História Behind Cameras - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camren, Fifth Harmony
Exibições 1.826
Palavras 5.964
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hey pessoal, hoje o capítulo será um pouco intenso em todos os sentidos da palavra, espero que estejam preparados!!
Quero dedicar para a Mille e para a Gabi, que foram ajudas essenciais para que eu conseguisse ajeitar da melhor maneira possível o que acontece no começo do capítulo, lembrando que as informações de coisas dos programas citados eu tirei da internet!!
Para o capítulo de hoje sugiro as músicas: Intro do The XX, Bloodstream do Ed Sheeran, Hard to Do da K. Michelle, Wicked Games do The Weeknd, Neighbors Know My Name do Trey Songz, Hell Nos And Headphones da Hailee Steinfeld e Closer do The Chainsmokers.
DESCULPEM QUALQUER ERRO!
Boa leitura:

Capítulo 20 - As Câmeras


Fanfic / Fanfiction Behind Cameras - Capítulo 20 - As Câmeras

 

 

“Lauren havia acabado de sair da academia e estava conversando com algumas fãs que não eram norte-americanas e que tinham lhe seguido por toda Los Angeles, a cantora chegou à conclusão de que seria muito mais fácil parar e dar um pouco de atenção ao invés de ficar fugindo o dia todo.

Passa a mão pelos cabelos e se aproxima da fã, sorrindo largo para tirar a tão desejada foto. As outras duas fãs que estavam perto filmavam toda a conversa entre a artista e sua amiga morena.

- Você vai realmente fazer um novo ensaio para a Calvin Klein?

- Oh sim, de meses em meses eu tiro algumas fotos. – Sorri timidamente – Por isso voltei para a academia, preciso estar mais em forma se quiser sair bem nas fotos. – Brinca divertida e as meninas riem.

- Você sai bem em qualquer foto e de qualquer maneira. – A garota que filmava elogia e Lauren fica com as bochechas vermelhas, sorrindo sem graça.

- Obrigada, mama. – Ri timidamente.

- E a Camila vai posar para a Adidas, né?!

- SIM. – Exclama animada – Eu estou muito ansiosa para ver as fotos. – Ajeita melhor o boné em sua cabeça – Tenho certeza que ela vai ficar incrível.

- Vocês são tão fofinhas juntas. – A cantora sorri largo e coça a nuca, ficando com as bochechas vermelhas – Eu achei que Camila estaria com você, queria tanto falar com ela...

Agora aquilo era muito comum, agora todos ligavam Lauren a Camila e vice-versa, sempre esperavam ver as duas artistas juntas já que não se desgrudavam e aproveitavam bastante o começo do relacionamento amoroso. Diferente do que imaginavam aquilo não parecia afeta-las de uma maneira ruim, ambas gostavam de ser ligadas uma a outra, e ver fãs questionando sobre a pessoa que mais amavam era reconfortante.

Afinal, os hates haviam diminuído bastante desde que Camila e Lauren estavam postando vídeos divertidos uma da outra no Snapchat, quase sempre de ambas morrendo de rir ou simplesmente procurando uma a outra por seus apartamentos. Todos estavam se apaixonando junto com o casal, elas estavam virando as queridinhas das celebridades.

- Um momento. – Lauren pega o celular e rapidamente disca para a namorada, colocando no viva-voz.

- Amor eu estava pensando agora mesmo em você, você não vai...

- Camz, você está no viva-voz. – Lauren fala rapidamente e o outro lado da linha fica mudo.

- Oh, com quem você está? – A cantora mais velha ri quando a fã começa a chorar ao seu lado.

- Com algumas meninas que são completamente loucas por você. – Comenta – Elas esperavam ver você comigo, mas você fugiu para New York.

- ME DESCULPEM. – Camila grita – MAS OI GENTE. – Todo mundo ri – E eu realmente espero que a gente possa se encontrar outro dia, eu tive alguns compromissos aqui em New York, mas até o final da semana volto para Los Angeles. – Lauren segurava o celular.

A fã não deixou de filmar a foto que aparecia no fundo da chamada, aonde Camila fazia uma careta ao lado de Lauren.

- Deixe o Twitter de vocês com Lauren e quem sabe nós nos encontremos qualquer dia desses, vai ser muito divertido. – Sugere animada, Lauren sabia que sua namorada realmente iria atrás das fãs – Eu tenho que ir agora, mas eu amo vocês. – Todas as meninas choravam.

O final do vídeo publicado no Twitter era Lauren tirando do viva-voz e se despedindo de sua namorada e logo em seguida das meninas que havia conversado por um bom tempo, mas somente depois de seguir todas elas em sua rede social.”

O palco tinha algumas luzes piscando e a fumaça branca ocupava boa parte do palco, Alicia estava tocando o piano enquanto tocava If Ain’t Got You enquanto todos do auditório estavam com as lanternas dos seus celulares ligadas cantando junto. Senti meu coração acelerar quando ela anunciou que “uma amiga especial” subiria no palco com ela, chamando meu nome enquanto continuava tocando as notas no piano.

