História Behind Appearances - Capítulo 30


Escrita por: ~

Postado
Categorias Demi Lovato, Miley Cyrus, Wilmer Valderrama
Personagens Demi Lovato, Miley Cyrus, Wilmer Valderrama
Tags Demi, Demi Lovato, Dilmer, Wilmer, Wilmer Valderrama
Exibições 192
Palavras 5.078
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Foto é o novo cabelo da demz

Capítulo 30 - Christmas


Fanfic / Fanfiction Behind Appearances - Capítulo 30 - Christmas

24 de Dezembro

Durante esse tempo que se passou na minha avó resolvi entrar na internet e me atualizar não somente sobre a galera da minha escola como também sobre o que vinha acontecendo fora da casa grande de minha avó. Me decepcionei mas não me surpreendi com as várias notícias de preconceito.Até onde iria a ignorância do ser humano, justificar morte com religião, preconceito com "tipo perfeito de família". Camila me chamara chateada me contando que Lauren e ela estavam no shopping quando dois garotos lhes mandaram tomar vergonha na cara.Além de sofrer com o câncer eu sabia que minha amiga demorara muito tempo para assumir sua sexualidade e agora sofria com a chatice dos outros. Até quando duraria tanto sofrimento? Tanta negligência?

Apesar de nos falarmos todos os dias, Will tem estado sem tempo para mim o que além de me chatear me irrita. Mari também não está diferente e não rende muito assunto. Tudo ficou pior mais precisamente á dois dias atrás, mas o porque eu não sei. Hoje é a véspera de Natal e tudo que consigo pensar é em como eu odeio mudanças se não for para algo que deixe todos contentes. 

Ontem a tarde eu estava entediada e em um pequeno surto de raiva decide pintar meu cabelo. Apesar do resfriado que me pegou de jeito nesses nove dias que estou com meus avós fiz uma boa escolha e decidi por vermelho. Por não estar falando direito com Wilmer não lhe contei, também não disse para minhas amigas e os únicos que sabiam era meu irmão e meus avós. 

-Demi? - A voz doce de minha avó faz com que eu finalmente abra meus olhos e observe a porta entreaberta, ela sorri. -Está se sentindo melhor?-  pergunta e eu suspiro me espreguiçando. 

-Estou com frio- murmurro manhosa. - E com fome- digo e ela sorri. 

-Sua febre abaixou- diz levando a mão à minha testa- Eu fiz bolo para o café, porque não levanta dessa cama e vem ?- pergunta e sorrio. 

-Bom dia vovó- digo e ela beija minha testa. 

-Bom dia foguinho- brinca falando de meu cabelo- adorei essa cor- diz e eu sorrio.

-Obrigada-digo sorrindo. - Vou só lavar o rosto e vou ok?- digo e ela sorri assentindo. Olho meu celular na esperança de uma mensagem e bufo ao ver que Will não me mandou nada. Deixo o aparelho de lado e me levanto indo para o banheiro onde faço minha higiene. O mau estar que dormi sentindo passou, minhas olheiras estão melhores e eu pareço melhor. 

Escolho vestir um short jeans e um moletom de Wilmer, estou com raiva,mas com saudade. Deixo meu cabelo solto, ele está bastante comprido e começo a imaginar como ele estará na minha formatura. Vou para a cozinha encontrando meus avós e meu irmão tomando café. 

-Hoje todos virão pra cá, suas tias queriam que você tocasse hoje, o que acha?- Meu avô pergunta e eu sorrio. 

-Claro - digo simples. 

-Mamãe ligou hoje- David diz quando os dois se levantam.- Disse que está bem e que pensará em nós dois essa noite- diz e eu suspiro- Disse também que o meu pai está ajudando ela a achar uma prova para prender aquele cara lá- diz e eu sorrio. 

-Ela vai conseguir- tento passar confiança para ele. 

-Tomara- diz e eu beijo sua testa.

-Will está estranho comigo- confesso enquanto nós dois vamos para a sala ver tv e ele me fita. - Acho que não me ama mais ou quer terminar- confesso e ele nega.

