequena sugeria que seus pais mostrassem afeto.

No entanto, Jimin corou dos pés a cabeça com a proposta de sua filha, a olhando com surpresa.

– Somin! – o loiro gritou com sua filha e a pequena Park riu, achando graça do rosto corado do pai.

Logo, tanto Somin quanto Jungkook riram e Jong-Suk tinha um bico nos lábios.

– Eu não quero ver vocês se beijando. – comentou Jong-Suk, ganhando a atenção dos mais velhos ali e um tapinha de Somin, como se repreendesse o irmão mais velho.

– Suk, você é muito bobo. – a menina dissera e isso fez Jimin soltar um risinho.

Park Somin era uma figura.

– Por que não quer? – perguntou Jimin para Jong-Suk.

– Porque beijar não é legal. – e Jimin e Jungkook ficaram surpresos com a cara de horror do filho – É nojento.

O loiro não conseguiu se conter e riu, Jeon Jong-Suk era ainda pior do que ele pensava. Além de se parecer com Jungkook, o menino tinha os mesmo pensamentos que o moreno naquela idade. Jimin se lembrava perfeitamente quando seu cunhado, Jeon JungHyun, contou que Jungkook não suportava que seus pais se beijassem na sua frente. Agora, bem ali à sua frente, Jong-Suk estava fazendo o mesmo.

– Você é igualzinho ao seu appa. – comentou Jimin depois de rir e Jungkook o olhou com reprovação.

– Isso não é verdade. – rebateu o moreno, com um bico fofo nos lábios que Jimin teve vontade de morder.

– É sim, senhor. – o loiro sorriu e viu os olhos curiosos para si, logo o mais velho tentou explicar para seus filhos o que aquilo significava – Seu appa Jeon também não gostava de ver outras pessoas se beijando, mas depois ele gostou muito de ser beijado e não achou nada nojento.

Jungkook bufou com aquela confissão, mas não conseguiu segurar o sorriso bobo que tomou seu rosto.

Aquilo era verdade, quando Jeon era pequeno, ele odiava ver outras pessoas demonstrarem qualquer tipo de afeto, seja com beijos ou carinhos, ele simplesmente não conseguia entender o motivo daquela “frescura” inteira. Bom, foi assim até ele conhecer Jimin.

– Sério? – perguntou os dois pequenos em uníssono.

Jimin concordou com a cabeça.

– Sim, meus anjos.

– Ok, chega de história e vamos tomar o café. – interrompeu Jungkook e logo as crianças olharam animadas para a bandeja, indo em direção a mesma que continha diversas comidas para todos. O moreno se sentou na cama, perto de Jimin e soltou um muxoxo – Aish, essas crianças...

O loiro soltou um risinho, achando adorável o jeito que Jungkook ficava constrangido quando contava histórias sobre si.

– Então, você não irá me parabenizar mesmo? – Jimin sussurrou perto do ouvido de Jungkook, que fez o moreno ao seu lado se arrepiar inteiro só com aquilo.

Droga, Park Jimin conseguia deixar Jungkook maluco com apenas um sussurro.

– Sim, irei. – e antes que Jungkook pudesse fazer algo com Jimin, o moreno voltou seu olhar para seus filhos, estes que os olhava curiosamente e Jungkook não podia evitar de sorrir – Se não quiserem ver nada, crianças, recomendo virar o rosto!

O aviso foi dado e Jungkook fez aquilo que teve vontade assim que entrou naquele quarto, beijou Jimin.

Park não esperava que realmente Jeon faria aquilo, mas não conseguia recusar algo tão bom assim. Logo, Jimin também correspondeu o beijo, era um beijo simples, sem malicia ou segundas intenções, porém era suficiente para ascender os dois. Os simples movimentos dos lábios fazia ambos suspirarem, era algo que só acontecia com eles e isso era impressionante.

– ‘Tá bom, appa, chega! – dissera Somin, separando seus pais do beijo se intrometendo entre os dois corpos e Jungkook parou o beijo.

– Achei que fosse só Jong-Suk que não gostava disso. – Jungkook comentou brincalhão para a filha.

– Acho que temos alguém com ciúmes. – indagou Jimin, sorrindo bobo para Somin e logo em seguida para Jong-Suk, que tinha os olhos fechado com as mãos no rosto.

– Já acabaram? – perguntou Jong-Suk e Jungkook riu.

Realmente, Jong-Suk era igualzinho ao Jeon.

– Sim, Suk, venha aqui. – chamou Jungkook e o filho obedeceu o pai, engatinhando até chegar nos três ali.

– Eu nunca vou beijar alguém. – comentou o filho mais velho e Jimin riu com aquele comentário.

– Você irá, sim, pode apostar, garotão.

– E eu, appa? – perguntou Somin, olhando curiosamente para Jungkook, o que fez o moreno fechar a cara em menos de um segundo.