Quando entrei e caminhei para caminhar em direção a Alicia Keys senti minhas pernas tremerem e a Lauren Jauregui de anos atrás gritar que nem uma louca dentro de mim. Eu havia cantando aquela música para conseguir chegar aonde eu havia chegado, e agora estava cantando bem mais do que com a pessoa que me inspirou a ser a artista que sou hoje em dia, mas sim uma grande amiga no ramo da música.

Todos nos aplaudiram de pé quando terminamos de nos apresentar, vi Camila em um dos lugares da plateia, sorrindo largo e aplaudindo como todos naquele cômodo gigante. Alicia e eu nos abraçamos e aos poucos as luzes do estúdio foram sendo apagadas, até que um ‘corta’ alto foi gritado pelo diretor, informando que o programa daquela noite havia finalmente sido encerrado.

Mesmo conhecendo Alicia a um bom tempo e nós termos uma excelente relação, ainda era surreal para mim ouvi-la elogiando minha voz e principalmente meu conhecimento por música. Por esse motivo não consegui evitar de sentir meus olhos de ficarem marejados antes dela me abraça-la mais uma vez, agradecendo por eu lhe acompanhar na apresentação daquela noite.

Encontrei minha namorada em meu camarim, ela me abraçou e eu roubei um beijo antes de começar a juntar minhas coisas, Camila queria jantar em um restaurante novo que ficava do outro lado da cidade, mesmo não gostando muito dessa ideia acabei concordando já que estava em um bom humor excepcional.

- Obrigada, Lauren. – Uma fã sorri.

- Lauren você pode assinar aqui? – Assino uma revista aonde uma foto minha estava estampada.

- Prontinho. – Sorrio, aproveitando aquela caneta para assinar outra foto.

- Ela tem que ir agora, pessoal. – Owen me ajuda a entrar no carro, aonde Camila já estava dentro, falando com alguém no celular.

- Tudo bem, eu já entendi como chega lá, obrigada Ally. – Desliga e sorri para mim – Podemos ir? – Concordo com a cabeça.

- É tão estranho quando você dirige. – Comento colocando o cinto de segurança.

- Está induzindo que eu sou uma péssima motorista? – Brinca e eu rio, ajeitando meu cabelo.

- Oh é claro que não, babe. – Pego meu celular, entrando no Twitter para surtar sobre a apresentação daquela noite ao lado de um dos meus maiores ídolos musicais – O que eles fazem nesse restaurante?

- São alguns pratos tailandeses, Ally que indicou.

- Você querendo provar comida tailandesa?! – Franzo o cenho, ela odeia provar novas comidas.

- Ally jurou que eu vou gostar, não custa nada tentar. – Sorri e eu dou de ombros, olhando pela janela.

O GPS indicava os lugares que nós deveríamos ir, Camila parecia extremamente concentrada em chegar no lugar correto, por esse motivo evitei ao máximo conversar com ela já que minha namorada odeia que a distraiam quando ela está no volante. Por ser extremamente desastradas no primeiro dia que andei com Camila dirigindo fiquei levemente assustada, mas foi surpreendente descobrir que ela consegue ser uma ótima motorista.

Desviei o olhar do meu celular quando notei que estávamos em um lugar bem estranho de Los Angeles, não pude evitar de franzir o cenho e questionar Camila se estávamos realmente no local correto. Minha namorada sussurrou que sabia aonde estava indo e que era para eu relaxar, mas não aconteceu isso já que ela parecia tensa com aquilo. Questionei diversas vezes se estávamos perdidas e Camila negou todas as vezes, jurando que estávamos indo para o lugar correto, então acabei deixando de lado.

Me ajeitei melhor no banco quando notei que havia um carro logo atrás de nós por um bom tempo, minha namorada ficou mais tensa que eu quando entramos em uma rua bem estranha e completamente abandonada. Passei a prestar mais atenção no trajeto, fazendo questão de acompanhar a rota pelo GPS e tentar disfarçadamente auxiliar Camila a sair dali, já que era bem claro que não estávamos perto de um restaurante chique.

Camila diminuiu a velocidade quando um carro deu sinal que iria sair da vaga, o carro atrás de nós parou logo atrás e eu senti meu coração acelerar quando o homem do automóvel de trás simplesmente desceu do carro. Olhei para minha namorada e vi ela tão tensa quando eu, olhando ao nosso redor, provavelmente para procurar uma maneira de sair dali principalmente depois do homem que estava no carro a nossa frente descer também e nos encarar fixamente.

- Camila dê a ré. – Ordeno ansiosa.

- Não tem como dar a ré sem acertar o carro de trás, Lauren.

- Camila nós temos que sair daqui agora, dê a ré. – Gritamos assustadas quando o homem do carro de trás da um murro na janela do porta-malas.