-Não seja bobona foguinho- diz e eu reviro os olhos. -Wilmer ama você, tem que ser muito idiota para não perceber- diz e eu o fito. 

-Quando ficou tão inteligente?- questiono e ele ri. 

-Sempre fui- dá de ombros e tenho que concordar. 

Começamos a assistir tv, está frio devido a ser inverno por aqui. Colocamos um programa de crime e ficamos assistindo embaixo do cobertor. Por alguns minutos eu sinto como se nada tivesse errado e minha mãe logo fosse chegar do trabalho, me deixei acreditar nessa fantasia até a campainha tocar. 

Minha avó pediu que eu atendesse e senti meu coração bater mais forte quando vi a imagem da minha melhor amiga sorrindo para mim. 

-Sentiu minha falta, Lovato?

Wilmer narrando:

A distância de Demi estava me matando, a cada dia que se passava eu sentia que uma parte de nós era deixada de lado e tudo que eu queria era que ela soubesse o quanto me fazia falta.

-Mia- chamo minha irmã que me observa. 

-Eu- diz e eu sorrio.

-Vem cá- chamo e ela se senta em meu colo.- Eu te prometi que passaríamos o Natal juntos, não foi?- pergunto e ela assente.- Bem, Chris e Mari me propuseram hoje algo que vai me fazer ver a Demi, eu ainda não decidi se vou, mas se você não ficar chateada eu vou. 

-Eu posso ir?- questiona  manhosa e eu suspiro negando. 

-E deixar o papai sozinho?- pergunto e suspira. 

-Não quero passar o Natal sem você- confessa tristonha. 

-Não tem problema- beijo sua testa.- Demi não vai ficar chateada- garanto e ela nega.

-Deixa eu ir Willy - pede manhosa novamente.- Eu não vou ficar chateada- promete.- Mas quero ir com você, deixa vai Willy-pede manhosa- também estou com saudade dela. - diz e eu assinto. 

-Tem que me prometer que se eu convencer meu pai, vai se comportar lá- peço e ela sorri. 

Essa conversa aconteceu dois dias antes da véspera de Natal quando o avô de Demi buscou todos nós em minha casa. Para aumentar a surpresa da minha baixinha eu e Marissa combinamos de ficar esquisitos com ela, digamos que fomos bem sucedidos.

Demi narrando:

-MARISSA- gritei voando no pescoço da minha melhor amiga que riu me segurando apertado.

-Também senti- confessa e eu suspiro. 

-O que está fazendo aqui?- A puxo para dentro de casa. 

-Vou passar o Natal -diz e eu demoro segundos para processar. 

-Ela não veio sozinha- a voz de Miley me faz virar e abraçá-la. 

-Como assim, por que não me disseram e .... AI MEU DEUS- Abraço os meninos Luke e Chris que também estão lá.- O Will? - pergunto e Chris nega, assinto.

-Eu amei  seu cabelo-Mari diz e eu sorrio. Todos concordam com ela.

-Vem cá- Chris me aperta.-Fez falta. - confessa e eu sorrio.

-Vocês também.Como chegaram aqui?- pergunto sentando com eles na sala.

-Culpado- Meu vô se manifesta. 

-Como assim?

-Eu liguei para eles a um tempinho e pedi para que ficássemos aqui- diz Marissa.- Sua avó nos ajudou - diz e eu abraço minha vó.- Pode pegar refri pra gente?-Marissa pergunta e eu assinto. 

Vou para a cozinha e sorrio. Mas logo penso que Will não veio, que talvez esteja passando o Natal com alguém ou... Me viro e levo um susto deixando os copos caírem. Ali parados estavam Will e Mia.

-Pensou mesmo que eu não viria te ver na primeira oportunidade carinho?- pergunta e eu o fito . Não estava acreditando, ele estava exatamente igual e com um sorriso maroto nos lábios, sua irmã correu para me abraçar e me distanciei dos cacos para pegá-la no colo. 

-Que saudade Demz- Mia diz e eu sorrio.

-Eu também estava meu amor- digo e ela sorri. 

Ergo o olhar para Will. 

-Eu não ganho abraço?- reclama e eu me movo tão rápido que me surpreendo ao sentir seus braços me envolvendo. 

