História Behind The Secrets - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Ryan Butler
Visualizações 6.472
Palavras 3.163
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Festa, Mistério, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Adultério, Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Fiquei feliz com os comentários, já que esta é minha primeira fic - aqui no anime -. A história está confusa, mas terá um motivo óbvio para tudo isso. Peço que prestem atenção em cada detalhe, para entender tudo mais para a frente.

Capítulo 2 - Such an idiot


É o Jason? - Indaguei tentando enxergar seu rosto, apesar de ter plena certeza de ser ele. Nenhum outro garoto teria o mesmo jeito que ele, de usar essas roupas escuras em uma tarde como essa.

- Você o conhece? Não faço ideia de quem seja, só o vi de longe. - Seus olhos salientes mostraram estar surpresa com a minha resposta.

-Sim, quero dizer, não. Mal falei com ele. - Saí da janela, e voltei para o meio do quarto enquanto mexia no celular.

- Falou com ele? Como assim? Ele é muito gato. - Gritou animada, tirando o celular da minha mão. 

- É muito gato, mas não me atraiu. Boa sorte com ele. - Ri enquanto falava.

- Sorte? Ele nem sabe que eu moro aqui. - Riu sentando-se na cama, e olhou para a janela distante. - Como você o conheceu?

- Bem, ele esta na minha sala e veio falar comigo. - Deixei o celular de lado e lembrei do momento em que ele me perguntou como eu me chamava. - Mas ele deve ser repetente. Não pode ter 17 anos... E ele tem um olhar mais adulto e misterioso.

Notei que Alice ainda estava surpresa, porque o tal vizinho dela estaria no meu colégio, sendo que é do outro lado da cidade e tem muitos outros ótimos colégios por aqui.

- Mas como ele pode estar na sua sala? Esse garoto é de outro mundo. - Revirei os olhos ao ouví-la dizer isso. Tudo bem, ele é muito bonito, mas creio que ela esteja exagerando.

- Eu acho que, se você tentar conversar com ele, terá outra impressão. - Ela riu e tentou espiar a casa dele, ainda pela janela na qual a vista era de um quarto enorme. Deve ser o dele.

- A primeira impressão é que fica. Não tenho como mudar o que achei dele. - Passei a mão no rosto incrédula com tanta admiração logo de cara. Ele é apenas um garoto bonito e estranho como muitos outros por ai. A diferença é que... Ele chama a atenção mesmo sem dizer algo. 

Bem, melhor eu parar por aqui. Sacudi a cabeça, na tentativa de afastar meus pensamentos sobre ele.

- Preciso ir. Daqui a pouco o Luy vai em casa e ainda não almocei. - Peguei minha bolsa que estava jogada na cama e coloquei meus óculos de sol. Olhei rápido para a janela, e Jason estava tirando a jaqueta perto da varanda. Ele olhava para a rua como se estivesse procurando alguém. Esse garoto é estranho.

Abracei-a e saí de sua casa. Entrei no carro e antes de dar a partida, apoiei com os braços no volante. Fiquei olhando para todas as casas, e a dele nao chegava a ser um sobrado, mas sim, quase uma mansão. Não estou exagerando, é muito grande e bonita. 

Fui em ponto morto até a frente de sua casa, e olhei pelo retrovisor para ver se Alice ainda estava na porta me esperando. Felizmente ela ja estava em casa novamente e passei míseros segundos analisando a casa dele. Nao tem como ele perceber, porque além de nao saber qual é o meu carro, não me conhece o suficiente para saber que sou eu. É, confuso de entender. Virei a esquina e fui para casa dirigindo devagar. 

Liguei o rádio e estava tocando Sober da Pink. Estacionei na garagem, ao lado do carro da minha mãe. Desci com o meu material escolar e ao entrar pela porta principal, Luy estava sentado no sofá conversando com a minha mãe. Mas ele já está aqui? Não que fosse algo ruim, mas ele poderia esperar um tempo para vir, não?

- Amor, você demorou. - Levantou-se sorridente e deu-me um selinho esperando a resposta.

- Dei uma passada na casa da Alice. - Deixei a bolsa no sofá. - Ela queria falar comigo. - Fui até a cozinha e abri a porta da geladeira, procurando com os olhos algo bom para comer.

- Não vai almoçar anjo? - Apoiou com os braços na bancada.

- Não estou com tanta fome assim, só umas uvas está bom. - Peguei um cacho de uvas e uma jarra de suco de laranja. Lavei-as na pia enquanto ele ficava parado ao meu lado me olhando, sem dizer nada. Isso as vezes me irrita, porque ele me observa em tudo o que eu faço, como se estivesse analisando algo ou procurando algum defeito no que faço. Não gosto muito disso. É como se eu estivesse sendo vigiada. E ser vigiada na cara dura não é legal. 

