História Behind my smile. - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Lemon, Romance, Short Fic, Yaoi
Visualizações 65
Palavras 1.330
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Festa, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Mais uma fanfic! Espero que se divirtam... E bem, boa leitura!

Capítulo 1 - Prólogo.



❝A primeira vez que a pessoa se apaixona muda a vida dela para sempre e, por mais que você tente, o sentimento nunca desaparece.

— O Diário de uma Paixão, Nicholas Sparks.❞


Andei para fora daquela empresa, sentia o frio me embalar. Apertei meu casaco contra o peito, conseguia ver minha respiração pelo ar. Passei por um parque; crianças brincavam. Não sei como aguentavam esse frio, mas, estavam tão empacotadas que nem sei se sentiam o frio. Mas eu devia chegar ao meu destino: Sweet's Coffee's. Bem clichê, eu sei.


Sou Harumi Eiichi, tenho 23 anos, sou dono de uma empresa de advocacia. Costumo passar muito tempo no escritório, e quando finalmente saio, ou vou para uma cafeteria, que é bem próxima da empresa, ou vou para meu apartamento. Um rotina comum, poucas vezes saio para me divertir, mas sempre que saio acabo conseguindo uma bela dor de cabeça.

— O que vai querer? — a atendente sorridente pergunta enquanto me sento na cadeira.

— Um café comum sem açúcar, por favor. — falo e ela rapidamente saiu em direção a cozinha.

A cafeteria era um lugar bonito, pintado com cores pastéis algumas decorações bem infantis. Acho que todos que freqüentam essa cafeteria são pessoas alegres, e nesse momento me pergunto; O que estou fazendo aqui?

Sou uma pessoa muito fechada, meus poucos amigos me apelidaram de "Capitão gelo", e sim, eu sei que sou uma pessoa fria. Sei que nunca farei alguém feliz, eu não faço bem nem a mim mesmo imagine para outra pessoa. Sou um fracasso como pessoa, não financeiramente já que tenho ótimas condições, mas eu nunca terei uma família, nunca poderei fazer alguém feliz já que eu não sou feliz.

— S-senhor... — ouvi uma voz baixa chamar-me.

Sai dos meus devaneios e voltei-me a voz que me chamava. Um garoto de cabelos castanhos, olhos verdes e bochechas coradas, ele deixou o café encima da mesa e fez uma reverência. O acompanhei com o olhar até vê-lo entrar na cozinha. Nunca o vi nesse café, será que é um funcionário novo?

Comecei a tomar meu café, eu estava ali fisicamente, mas minha mente vianava para longe. Fui despertado por um pequeno tabefe na cabeça

— Ai! — olhei para frente e vi Hyuna, a dona do local.

Sim eu conheço a dona do lugar, digamos que eu sou meio que um "VIP" desse lugar, eu frequento esse lugar desde que abriu à 3 anos atrás.

— Argh, estou te chamando a 5 minutos! Em que estava pensando, Harumi? — perguntou sentando a minha frente.

Fitei a mulher de cabelos castanhos por alguns segundos, em que estava pensando mesmo... Naquele atendente: — Em nada especial, apenas... Pensando - dei de ombros.

— Hm, sei — sorriu — então, trabalhando muito? — perguntou. Suspirei fundo.

— Sempre estou trabalhando muito, Hyuna — ri sem humor algum.

— Você precisa trabalhar menos, precisa se divertir! Ainda é jovem e bonito, tem que achar alguém que suporte esse seu humor terrível — riu.

— Você fala como se fosse bem mais velha que eu - dei um gole no meu café —, você só tem 30 anos e devia seguir seu próprio conselho. E pela parte de arrumar alguém, ninguém me suporta, Hyuna.

— E estou seguindo meu conselho Hoje irei sair com alguém — falou animada e eu abri um sorriso — mas... Não sei se poderei ir — falou e sorriu, triste.

— Por que não? — perguntei.

— Meu sobrinho, tenho que cuidar dele, mesmo ele tendo 18 anos não confio nele saindo sozinho até em casa...

— Você que é muito protetora, quem é o garoto? — perguntei.

— Aquele ali — apontou para o balcão.

O garoto que me atendeu estava lá, com um sorriso no rosto enquanto atendia uma senhora. O fitei por alguns segundos e voltei-me a Hyuna que me olhava de forma esquisita.

— O que foi? — perguntei, desconfiado — Você bem que poderia levá-lo... Vamos lá, sei que você não tem nada para fazer! Por mim, sim? — ri instantaneamente.