– Você só irá fazer isso com cinquenta anos, Somin, não pense nisso agora. – respondeu Jeon, totalmente nervoso só de imaginar aquilo acontecendo.

Jimin riu ainda mais. Jungkook era realmente apegado a Somin, o que não era incomum, na verdade, o loiro compreendia completamente aquilo, Somin era tão parecida com o Park que não era surpresa Jungkook gostar tanto da pequena. Não que Jimin não gostasse, mas ele era mais liberal nesses quesitos que Jungkook. Porém, quanto mais tempo demorar para seus filhos cresceram, melhor para si.

Desde que adotaram aquelas duas crianças, a vida de Jimin e Jungkook nunca foram mais as mesmas. Os dois aprenderam juntos o quanto a vida deles completaram ainda mais com a chegada daqueles anjinhos. Park Somin era a mais nova, porém, a mais elétrica e alegre das crianças que Jimin viu naquele orfanato, porém, quem achara Somin não foi o Park e, sim, Jungkook. Os dois tiveram uma conexão inexplicável e o mesmo aconteceu com Jong-Suk e Jimin. Quando o Park encontrou Jong-Suk sozinho no balanço do parque, ele se encantou com a criança, mesmo aquela não fazendo nada mais que se balançar sozinha no brinquedo. Jimin sempre teve um forte por crianças e pessoas solitárias, porque estas sempre eram interessantes demais mesmo não parecendo. Quando Jimin conheceu Jungkook, isso não fora diferente e agora ambos estavam juntos.

– Certo, vamos comer antes que tudo esfrie. – dissera Jimin, se pondo em frente a bandeja repleta de gostosuras e um cheiro delicioso. O loiro sorriu bobo para aquilo, com certeza Jungkook devia ter tido trabalho para fazer aquela refeição com Somin e Jong-Suk em seu encalço.

E depois de todos terem comido, Jungkook colocou os pequenos para brincar na sala enquanto Jimin foi tomar um banho. O dia mal havia começado e ele estava ansioso. Teria um almoço com seus amigos, seus afilhados – que eram o casal de filhos de Namjoon e Jin, Kim Shin e Kim Sun – e futuramente do filho de Hoseok com Mimi.

Sim, todos se casaram.

Namjoon e Jin foram os primeiros, logo depois Jimin e Jungkook, Hoseok conheceu Mimi nas aulas de dança já que esta era uma de suas alunas e Yoongi e Taehyung se casaram por último.

Todos os sete amigos se casaram e não poderiam estar mais realizados, porém, os únicos que ainda não tinham filhos eram Taehyung e Yoongi. Bom, isso por enquanto, já que o acastanhado dissera para Jungkook que estava pensando em adotar uma criança também. Yoongi quase morreu engasgado quando este falou isso no meio do jantar em um restaurante com Jungkook e Jimin, que também ficaram surpresos.

No entanto, logo o casal decidiu adotar uma criança e parecia que os papeladas estavam sendo encaminhadas para adoção.

Quando Jimin saiu do banho, enrolou uma toalha em sua cintura e foi direto para o quarto. O dia estava nublado, não havia chuva, porém, o tempo estava um pouco frio e, por incrível que parecia, Jimin não se importava se o dia estivesse assim. Porém, o loiro levou um susto ao ver Jungkook sentado na cama, com os olhos vidrados no corpo de Jimin.

– Ai que susto, Jungkook. – sussurrou Jimin, tentando se recuperar do breve susto que levou do moreno ali, nem ao menos ouviu quando este entrou no quarto.

Foi uma tortura para Jungkook acordar daquele transe gostoso que estava tendo. Olhar para o corpo de Jimin sempre o deixava perdido em pensamentos nada puros, no entanto, não poderia fazer muita coisa com o mais velho já que seus filhos estavam no andar de baixo e poderiam ouvir muito bem o que aconteceria ali.

– Desculpe, amor. – se desculpou o moreno, voltando sua atenção para o rosto de Jimin e não para seu corpo, com um sorriso no rosto.

– Tudo bem, Kook. – Jimin afirmou enquanto já caminhava para o guarda roupa. Não queria pensar que tinha ficado afetado com o olhar de Jungkook em cima de si, preferia esquecer isso antes que pudesse atacar o moreno sem pensar duas vezes.

No entanto, Jungkook não fora até o quarto para conversar com Jimin.

O Jeon levantou da cama e andou em direção até o marido, este que conseguia notar que Jungkook se aproximava de si e Jimin fechou os olhos tentando ao máximo manter o controle para não se virar.

– Eu ainda não te dei seu presente, baby. – sussurrou Jungkook e, céus, que alguém desse forças para Jimin porque estava difícil aguentar toda aquela tensão sexual.