- Ai meu Deus, Lauren. – Ela se abaixa, prontamente segurando minha mão – Que merda é essa? – Meu celular havia caído no chão com o susto que eu havia levado.

- NINGUÉM DISSE QUE É PERIGOSO VIR AQUI ESSA HORA? – Um novo murro no vidro.

- Lauren... – Sua voz era chorosa.

- Camz eles não vão fazer nada. – Sentia meu coração extremamente acelerado – Não se preocupe, nada vai acontecer. – Entrelaço nossas mãos e disco o número de Owen enquanto eu podia ouvir um dos homens rodeando o carro – Que porra. – Olho assustada para trás.

- Eu acho que eles furaram um dos pneus. – Camila estava pronta para saltar do seu banco para o meu colo.

Víamos e escutávamos os dois homens irritados socando e batendo no carro enquanto o mesmo balançava diversas vezes. Eu não sabia se tentava acalmar Camila, ligar para alguém ou surtar de pavor em relação a tudo o que estava acontecendo naquele momento. Senti meus olhos arderem e uma vontade de chorar me atingir, minha cabeça trabalhava rápido procurando alguma alternativa.

- Camila, olhe para mim. – Estremeço quando socam a minha janela – Eu não vou deixar ninguém fazer nada com você, tente ligar para Owen. – Pego meu celular e começo a ligar para Keana.

- Ele não atende. – Sussurra, deixando um grito escapar quando batem na porta dela.

- SAIAM DO CARRO. AGORA. – A voz era muito grossa.

Olho para frente e arregalo os olhos quando vejo o cara com um objeto que era usado para trocar pneu de carro, podia notar que ele observava o melhor lugar para acertar o vidro. Morrendo de medo de nós duas nos machucarmos fiz Camila abaixar a cabeça e fiquei com o meu corpo por cima dela, escutando o vidro da frente quebrar com tudo quando o homem acertou o objeto contra ele.

Cacos estavam por todos os lados e eu sentia meu coração bater cada vez mais acelerado, assim como a vontade de chorar, que foi exatamente o que acabou acontecendo quando eu permaneci abaixada sobre o corpo de Camila, não deixaria ninguém machuca-la. Nunca havia sentido tanto medo em toda a minha vida, mas eu precisava tomar uma atitude para que nada grave acontecesse conosco.

- O QUE VOCÊS FAZEM AQUI? – O cara gritou.

- Nós estamos perdidas. – Levanto meu corpo, mantendo minha mão nas costas de Camila, para que ela continue abaixada.

Talvez toda a situação deixasse tudo pior, mas o homem era extremamente alto, sua barba estava por fazer, seus olhos eram negros como a noite e o boné não me permitia ver o rosto com clareza. A pele era branca como a minha e as roupas largas demais, os arranhões em seu braço mais a mão machucada denunciavam tudo o que ele havia feito com o carro de Camila.

- SABE O QUE É ISSO? – O homem ergue o objeto – VOCÊ SABE? – Eu sentia meu coração bater tão rápido que eu não conseguia raciocinar – É VOCÊ RECEBENDO UMA PEGADINHA, LAUREN.

Me assusto com todas as portas do carro sendo abertas, câmeras nos cercando de todos os lados enquanto todos que me cercavam naquele momento riam. Camila permaneceu abaixada, só que agora ela ria alto, puxei minha mão de suas costas e passei pelo meu cabelo, completamente perdida com tudo o que estava acontecendo.

- SORRIA, VOCÊ ESTÁ NO PUNK’D! – Camila grita batendo palmas, assim como todos.

Olho por de trás do homem que me gravava de perto, vendo uma enorme quantidade de pessoas com escutas. Todos riam e batiam suas mãos, comemorando a pegadinha.

- O quê? – Havia uma câmera muito perto do meu rosto.

- Diga ‘oi’ para a MTV, amor. – Camila me abraça e eu a encaro incrédula.

- Porra, Camila. – Ela ainda ria, assim como todos ao meu redor – Nossa, Karla Camila, eu te odeio muito, eu achei que a gente ia morrer. – O ator que havia quebrado o vidro solta uma gargalhada.

- DESCULPA. – Desço do carro, vendo Keana morrendo de rir – Desculpa, amor.

- Nossa, isso foi muito cruel. – Aponto para Keana – VOCÊ ESTÁ FODIDA COMIGO! – Minha agente solta uma gargalhada – EU VOU ME VINGAR, CAMILA. – Minha namorada volta a rir, abraçando o ator que havia ajudado com a pegadinha.

Depois de correr atrás de Camila e tentar me vingar inutilmente todos me explicaram como a pegadinha havia ocorrido, o que foi muito genial. O programa tinha entrado em contato com Camila e ela havia gostado da ideia já que disse que queria se vingar das diversas pegadinhas que eu já havia pregado nela. Minha namorada mesmo havia bolado tudo com a ajuda dos produtores no programa, estabelecendo lugares e fazendo coisas sutis que sabia que somente uma sistemática como eu notaria.