-Eu ... como... quando...Seu idiota- bato em seu ombro.-Achei que queria terminar comigo, esteve estranho durante dois dias- lhe bato e ele ri. 

-Tudo planejado hermosa- fala e eu o beijo.

Wilmer envolve minha cintura de forma firme e faço o mesmo com seu pescoço. Inicialmente nosso beijo é apenas um selinho demorado como se estivéssemos nos reconhecendo de certa forma. Não demora para que sua língua peça passagem e entreabro os lábios sem pensar suas vezes, nos beijamos como nunca havíamos nos beijado antes e concluo que não a nada melhor do que beijar Wilmer Valderrama.Sorri entre o beijo e nos separamos. Contive um sorriso maior escondendo o rosto em seu pescoço. Após fungar em meu pescoço Will me olhou segurando os dois lados do meu rosto. 

-Senti sua falta- confessa e eu o beijo novamente. 

-Criança no recinto e melhor amiga também -Mari anuncia e eu rio. Vejo Mia com as mãozinhas no olho e rio.-Já pararam- diz e Mia corre até nós abraçando minha cintura. 

-Não estou sonhando não é?- pergunto e todos negam. 

-Não e nós vamos ficar aqui até o ano novo - Will diz e eu não consigo conter meu sorriso.- Se cortou?- pergunta me olhando e eu nego. - Conheço esse moletom- comunica e pisco. 

-Vocês são muito fofos- Mari diz e eu sorrio apertando Will. 

-Não estou acreditando que vocês estão mesmo aqui - digo e corro para abraçar minhas amigas. 

-Tudo graças a sua vó-Miley diz e eu sorrio abraçando a vovó que me aperta. 

-Como prometido- digo e ela beija minha testa. 

Will me observa com um sorriso nos lábios e levo dois segundos para me aproximar novamente dele e de sua irmã. Abraço novamente seu corpo e pego a baixinha no colo. 

-Você cresceu?- pergunto para ela que sorri. 

-O seu cabelo - diz e eu sorrio. 

-O que achou?

-Ficou linda.- diz e Will faz com a boca "sexy" fazendo-me corar e apertar a baixinha.

-Vou pedir para vocês conversarem lá na sala- Minha avó se manifesta- preciso terminar de preparar o almoço e tenho que limpar essa bagunça.- diz e eu rio amarelo. 

-Quer ajuda?- pergunto e ela nega. 

-Quero que mate a saudade dos seus amigos- diz e eu sorrio.- Fiquem a vontade.- diz. 

-Calma, deixa eu apresentar todo mundo.Mesmo que vocês já devam ter feito isso-fuzilo meus amigos que se encolhem rindo.-Mari, Mi, Chris, Luke, Mia e Will- digo e eles sorriem.- Agora podem ir- faço sinal com a mão e vejo minhas amigas revirarem os olhos. 

-Nem sei porque sentimos falta dessa chata. - ouço e rio. 

-Vocês me amam suas falsas- digo podendo ouvir as gargalhadas. 

-Eu gostei de você Wilmer-meu avô põe a mão no ombro do meu namorado e Mia ri em meu colo. - Mas só para avisar- diz e vejo Will gelar.- Tenho uma arma de caça.

-Entendido- Will diz e eles apertam a mão. 

Assim que começo a andar meu namorado vem atrás de mim. Sinto seus braços envolverem minha cintura assim que solto Mia que vai logo brincar com meu irmão.

-Você está se sentindo melhor? - pergunta e eu o observo.- Sua avó nos contou que você passou muito mal ontem- diz e eu suspiro. 

-Estou, eu dormi muito brava com você- confesso.- Realmente estava achando que você não me amava mais- confesso novamente e ele ri.- Para de rir de mim, idiota!- bato em seu braço.

-Eu te amo mais que ontem e menos que amanhã bobona.- diz e eu o abraço.

-Casal, vamos ver tv - Mari chama e nos sentamos no sofá. Apesar de ter lugar de sobra sento no colo de Will assim como minhas amigas nos se seus namorados. Ficamos conversando sobre bobeiras e eles me atualizam sobre algumas coisas. 

