História Behind - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 72
Palavras 1.864
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Genteee não vou nem me explicar porque vocês até já sabem, me da um bloqueio e do nada eu fico louca e tenho vontade de escrever de novo... Ñ me matem bjss szsz

Boa leitura *-*

Capítulo 18 - Back to black


Mesmo se você sabe o que vai acontecer, você nunca está preparado para como se sente. 

Minha cabeça estava doendo muito, eu estava sem ar e meu corpo doía demais, notei que estava na enfermaria quando consegui focar a visão aos poucos, eu não fazia a mínima ideia de como tinha ido parar ali e o porque da minha mão estar completamente machucada, mas de uma coisa eu sabia, eu havia acabado de ter outra crise de personalidade e algo muito ruim tinha acontecido...
   Pisquei algumas vezes e vi Charlie sentado na maca á minha frente com o pulso esquerda enfaixado, meu coração parou na hora... Eu machuquei ele? Tentei me levantar mas na hora meu abdômen doeu muito e voltei a sentar, mas ele viu que eu acordei e veio andando até mim, a enfermeira não estava aqui, só eu e ele. 
  - Você tá bem? - ele perguntou tímido coçando a nuca, tipo, como assim? Eu ? A pergunta deveria ser para ele! 
 - Eu que é pergunto! Ta quebrado?!- me referi à seu pulso enfaixado.- Fui eu que te machuquei?- perguntei desesperado fazendo esforço para ir pra frente e pegar em sua mão, mas ele esitou. 
 - Você não lembra? - ele disse confuso. 
-Sinceramente? Eu não faço ideia de como eu vim parar aqui. - ele deu uma risadinha sem graça e pareceu sentir um alívio enorme, coçou a nuca de novo como se estivesse envergonhada de alguma coisa.
 - Ah... Não? Não foi você não... Digo, que fez isso.- disse apontando para o pulso ainda agindo estranho.- bom então eu já vou indo...- falou tentando fugir dali mas eu segurei seu braço. 
 - Ei, não vai me dar uma explicação? Não que eu esteja exatamente em posição de fazer exigências mas né, alguma coisa aconteceu pra eu estar quebrado assim, e visivelmente seu pulso também. 
 - Eu cai e machuquei meu pulso e você...- ele olhou para cima e ficou tentando achar uma desculpa plausível, mas que porra tá acontecendo?- você me ajudou a vir até aqui.- falou em tom de pergunta tentando ser convincente e eu fiquei com cara de otário. 
  - Aham... E no caminho um caminhão passou por cima de mim ou eu cai da escada?- falei rindo mas ele estava claramente querendo abrir um buraco no chão e se enterrar no inferno. 
  - É...- continuei rindo, a cena inteira era hilária porque ele mentia muito mal. 
  - É o que?- ele ficou me olhando desesperado e era muito fofo.
  - Você... Caiu da escada?
  - isso é uma pergunta? 
  - É? 
  - É o que ? Charlie meu lindo você não sabe mentir...- eu estava rindo bastante mas meu abdômen estava doendo muito. 
  - Aham... Eu... Olha meu pai me ligando, já volto.- ele disse pegando sua mala e saindo correndo daqui.
 - Mas o seu celular... Nem tocou...- acabei sussurrando a última parte para mim mesmo porque ele já tinha sumido daqui. 
  Me levantei também, mesmo dolorido e sai dali, no corredor encontrei o Matt que me olhou confuso.
  - E aí mano, que' que aconteceu ai? - falou rindo apontando pra mim cara.
  - Porque? tem alguma coisa na minha cara? - perguntei tocando na minha bochecha e pela primeira vez senti a dor no rosto também. 
  - Você já se olhou no espelho? 
  - Sim, e eu sou bem gato mas eu perguntei o que tem na minha cara.- brinquei também mas dessa vez ele não riu, apenas sacou o celular do bolso, colocou na câmera frontal e me deu. 
  - Caralho...- levei um susto ao ver que eu estava todo fudido. Um corte que ia do lábio inferior ao superior, maçã do rosto inchada e o olho levemente roxo com um corte também, como eu não senti dor antes?- O que aconteceu aqui? 
  - Porra você que deveria saber não eu!- ele estava gargalhando da cena patética. 
  - Sei lá caralho eu tava indo pro banheiro la de cima e depois acordei na enfermaria. 
  - Puta que pariu você tem problema, nem sei porque eu ainda falo com você.- falou zoando e dei um soquinho no seu ombro que o fez perceber também a mão machucada. Fiquei abrindo e fechando a mão, olhando pra ver se doía, e sim, 'tava doendo bastante.
 - Bom um coisa eu sei, alguém eu soquei e bem forte.- falei rindo e depois chamei ele pra ir jogar video game na minha casa.
   Claro que eu faria o Charlie esclarecer tudo mas também não pressionaria agora porque eu não to com direito de porra nenhuma com ele. 
   
(...)


