História Behind The Camera - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jin, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Suga, Yoongi
Exibições 80
Palavras 2.286
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Desculpem qualquer erro. 🤗

Capítulo 8 - Who's that girl?


Fanfic / Fanfiction Behind The Camera - Capítulo 8 - Who's that girl?

   Passei tanto tempo sentada nos bancos ao lado das salas com o garoto, que estava quase dormindo do meu lado de tanto esperar a aula acabar para sair dalí, quase dormi também.

   O sinal do fim da aula toca me tirando daquela conversa com o Yoongi, que se chama: silêncio. Vejo as pessoas da nossa sala saindo, entre elas está Jyang que passa por mim pedindo para que eu vá ao dormitório depois, provavelmente ela vai me perguntar sobre o Yoongi, espero que ela não fique triste.

   Yoongi estava prestes a falar alguma coisa, mas uma pessoa fica em minha frente como se eu simplesmente não existisse pra ela alí. Quem é essa garota?

  – Amor, vai almoçar comigo não é? — A garota tinha um cabelo escuro grande, muito bonito por sinal. Mas... Amor?

  – Eu já disse que não gosto que me chame assim. — Yoongi não estava com uma cara muito boa. — Não vou almoçar com você, estou ocupado. — Ele olhou pra mim em seguida.

  – Estou indo pro meu dormitório.

  – Já estava na hora. — E por um momento achei que ela fosse legal, esse momento se foi.

  – Você vai ficar. — Yoongi não parece estar pedindo, mas estou atrapalhando e o que eu menos quero é ficar de vela.

  – Eu tenho que ir.

   Sem esperar por resposta alguma saio em direção a escada que leva ao corredor dos dormitórios. Então ele tem namorada, que aparenta ser possessiva. Não é que eu tenha algo haver, mas pelo pouco tempo que conheci Yoongi, na minha cabeça ele não combina com uma garota assim...
  
   Não tenho nada haver então ele que viva sua vida. Agora acho que não terei, definitivamente, problemas com Jyang pois será mais fácil dizer que o "conheço" já que ele tem namorada.

   Quando finalmente cheguei na porta do meu dormitório a abrindo senti meus braços serem puxados, já sabendo de quem se tratava sentei em minha cama e esperei ela surtar. Jyang fechou a porta e logo virou seu olhar para mim, é agora.

  – Custava me dizer que já o conhecia?

  – Encontrei ele no saguão do hotel onde fiquei hospedada aquela noite, nada demais.

   Não podia contar a ela que encontrei ele amarrado em uma cadeira dentro de um caminhão, muito menos que dividi o quarto com ele. Não era uma total mentira, apenas cortei certos detalhes que não precisam ser ditos.

  – Não está triste certo?

  – Nem estou preocupada com isso, minha real preocupação é com a aula que você perdeu.

   Não estava nos meus planos que no primeiro dia de aula sairia de sala por algo que nem mesmo fiz. Não sei o que dizer a minha mãe quando ela perguntar como foi a primeira aula, preciso saber quem fez isso comigo.

   Até perdi o medo da conversa com Jyang só de lembrar dessa aula, - que nem assisti pra início de conversa - até porque não era como se o Yoongi fosse alguém importante pra ela, talvez eu tenha exagerado, mas ela realmente parecia ter gostado dele.

  – Também Jyang, acho que vou me isolar o resto do dia nesse quarto. — Joguei meu corpo contra a cama, apenas querendo fechar os olhos e fingir que não tive problema algum hoje.

   Em poucos segundos senti as mãos de Jyang me fazerem cócegas, não sei reagir a cócegas já que começo a rir de forma nervosa, ela parecia se divertir com minha reação meio estranha.

  – Vamos, não fique triste. — Ela parou o que estava fazendo e parou para me olhar.

  – Quem está triste? — Jimin apareceu com os braços apoiados na janela e logo se encontrava dentro do quarto.

  – (S/N) foi retirada de sala na sua primeira aula. — Jyang respondeu à Jimin que então me olhou.

   Voltei a me sentar na cama e olhei para o garoto que então me observava. Não sabia se Jimin era o tipo de pessoa que dava sermão, o que eu não acho, mas é o que eu menos preciso nesse momento já que não teve real motivo para a minha saída.

  – Que conhecidência. — O garoto deu um largo sorriso.

  – Também saiu de sala? O que você fez? — Jyang não hesitou em perguntar.