-Você está melhor do resfriado Demi?- Miley pergunta e assinto. 

-Acho que eu estava com saudade de alguém- digo e sinto Will apertar minha cintura. - Não é Mari - digo e o ouço rir de leve.- Como vocês fizeram com o JS?- pergunto. 

-Foi a mamãe- meu irmão se manifesta e Mia senta encostada ao meu lado no sofá.- Conseguimos falar com ela sem que você visse.

-Quando? -pergunto e ele ri. 

-Anteontem- diz e eu sorrio. - Ai hoje ela ligou avisando que conseguiu dar uma desculpa para que ele não desconfiasse. 

-Entendi- sorrio para ele.-Ai cara, que saudade que eu estava de vocês- confesso.

-Nós também estávamos- Chris diz- e eu não aguento mais esse garoto de mal humor- aponta para meu namorado. -Por favor, faça passar- diz e eu aperto Will. 

-Pode deixar- garanto.Quando vou dar um selinho rápido em Will ele segura minha cabeça aprofundando o beijo. Oh god, que saudade. 

-Ah não, não comecem- Marissa reclama e eu rio olhando-a. 

-Oh baby - me aproximo dela que começa a se encolher quando vou abraçá-la. - I love you- digo e ela revira os olhos.- Ciumentinha- abraço não somente ela como Mari que ri. 

-Demi- Minha avó chama e eu me viro olhando-a. - Arrumem já de uma vez os quartos de hóspede, podem usar todos ou um só, você quem sabe- diz e eu sorrio assentindo. 

-Venham- digo.-Vou mostrar para vocês o resto da casa.

A casa de minha vó era bem maior que a minha, possuía sete quartos, sala, cozinha, 3 banheiros, piscina, estábulo e apesar de ser distante da cidade era muito bonita. Eles tinham um cão de guarda que era manso mas ficava na parte de fora da casa pelo tamanho, mas como estava frio meu avô colocou ele para dentro. 

-Mia você quer dormir com meu irmão no meu quarto?- pergunto e vejo Will erguer a sobrancelha. 

-Como é?- pergunta e eu rio olhando-o. 

-Que mal tem?- pergunto. 

-Seu irmão gosta da minha irmã até demais- diz e eu reviro os olhos. 

-Ok, então eu durmo com a Mia e você com o meu irmão- digo e ele nega. 

-Não!- diz e eu rio.- Carinho- faz manha e beijo seus lábios rapidamente. 

Eu e Wilmer ficamos com o quarto de hóspedes com cama de casal que fica ao lado do quarto que eu divido com meu irmão. Mari e Chris ficam em um dos quartos com cama de solteiro e o mesmo acontece com Miley e Luke. Depois que cada um se instala no próprio quarto ficamos todos conversando até dar a hora de começarmos a tomar banho.

-Mia vem arrumar aqui comigo- chamo e ela assente pegando sua bolsa e me dando a mão. -Qurer que te ajude no banho?-pergunto e a vejo sorrir assentindo. Miley e Mari vem arrumar conosco e ligo a banheira deixando cheia para que Mia se diverte enquanto conversamos. 

Por fim, penteio o cabelo de Mia que fica conversando com minhas amigas de roupão para não sujar a roupinha que vai usar. Tomo meu banho e já seco o cabelo deixando com ondas antes de sair do banheiro.Assim que saio sorrio para a garotinha que me observa andar pelo quarto de toalha no corpo. 

Ouço batidas na porta e me aproximo. 

-Quem é?-Questiono.

-Sou eu amor - Will diz e eu abro um pouco -Mia deixou o arco na minha m... Você está de toalha?- Questiona e eu rio. 

-Ok, pode me dar o arco dela. - digo pegando-o e ele sorri. Observo seu corpo sem camisa.

-Hey,vem cá- diz e eu nego.

-Tchau amor- digo e fecho a porta ouvindo-o rir. Ó céus, por que um homem tão gostoso batendo na minha porta sem camisa? Encosto na porta sorrindo. 

-O que o Willy queria?- Mia questiona e vejo Miley rir da minha cara. 

