História Behind The Bars - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Jeremy Bieber, Pattie Mallette
Tags Justin Bieber
Exibições 90
Palavras 1.656
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OIIEE MEUS AMORES.

voltei com mais um cap em menos de uma semana, não sou um amor?
Como sempre espero que gostem e espero que vocês curtam e comentem pq como eu já devo ter dito milhões de vezes, isso é MUITO importante para mim.
Nos vemos nas notas finais <3

Capítulo 17 - I want you


Fanfic / Fanfiction Behind The Bars - Capítulo 17 - I want you

JUSTIN BIEBER’S P.O.V

 

 

—Esta tudo bem Justin?— perguntou novamente.

 

Quando ela viu que eu não respondi ela atravessou o banheiro me ignorando e fechou o chuveiro, que ainda jorrava água por meu corpo. Por mais que ela tenha se molhado um pouco na hora de fechar o registro, nada se comparou ao momento quando ela literalmente me levantou e começou a me secar com a toalha, e eu poderia jurar que aquela seria uma cena bem excitante se eu não tivesse acabado de deixar minha imaginação estragar quase tudo. Então definitivamente não, não era excitante.

Ela passava a tolha branca com as inicias do hospital por todo meu corpo, até que ela ficou paralisada. Sem entender o por que levei meu olhar na mesma direção que o dela e percebi que ela estava encarando meu membro ereto, que se encontrava por baixo do meu jeans ensopado. Ela engoliu em seco e ignorou aquela parte do meu corpo e se voltou para os meus cabelos que ainda pingavam. Por mais que ela não estivesse mais me encarando existia um clima estranho pairando no ar,e fiquei desesperado para dizer algo. Foi quando percebi que não tinha respondido sua pergunta:

 

— Sim.

 

— Sim, o que?— ela parou de secar meu cabelo e me olhou.

 

— Sim, eu estou bem — respondi abaixando a cabeça.

 

— Você quer conversar sobre isso?— perguntou.

 

— Não eu não quero e também acredito que você não quer.

 

Dessa vez foi ela que não me respondeu, Alexis saiu do banheiro sem fechar a porta e voltou com uma mude de roupa qualquer, e a estendeu em minha direção, e se virou de costas em seguida.

 

— Você vai tirar essas roupas molhadas, agora— ela deu uma pausa— E eu vou estar bem aqui se precisar de algo.

 

Ah mas eu precisava, na verdade eu necessitava. Aquilo tudo não podia ter sido coisa da minha cabeça, parecia tudo tão real, o modo como ela me tocava e o jeito como o seu corpo se encaixava no meu.

 

— Justin?— me chamou— Já esta se trocando?

 

Ela sabia que eu nem tinha retirado nenhuma peça de roupa, sabia que estava atenta a tudo que pudesse ouvir. Eu faria a mesma coisa em seu lugar.

Eu já estava sem camisa então apenas retirei a calça junto com a cueca, e meu membro deu um “pulo”.

 

— Merda— murmurei.

 

— Esta tudo bem aí?— perguntou.

 

— Ahh… Sim— falei colocando uma cueca para cobrir aquela coisa.

 

Depois de vestido, me dei o luxo de encarar Alexis por longos segundos ainda pensando como estive/não estive tão próximo de seu corpo horas atrás.

 

— Juro Justin, nunca vi um homem demorar tanto só para colocar uma calça e uma blusa.

 

— Pode se virar.

 

— Aleluia— murmurou em um tom de voz bravo, que não consegui analisar.

 

Ela me puxou pela mão levemente, em direção ao quarto e nós dois nos sentamos na cama olhando um de frente para o outro.

 

— Justin, tudo bem se não quiser conversar sobre isso comigo, ou talvez se você prefira conversar com Derek, afinal isso é coisa de homens— mesmo ela tagarelando sem parar não conseguia prestar atenção em nada— Eu entendo sabe, mas se quiser conversar comigo saiba que eu estou aqui, ok?

 

— Alexis, do que você esta falando?

 

— Ai meu deus— disse ela com os olhos se apertando de tão fechados— Vamos ter essa conversa.

 

— Que conversa? Você pode me explicar do que você esta falando?

 

— Tudo bem Justin, eu não queria ter que fazer isso e como você mesmo disse, acho que você também não— suspirou— Mas eu realmente não tenho escolha— deu uma pausa— Você estava … — fez um gesto apontando para uma direção, a qual não consegui identificar.

 

— Eu estava o que?— ela joga a cabeça para trás e finalmente fala.

 

— Você estava se masturbando?— ela pergunta e eu a olho chocado, mas antes que eu possa falar qualquer coisa, ela começa— Olha, se forem os remédios que não te deixaram ir até o fim ou se você estava frustrado por causa deles podemos falar com Derek e sobre isso— ela levanta e pega um dos meus desenhos jogados no chão— Você pode me contar sobre ela então, ou até mesmo para Derek se sentir mais confortável. Sabe, tudo bem, eu não sou um cara mas eu também posso falar sobre sexo e essas coisas— E ela finalmente para e um silêncio extremamente constrangedor paira no ar, estou realmente com vontade de me enfiar em um buraco e nunca mais sair de lá.

 

— Não é nada disso— falei um pouco desesperado.

 

— Tudo bem Justin, eu escutei os gemidos daqui de fora.

 

— Eu realmente não sei o que é o pior— murmurei— A garota por quem me sinto atraído pensar que eu estou me masturbando por causa de uma outra garota ou pensar que eu sou impotente— exclamei— Minha vida é uma maravilha— escondi minha cabeça entre minhas mãos.