  – É claro que não saí de sala, sou um aluno exemplar. — Ele fechou os olhos e fez uma expressão convencida, mas logo voltou a falar. — Eu vim aqui justamente chamar vocês para uma festa que vai ter hoje à noite e é disso que você precisa. — Apontou pra mim.

   Não, não é o que eu preciso. O que eu preciso é tirar a má impressão que o professor tem de mim e também me concentrar nos estudos que pelo visto mal começaram para mim, tudo o que menos preciso agora é de uma festa.

   Jimin percebeu minha expressão sem ânimo e apenas a imitou de modo exagerado.

  – Ficar no quarto não vai melhorar seu humor.

  – Muito menos uma festa, desse jeito até parece que não me importo. — Outro motivo era que eu também nunca fui de sair para festas.

  – Mas vai ser legal, eu vou estar lá e a Jyang também. — Jimin apontava para sí mesmo como se fosse alguém de extrema importância.

  – Vou? — Jyang o questionou.

   Jimin resmungou um "vai" para Jyang e me olhou esperançoso. Eu não queria recusar, mas também não queria aceitar, haviam mais contras do que prós nessa história.

   Primeiro, esse lugar é extremamente rígido com regras, estou ferrada o suficiente para fazer algo que me prejudique ainda mais e uma festa não é algo que possa ajudar com isso.

   Segundo, não gosto de festas, até porque nem chamada para tal evento eu era, no máximo eram festas de aniversário da família ou do Daniel mesmo.

   Terceiro, mesmo que eu fosse não faria nada lá a não ser assistir outras pessoas se divertindo.

   Quarto, não existe prós para essa situação, só contras, o que comprova que não devo ir.

  – Jimin, não existe a possibilidade da minha pessoa comparecer a uma festa, ainda mais ter que sair escondido pra isso. — Acho que era o que mais me intrigava já que não faço e nunca fiz esse tipo de coisa.

  – Claro que existe, não é difícil sair daqui à noite, do mesmo jeito que não foi difícil entrar no quarto de vocês. — Ele apontou para a janela aberta.

  – Eu não faria nada lá de qualquer forma, só iria observar as pessoas se divertirem enquanto fico sentada. — Estava começando a por meus motivos para fora.

  – Ficamos sentados à mesa com você então. — Jyang respondeu por Jimin. Eles tem sempre resposta pra tudo?

  – Por favor desistam de mim, até porque nunca gostei de festas.

  – Te conheci ontem e estou tentando realmente ser seu amigo, mas como posso fazer isso se nem ao menos você ajuda.

   Quando estava no avião vindo para a Coreia, queria apenas seguir os estudos que tinha tanto interesse e me diverti como nunca o fiz. Eu estava começando a pensar, eu posso voltar da viagem e me arrepender de não ter aceitado ir.

  – Tudo bem, eu vou.

   Eu só podia estar ficando louca mesmo, sabia que depois aceitar não poderia recusar depois, as palavras do Jimin me fizeram pensar apenas. Ele é uma ótima pessoa e parecia ser um ótimo amigo, mas eu não estava colaborando para descobrir isso.

  – Que bom, — Ele deu um largo sorriso e se dirigiu a janela. — a festa será às 21hrs.

  – Por que tão tarde? Teremos aula no outro dia.

  – Quem se importa? – Ele só podia estar brincando comigo.

  – Eu me importo.

  – Prometo que se não gostar da festa voltamos antes da meia noite, cinderela. — Ele piscou e em seguida saiu pela janela.

   Jyang nem para pronunciar uma palavra, o apego dela por aquele celular me deixava desconfortável, o mundo parecia sumir para ela.

   Ela me olhou de soslaio e em seguida pôs o celular na cômoda sorrindo.

  – Quando eu quiser te irritar já sei o que fazer.

   Ignoro seu comentário, deito em minha cama com o objetivo de descansar e esquecer o acontecido de hoje.

   Depois de ter feito minha higiene, começo a trocar de roupa. Optei por um short jeans, uma regata preta e um casaco xadrez. O calçado foi um Converse vermelho mesmo, não tinha muito tempo, já eram 20:40 P.M.

   Jyang estava no banheiro se arrumando também. Ela saiu do banheiro e pude ver como ela estava bonita, mas ela ao me ver possuía uma expressão incrédula.

  – Porque não pois maquiagem?

  – Não gosto.