-Veio entregar seu arco- digo e ela sorri. 

-Demi?- pede e eu a observo. -Pode secar meu cabelo e fazer uma trança?-pergunta e eu a observo. 

-Claro, mas por que quer prender o cabelo?- pergunto e ela abaixa o rostinho.

-Ele não é bonito- diz e me aproximo sentando na cama, Miley entra no banheiro enquanto Mari seca o cabelo lá dentro.

-Quem disse isso?-pergunto. 

-A Maria- diz e eu ergo a sobrancelha.- Ela disse que meu cabelo não era bonito e que fedia- diz e eu a puxo para o meu colo. 

-Você contou isso pro seu irmão?-pergunto e ela nega. -Vamos conversar com ele sobre isso ok? -pergunto e ela nega novamente. 

-Não conta- pede se encolhendo no meu colo. 

Como alguém pode ter feito isso com uma bebezinha? A garotinha de 5 anos estava encolhida em meu colo tão inofensiva que eu quis que o papai Noel não desse presentes para essa tal de Maria. 

-O que mais ela falou? E quem é ela?

-Ela é irmã de uma menina da minha turma, elas não gostam de mim e falaram isso.- choraminga e eu a aperto cheirando seu cabelo, cheiro seu pescoço e faço cócegas. 

-Bem cheirosinha- digo e vejo seu sorriso.- Meu anjinho, seu cabelo é maravilhoso já te disse que tem que ter orgulho dele, não importa o que essas meninas falam ok? Você é linda - digo e ela pisca me abraçando.

-Eu amo você Demz- diz me apertando- E estava com saudade- confesso que meus olhos ficaram úmidos ao ouvir isso, apertei mais ainda seu pequeno corpo. 

-Eu também amo você amoreco e qualquer coisa que precisar, pode pedir o Will para me chamar que eu te ajudo- garanto e ela sorri. 

-Está bem.- sorri. 

-Vou deixar seu cabelo ainda mais lindo, ao invés de  prender, posso fazer como fiz no meu? Ai nós colocamos seu arquinho ok?

-Eu quero!- diz animada. Pego um dos secadores e ela senta na cama, faço cachos em seu cabelo que é bem castanho e agora está longo.

Quando termino Mari e Miley já estão começando a se maquiar, vejo Mia vestir um vestido rosa claro com branco daqueles que ficam bem rodadinhos e infantis. Sorri ao vê-la colocar o arquinho extremamente feliz.Eu simplesmente odiava essa situação, eu já havia sofrido bullying e não iria admitir que ela passasse por isso. 

Me maquiei e não demorei a estar pronta também. Marissa pediu que eu transasse um lado de seu cabelo que agora estava em um tom mais claro de loiro. Assim que saímos do quarto demos de cara com os meninos na sala conversando com meu avô. Will usava uma blusa social azul escuro e uma calça mais clara. Sorri para ele. 

-Vocês combinaram?- Marissa sussurra e eu nego sorrindo. 

Por coincidência o meu vestido é de uma cor bem próxima da blusa de Wilmer, é curto e tomara que caia. Por estar de salto estou da sua altura e vejo Mia correr e abraçá-lo que lhe elogia antes de voltar a me encarar. Caminho até meu namorado que sorri.

-Nem se a gente tivesse combinado- diz e me puxa para perto dele. Quando olhamos um no olho do outro foi como se estivéssemos sozinhos na sala.- Você está linda- diz sorrindo para mim. 

-Posso dizer o mesmo de você- digo e ele me observa.- O que?- pergunto tímida e ele beija minha bochecha. 

-Me certificando que você é real- diz me dando um selinho. 

-Casal?- Miley chama e nós despertamos.- Desculpa interromper, mas sua vó quer que tiremos fotos- fala e eu rio de leve.

Pego a mão de meu namorado guiando-o para a lareira onde todos vamos nos posicionando.Sinto seu olhar queimando em meu traseiro. 

-Tira o olho dai-sussurro e ele ri. Posamos para tirar a foto. 

-Gostosa- sussurra e eu rio de leve.