Coloquei o pote com as uvas na mesa e sentei-me sozinha. Ele sentou-se ao meu lado e pegou uma das minhas uvas.

- O que acha que passar a noite em casa hoje? - Questionou sorridente, como se já soubesse minha resposta.

- Hoje? Pode ser. - Respondi desinteressada, enquanto ele falava sobre o que conversava com a minha mãe. Ele deve ter percebido que eu não estava muito no clima, e ficou quieto. Senti meu celular vibrar no bolso do shorts e peguei-o sem dizer nada.

 

“Festa hoje à noite na minha casa. Espero vocês ás 22h”- Logan.

 

Mal voltaram as aulas e já têm pessoas planejando festas, assim de última hora. Pelo menos a festa é do Logan, e a casa dele é um ótimo lugar para se divertir.

- Hoje tem festa na casa do Logan. Você vai comigo amor? - Perguntei enquanto mexia em seu cabelo.

- Acho melhor não. Tenho que passar na casa do Kelvin pegar um livro de física. - Ele deu-me um selinho e parecia despreocupado.

- Ah, física? Então eu vou sozinha. Deixamos para dormir na sua casa outro dia. - Essa festa foi a melhor notícia que alguém poderia me dar justo hoje. Além de não estar a fim de ir na casa dele, ele não quer ir à festa comigo. Isso é muito bom, eu acho.

- Não gostei muito da ideia, mas tudo bem. Desde que você chegue em casa antes da uma da manhã. - Deu um sorriso forçado, como se estivesse tentando controlar meus horários. 

- Sim senhor. - Beijei-o nos lábios, que colocou meus cabelos para trás. 

Como ele prefere não ir se divertir, para fazer coisas do colégio? Eu entendo que ele adora ser um dos melhores alunos, além de ser um incrível jogador de futebol americano, mas deixar de sair com a namorada para festas já é demais. Enfim, não tenho porquê reclamar, é até melhor que ele não vá mesmo. Posso voltar bem tarde, como eu gosto.

Terminei de comer e levei tudo até a pia. Ainda em silêncio, fui até o meu quarto e deixei minha bolsa na cadeira da escrivaninha. Liguei a tevê e deitei-me na cama ao lado do Luy, que ficou me fazendo cafuné. 

Tirei o celular do bolso e mandei um sms para a Dri e a Alice.

 

“Dri, você vai na casa do Logan?” -Mellanie

“Li, vai na festa do Logan comigo hoje? Não quero chegar sozinha.” - Mellanie

 

Esperei que elas respondessem, e felizmente as duas confirmaram que iriam.

 

“Ele me disse que chamou todos os terceiros anos = gatinhos para Adriele.” - Dri

“Pelo jeito você vai se dar bem haha. Nos vemos à noite.”- Mellanie

 

- Ainda bem que você já tem o seu. - Passou as mãos sob meus ombros, deslizando até  minha cintura.

-Tenho mesmo. - Beijou-me nos lábios e tirou o celular da minha mão, deixando-o junto ao dele no criado-mudo.

                 ...

Saí do banho com a toalha enrolada no busto. Abri todas as portas do meu closet, peguei uma lingerie e vesti uma saia preta bem curta, com uma blusa da mesma cor de enfeite básico vermelho, de manga 3/4. Peguei um salto vermelho vinho que estava escondido no meio do meu guarda-roupa e coloquei um colar que eu sempre usava, era um símbolo indecifrável, mas eu gostava. Fiz um make degradê com preto e cinza, para ficar bem profundo e passei um batom não muito forte.

Sequei o cabelo rapidamente, até porque nao tenho muita paciência e peguei uma bolsa de mão, preta toda brilhante da qual coloquei meu celular, um gloss e a chave do meu carro, que também tem a da porta principal. Coloquei um brinco não muito grande e passei um perfurme doce. Olhei para a rua através da janela, e quase não havia movimento. Combinei da Alice vir aqui para irmos juntas em um carro só, ai depois ela dorme aqui e vai para a faculdade amanhã cedo.

Ela deve chegar em 5 minutos. Saí do quarto e fui até o da minha mãe, ela estava mexendo no notebook sentada na cama.

- Já estou indo mãe. Mais tarde estarei de volta. -Dei um beijo em seu rosto, e ela olhou-me analizando minha roupa. 

- Não quero saber de você chegar depois das 2h Mellanie. Tem aula amanhã cedo. - Voltou seu olhar para o notebook.

- O Paul nao vem aqui hoje? - Estranho o namorado dela nao estar aqui. Eles vivem grudados em casa, exceto de manhã, quando ele não dorme aqui. Caminhei a porta do quarto esperando sua resposta.

- Ele fez horário extra no consultório hoje. Só vem aqui amanhã. - Assenti e desci as escadas às pressas, assim que ouvi a buzina da Alice.

