História Behind All - Capítulo 4


Postado
Categorias Fifth Harmony, One Direction, Troian Bellisario, Zayn Malik
Personagens Camila Cabello, Harry Styles, Lauren Jauregui, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Troian Bellisario, Zayn Malik
Tags Badboy, Corridas, Filha Do Presidente, Lauren Jauregui, One Direction, Rachas, Zauren, Zayn Malik
Exibições 73
Palavras 1.703
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oláaaa amores, e aí tudo bem ? Eu sou a Carol escritora dessa fic junto com a Gi D ( FoolsZayn ) que vocês ja conhecem por que os últimos capitulos foi ela quem postou, e a Gi B (malikmorethis). Eu sei que era pra ter postado desde sexta, mas deu um probleminha e como eu estava querendo postar só deu hoje.
Os capitulos agora serão postados as sextas, um dia eu, outro Gi D outro Gi B e por aí vai.
E a gente gostaria de saber o que vocês acham da gente criar um Twitter para fanfic. E aí vamos colocar spoiler, perguntas, trechos de capitulos, curiosidades e por aí vai. Mas para que isso seja feito precisamos da opinião de vocês.
Beijos amores.

Capítulo 4 - Chapter Three


Fanfic / Fanfiction Behind All - Capítulo 4 - Chapter Three

Point Of View Zayn Malik

01h45min/ Sexta-Feira.

 

— Então garota que porra você estava... Espera ai... Eu te conheço de algum lugar – Falei, dando um passo para frente tentando encará-la melhor.

— É claro que sabe. 

— O que disse? – Indaguei ao escutá-la murmurando, enquanto tentava reconhecê-la.

— Nada que te interesse – Respondeu firme, mas tinha a fala embolada por conta da bebida.

 

 

Joguei as mãos para o alto em um movimento que me fizesse questionar o porquê de estar ali perdendo tempo, e virei para ir embora.

 

— Eu não estou me s-eentin... – A garota nem conseguiu terminar sua fala, pois assim que me virei para trás assustado com o barulho, a encontrei caída no chão.

— Puta merda! – Exclamei, olhando ao redor, porém não havia ninguém além de nós dois ali.

 

Não sabia o que estava acontecendo comigo, não costumava sair distribuindo boas ações por aí.  Eu tinha a opção de ir embora e fingir que não vi nada, ou ajudar aquela garota. Quando dei por mim já estava abaixado balançando o rosto da mesma para ver se ela acordaria. Sentei-me no chão colocando sua cabeça na minha perna e vi seu celular caído na calçada.

 

— Ainda bem que essa merda está desbloqueada. – Murmurei para mim mesmo, após pegar o aparelho.

 

Procurei por algum nome na lista de contatos, como pai, mãe, irmão.  E assim que cliquei no ícone lista o primeiro contato “Amor Ty" chamou minha atenção e disquei esse mesmo.

 

— Oi Lauren, o que foi? – O cara do outro lado disse assim que atendeu. Então a tal garota se chamava Lauren.

— Não é a Lauren. – Respondi impaciente.

— O que? Como não? O que você tá fazendo com o celular da minha noiva? Quem é você cara? – Disparou as perguntas e eu revirei os olhos. Minha vontade era ir embora e deixar essa garota idiota jogada na calçada, mas fiquei com um pouco de pena dela.

— Não te interessa... Bom, aparentemente a sua noiva estava em um bar, acabou tomando um porre e desmaiou. E eu como sou uma boa pessoa resolvi ajudá-la. – Ironizei.

Isso só pode ser brincadeira, é trote. – Riu parecendo estar desacreditado. 

— Como é seu nome mesmo? 

Tyler.

— Tyler, você acha mesmo que eu estaria à uma hora dessas mandando um trote? E fica meio estranho quando é de um número reconhecido, não?

— A Lauren nunca faria uma coisa dessas, isso é brincadeira. – Concluiu descrente.

— Deve ser difícil não saber o que a sua a noiva faz durante a madrugada, né? – Debochei. – Você tem apenas quinze minutos para vir buscá-la no bar com iluminação cinza um pouco depois do centro, Audi preto. – Disse e finalizei a ligação. 

 

Continuei ali parado, sentado no chão encostado ao meu carro com a garota que ainda estava desacordada em minha perna, até que a mesma se remexeu um pouco.