Ficamos na sala, Will fica com bico já que me nego a beijá-lo para valer preocupa em estar composta para quando meus familiares chegassem. Estou sentada ao seu lado com Mia em seu colo conversando animada comigo. 

Não demora para que minha família esteja ali em peso, acabo direcionando minha atenção aos meus tios e tias e brincando com meus primos. Fazia muito tempo que não os via e sentia demais a falta deles. Observo meus amigos e meu namorado conversando e me sinto mal por tê-los deixado sós.

-Licença tia- peço e me retiro indo para perto deles.

Assim que me aproximo vejo que Will não fala comigo de primeira e suspiro pesadamente me colocando de costas para ele que me envolve com seus braços na minha cintura. Um beijo leve em meu ombro e me arrepio.

-Desculpa deixar vocês sozinhos- digo e eles sorriem. 

-Não se preocupa- Mari diz e sorrio para ela. 

Giro o corpo ficando de frente para Will dando-lhe um selinho. 

-Vou ter que me contentar só com isso?- Questiona e eu sorrio. 

-Mais tarde- prometo e ele assente. - Por favor não fica chateado.- peço e ele sorri beijando minha bochecha.

-Não estou, é só que... nós viemos aqui ficar com você...

-Eu sei- digo e ele sorri beijando meu pescoço.

-Quem é que está brincando com a minha irmã?- pergunta e eu me giro sorrindo ao ver Maddie brincar com David e Mia. 

-Minha prima, ela é filha da tia Dallas - digo e ele sorri.

-Prima!- Ouço a voz de Fernanda, uma de minhas primas e a vejo acenar para que eu vá até ela. Nego chamando-a para chegar perto e em aprovação do meu namorado recebo um beijo no pescoço.

-Que saudade- Confesso abraçando-a. 

-Eu também estou- sorri.-Onde está sua mãe?- questiona e eu suspiro.

-Não pode vir- digo e ela assente.-Will essa é a Fê, ela me ajudou a aprender minha primeira música no violão- conto e ele sorri.-Fê esse é meu namorado Will- digo e eles se cumprimentam.- As meninas você conhece e esses são Luke e Chris.- digo e ela sorri.

-Como está tudo?- Questiona e eu sorrio.

-Indo e com você? Como vai a faculdade?- pergunto.

-Estou quase me formando diz e sorrio. 

-Que bom - digo e não demora para que Will também esteja conversando com ela o que me tranquiliza. Não demora para que minha tia chame ela e fico novamente só com meus primos. 

-Demi- minha vó me chama- Antes de comermos pode cantar?- pergunta e eu assinto sorrindo. 

-Qual ? -pergunto e Fê sugere uma de Natal, não demora para todos cantarem comigo enquanto canto tocando violão. 

Comemos e não demora para que todos abram os presentes. Sabe aquele fim de festa quando todos estão cansados, bebados e muito desanimados a fim de dormir? Então, demorou mas o Natal chegou a esse ponto. 

-Eu não te trouxe presente porque eu vim- Will diz e eu sorrio. 

-O melhor presente foi esse- digo e ele sorri- Desculpa não te dar nada- digo.

-Não se preocupa, você tem a noite toda- pisca para mim sorrindo safado e eu sorrio.

-A noite inteira será então- digo e ele beija meus lábios rapidamente.Olho para os lados e vejo que minha família já está indo embora.-Vem cá - digo e Marissa pisca para mim ao me ver puxando Will para um canto.- Não vamos demorar- digo e ele ri me beijando assim que recosto na parede. 

Realmente não demoramos e logo minha família sai. Meus avós logo vão dormir e Mia dorme no meu colo.Will a pega levando para o quarto onde meu irmão também já esta dormindo. 

-Vamos?- Chamo Will que assente levantando- Boa noite- digo para as meninas que mandam beijo.-Fiquem a vontade- digo para elas que sorriem.

Pego a mão de Wilmer e assim que entramos no nosso quarto, ele fecha a porta atrás de mim. Sinto suas mãos envolvendo minha cintura e sorrio envolvendo seu pescoço.