Acontece que o carro não era novo, era um carro próprio para a pegadinha. O destino que estava no GPS dava realmente no lugar aonde estávamos; o vidro que havia sido quebrado era falso; o pneu que havia sido ‘furado’ na verdade já estava furado e apenas havia sido completamente esvaziado de uma maneira mais bruta enquanto estávamos distraídas; e todos os socos e tapas realmente haviam sido distribuídos enquanto estávamos dentro do carro, mas nada que não fosse possível desamassar depois.

Antes de desarmarem tudo, Camila abraçou a minha cintura e pediram para eu dizer “Meu nome é Lauren Jauregui e eu acabei de sofrer uma pegadinha por Camila Cabello no Punk’d” enquanto todos ao nosso redor aplaudiam e riam. Logo após aquilo todos os responsáveis pelo programa começaram a levar tudo o que pertencia a eles, Keana e Sandra guiaram Camila e eu para um carro para que nós pudéssemos finalmente jantar.

Durante o caminho minha namorada me contou que podia fazer pegadinha com mais pessoas, por esse motivo ela havia escolhido Dinah como uma de suas vinganças pessoais, mas pegaria Normani e Ally ao mesmo tempo. De acordo com Camila a pegadinha de Dinah seria mais pesada que a minha, e a de Ally com Normani seria mais leve, mas ainda assim seria apavorante para as duas.

- Lo? – Encaro minha namorada – Você não está bolada, está?

- Não. – Respondo simplesmente.

- Lauren Michelle. – Cruza os braços após deixar a bolsa em cima da bancada – Você passou o jantar inteiro em silencio e agora está com essa cara.

- Camila, é a única cara que eu tenho. – Tiro a jaqueta e prontamente tiro meu vestido – Vou tomar um banho. – Me tranco no banheiro.

Eu não estava brava ou bolada, é claro, mas queria um tempo para planejar uma vingança com a minha namorada e não envolveria ela se assustando, faria ela ficar frustrada com a minha falta de atenção e definitivamente faria ela se sentir culpada por ter feito o que fez comigo.

Após o meu banho caminhei olhando fixamente para o armário, escutando minha namorada bufar frustrada ao meu lado, soltei a toalha quando escutei a porta do banheiro se fechando com força. Coloquei uma calcinha boxer preta e um blusão cinza bem fresco, me joguei na cama, liguei o ar condicionado e a televisão para esperar Camila voltar.

Desviei meu olhar da televisão quando a porta do banheiro foi aberta e a minha namorada completamente nua se escorou no batente da porta, conseguindo toda a minha atenção. Ela estava mais morena por conta do tempo que havíamos passado no sol em nossas “férias”, seu corpo estava um pouquinho mais cheinho e ela conseguia estar mil vezes mais sexy com o cabelo preso em um coque com apenas sua franja solta de uma maneira desajeitada.

- Você ainda vai me ignorar? – Cruzo os braços.

- Está achando que eu sou uma adolescente cheia de hormônios, Karla Camila? – Arqueio as sobrancelhas, tentando não olhar para nenhuma das suas áreas intimas completamente expostas.

- Claro que não... – Ri divertida, ficando um pouco de costas.

Meu olhar vacilou e encarou sua bunda redonda e com marca da calcinha do biquíni.

Maldita bunda maravilhosa.

- Coloque um pijama, Camila. – Viro meu olhar para a televisão e sinto a ponta da cama afundar, indicando que ela estava sobre o colchão.

- Você não está brava, está, Lo? – Fica de joelhos na cama e eu a encaro indiferente.

- Camila, eu estou cansada, coloque um pijama e vamos dormir. – Me ignorando completamente minha namorada se aproximou ainda mais e colou cada perna sua em um lado do meu corpo – Camila. – Rio e nego com a cabeça – Você pode implorar e eu não vou transar com você essa noite.

- Mas por que não? – Questiona como uma criança birrenta.

- Porque você não está merecendo. – Ela bufa frustrada, se jogando ao meu lado, deixando sua bunda para cima.

- E o que eu estou merecendo, Lauren?

Foi então que eu acertei um tapa em sua bunda, ouvindo seu grito surpreso, conseguindo ver perfeitamente a pele morena tomar uma coloração avermelhada. Suas pernas que antes estavam em cima da minha ficaram embaixo das minhas quando decidi me sentar sobre suas panturrilhas; seus braços estavam na lateral de seu corpo, enquanto suas mãos agarravam o lençol; minha mão esquerda estava nas costas de Camila, a impedindo levantar ou mudar qualquer centímetro daquela posição; e por último sua bunda enorme estava bem na minha frente, pronta para receber novos tapas.