 

— Você gosta de mim?— ela perguntou.

 

— O que? claro que gosto, você é minha tutora— engoli em seco— Além de ser bem mais legal comigo do que Derek.

 

— Justin, você sabe do que eu estou falando— ela disse mas quando percebeu que eu realmente não sabia ela continuou— Você acabou de dizer que se sente atraído por mim.

 

Eu disse aquilo?

 

— Não disse não— falei como se fosse óbvio.

 

— Ah falou sim— ergueu as sobrancelhas,

 

— Eu só faço merda.

 

— Você não respondeu minha pergunta Justin— soltou um suspiro fraco— Você se sente atraído por mim?

 

— Não é óbvio? Quem não se sentiria atraído por você?

 

— Você ficaria surpreso se eu te dissesse a quantidade— tentou fazer uma piada, mas percebeu que eu continuava envergonhado— Sabe eu não deveria dizer isso mas,eu também me sinto atraída por você.

 

— O que?— quase tenho uma sincope seguida por um pequeno engasgo— Quer dizer… como?

 

— É verdade— disse ela corando— Na verdade me sinto mais atraída por você do que eu gostaria.

 

— Alex— segurei seu rosto— Olhe para mim, não era sobre essa merda de desenho em quem eu estava pensando la dentro, era sobre você.

 

Ela olha em meus olhos e aparenta estar petrificada. Não é possível que ela acredite que eu não a quero, quer dizer que pessoa em sã consciência não iria querer alguém como ela?

Ela é tudo, ela tem tudo. E eu quero ser o tudo dela. Quero que ela sorria sempre, quero que ela sorria sempre por minha causa. Eu quero ela para mim. Porra, eu quero que ela seja minha, eu quer toca-la, e quero saber como e onde.

As palavras quase pulam de minha boca mas tenho medo da sua reação.

 

— Olha Justin— ela coloca duas mechas de seu cabelo atrás da orelha— Eu sei que já nos beijamos mas continuar com isso não seria … 

 

— Espere nos o que?— a interrompi.

 

— Você não se lembra?— ela coloca as mãos na cabeça e murmura— Meu deus, eu tenho repassado aquela cena na minha cabeça todas as noites, e você nem se lembra.

 

— Você sonha comigo— repeti incrédulo.

 

— Você não se lembra— repetiu em seguida.

 

— Você não me beijou— falei convicto— Tenho certeza, se isso tivesse acontecido, eu saberia.

 

— Por mais que eu não estivesse sã no momento, eu não saio por aí beijando qualquer um.

 

— Você não entendeu— a olhei— Você não me beijou, beijou ele.

 

Ela parou por um tempo e se afastou, eu conseguia perceber as engrenagens funcionando na cabeça dela. Agora ela sabia, ele havia feito isso. Tudo que há de errado é tudo culpa dele. Não, beija-la não foi algo errado, mas beija-la sendo ele, foi. 

E foi ali que minha ficha caiu, e fui consumido pelo ciúme. Mas como eu poderia explicar para ela que eu queria que ela ficasse longe de mim mesmo? Como eu poderia pedir a ela algo assim se ela não era nada minha?

Eu poderia estar delirando, mas não queria que ele a tocasse.

Nunca 

 

Mas você não pode controlar isso Justin.

 

Quando escutei o som das vozes, automaticamente tampei meus ouvidos. Eu havia passado um tempo sem escuta-las e quase pude me esquecer o quão horríveis elas eram.

 

— Justin— me chamou— Você esta me ouvindo?

 

— Não desculpe, eu … eu viajei— engoli em seco— Você pode repetir?

 

— Eu sinto muito— disse parecendo sincera— Ele estava tendo um surto e eu não sabia o que fazer, então eu o beijei na esperança de que ele pudesse voltar a realidade.

 

— E ele voltou?— perguntei esperançoso.

 

— Voltou, e eu sinto tanto— fechou os olhos— Se eu não tivesse feito isso, nós não estaríamos passando por isso agora.

 

— Eu não sei como dizer isso sem que te ofenda mas…— respirei fundo— Me arrependo de ter te beijado. Não por você e não que eu não tenha gostado, por que acredite eu sentia que tinha acontecido algo, só não sabia o que era. Mas me arrependo por eu não ser eu. Eu queria tanto...— fechei os olhos e mordi meu lábio inferior para não falar nenhuma besteira— Eu queria tanto. Na verdade eu queria isso desde o primeiro dia.

 

— E você pode ter— ela disse me surpreendendo, ela sempre me surpreendia.

 

— Eu posso?

 

— Justin— eu adorava quando ela dizia meu nome— Você pode ter tudo que quiser, o mundo é cheio de possibilidades. E não é só por que você esta atras de grades que você não pode tê-las — ela falou me olhando— Vá atrás daquilo que você quer.

 

— Eu quero você— disse e colei nossos lábios

 

Pude perceber sua surpresa de inicio mas depois seus lábios relaxaram e abriram espaço para minha língua, e eu estava morrendo.

Beija-la era morrer. Era como se você estivesse se jogando de um penhasco mas sabendo que continuaria vivo. Aprofundei o beijo e mordi seus lábios, fazendo que ela soltasse um gemido de aprovação exatamente como havia feito em minha alucinação, só que melhor tudo com ela era melhor. Com ela tudo era possível, e eu estava disposto a fazer o impossível por ela. E eu faria


Notas Finais


Que bonito, que cena mais linda...

E o que vocês acharam? coloquem aqui nos comentarios e quem não respondeu a pergunta no cap passado, eu ainda quero uma resposta. Jalexis ou Drexis?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...