História Behind The Secrets - Capítulo 32


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Ryan Butler
Visualizações 3.031
Palavras 3.810
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Festa, Mistério, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Adultério, Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Boa leitura meninassss

Capítulo 32 - Just think before you say something


- Você me parou para perguntar isso? - Falou todo grosseiro. - Será que você pode soltar o meu braço? - Falou para que ele não me empurasse. Não acredito que ele ficou todo estúpido de uma hora para a outra.

- Para Jason! - Falei prepotente. - Detesto quando você age dessa maneira. Pare de ficar bravo. 

- Tá. - Falou ao engolir seco e entrou em seu quarto, fechando a porta. Não acredito que ele realmente ficou tão bravo com isso. Não foi nada demais, nada mesmo. Eu mal dei ouvidos às coisas que o John me dizia, e ele deve ter ouvido isso. Então, por que todo esse drama?

Voltei irritada para o nosso apartamento, e o Logan me abraçou, logo saindo do quarto.

- Você acredita que ele ficou bravo? - Falei para que a Adriele tentasse me entender.

- Isso porque você não viu quando vocês estavam no quarto. Ele ficou exatamente os quarenta minutos sentado no sofá, e não disse uma palavra ou demonstrou algo. Ele parece ter ficado muito, muito bravo. - Falou ao desligar a tevê.

- Sério? Mas poxa, ele sabe que eu não tive culpa de nada, e outra, eu mal conversei com o John. Só concordava com o que ele falava. - Falei ao entrar no quarto, e peguei um conjunto de pijama. - A Lissy fez isso de propósito. Que raiva. - Cochichei para que ela e a Brandy não ouvissem nossa conversa, mesmo estando no outro quarto.

- Eu sei disso, e ele também. Mas mesmo assim, foi notável que ele ficou bravo. - Falou ao vestir seu pijama. - É óbvio que foi de propósito. Até o Jason percebeu que ela é super a fim dele. - Falou descontraída.

Eu estava chateada por ele ter ficado tão bravo, a ponto de me ignorar desta maneira. Fiz minhas higienes e deitei-me na cama, fitando o teto. Fiquei pensando no dia de hoje, e principalmente nele, que agora deve estar tirando aquela merda de lentes e se preparando para dormir. Custava ele ter conversado direito comigo? Eu sei que ele detestou o que aconteceu, mas apesar que, ele sabe que não aconteceu nada. Não entendo esse ciúmes exagerado.

                   ...

Acordei no horário de sempre e logo fui para o banho. Adriele já estava pronta, e as outras duas dormindo. Posso dizer que acordei bem disposta para ir falar com o Justin. Ele já deve estar normal de novo, e assim poderemos esquecer isso.

Vesti um biquíni rosa, e um vestido mais fresco e curto, apenas para o café da manhã. Saí do quarto com a Dri, e assim que entramos no elevador, fiquei olhando-me no espelho, e coloquei os óculos de sol.

A essa hora o Justin e os outros já devem estar por aqui. Após servir meu prato, olhei para todos os lados e nada dele e dos outros garotos.

- Será que ele ainda está dormindo? - Falei ao tomar um gole do meu suco.

- Não sei amiga. O namorado é seu. - Ela riu e tomamos nosso café enquanto combinávamos o que faríamos hoje. Logo que deixamos a mesa, Justin e Logan passaram por nós.

- Eai meninas. - Logan disse e me abraçou forte, fazendo o mesmo com Adriele. Justin cumprimentou-a, e deu-me um beijo no rosto. Repito, um beijo no rosto.

- Sério que você ainda está bravo? - Falei olhando para ele, e os dois continuaram andando. - Justin. - Falei baixo para que ele prestasse atenção em mim.

- Não me chame de Justin aqui. - Disse seriamente e franziu a testa.

- Pare de ficar bravo à toa. - Falei andando com ele, que colocou novamente os óculos escuros. - Se você não me ouvir, eu vou fazer o mesmo que você e ficaremos sem nos falar até um dos dois se render. - Falei ao parar perto da primeira árvore, ainda avistando a Adriele e o Logan conversando mais a frente.

- Eu estou ouvindo. - Disse severo.

- Por que você ficou tão bravo? Poxa Justin, eu mal falo com o John, e se você quer saber, cada um ficou em uma cama. Eu mal conversei com ele. - Falei olhando para ele, que sequer tirou os óculos para falar comigo. - Não foi nem uma hora. - Falei para que ele me entendesse.