- Você está merecendo tapas, Karla Camila. – Sinto ela estremecer sob mim.

Arranhei superficialmente o lado o qual eu havia dado o tapa, vendo Camila ficar completamente arrepiada. Quando minha namorada tenta olhar para trás seguro sua nuca com a mão livre e não demoro muito para dar mais um tapa, não escutando nenhum som vindo dela dessa vez. Me permiti sorrir de canto.

Nós as vezes usufruíamos de tapas durante nossa rotina sexual, é claro que era algo que ambas gostávamos e assegurávamos ser prazeroso, caso contrário seria completamente riscado e não seria realizado. Camila e eu buscávamos sempre ser cada vez mais intimas uma da outra, isso incluía a confiança e a ousadia na hora de testar novas coisas, como naquele momento.

Quando acertei um novo tapa, dessa vez em um lado diferente escutei um gemido baixo, mas não era um gemido de dor e isso conseguiu facilmente me deixar excitada. Era extraordinário a ideia de Camila gostar e até mesmo ficar excitada com os tapas que eu lhe dava.

- Você me deixou tão assustada... – Acaricio a região avermelhada – A ideia de alguém podendo fazer qualquer mal para você me deixou louca, Camila. – Dou um novo tapa, vendo ela ficar arrepiada novamente – E no fim era você, me fazendo de trouxa em frente a todas aquelas pessoas, e dentre alguns meses, outras milhares. – O tapa que veio em seguida foi mais forte, pude facilmente escutar seu gemido estrangulado.

É assustadoramente quente me sentir excitada apenas por estar distribuindo tapas naquela região. É completamente insano ficar cada vez mais excitada ao ver Camila arrepiada e gemendo baixinho de prazer a cada tapa deixado em sua bunda.

- Eu sinto muito, Lo... – Aperto a região avermelhada e ela suspira.

- É bom você sentir mesmo, Karla. – Me deito parcialmente sobre o seu corpo, somente para sussurrar em seu ouvido – Porque hoje você vai ficar muito excitada, e nem você e muito menos eu, vamos te tocar.

- Não, Lauren. – Ela tenta se levantar e eu faço uma pressão contra o seu corpo, a obrigando ficar deitada.

- Você não está merecendo, caso você me satisfaça direito, eu posso pensar em te compensar mais tarde. – Enfinco minhas unhas na carne macia de sua bunda, a ouvindo gemer – Estamos entendidas?

- Estamos. – Ela morde o lábio inferior quando eu deixo um novo tapa em sua nádega esquerda.

Calmamente sai de cima de Camila e pude notar seu olhar fixo assim como o seu sorriso malicioso. Ela jurava que eu iria fazer o que ela quisesse mais tarde, mas Camila estava muito enganada naquele momento. Me deitei na cama e senti seu olhar predador sobre mim, analisando o que faria em seguida e eu me limitei encara-la com as sobrancelhas arqueadas.

- O que está esperando? – Camila passa a língua sobre os lábios e leva suas mãos até a calcinha boxer que eu usava, a puxando facilmente para o meu corpo.

Mantive meu olhar sério, não me deixando abalar pelo sorriso malicioso de Camila ao confirmar que eu havia ficado excitada desde que ela tinha saído de seu banho. Me recostei nos travesseiros atrás de mim quando minha namorada abraçou minhas coxas e deixou diversos beijos no interior da minha coxa e até mesmo em minha virilha. Prendi a respiração e joguei a cabeça para trás quando Camila passou sua língua da minha entrada até o meu clitóris, fazendo questão de fazer alguns movimentos com sua língua ali para só então chupa-lo.

Os dedos finos de Camila apertavam minhas coxas com força conforme ela me chupava cada vez com mais gana e eu me contorcia de prazer sem conseguir controlar a maneira que meu corpo regia aos seus toques. Enrolei seus cabelos em meus dedos e empurrei ainda mais sua cabeça contra a minha intimidade quando a senti me penetrar com sua língua habilidosa, não conseguindo evitar de gemer e agarrar meu seio esquerdo com a mão livre.

Era extremamente prazeroso ver Camila empenhada em me proporcionar prazer, assim como era extremamente excitante ver seus olhos castanhos quase negros me encararem enquanto sua boca estava ocupada demais percorrendo minha intimidade e suas unhas faziam questão de me arranhar para simplesmente demonstrar sua frustração em não poder se tocar enquanto me chupava, como geralmente acontecia.

Não consegui evitar de gemer ao finalmente gozar, soltando as mechas do cabelo da minha namorada que estavam enroladas entre meus dedos. Pisquei algumas vezes, ainda extasiada com o oral maravilhoso que Camila havia me proporcionado. Traguei saliva quando notei que ela já tinha uma de suas mãos entre suas pernas, se tocando lentamente.

- CAMILA. – Rosno irritada – Nada disso.

- Lauren... – Geme baixinho, me fazendo estremecer – Por favor, eu preciso...