Pov Charlie 

( 1 hora antes ) 

         Fazia uma semana já que eu 'tava ficando com o Tommy, tipo pegar mesmo, sabe, em todos os lugares, ele não parava um segundo e eu não queria que ele parasse, era muito bom. Não vou dizer que eu esqueci o James principalmente agora que ele voltou a vir no colégio, e está muito, muito mal mesmo, o semblante dele está horrível, não dá pra não sentir pena, muito menos saudades, mas isso não mudaria o fato de que eu estava amando pegar o Tommy e ele veio me buscar no recreio pra ficar com ele. 
  Sempre nos pegávamos no terceiro andar que era onde nunca tinha absolutamente ninguém, talvez porque seja o corredor com as salas de auto ajuda que entregavam tipo esses panfletos de gravidez e ensinavam a usar camisinha "corretamente" mas ninguém ficava dentro daquelas salas no recreio, ou em qualquer hora porque sinceramente, ninguém dá a mínima. Mas esse não é o caso, o caso é que eu estava pegando sempre o Tommy ali, a gente podia sinceramente transar ali que ninguém veria, e eu não vou negar que fazíamos coisas mais ousadas do que só uns beijos ali, óbvio que eu sou virgem mas não me impede de fazer outras coisas, também não sou santo. 
  Tommy já começou a me agarrar no começo da escada, beijando e chupando meu pescoço, ele pegou minha cintura e foi me empurrando até a parede ser o limite. Ele ficou me olhando nos olhos alguns segundos antes de voltar a me beijar, um olhar bem sexy que já me deixava completamente alerta e sem senso nenhum. Puxei seu cabelo e prensei nossos lábios de novo com mais vontade ainda, sua língua brincava na minha boca com tanta facilidade e desejo que era impossível não ficar excitado, mordi seu lábio antes de separar seu corpo do meu para abrir o zíper de sua calça, no começo eu ficava mais envergonhado mas a essa momento eu já não tinha muito sentido sobre as minhas ações, minhas necessidades falavam mais alto.
  Ele ficou olhando para baixo me dando completa liberdade para fazer o que quiser com seu corpo e eu amava isso, puxei o cós da cueca dele e coloquei a mão em seu membro diretamente. Tommy me puxou para mais perto e depositou várias mordidas no meu pescoço enquanto e fazia os movimentos dentro de sua calça, meus olhos estavam fechados e fazer aquilo com ele, no meio da escola, com seus gemidos baixos no meu ouvido, parecia tão proibido e isso me levava pro céu... Mas uma voz me fez cair de volta para a terra e eu levei o maior susto da minha vida porque mesmo sem abrir os olhos eu sabia de quem era essa voz. 
  - Que porra é essa?! - Abri os olhos com medo e tirei minha mão dali imediatamente me afastando do Tommy que também levou um susto. 
 - James eu...- eu não devia explicação pra ele, não realmente, mas mesmo assim me senti mal porque ele já estava bem mal e isso piorava tudo. 
  - Eu não acredito que você...- parou de falar e suspirou, surpreendentemente ele não ia bater em ninguém ali, ele só se virou para sair mas o Tommy decidiu abrir a porra da boca. 
   - Não acredita que ele o que? Bateu uma pra mim? Ah, ele não fez isso pra você também lindo? Deve abalar seu ego mesmo...- falou desafiador e o James parou de costas na hora, já até sabia o que ia acontecer. 
   - Filho da puta...- ele ia pronunciar mais mil xingamentos se pudesse mas ao invés disso, claramente ele foi pra cima do Tommy. 
  A Verdade é que o Tommy é um pouquinho mais magro mas os dois tem o mesmo tamanho e eu sei que aquela briga seria pau a pau. Foi tão rápido que eu nem consegui processar, os dois já estavam no chão se matando, James encima e o Tommy embaixo, não dava pra ver quem tava ganhando, eram tipo mil socos dos dois lados, eu também não vi como mas o Tommy conseguiu jogar o James pro lado e ficar por cima. Eu fiquei estático, por alguns minutos eu esqueci que eu estava lá, era como se eu estivesse assistindo um filme, foi tudo muito rápido, eu só cai em mim quando eu percebi que começou escorrer sangue pelo chão e eu não sabia de qual dos dois era. A primeira coisa que veio na minha cabeça foi tirar o Tommy de cima do James e por instinto, ou não, ele virou um murro muito forte no meu pulso e só parou quando percebeu que eu cai no chão de tanta dor. 
  - Meu Deus Charlie você tá bem?! Desculpa eu...- a essa hora eu queria espancar ele. 
  - Thomas some da minha frente. - ele sabia que eu só chamava ele assim quando tava muito puto. 
  - Não, eu...
  - Some, vai pra puta que pariu caralho só some daqui!- berrei, não sei se foi pelo meu pulso que virou e foi parar no inferno ou se foi pela raiva que eu senti de ver ele batendo no James. 
  Ele foi embora quando percebeu que eu não ia aceitar sua ajuda, mas eu queria era achar ajuda pro James que desmaiou e eu tenho quase certeza que não foi pelos socos que ele levou, ele sempre apagava assim do nada e esse parecia um momento bem oportuno pra ele ter uma crise.
  Consegui levar ele para a enfermaria quando ele acordou um pouco zonzo mal conseguindo andar, mas ele desmaiou de novo assim que chegamos lá. A enfermeira enfaixou meu pulso que ela disse não ter certeza se estava quebrado, que parecia só ter torcido, mas saiu dali para avisar a diretora para ligar para os meus pais e os pais do James, que ela também fez alguns poucos curativos mas ainda estava desacordado. Ele provavelmente se foderia muito com o pai e dessa vez, na minha opinião, ele meio que não teve culpa. 
  Fiquei preocupado quando vi ele acordando, estava preparado pra ouvir muito. Ser xingado de todos os nomes possíveis, mas então ele perguntou o que aconteceu e eu percebi que o apagão que ele teve o fez esquecer de tudo , no fundo dei graças a deus por ele ter esquecido da cena que viu antes da briga começar, não queria que ele tivesse aquela imagem de mim, então inventei qualquer desculpa antes de sair correndo da enfermaria deixando ele sozinho lá, e completamente confuso.


Notas Finais


Espero que tenham gostado!!
Não esqueçam de comentar szsz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...