Tranquei a porta principal e ela estava estacionando seu carro na minha garagem.

- Vamos com o meu. Deixe suas coisas aqui mesmo. - Entrei no carro e liguei-o, esperando ela vir até o meu. Entrou no carro e saímos de lá sem muita cerimônia.

- Que horas são? - Alice fuçou minha bolsinha até achar meu celular e olhou no visor. -São 22h15. Horário bom para chegar? 

- Com certeza. - Estacionei em frente à casa dele, entre dois carros pratas. - Uma ótima hora para chegar.

Descemos do carro e discretamente arrumei minha saia, para que não ficasse curta ao extremo. Se o Luy souber do comprimento da minha roupa, vai me encher até o último.

Entramos na festa, que acontecia no mezanino da casa dele, do qual haviam cerca de 90 pessoas. Até que ele chamou muita gente, pelo menos metade das pessoas que estavam se divertindo me pareciam desconhecidas. 

Puxei a Alice pelo braço e fomos até a pisca de dança. Logan passou na minha frente e me abraçou assim que me viu dançando.

- Ainda bem que vocês vieram meninas. O Luy nao veio com você Mellanie? - Segurou na mão de uma ruiva que estava ao seu lado, provavelmente a garota da noite dele. Sim, o Logan não é tão certinho e na dele quanto parece. A Adriele então, é o meio termo comparada comigo e com ele. Sempre está à procura de um garoto para se divertir por um tempo, e depois mandar pastar por ter enjoado. Ela é boa com essa história de diversão sem paixão. Queria saber como ela consegue esquecer tão rápido essas coisas. Começamos a dançar no meio das pessoas, e a Alice pegou duas batidas alcoólicas de morango para nós. Apesar de não gostar muito, já sou acostumada a beber em festas, então qualquer dose não tem muita diferença para mim. Ao contrário da Alice, que detesta qualquer tipo de bebida, por isso que ela sempre volta dirigindo. Continuamos dançando e ela tomou um gole batida. 

- Que gosto horrível. Quer para você? - Fez careta e deu o copo na minha mão. - Não sei como você bebe isso. - Gargalhei e bebi os dois copos em instantes. 

Deixei-os vazios em cima de uma mesa próxima e fui sozinha até a área coberta. Cerca de 30 garotos bebiam feito descontrolados, chegava a ser uma cena ridícula de se ver. Passei o olho em um por um, procurando alguém conhecido e não deu em nada. Nem os amigos do Luy vieram! Que estranho. 

Voltei para o mezanino e Adriele dançava com um garoto de costas para mim.

- Mas já arrumou um parceiro? - Ri e cutuquei-a no braço para que me visse.

- Ele é da nossa sala. É sempre bom fazer novas amizades. - Sorriu ao desviar o olhar para ele, e notei que o garoto era o Jason. O que ele faz aqui? Que eu saiba mal conversou com o Logan.

- Percebi. Divirtam-se. - Arqueei uma das sobrancelhas indo para o lado oposto, e pelo canto dos olhos vi que o garoto fitava meu corpo de longe. Realmente, ele é estranho. Sentei-me sozinha na bancada rodeada por garçons.

- Pelo jeito seu namorado não veio. - Uma voz máscula e grossa sussurrou ao vir em minha direção, logo abrindo um sorriso sacana.

- Acho que isso não é da sua conta. - Pedi uma dose de Whisky e ele sentou-se na cadeira de frente para a minha, pedindo o mesmo.

- Se você acha. - Desceu toda a dose pela garganta em apenas um gole, assim como eu.

- Ele nao deveria deixar uma garota como você sozinha em uma festa. - Lambeu os lábios, ajeitando o cabelo como se estivesse de frente para o espelho. - É gostosinha demais para ficar dando mole por aí. - Sorriu novamente, mas dessa vez um sorriso verdadeiro, como se tivesse achado graça no que ele disse. E sim, ele tem um belo sorriso.

- Você deveria guardar esses tipos de comentários inúteis para si. - Virei a cabeça para trás, procurando alguém conhecido, mas até agora nada.

- Você precisava saber que está dengosa demais. - Pediu ao garçom mais uma dose de Whisky e voltou seu olhar a mim, para ver minha reação. 

- Qual o seu problema? Por que cismou comigo logo de cara? - Questionei já impaciente, esperando que eles servissem Wodka, ou qualquer outra bebida que descesse queimando minha garganta. Peguei o primeiro copo de Wodka pura e virei-o guela baixo, esperando que ele me respondesse.

- Vejo que sabe curtir. - Tomou um gole de sua bebida. - Quem disse que eu cismei com você? - Olhou-me de cima a baixo e virou sua cadeira giratória de vez para ficar na minha frente, com suas pernas juntas as minhas.