- Não. – Seguro sua mão e ela solta um grunhido irritado – Eu te alertei. – Levo a mão que ela tocava para perto do meu rosto, vendo dois de seus dedos molhados – E você continuou sendo uma menina má, não vai receber sua recompensa. – Levo os dois dedos para dentro de minha boca.

Passei minha língua por seus dedos e fiz questão de chupa-los enquanto acariciava seu pulso, os olhos –agora- negros encaravam meus lábios fixamente e não pude evitar de sorrir triunfante ao notar Camila com a boca entreaberta quando terminei de chupar seus dedos.

- Boa sorte em seu outro banho. – Me aproximo e roubo um selinho – Seu oral parece ficar cada dia melhor, babe. – Sorrio sacana e me curvo para pegar minha calcinha boxer – Boa noite, Camila.

- Lauren... você não pode fazer isso. – Ela estava desesperada – LAUREN.

- Boa noite, Camila.

- Amor, por favor... – Ela choramingava – Por favor... – Sinto seus beijos em meu pescoço e sua mão tentando segurar a minha para levar em um lugar que eu sabia que se eu tocasse não teria volta – Eu preciso da sua ajuda...

- Deveria ter pensado nisso antes de me assustar daquela maneira e desobedecer minhas ordens... – Me cubro melhor.

- É assim? Tudo bem. – Fala ainda irritada.

Foi então que minha tortura começou, Camila simplesmente se deitou ao meu lado para começar a se tocar. O silencio do quarto me fazia escutar perfeitamente sua respiração ofegante e ela fazia estão de vez ou outra roçar seu braço ou perna em mim. Não consegui evitar de ficar excitada, principalmente após ouvi-la gemer baixinho e sentir a cama se movimentar mais algumas vezes. Fiquei completamente tensa quando senti uma de suas mãos procurarem a minha, arrastando-a para o lugar que eu mais queria tocar naquele momento, sem conseguir me conter toquei sua intimidade com sua mão ainda sobre a minha.

- Eu te odeio. – Rosno, empurrando as cobertas – Eu te odeio muito, Camila. – A puxo pela perna e escuto sua risada debochada.

- Sim. – Geme baixinho quando meus dedos começam a masturba-la – Sim, Lauren. – Suas mãos vão para meus ombros.

- Calada, eu ainda estou brava com você. – Rosno, apertando seu clitóris.

Minha namorada estava muito excitada, isso gerou sua afobação para dar continuidade ao que iria aconteceu em seguida. Camila me jogou na cama e ficou sobre mim, fazendo nossos sexos se encontrarem pela primeira vez. Eu apertava seu quadril com raiva e buscava saciar meu tesão o mais rápido que conseguia, Camila gemendo e movimentando o seu tornava tudo extremamente prazeroso e me deixava com ainda mais raiva. Ela havia conseguido o que tanto queria. Meu peito ardia em brasa, podia sentir meu sexo ficando cada vez mais molhado facilitando tudo, apertava as coxas de Camila cada vez mais forte para que ela não visse minhas mãos tremendo com tamanho prazer que ela estava me proporcionando.

Abro bem os olhos quando Camila enfinca suas unhas em meus ombros, fazendo questão de arranha-los e gemer alto. Seus seios se movimentavam de acordo com nossos movimentos, me fazendo encara-los e em seguida fazer uma pressão com dois dedos em seu mamilo, escutando Camila gemer mais alto e se roçar ainda mais em mim.

- Eu estou tão brava. – Sinto o corpo de Camila ficar completamente relaxado sobre do meu.

Ela havia gozado.

- Porra. – Sussurra, mudando a posição – Você deveria ficar brava mais vezes. – Morde o lábio inferior assim que me toca – Eu amo quando você fica brava. – Seu corpo ainda estava relaxado – E confesso quando você é rude comigo assim. – Seus dedos me preenchem e eu solto um gemido baixinho.

- Eu te odeio.

- Eu também te amo. – Ri divertida, me preenchendo mais uma vez com seus dedos.

Eu não consegui conter o gemido alto de satisfação que cortou a minha garganta.

Camila movimentava seus dedos em um ritmo torturante, que passou a ser extremamente prazeroso conforme a velocidade aumentou e a pressão que fazia em meu clitóris passou a ser ainda mais intensa. Eu não aguentei, gozei em seguida. Sentindo fortes espasmos tomarem conta do meu corpo e uma sensação maravilhosa predominar. Eu estava mole e não conseguia raciocinar direito e muito menos agir.

- Melhor sexo de todos os tempos. – Se joga ao meu lado.

- Eu ainda continuo brava.

- Continua nada. – Ri divertida, beijando meus lábios.

- Eu tenho que estar. – Faço um bico e Camila ri, segurando meu rosto para roubar mais um beijo – Você foi má comigo e...

- E eu nunca mais faço isso. – Sorri divertida, mordendo meu lábio inferior – Você quer dormir ou quer...

