História Behind The Camera - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jin, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Suga, Yoongi
Exibições 71
Palavras 1.879
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Desculpem qualquer erro. 🤗

Capítulo 7 - First Day


Fanfic / Fanfiction Behind The Camera - Capítulo 7 - First Day

   O toque do meu despertador acabou de sugar todas as minhas energias acumuladas para o primeiro dia, quando finalmente o tenho desativado sinto meu corpo pesar e meus olhos quererem fechar pelo simples fato de ser de manhã cedo.

   Abro meus olhos com certa pressa ao lembrar que estou prestes a ter a minha primeira aula. Jyang me olha com uma cara derrotada quando já estou sentada sobre a cama, parece que ela dormiu tarde com aquele celular na mão.

   Escuto meu celular tocar ainda na minha mão, onde pude ver que minha mãe me ligava. Vejamos, assim que cheguei no aeroporto liguei pra ela, porém com tantos acontecimentos de ontem não pude ligar, ela deve estar furiosa já que me fez prometer ligar todos os dias.

  – Atende isso! — Jyang joga seu ursinho em mim enquanto voltar a deitar.

   Sem tempo e nem vontade de revidar por simples preguiça simplesmente atendi o telefone.

M - Filha? Você está bem?

(S/N) - Oi mãe, desculpe por não ligar ontem. Estou bem sim.

M - Não faça isso, você disse pra mim que ia ligar todos os dias.

(S/N) - Estava ocupada com toda a mudança e por estar cansada dormi cedo.

M - Dessa vez... Daniel disse pra não esquecer dele.

(S/N) - Nunca, mas desculpa aos dois porque tenho que me arrumar para a aula.

M - Tudo bem filha, tchau e tenha cuidado. Te amo.

(S/N) - Tchau mãe, também te amo.

   Os dois bem que podiam ter vindo na mala, a saudade não pode bater assim, não agora. É meu primeiro dia e eu preciso dar toda minha atenção as aulas e não a saudade.

  – Que tipo de língua você estava falando? — Jyang já estava de pé escolhendo uma roupa.

  – Português, eu te disse ontem. — Sorri com sua memória falha.

  – Eu acho que eu estava usando o celular na hora. — Sim, era exatamente isso que você estava fazendo.

   Tenho certeza que ela prestou atenção em quase tudo o que falei ontem. Quase. Ela estava indo ao banheiro, mas para eu não correr o risco de atrasar passei em sua frente e fui primeiro.

  – Ya! É melhor não demorar! — Não respondi, apenas fechei a porta e tratei de ser rápida.

   O dia estava frio, então um banho quente me faria bem. O vapor da água quente se espalhava por todo banheiro, assim que sai pude ver o espelho embaçado então escrevi - Boa sorte pra nós - em coreano. Logo me vesti e sai do banheiro com a Jyang entrando logo em seguida.
   Arrumo minha bolsa um pouco ansiosa e derrubo um caderno, espero que tudo de certo hoje.

  – Boa sorte pra nós! — Jyang gritou do banheiro o que me arrancou uma ridada — Não sai agora tá?

  – Não vou sair agora. — Queria, mas não vou deixar minha nova amiga ir sozinha para a sala de aula, afinal também não quero chegar sozinha lá.

   Jyang não demora muito, assim como eu, logo saindo do banheiro arrumada e maquiada o que me lembrou que não passei nada no rosto, mas eu nunca me importei com isso e não é agora que irei me importar. Ela arrumou sua bolsa e foi até à porta me deu um sinal para irmos.

   Andamos pelo corredor, haviam mais pessoas do que ontem, provavelmente as que não ficam em dormitórios e sim nas suas próprias casas. Vejo o Jimin vindo em nossa direção com um sorriso lindo no rosto.

  – Olá meninas, prontas para o primeiro dia? — Ele fazia questão de demonstrar a alegria com seu primeiro dia de aula. Me pergunto se ele fará fotojornalismo também.

  – Estou sempre pronta. — Jyang parecia confiante.

  – Eu estava antes de sair do meu quarto, agora estou um pouco nervosa. — Não entendi minha mudança.

  – Não se preocupe princesa, vai dar tudo certo. — Princesa? Não pude deixar de corar um pouco com o elogio. Ele sorriu pra mim e eu pude me sentir mais confiante também.

  – Princesa? — Jyang fez que não acreditava no que ouvia.

  – Não fique assim noona, você sabe que é minha princesa também. — Noona? Jyang é mais velha que ele?

   Olhei para Jyang sem entender muito, ela parecia desconfortável, mas ela fez entender que me contaria depois. Aproveitei o silêncio para perguntar algo que queria saber.

  – Jimin, irá fazer fotojornalismo conosco? Não tive a chance de perguntar ontem.

  – Só me dou bem com as lentes da câmera, — Disso tenho certeza. — mas não me dou bem em como ela funciona então farei administração.

  – Boa sorte com o primeiro dia então. — Sorri, mas senti ser puxada por Jyang.

  – É Jimin, boa sorte, mas temos que ir. — Ela me arrastava para subir a escada.

   Passamos pelo corredor, cada uma olhando para um lado procurando a nossa sala. Olhando bem para Jyang não parece que ela gosta de câmeras, muita coisa não me parece ser o que é, mas sempre estou errada.

   Jyang achou nossa sala do lado direito do corredor abrindo a porta logo em seguida, haviam algumas pessoas conversando, outras sozinhas quase dormindo e uma silhueta conhecida por mim. Jin.
   Minha atenção é tirada dele quando Jyang escolhe um lugar para nós duas.