 

— Ai minha cabeça. – Resmungou. – Por que estou no chão? 

— Por que você é fraca para bebidas! – Bufei. – Liguei para seu noivo. – Anunciei, mas nem sabia se ela me ouvia.

 

[...]

 

Já tinha se passado uns vinte minutos, quando um taxi parou de qualquer jeito atrás do meu carro e um cara saiu de lá correndo.

— Lauren? – O tal Tyler questionou se abaixando, e pegando a noiva no colo enquanto eu me levantava.

— Tyler, né? Achei que você tinha dito que isso era brincadeira – Provoquei e mordi o lábio para conter o riso da cara que o babaca fez. – Por acaso vocês se casam amanhã e a noivinha aí resolveu fazer a despedida de solteira? – Indaguei, zombando-os.

— Imbecil. – Ele ralhou e entrou no táxi

 

Eu gargalhei alto e fui em direção ao meu carro.

 

 

Point Of View Lauren Hastings

 

Virei para o lado e me deparei com Tyler ali. Fechei os olhos rapidamente e quando os abri novamente percebi que o loiro ainda continuava deitado ao meu lado. Sentei-me na cama rapidamente, sentindo minha cabeça dar um giro de 360 graus, o que me fez deitar de novo com a mão na cabeça. 

 

— Ty? – Chamei, empurrando-o. – Tyler... – Falei um pouco mais alto, empurrando-o com mais força, e ele acabou caindo no chão.

— Lauren, que susto! – Gritou se levantando.

— Ai meu Deus, não grita. – Gritei involuntariamente e me sentei rápido na cama. Eu precisava de um remédio urgentemente, minha cabeça latejava. – Minha cabeça tá doendo – Choraminguei. 

— Claro, depois da quantidade de bebidas que você tomou ontem à noit...

 

Ontem à noite... Ontem à noite eu saí, entrei em um bar estranho, bebi e fiquei bêbada, encontrei um moreno completamente desprezível. Fechei os olhos tentando me lembrar mais da noite anterior.

 

— Você ouviu o que eu disse? – Tyler questionou sem paciência.

— Si... Não. Me arruma um remédio, amor? – Pedi e ele foi até o telefone, ligou para a recepção e pediu um remédio.

— Desde quando você bebe? – Perguntou, se sentando na cama e me encarando.

— Não bebo. – Respondi fazendo uma careta. – Foi apenas um deslize.  

Tyler foi até a porta, pegou o remédio que ele pediu e me entregou.

— E o que aconteceu depois? – Questionei interessada.

— Aparentemente você desmaiou e um otário te ajudou. – Falou, demonstrando superioridade.

 

Limitei a vontade de revirar os olhos, mas não pude deixar de bufar ao lembrar a forma que o loiro tratou a pessoa que me ajudou. 

 

— Como ele era? – Indaguei curiosa.

— Por que interessa? – Retrucou, me encarando de volta enquanto andava de um lado para o outro no quarto. Fechei a cara para ele, que apenas levantou as mãos em rendição. – Moreno com topete, e eu sei lá.

 

Moreno, um pouco mais alto que eu, topete, cabelos castanhos e com um físico apreciável. A descrição simples de Tyler com a do ser desprezível do bar que me incomodou era a mesma só que mais detalhada. Eu tinha me apoiado em seu carro e logo depois desmaiei.

 

— Sabe quem é? – Questionou desconfiado.

— Sim, eu me apoiei no carro dele porque estava tonta e logo depois desmaiei. – Fiz uma careta. – Vou para o meu quarto.

 

Saí do quarto de Tyler antes que ele me fizesse mais perguntas e entrei no meu indo tomar um banho. Logo depois que tomei um banho coloquei um vestido florido e uma sapatilha preta. Resolvi deixar o meu cabelo solto porque ainda estava molhado.

 Estamos no restaurante, só falta você e o Tyler. - XxVivian 

 

Peguei o cartão que abria a porta e dei de cara com Tyler que já ia saindo também de seu quarto. Descemos juntos seguindo até o restaurante do hotel e não precisamos procurar muito, pois logo achamos a mesa em que eles estavam, tinha vários seguranças em volta causando uma muvuca.