- Oh eu não aguento mais uma rodada. – Camila ri – Eu estou muito cansada.

- Fraquinha. – Abro a boca e ela lota meu rosto de beijos – Estou apenas brincando, amor.

- Acho bom. – Aperto sua coxa e beijo sua bochecha – Eu amo você.

- Eu também te amo. – Se aconchega em meu corpo – E eu amo seu cheiro. – Esconde o rosto em meu pescoço, não consigo evitar de rir.

Conversamos um pouco mais, até que decidimos levantar para passar uma água no corpo, nos trocar e finalmente dormir.

(...)

Os nomes das músicas de Camila finalmente haviam sido liberadas, e meu nome estava no meio de uma delas, o que gerou um reboliço absurdo nas redes sociais e surtos em todos elas. Todos estavam doidos para comprar o novo álbum de Camila para ouvir nossas vozes juntas e nossa canção tão esperada.

Ser o ‘rosto’ de grandes marcas como Calvin Klein e Adidas teriam novos fins a partir daquele dia. Tanto Camila quanto eu passamos a manhã inteira em estúdios diferentes fotografando para as duas marcas, já que ambas amavam a ideia de ter duas pessoas tão comentadas na mídia para fotografar com suas roupas. Entretanto, a super produção que tivemos em nossos cabelos e toda a maquiagem seria mantida para o nosso segundo compromisso do dia.

Encaro reflexo no espelho e suspiro, aquilo provavelmente seria a coisa mais idiota que já haviam pedido para Camila e eu fazer em todas as nossas vidas. Nós seríamos obrigadas a passear pelas ruas de Los Angeles por duas horas fingindo que não víamos uma boa quantidade de paparazzis em lugares estratégicos, tanto Sandra quanto Keana nos deram uma lista de coisas que teríamos que fazer enquanto caminhávamos para que fotografassem momentos fofos nossos, nenhum de nossos seguranças estariam conosco para tornar tudo “mais natural”.

Até nossas roupas foram pensadas para a ocasião. Eu vestia uma blusa branca de mangas delicado que ia até o começo das minhas coxas e possuía um decote de tamanho aceitável, um short jeans curto e calçava um salto alto nude, tendo minha pulseira de ouro, brincos e alguns anéis como acessório. Já Camila vestia uma calça jeans bem justa e um top cropped branco rendado e um salto alto com as tiras brancas, seus acessórios eram os mesmos que os meus. Até quem não nos conhecesse seria obrigado a nos encarar, estávamos simples, mas delicadamente arrumadas.

- As gravadoras querem passar uma imagem mais comportada de vocês... – Keana comenta e eu concordo com a cabeça, passando as mãos pelos cabelos.

- Eu sei. – Eles estavam tentando fazer isso depois que as fotos da minha mão na bunda de Camila haviam saído – Não me importo com nada dessas merdas.

- Lauren...

- É a verdade, só faço essas porcarias porque sou obrigada. – Bufo – Camila tinha que estar descansando porque logo suas semanas vão ser abarrotadas de coisas para fazer e eu deveria estar preocupada com o meu time no The Voice. – Pego minha carteira também na cor nude e discreta.

- É só por um tempo, depois que o filme sair vocês podem seguir em frente e fingir que nada disso aconteceu. – Minha namorada entra no quarto e eu logo paro de falar com Keana.

- Pronta para ir? – Questiona sem muita animação.

- Claro. – Me levanto – Aonde nós vamos?

- Sandra disse que a melhor coisa a se fazer é dar uma volta e fazer algumas compras, nesse cartão. – Mostra o mesmo e eu arqueio as sobrancelhas.

- As pessoas vão achar que a gente só sai de casa para isso. – Camila começa a rir e eu sorrio, entrelaçando nossas mãos enquanto saíamos do cômodo – Vamos tomar um café em algum lugar ou vamos dar uma volta em algum museu, sei lá...

- Vocês têm que ficar em um lugar aberto, então o museu...

- Não dá, já saquei. – Respondo irritada.

Desde que toda essa coisa de nossas gravadoras se meterem em nosso relacionamento tanto Camila quanto eu havíamos nos afastado de nossas agentes, porque nós sabíamos que tudo o que contávamos para elas deveria ser mencionado para as pessoas que cuidam da nossa imagem e consequentemente seria usado contra nós.

Durante todo o caminho para o café Camila lia a lista do que tínhamos que fazer, até que no meio dela apagou todos os itens e informou que se fossemos para fazer aquilo, faríamos do nosso jeito. A cada dia eu tinha mais e mais certeza que minha namorada conseguia odiar tudo aquilo mais do que eu, e isso já era bem difícil, mas aos poucos aceitávamos a ideia para que não gerasse confusões.