-Cheio de más intenções não é Valderrama?- pergunto mordendo o lábio de jeito safado e ele sorri.- Tranque a porta-peço e ele o faz.

-Só eu hm?Estou cheio de intenções, se são boas ou ruins, fica a seu quesito, Lovato- diz levando os dedos ao meu cabelo fazendo uma pressão em minha nuca unindo meus lábios aos seus. 

Com movimentos rápidos Will vai me guiando para a cama. Meu Deus, que pegada é essa Wilmer? Sem esforço nenhum meu namorado me segura firme contra seu próprio corpo.Não demoro a sentir o colchão macio em minhas costas, entrelaço minhas pernas no quadril de Wilmer proporcionando para nós dois o contato entre nossas intimidades e gememos juntos.

Ficamos um tempo assim, nos beijando enquanto trocamos carícias sem pressa e sem pudor. Will desce seus beijos por meu pescoço e eu suspiro. 

-Will- chamo e ele me olha meio pidão. 

-Por favor não me pede para parar- diz e eu nego sorrindo. 

-Nem se eu quisesse- confesso.-Mas não me marca - peço e ele sorri. 

-Não vou - promete e volta a se deliciar com minha pele exposta. Solto alguns gemidos roucos. 

Wilmer narrando: 

Demi me levou a loucura a noite toda e olha que nem ficou me provocando, mas ela estava... ainda mais maravilhosa. Beijava sua pele sem marcá-la, eu não precisava disso, sabia que ela era minha. Por Deus, que sorte eu tive. 

Procuro um tanto desesperado um fecho para tirar aquele vestido do corpo de minha namorada que indica a lateral me ajudando. Beijo seus lábios novamente enquanto o abro, puxo o vestido de seu corpo suspirando. Obrigado senhor, muito obrigao. Demi não usava sutiã e sua calcinha era vermelha e rendada. 

-Você só pode ser de mentira- confesso e ela sorri. 

-Posso te provar que sou de verdade- diz e eu sorrio. Demi leva minha mão, de forma tímida, até sua intimidade.- Alguém de mentira não ficaria assim com alguns beijos, ficaria? -pergunta e eu respiro fundo quando ela inverte nossas posições.Santo Cristo, onde me meti?- Aliás, acho que alguém tem sido mal comigo ultimamente- diz e eu arregalo os olhos. 

-Amor...  - tento e ela nega sentando em meu colo enquanto desabotoa minha blusa não demorando a tirá-la. 

-Vamos fazer diferente hoje- diz e me beija, um beijo selvagem, suas unhas percorrem meu peitoral. Retribuo seu beijo perdendo o controle da minha respiração. Meu Deus. Demi desce a mão até meu membro e o aperta por cima da cueca após adentrar minha calça.- Hm... acho que já está quase lá para mim não é?- Sussurra. 

-Você me enlouquece.- digo e ela sorri. 

-Eu não deveria te dar prazer- diz passando a língua pelo lóbulo da minha orelha.- Você me enganou - diz e eu rio de leve. 

-Eu vim te ver- digo e ela morde o lábio.Percebo que posso retomar o controle da situação enquanto ela está pensando, mas Demi nega.

-Não hoje bobão- diz e me beija. - Tira sua calça- pede e eu obedeço.- Acho que sentiu minha falta.

-Vai ficar só olhando?- Questiono vendo-a observar meu membro ainda dentro da cueca. 

A puxo fazendo-a voltar a sentar no meu colo e Demi geme ao pé do meu ouvido quando sua intimida úmida raspa em meu membro duro. Levo minha mão ao seu seio direito não demorando a contornar seu mamilo com minha língua. Sorrio quando Demi deixa a cabeça tombar para trás demonstrando a sensibilidade ao meu toque.

Percebendo que o controle voltou para mim sorrio me deliciando com seus seios e Demi faz movimentos leves em meu colo. Estou ofegante e ela também. Demi decide recuperar o controle ao perceber que não vou parar de chupar seus seios se ela não disser que o devo fazer. 