  – Não vai assim, deixe-me dar um jeito nisso. – Ela começou a revirar uma pequena bolsa, que julgava ser onde suas maquiagens ficavam. — Já que não posso trocar a sua roupa. — O que tem de errado com a minha roupa?

  – Não precisa... — Ela já estava passando algo em meu rosto antes que eu pudesse protestar. — Não faça como a sua, quero algo simples, não gosto de maquiagem como disse antes.

  – Não se preocupe.

   Não demorou muito e ela já tinha acabado, não ficou exagerado, estava bom.

   Jimin apareceu, pela janela como sempre, onde tivemos que passar também, o que dificultou um pouco para Jyang que estava de salto, por isso uso tênis.

   Havia uma pequena porta nos fundos da universidade, nunca tinha visto já que não cheguei a vir para essa parte do local. Me pergunto como Jimin conseguiu a chave, então decidi perguntar a ele logo.

  – Como conseguiu a chave dessa porta Jimin? — Já estávamos do lado de fora e ele estava fechando a pequena porta.

  – Meu colega de quarto que de uma forma estranha conhece esse lugar me deu uma cópia. — Eu estava prestes a perguntar algo de novo, mas ele me corta. — Não, eu não sei como ele conseguiu a cópia.

   Ótimo, sem mais dúvidas para serem tiradas pegamos um táxi, que foi pago por Jyang e Jimin, já que eu não estava indo para festa de boa vontade era o mínino que podiam ter feito.

   Já na frente do local, que seria, uma boate ou uma casa? A aparência era de uma casa, mas ao ver outras pessoas entrando no local, pude ver quando a porta se abriu que na verdade não se parecia com uma casa por dentro.

  – Vai se divertir princesa, caso o contrário já sabe, estará em seu quarto antes da meia noite. — Ele sorriu para mim que logo retribui o ato.

   O lugar era grande por fora, mas depois de adentrar o local, pude ver que era ainda maior. A música estava alta, pessoas dançavam e se divertiam. Havia uma parte do local onde serviam as bebidas e as mesas ficavam a disposição.

   Andamos mais um pouco por lá até achar quem eu nem sabia que estava procurando, até porque só estava seguindo o Jimin. Era um homem de cabelos loiros cortados em ambas laterais, com um lindo sorriso que ele abriu ao ver Jimin. 

   Jyang me puxa para o balcão onde estavam as bebidas.

  – Hoje você vai beber. – O que?

  – Jyang, sei que estar me divertindo é o que você quer, mas bebida não é algo com que eu possa me divertir.

   Ela ignorou completamente o meu comentário sobre como a bebida alcoólica é totalmente dispensável em minha vida, pondo a bebida em um copo e o estendendo para mim.

  – Tome, é soju. — Ele me fez segurar o copo em seguida.

   Eu a olhei sem nenhuma vontade de discutir, não gosto de beber, para falar a verdade eu nunca bebi, porque faria isso agora?

  – Ora, vamos, não precisa tomar mais se não quiser, mas terá que tomar pelo menos esse copo todo.

  – Está bem. — Eu faria mesmo isso?

   Ela pegou um copo para ela também e finalmente foi em direção ao Jimin que conversava animadamente com o tal homem que tinha visto antes. Os dois pararam a conversa assim que chegamos, Jimin me olhou e em seguida olhou para o meu copo, sorriu.

   É bom ele não se animar, provavelmente levarei a festa inteira para tomar o líquido desse copo. Soju?

  – Esqueci de apresenta-las ao dono da festa. Meninas esse é o Namjoon.

   O mesmo citado deu um sorriso lindo revelando suas covinhas, o que o deixava muito fofo.

   Quando íamos nos apresentar também, alguém interrompe chamando pelo mesmo.

  – Namjoon já estão brigando perto da piscina e a festa nem começou ainda.

   O Namjoon se desculpou e foi provavelmente em direção a tal piscina onde seria o local da briga. Quem o chamou atenção, tirou minha atenção mais ainda.

  – Olá (S/N), veio se divertir na festa do NamJoon também?

   Jyang me olhava para ver minha reação, ela não parecia nervosa como das outras vezes, ela simplesmente olhava para mim sabendo que algo não estava certo comigo.

   Sem responder a pergunta de Yoongi, ingeri todo o soju do copo. Pelo visto a noite vai ser longa.


Notas Finais


Adoro ler os comentários, são tão motivadores 🤗


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...