- Você tirou a roupa para ficar no quarto com aquele cara, que por sinal é nosso ''amigo''. - Fez aspas com as mãos. - E você ainda pergunta o porquê de eu ter ficado bravo? Porra Mellanie, não é óbvio? Eu não gostei nada, nem um pouco disso. - Falou se exaltando.

- Então, por que você não disso isso aquela hora? - Falei.

- Não foi preciso dizer nada para que você e todos os outros percebessem que eu odiei a sua atitude. - Disse seco, e olhou para o lado oposto, procurando algo ou alguém.

- Minha atitude? - Franzi a testa e tirei os óculos. - Você se esqueceu que não fui em que escolhi fazer isso? Foi apenas parte de uma brincadeira. Você está sendo ridiculamente infantil. - Revirei os olhos e esperei sua resposta.

- Foda-se. Eu não levei isso na brincadeira, nem o John. Eu estou sendo infantil? Viu! É por isso que não dá para conversar com você. - Continuou andando, e fomos até os dois, que pareciam estar conversando sobre algo engraçado.

- Sim, você está agindo como uma criança. Não dá para conversar? Você não sabe conversar sem se irritar. - Falei pedindo para que ele prestasse atenção em mim.

- Ok. Nós vamos ficar caminhando pela trilha enquanto vocês se resolvem. - Adriele grudou no Logan e eles continuaram andando. Ouvi e ignorei, enquanto o Justin concordou com eles.

- Eu não sei se você percebeu, mas eu estou calmo. - Disse em um completo sarcasmo.

- Você não faz ideia do que diz. - Falei já estressada com ele, por não saber resolver uma discussão direito.

- Cale a boca Mellanie. - Disse quase aos gritos, o que me assustou com tamanha grosseria repentina.

- Você não é ninguém para me mandar calar a boca. - Retruquei no mesmo tom que ele.

- Depois eu que sou a criança? Ok. Já chega. - Pareceu furioso e acelerou o passo.

- Só fale comigo quando começar a pensar na besteira que você tornou uma discussão. - Passei por ele, e entrei na trilha, procurando pelos dois, do qual já não dava mais para ouvir a voz ou os passos.

- Aceite de uma vez que você está errada, e faltou pouco para transar com o John naquele quarto. - Falou rápido e puxei o ar assim que ele terminou a frase.

- Você é um imbecil Bieber. - Ok, eu nunca o tinha chamado de Bieber, mas a minha irritação foi tanta que foi a única coisa que eu consegui dizer.

Saí correndo e logo avistei os dois, indo até eles.

- Ahhhh. - Resmunguei irritada. - Onde nós vamos? Preciso me distrair. - Grudei nos ombros da Adriele, que riu.

- Eu quero ir para a sala de lazer, que é perto daquela piscina que fomos ontem, sabe? - Falou olhando para nós, e o Justin aproximou-se, ficando ao lado dela.

- Verdade. Ainda não conhecemos aquela parte do resort. - Falei ao me lembrar de que havíamos comentado que eu queria ir lá hoje.

- Vocês já repararam naquele mapa que tem na recepção? Mostra todo o resort, e é mais fácil para se localizar. - Logan falou ao cochichar algo com o Justin.

- Eu já reparei, mas eu me perco naquele mapa. - Falei rindo, e continuamos andando pela trilha. Estava uma situação um tanto desconfortável, pelo fato que o Justin sequer ficava próximo de mim, e não conversávamos muito, porque eles perceberam que brigamos mesmo, o que não é nada legal.

Eu entendo que ele tenha ficado irritado e bravo com aquela brincadeira de ontem, mas ele não percebe que quando está assim, fala coisas que não deve e depois ficar todo arrependido.

Assim que entramos na sala de lazer, eu e a Adriele fomos jogar o Just Dance 4, enquanto o Logan jogava um videogame besta de corrida. Justin ficou parado ao meu lado, e sem dizer nada ficou me vendo jogar.

- Vem jogar, Jason. - Ela falou de propósito. Só para que ele viesse se divertir comigo.

- Não quero Dri, obrigado. - Falou tentando parecer simpático e continuei jogando. Adorei tanto esta sala, que passamos mais de uma hora só jogando em vários aparelhos. Eu já estava exausta de tanto dançar naquele jogo, o que foi bom para a minha musculatura.

Justin ficou durante todo esse tempo jogando com o Logan, enquanto eles pareciam conversar debochantes.

- Ele ficou bravo mesmo... - Adriele cochichou, enquanto fomos até o bebedouro, e peguei um copo d'água.

- Agora quem está brava sou eu. Ele não mede as palavras. - Falei olhando para ela.