 

— Bom dia, amores – Saudei, me sentando.

— Bom dia – Falaram e sorriram juntos. – Dormiram bem? – Vivian perguntou

– Muito bem – Respondi, forçando um sorriso.

 

[...]

O Café da manhã seguiu daquele jeito bem empolgante que faz a gente querer fugir e se jogar da ponte. Ops quer dizer... Que faz a gente não querer mais sair de lá.

Estava no meu quarto, esperando qual seria o passeio do dia que ia acabar sendo ficar no hotel e com Tyler ali no quarto que jogava alguma coisa.

 

— Eu preciso voltar naquela boate! – Exclamei decidida. 

— Você está ficando maluca, Lauren? – Gritou e eu me assustei um pouco.

— O que? É claro que não. Eu só disse que preciso ir lá para agradecer ao garoto que me ajudou. – Expliquei. 

— Não precisa, agradecer á um drogado – Falou irritado. – Insinuou que eu não sei o que minha noiva faz. 

— Hum, que ótimo, mas eu vou mesmo assim. – Dei de ombros.

— Você não vai – Decretou.

— Eu vou sim. – Retruquei raivosa.

— Então nós dois vamos. – Sorriu cínico e eu murchou

— O quê? Você não precisa ir, é sério Tyler! – Exclamei e me levantei indo em direção ao banheiro.

— Eu não vou deixar a minha noiva ir sozinha aquele lugar. Para agradecer ao babaca – Murmurou vindo atrás de mim. Patético — Ou eu vou com você, ou você não vai — disse firme enquanto me abraçava e depositava um beijo na minha nuca.

—  Nós vamos então —  disse olhando para ele pelo espelho. E me virei para dá um selinho nele que logo saiu do banheiro e do quarto.

 

21h:45min

 

Eu já estava com um vestido preto, maquiada, sentei na beirada da cama para colocar o salto rosa bebê que eu tinha trago quando a porta foi aberta.

 

— Pra que ir tão arrumada, amor ? – Indagou desconfiado.

— Como você entrou? – Ignorei a sua pergunta.

— Eu levei um cartão que abre a porta do seu quarto, já que vem dois. E deixei um do meu também. Somos um casal e por mais que não estamos no mesmo quarto é bom um ficar com a chave do outro. – Explicou. – Mas, porque está tão arrumada?

— Não, tudo bem não precisava  explicar. —  falei e lhe dei um minimo sorriso —   Por mais que seja só para agradecer, ainda é um bar e eu não vou de qualquer jeito. – Respondi e ele se manteve calado.

 

[...]

 

— É aqui. – Falei para o taxista.

— A corrida deu 50 dólares. – O carinha disse e Tyler o pagou sem pestanejar.

 

Saí do carro, Tyler pôs sua mão em minha cintura e fomos caminhando juntos. Conseguimos entrar rapidamente já que nem havia fila.

 

— Isso aqui tá lotado. – Disse alto devido a música.

— Sim, me dá à mão. – Falei juntando nossas mãos e o puxando até o bar.

— O que vão querer? – O barman perguntou meio impaciente.

— Duas águas apenas.  – O loiro respondeu se colocando atrás de mim, que tinha acabado de me sentar na banqueta alta.

 

22h:30min

 

Já fazia quase uma hora que estávamos lá e nada do tal cara aparecer então Ty sugeriu que eu perguntasse à alguém qualquer.

 

 Ei  — chamei o barman  — Você sabe quem estava aqui na noite passada ? 

— É aquele ali do outro lado  — disse e eu puxei Tyler junto comigo até lá.

 — Ei, licença, me disseram que na noite passada você estava aqui e eu queria saber se você conhece um cara alto, moreno, topete, olhos castanhos  — Falei e o cara parou prestar atenção em tudo que eu disse.

— Hummm, esse se parece muito com o Malik, mas o que você queria com ele ?  — perguntou de forma desconfiada fazendo uma careta

 — O que tem ele ?  — Ty se meteu

 — Ele não é boa coisa. Mas infelizmente ele já voltou para o Canadá


Notas Finais


E então amores, o que acharam ? Me digaaam tudo...
E o que acham sobre criar um Twitter da fic ? Se sim, deixem já seus twitter aqui para a gente seguir quando criar.
Continuo ? Beijos amores


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...