Fizemos uma das coisas que haviam sido recomendadas, parar o carro meio longe para que caminhássemos até o lugar que iriamos parar por alguns instantes. De mãos dadas andamos conversando sobre o quanto tudo aquilo era ridículo, mas acabou que foi ficando engraçado conforme nós fazíamos piadinhas sobre os caras chatos que nos obrigavam a fazer tudo aquilo.

Pegamos uma mesa do lado de fora do café, sentamos frente a frente depois de pegarmos nossas bebidas. Camila estando na minha frente não pude evitar de observa-la com bastante atenção, sentindo meu coração acelerar conforme eu notava cada traço maravilhoso da minha namorada, que estava particularmente espetacular naquele dia.

- Você está linda. – Interrompo sua fala e ela ri, ficando com as bochechas vermelhas.

- Por que você disse isso do nada? – Da um gole em sua bebida, tentando disfarçar sua timidez com aquilo.

- Porque é a verdade. – Seguro sua mão, sorrindo – Você é muito linda.

- Lauren. – Cobre o rosto com a mão que eu não segurava – Pare com isso.

- Não acredito que você está ficando com vergonha. – Não posso evitar de rir – Você nunca fica com vergonha, babe. – Beijo sua mão e ela morde o lábio inferior.

- Você diz isso do nada e espera que eu não fique com vergonha? – Sorrio e encaro seus lindos olhos castanhos.

- Nós já namoramos a muito tempo para você ter vergonha de mim. – Ergo o copo descartável e deixo o mesmo em frente à minha boca para ter certeza que ninguém iria conseguir fazer leitura labial do que eu iria dizer em seguida – Ainda mais depois de certas coisas que fazemos...

- Lauren! – Camila começa a rir e eu dou um gole em minha bebida, acompanhando sua risada.

O resto do nosso café da tarde foi bem divertido, confesso, principalmente quando a mãe de Camila ligou pelo FaceTime por conta de Sofia estar querendo ver sua irmã, minha namorada se sentou ao meu lado e ficamos conversando com a minha cunhada para distraí-la um pouco, Sofi estava doente e por esse motivo estava bem manhosa, o que eu achei uma gracinha.

Caminhamos pelas ruas e realmente compramos algumas coisas, novos moletons e tênis novos já que de acordo com a minha namorada ela teria que usar Adidas boa parte do seu tempo, isso incluía os tênis confortáveis da marca. Soube que as fotos dariam muito o que falar quando Camz levou o copo com milk-shake que havia comprado até os meus lábios, me fazendo experimentar já que sempre dividíamos nossas comidas, acontece que aquela simples ação seria o suficiente para tornar tudo um grande reboliço. Algumas pessoas nos reconheceram e tiramos algumas fotos rápidas antes de continuar nossa caminhada, sendo acompanhada por fotógrafos nos últimos instantes.

Os fotógrafos que nos acompanhavam definitivamente não eram os que tinham sido notificados anonimamente pelas nossas agentes, mas sim, paparazzis que apenas tinham descoberto nossa localização e queriam tirar boas fotos. Por estarmos em um bom-humor, acabamos conversando um pouco com eles, que estavam muito civilizados naquela tarde e aparentavam saber bastante sobre nós, principalmente sobre a nossa parceria.

- Vocês gravaram um clipe para a música? – Um paparazzo pergunta desviando de um poste.

- 1000 Hands vai virar single?

- Não temos nada planejado. – Camila mente, ajeitando seus óculos de sol.

- Lauren seu carro está ali. – O homem aponta quando nota que eu ia atravessar com Camila para ir a um carro que não era meu.

- Oh é mesmo. – Nós rimos, Camila abaixa um pouco a cabeça – Tchau pessoal. – Abro a porta para minha namorada.

- Tchau meninas, tenham um ótimo dia. – Dou a volta no carro e aceno, entrando no carro.

- Esses saltos machucaram meus pés. – Camz comenta colocando o cinto – Nós podemos ir para casa trocar de roupa?

- Claro. – Ligo o carro, vendo os fotógrafos se afastarem do automóvel – E nós vamos poder finalmente fazer nossa maratona de séries. – Comento animada.

- Viciada. – Rimos, saindo dali.

A nossa parte tínhamos feito, agora só precisávamos esperar as manchetes em todos os sites mais tarde.


Notas Finais


Eu não tenho muita certeza sobre esse lado mais ousado de Camren no sentido de hot, vocês gostaram ou preferem mais o famoso "sexo baunilha"? Quais são suas apostas para o que vai acontecer em seguida? Lembrando que logo logo o videoclipe delas vai sair e muitas coisas serão ditas por fãs e tabloides!!
Obrigada a todo mundo que está comentando, gostando e divulgando a história, ela não seria absolutamente nada sem o apoio de vocês!! Caso vocês queiram falar comigo é só me chamar no Twitter (switch5Hearts) ou caso tenham vergonha é só me mandar uma mensagem no Curious Cat, aonde o user é o mesmo!
Natália xX(:


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...