– E onde está? – perguntou o loiro, procurando uma camisa descente para usar.

Porém, quando Jungkook segurou a cintura do mais velho, Jimin se estremeceu inteiro e quando o loiro virou-se para o moreno, ele tinha a certeza que não aguentaria segurar seus desejos.

O moreno tinha um olhar quase faminto para cima de si, como se pudesse despi-lo só com o olhar. Jimin não sabia se isso era pelo motivo de ele estar somente de toalha ou era a saudade acumulada que Jungkook sentia de si, mas isso não fez o mais velho se sentir mal, pelo contrário, gostava que seu marido o desejasse.

– Mais tarde você irá recebe-lo. – respondeu Jeon depois de uma eternidade calado e apenas olhando para o corpo quase nu de Jimin, o que ascendeu ainda mais o corpo do Park – Vamos, temos convidados para receber, amor.

Jungkook deixou o quarto tão rápido que Jimin nem percebera que ele havia saído. O loiro suspirou, não de chateação, mas de excitação.

Jimin sabia exatamente o que aquilo significava e estava doido para que a noite chegasse logo.

 

 


Notas Finais


esse capítulo foi um especial ao aniversário do Chim Chim também que é pra deixar vocês mais softs que eu :')

PARABÉNS MOCHI DO NOSSO KOKORO <3333

eu to bem sensível com esse capítulo, mas completamente feliz com ele, essa shortfic foi bem mais do que eu esperava e fiquei muito feliz com o resultado e final dela!

vou mostrar para vocês a família feliz de cada um <3

Família Jikook
Park Somin: https://78.media.tumblr.com/504b2ce39c010516016c1a5f828c3e65/tumblr_oxqpqdK1wr1r0kfcuo1_540.jpg
Jeon Jong-Suk https://78.media.tumblr.com/02360628f6cd637e857ca499d9075935/tumblr_oxqpqdK1wr1r0kfcuo3_1280.jpg
os dois irmãos juntos: https://78.media.tumblr.com/0d09b865c47c25ce3fe83762ed19ed42/tumblr_oxqpqdK1wr1r0kfcuo6_1280.jpg
obs: ambos não são irmãos de sangue porque são adotados, ok? mas são uma família linda mesmo assim :')
obs²: eles tem sobrenomes diferentes, pois creio que dois sobrenomes na Coreia não faria sentido e muito menos ficaria "bonito", enfim, achei melhor cada um ter o seu e ninguém sair perdendo sendo só Park ou só Jeon~

Família Namjin
Kim Shin: https://78.media.tumblr.com/8db61b4d60e87acaedc696541aecf3c7/tumblr_oxqpqdK1wr1r0kfcuo4_500.jpg
Kim Sun: https://78.media.tumblr.com/e0a08bfdaa28c83be47156e6f1096e9d/tumblr_oxqpqdK1wr1r0kfcuo5_500.jpg
obs: PENSA NAS LÁGRIMAS QUE SOLTEI AO VER ESSAS FOTOS, mano, família Namjin é a coisa mais linda, socorro, a menina parece até com o Namjoon shauhsuah to rindo pra não chorar~

Futura família Taegi
https://78.media.tumblr.com/fec7430c75f4c600dca5073c7c076f45/tumblr_oxqpqdK1wr1r0kfcuo2_1280.jpg
obs: pensei em uma criança um pouco mais velha para o Tae, até porque imagina ele pai de uma criança bebê shauhsuahsua to brincando gente, mas eu pensei nessa menininha mesmo, achei tão fofo, deuses, imagina se fosse o Yoongi tirando essa foto, to triste :')
obs²: se vocês estiverem curiosos de como ela ficaria na fic, o nome da pequena seria Min-ji, então seu nome ficaria Kim Min-ji (Kim porque a criança já carrega o Min no nome, então ficaria essa interação entre Kim e Min)

SOBRE O HOSEOK E MIMI:
sim, Brazil, Jhope nessa fic é hétero e pai shuahsua não, mentira gente, não é 100% hétero, ele é bi, ok? e eu achei super válido ter um casal diferente na fic, então se vocês gostaram disso, me abracem, se não, me abracem também pq eu não ligo, então venham <3

imagina Jung Hoseok papai, ai gente, que lindo, choro de emoção!

agora que vocês já sabem como todos ficaram, eu gostaria de agradecer a todos que leram até aqui, sério! vocês são demais, quem sempre fica acompanhando minhas fics sabe que eu sempre agradeço e com essa não será diferente, ela foi meu xodó, todos os comentários que li, as coisas boas que vi que essa fanfic trouxe, nossa, sem explicação! obrigada a todos, leitores fantasmas ou não, obrigada por tudo! fica esse presente para vocês <3

espero vê-los em breve, um beijo no coração de vocês~

xoxoxoxoxo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...