- Você é estranho. Pelo menos foi o que me pareceu. - Levantei-me ficando na frente dele, e tirei o celular do bolso para ver a hora. Ainda é cedo, quase meia noite. Preciso curtir esse lugar.

- Talvez você esteja certa. - Terminou sua bebida e deixou o copo na bancada, levantado-se também. - Vamos dançar um pouco. - Ficou parado esperando que eu me manifestasse.

- Não, eu sou comprometida. - Dei um sorriso forçado, e caminhei sozinha até a pista.

- Eu também. - Veio atrás de mim e disse com a voz estremecida.

-Sério? - Que pergunta óbvia. É claro que ele está mentindo.

- Não. Eu não sirvo para essas coisas. - Gargalhou, me fazendo rir e começou a dançar no meio das pessoas, ficando na minha frente.

- Já imaginava. - Afastei-me pouco dele para que pudesse dançar tranquila, e não acabar fazendo algo errado.

- Isso foi subliminar? - Tirou os óculos escutos devagar, e mesmo com as luzes coloridas por todos os cantos, pude ver seus olhos castanhos bem escuros. Seu cabelo também era bem escuro, nada mal.

- Entenda como quiser. - Pisquei e voltei a dançar.

Os garçons passaram novamente servindo Smirnoff, 51, e vários outros tipos de bebida. Não prestei muita atenção, pois logo de cara peguei uma garrafa de Smirnoff. 

- Racha? - Apontei a garrafa para ele, que assentiu e tirou-a da minha mão.

- Você é boa nisso. - Tomou vários goles, entregando-me novamente. Acabamos com tudo em menos de dois minutos. 

Continuamos dançando cada vez mais animados, e já havia perdido as contas de quantas doses se foram.

- Pelo jeito fez um novo amigo senhorita Rose. - Logan passou por mim esbarrando com uma garota de mãos dadas.

- Prefiro conhecido. - Olhei para o Jason que ficou quieto e puxou-me pelas mãos para o meio da pista. 

- Tem muitas pessoas que você conhece aqui? - Olhei ao redor, e praticamente todas as pessoas da nossa sala estavam nos rodeando.

- Até demais. - Assenti enquanto procurava a Alice ou a Adriele por aí. Como elas somem do nada? Apesar que, quem sumiu fui eu.

Jason puxou-me pela mão esquerda, saindo da pista e sem dizer nada me levou até a cobertura. Vários casais, se é que não se conheceram hoje, estavam praticamente se devorando em público, que falta de respeito. Garotas fumando como se fosse algo agradável e um grupo de meninos se divertindo ao embebedar uns aos outros.

- Até que voce nao é tao chata, quanto eu pensei. - Parou perto de uma sala, da qual estava vazia, deixando-me quase contra a parede.

- Obrigada?! - Não sabia se poderia levar como um elogio, mas tanto faz. 

Meu corpo queimava por dentro, dando a sensação de como se eu ainda estivesse bebendo algo forte, mas eu não estava, eu acho. Depois que fomos dançar, não me lembro mais dessa parte.

- Você se arrependeria? - Questionou ao apoiar com uma das mãos na parede, olhando-me nos olhos. É claro que eu entendi o que ele quis dizer, posso não estar tão sobria, mas não sou burra.

- Talvez. - Silabei a palavra, e mordi meu próprio lábio, ainda olhando para ele. - Pena que, eu não sou tão fácil quanto você pensa, Jason. - Respondi-o ainda mais próxima, tentando causá-lo algum tipo de provocação. Sou boa em saber quando os garotos ficam excitados, se é que me permite dizer assim. Ele estava no caminho, o que pode me servir para algo, eu acho. -Não? - Insisti para uma resposta, o que não aconteceu como eu planejei. 

Esse garoto é rápido. Assim que terminei a palavra, ele tocou sua testa na minha, me fazendo apoiar com a cabeça na parede. Roçou seus lábios nos meus e beijou-me com força. Fechei uma das mãos apertando seu casaco, enquanto ele passou a mão pela minha cintura, colando seu corpo no meu. Não posso negar, esse garoto tem atitude. Meu organismo parecia estar entrando em chamas por dentro, talvez pelo efeito da bebida, ou até mesmo por conta de seu beijo, o que é mais provável.

 - Nada mal Mellanie, nada mal.- Puxou meus lábios e deu um sorriso suspeito, assim voltou a beijar-me nos lábios antes que pudesse responder algo. 

Sua língua percorria toda a minha boca, como se já a conhecesse há tempos. Apoiou com os joelhos na parede, entre as minhas pernas, o que fez com que eu me estremecesse, encolhendo os ombros ao ficar ainda menor que ele. Isso sim, é beijo de verdade.

- MELLANIE ROSE! - Fomos interrompidos pela infeliz voz da Alice. Virei-me devagar de frente para ela, ao dar conta do que aconteceu. - Não acredito que fez isso. Você tem namorado!

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...