  – Então Jyang, você é mais velha que o Jimin e não me disse?

  – Não gosto quando ele me chama daquele jeito, me sinto velha.

  – Poderia ir direto ao ponto? — Não pode ser nada ruim explicar isso pra mim.

  – Eu só repeti um ano na escola, então o ano que repeti foi o que conheci o Jimin que logo depois virou meu vizinho, satisfeita?

  – Bastante. — Sorri já que ela contou o que eu queria saber e um pouco mais.

   Jyang também sorria, mas logo depois ela mudou sua expressão para uma de pura surpresa e susto. Eu olho na direção em que ela olha espantada. O que o ele está fazendo aqui? Eu realmente não esperava, ele está me seguindo?
  
   Yoongi entrou na sala novamente com sua expressão indecifrável, porém com um sono visível. Ele estava prestes a escolher uma cadeira, até me ver junto com Jyang.

Por favor não vem pra cá!

  – Já que vou te ver todo dia deveria saber pelo menos o seu nome.

   Era tarde demais e ele já estava na nossa frente. Percebi que no dia que o conheci, ele me disse seu nome, mas eu não disse o meu em nenhum dos "encontros" improváveis.

  – É... — Não esqueci meu nome, apenas fiquei nervosa só por imaginar as perguntas da Jyang depois que ela perceber que eu e Yoongi já nos conhecíamos.

  – Vamos começar de novo então? — Ele pos sua mão à minha frente para um comprimento. — Prazer, Min Yoongi.

  – (S/N). — O comprimento também, dessa vez não tinha o porque negar dizer o meu nome.

  – Bem melhor que da primeira vez. — Ele deu um sorriso de canto. — Tenha uma boa aula (S/N).

   Apenas dei um meio sorriso e o vi sair em direção a sua cadeira. Logo depois o professor aparece em sala me tirando a atenção de Yoongi.

   O professor se apresentou, disse que primeiramente iriamos aprender tudo teoricamente antes de por algo em prática, o que eu não via a hora de acontecer. Ele tinha começado a aula falando sobre os conceitos básicos que precisávamos saber.

   A aula ocorria bem até receber uma bolinha de papel na cabeça, olhava para todos os lados segurando o papel em mãos, mas não havia ninguém suspeito nem mesmo Yoongi que estava dormindo em sua banca. Uma outra bolinha é disparada em direção ao professor que o acertou também na cabeça, ele olha com certa raiva para todo mundo procurando alguém que tenha sido o responsável.

   O professor então olhou em minha direção, não tinha percebido mas ainda estava segurando a bolinha de papel acertada em mim antes.

  – Não acha que está um pouco velha para brincar de bolinha de papel? Isso não é o primário.

  – Mas eu não... — Ele nem mesmo me deixou terminar.

  – Por favor vá para a sala da diretora e leve isso com você. — Ele escrevia algo no papel e eu me levantava receosa, sem saber se isso estava acontecendo comigo de verdade.

   Sai de sala sem acreditar que nos primeiros trinta minutos de aula eu já havia saído e logo no primeiro dia. Andava pelo corredor querendo que tudo fosse um pesadelo, não queria começar assim, mas não podia enfrentar o professor mesmo ele estando errado, não tinha como eu provar nada.

   Chegando na sala da diretora, que não parecia simpática como da primeira vez que a vi. Coloquei o papel que o professor tinha escrito sobre a mesa, logo em seguida me sentei na cadeira em frente a ela. Ela lia concentrada e parecia não gostar do que estava lendo.

   – O que é isso? Você não me parecia ser alguém que faça algo do tipo. — Seu olhar era repreendendor.

  – E não sou.

  – (S/N) eu te disse para não fazer nada que pudesse te prejudicar, como a falta anterior quando as aulas não tinha siquer começado.

  – Eu sei, mas...

   A porta se abriu, alguém pos um outro papel sobre a mesa e se sentou ao meu lado em outra cadeira.

  – Respondi o professor, — Olhou para mim. — caso não queira ler o papel.

  – Yoongi meu fiilho, é seu primeiro dia, o que realmente aconteceu?

  – (S/N) não jogou bola de papel alguma no professor, mas ele à tirou de sala. — Filho da diretora? — Eu disse que fui eu, mas ele disse que me viu dormindo então apenas a defendi.

   Porque ele faria isso? Tudo bem que é normal alguém lhe defender quando você está certo, mas esperava isso de Jyang e não dele.

  – Então ela não fez nada? — Yoongi afirmou. — Vou confiar em você, por favor não faça isso de novo.

  – Não farei mãe. — Ele se levantou de sua cadeira, beijou a testa dela e deu um lindo e doce sorriso, é a primeira vez que o vejo sorrir de verdade, era bonito. Ele devia sorrir mais.

  – (S/N) e Yoongi estão liberados, mas não vão poder voltar a sala.

   Eu sai da sala da diretora tentando juntar os fatos que ocorreram rápido demais. Yoongi me defendeu, saiu de sala por minha causa e é filho da diretora. O que ele ganha com isso?

  – Obrigada Yoongi, — Ele me deu um pequeno sorriso de lado. — mas o que você ganhou fazendo isso? Está com advertência por algo que não fez.

  – Uma amiga talvez? — Ele finalmente me deu o mesmo sorriso verdadeiro que vi minutos atrás.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...