Se erguendo ela toca meu membro. Após retirar a cueca ele peço que ela retire a calcinha ao que Demi não de opõe, antes de continuarmos já deixo uma camisinha de fácil acesso. Não demora para um gemido rouca sair de meus lábios ao sentir Demi começando a chupar seu membro. Ela geme junto mandando uma vibração tão gostosa que quase perco o controle, ajudando-a com a movimentação da cabeça. 

-Isso carinho -sussurro e ela continua. Decido que se não pará-la acabaria gozando em seus lábios e a puxo para a cama. Demi sorri de um jeito tão angelical e safado que poderia ser presa por ser uma sedutora.-Agora é minha vez- digo e ela assente passando a língua pelos lábios mostrando estar satisfeita com o que fez comigo. Observo seu corpo e puxo seu quadril para mim ficando entre suas pernas. Demi suspira. - Não fui o único que senti saudades hm?-digo e ela ri. 

-Menos conversa amor- choraminga.

Não demoro a levar meus lábios a sua intimidade. Seria possível alguém ter um gosto melhor que esse? Acho que não. Me deliciava com o líquido que minha namorada me oferecia curvando a coluna para oferecer seu quadril para mim. Demi tinha os olhos fechados, coloquei minha camisinha e comecei a penetrá-la. Um gemido manhoso foi ouvido por mim.

Fiquei provocando-a colocando e tirando um pouco sem realmente me movimentar em seu interior. 

-Come on- choraminga.- Não me provoca- pede e eu a beijo com luxúria. Começo a penetrá-la sem dó e Demi me puxa para um beijo. As pernas em meu quadril aumentam o contato entre nossas intimidades facilitando que eu vá mais fundo e mais rápido sua intimidade. -Isso- diz manhosa.- Não para- pede e eu a observo. Seus olhos revirando de prazer, meu corpo suando e não consigo nem pensar em parar algum dia de amá-la dessa forma.

-Gosta assim? -Questiono mais devagar em minha movimentação. Demi geme tão manhosa que quase gozo com o som.-Acho que sim- digo e ela olha em meus olhos. 

-Gosto do jeito que você faz qualquer coisa- confessa e eu a beijo.Começo a sentir sua intimidade se contrair contra o meu membro e com a pressão, sem contar a visão dela atingindo o ápice. Gozo. -Óh Will - diz quando fico me movimentando devagar prolongando o prazer de ambos.-Você é tão incrível - confessa e eu chupo seu seio. 

-Você é maravilhosa e eu perco o controle- confesso. 

-Desde que recupere ele comigo, pode perder sempre- diz e eu sorrio voltando a beijá-la. Demi senta no meu colo se movimentando. Suspiro já ficando excitado novamente se é que isso é possível. Decido trocar de camisinha e ela mesma tira e coloca uma nova. A penetro assim, sentada em meu colo e depois no ápice de nosso tesão, tomamos uma ducha juntos. 

-Cansada?- Questiono quando ela já está deitada em meus braços após tomarmos um banho em que lhe fiz uma massagem.- Você é maravilhosa- digo beijando sua testa. 

-Estou morta, acho que amanhã não vou conseguir andar- confessa e eu rio.-Não ri- faz bico. 

-Se arrependeu?- pergunto e ela nega sorrindo. 

-Faria tudo novamente- confessa e eu a beijo tranquilamente.

-Podemos fazer amanhã- pisco para ela.- Depois de amanhã- vou falando e ela ri.

-Sempre- confessa mordendo o lábio.- Você acha que alguém nos ouviu?-Questiona e assinto.-São 4:30 já- diz e eu a beijo. 

-Se tiverem ouvido, vamos fingir de bobos. Está na hora de descansarmos.- digo e ela se aconchega mais  a mim. 

-Obrigada por ter vindo- diz e eu sorrio. 

-Eu iria até o outro lado do oceano atrás de você- confesso. 

-Eu te amo - diz e coloca a cabeça em meu pescoço. 

-Eu te amo também.- beijo sua testa. Não demora para estarmos apagados.

“Não importa a distância que nos separa, se há um céu que nos une.”
Carlos Drummond de Andrade


Notas Finais


Espero que gostem, tentei fazer ele maior, não sei se rolou, mas espero que tenham gostado, por favor me digam o que acharam.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...