— Ok, ok — ele me olhou surpresa —, eu não sou tão ruim assim e, eu quero que você desencalhe.

— Você é o máximo! — gritou, todos que estavam na cafeteria olharam para nós — Ops... Eu vou avisar o Kanada! Obrigada, Harumi .— e saiu praticamente correndo.

. . .


Eu estava do lado de fora da loja, fumava um cigarro enquanto via alguns flocos de neve passarem por mim. Olhei para chama do cigarro enquanto esperava Hyuna fechar a loja. 

— Kanada, venha logo! — ouvi Hyuna gritar.

Essa mulher é uma Louca.

Ela andou até mim e o garoto corria atrás dela. Aquele era no mínimo, engraçada. Ela pegou no braço do garoto e o arrastou até mim.

— Se cuida e não morre — Hyuna e deu um beijo na bochecha do tal "Kanada".

— Ok, tia. — ele sorriu, corado.

— Harumi, tem neve no se- eu 'tô atrasada! Tchau, tchau! — e saiu correndo.

Balancei a cabela para os lados e olhei para o garoto a minha frente, ele seguia a tia com o olhar.

— Então, vamos? — falei.

— Ahn, c-claro... — olhou para baixo.

— Por aqui.

Comecei a andar o guiando, o olhava por cima do ombro e ele me fitava corado. Cheguei até meu carro, um audi r8, abri a porta para ele e logo entrou. Fui para o banco do motorista, sentei e coloquei o cinto de segurança.

— Acho bom você colocar o cinto de segurança, digamos que... Eu não sigo muitas leis de trânsito.

— Então o que minha tia disse sobre vocês dois terem batido em um poste é verdade? — me olhou espantado.

— Sim... — a primeira Ferrari perdida ninguém nunca esquece — Então, coloque, não quero que machuque.

— H-hai

Liguei o carro e saímos, o caminho foi silencioso, eu já sabia onde era a casa da Hyuna, sabe nós nos tratamos como irmãos então, quando ela da piti em festas, já sabem para quem ligar.

Eu sempre estou livre para resolver algum problema para meus poucos amigos, seja ele grande ou pequeno. Na verdade eu me sinto sozinho e problemas são um bom passatempo, mas sempre os ressolvo rápido, isso deixa as coisas entediantes.

O carro estava muito silencioso mesmo, até que escutei um ronco e olhei para Kanada que estava corado. Abri um sorriso de lado e perguntei;

—Está com fome?

— Um pouco...

— Quer que eu te leve para um restaurante aqui perto? 

— N-não quero ser um incômodo... E-eu como quando che-

— Não será incômodo algum, não tenho nenhum compromisso.

— Então... Sim, obrigado, Harumi. — sorriu.

Voltei a atenção para as ruas. Abri um sorriso involuntário, o sorriso do garoto ao meu lado era contagiante. Continuei o caminho até o restaurante, não era tão simples assim. Era um restaurante relativamente grande. Parei o carro no estacionamento.

— Então, vamos?

. . .


— Aqui é um lugar muito grande... — sussurrou para mim. Ri brevemente.

— É um lugar comum. — falei.

— Senhor Eiichi? Que surpresa tê-lo aqui! Gostaria de uma mesa para um? — uma atendente falou passando na frente do Kanada.

— Uma mesa para dois, Kanada venha. — segurei sua mão.

— Ahn — a garota o olhou de cima a baixo — por aqui, senhor...

Ela nós levou até uma mesa afastada das outras, naquela mesa dava uma visão plena da rua e do céu. Já estava quase anoitecendo.

— Tem neve no seu cabelo — o garoto riu baixinho — deixa eu tirar.

Ele chegou perto de mim e suavemente passou a mão por meu cabelo. Eu o olhava atentamente, ele estava corado e, não sei. Simplesmente me senti estranho com isso.

— Pronto — sentou-se em seu lugar novamente.

Sorri de leve, e chamei o garçom. O resto do tempo que passamos naquele lugar foi até divertido.

Há quanto tempo não acho algo divertido?

Falamos sobre nossas vidas, fiquei sabendo um pouco sobre a vida dele e ele da minha. Depois de um tempo eu fui deixá-lo em casa e, quando nos despedimos, ele me deu um abraço que, de uma forma especial, fez meu coração aquecer.

Mas enfim, eu nunca o veria novamente mesmo.


.



Notas Finais


Er... Só isso :b espero que tenham gostado <3

E, até mais? :b

Comentem se tiverem gostado e favoritem!

Sigam: @Gayrota


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...