- Percebi. Vocês discutem muito Mellanie. Precisam parar um pouco com isso.

- Eu sei, mas está difícil. - Falei ao desviar o olhar, olhando sem querer para ele, que virou seu olhar para o meu no mesmo instante.

- Já faz uma semana que vocês estão namorando e desde então, eu percebi que brigaram quase todos os dias. Assim não vai dar em nada. - Ela tem essa mania de ser sincera e realista com tudo.

- Eu sei disso, mas não depende só de mim. Eu fico irritada com as coisas que ele diz. - Achei melhor parar o assunto por aqui, antes que eu acabasse comentando sobre a identidade dele, o que não pode acontecer em hipótese alguma.

Continuei olhando para ele, que voltou seu olhar ao meu novamente, e abaixei meu olhar, desviando do dele. Eu queria tanto que pudéssemos nos divertir nessa viagem, um com o outro, mas está me parecendo a cada hora mais difícil. Pode soar estranho, mas é como se houvesse uma energia negativa entre nós, que não nos deixasse nos divertir um com o outro, sem ao menos discutir uma vez.

Voltamos até eles, e Justin esticou uma das mãos, tocando a minha que logo recuei e ele levantou-se, parando em minha frente. Sem dizer nada, Logan puxou a Adriele para perto dele e assim ficamos à sós, perto de dois puffs roxos.

- Eu acho que... Nós estamos brigando muito, ultimamente. - Falou com a voz doce, tentando amenizar o estresse.

- Você acha? - Perguntei sarcástica, e ele sentou-se, pedindo para que eu me sentasse no puff ao lado. Fiz o mesmo que ele, e ficamos um de frente para o outro. - Você tem que aprender a pensar antes de falar, principalmente quando você estiver irritado ou descotrolado. - Falei para que ele se lembrasse do que me disse no caminho, que logo assentiu.

- Eu sei. - Confessou. - Mas as palavras acabam saindo e... - Parou no meio da frase e juntou suas mãos, passando a estalar os dedos. - Eu sei que o que aconteceu ontem foi uma brincadeira, mas eu fiquei muito, muito bravo.

- Você não ficou bravo, e sim com ciúmes. - Falei para que ele parasse de enrolar, e confessasse de uma vez.

- É claro que eu fiquei. Poxa, você é a minha garota, a minha namorada e ainda teve que passar um tempão praticamente nua no quarto com aquele cara. Você sabe que eu já sou ciumento por natureza. - Fez um drama total, sendo que eu só havia tirado o shorts, e fiquei o tempo todo sentada.

- Isso não é motivo para você se enciumar com tudo. - Encarei-o, que tirou os óculos e ainda estava com as lentes. - Você também tem que parar de ser exagerado. Não foi nada disso.

- Você quer que eu mude por completo? Já não basta tudo o que eu estou fazendo?

- O que você está fazendo, que até agora eu não sei? - Falei duvidosa, por não fazer ideia do que ele estava falando.

- Você sabe, babe. Eu estou mudando meu comportamento desde que começamos a sair. Pelo jeito não fez diferença para você, mas eu estou mudado, e muito. - Falou sério e passou a abaixar ainda mais seu tom de voz, tornando algo mais rouco.

- É óbvio que eu percebi, mas, às vezes, parece que você não é quem eu penso que é. Isso é muito anormal para mim. - Passei a mão no cabelo, ao morder o próprio lábio.

- Você não é a única que pensa assim. Às vezes, nem eu mesmo sei quem sou, ou se gosto do que sou. - Falou de uma maneira tão fria, que me arrepiei só de ouví-lo dizer isso. - Vamos parar com isso. Me desculpa ter dito aquela besteira enquanto estávamos no caminho. Eu confio em você, e sei que é birra da minha parte. - Segurou minha mão, que acabei cedendo e ele deu um beijo na mesma. - Foi infantil da minha parte, mas eu ainda estou me acostumando com tudo isso. Você sabe, eu não quero te perder por um deslize como esse. - Supirou aliviado, e entrelaçou seus dedos nos meus.

- Eu sei que você não falou com a intenção de me magoar, mas eu fico muito chateada quando você faz isso, principalmente quando é todo grosseiro por praticamente nada. É bom saber que você ao menos reconhece suas atitudes. - Escondi os lábios assentindo, ainda olhando para ele.

- É óbvio que eu reconheço. Vamos parar com isso? Por favor. Eu acho que conseguimos ficar pelo menos até o fim da viagem sem nos desentender, apenas você e eu por aí, nos divertindo. - Assenti enquanto ele disse, que sorriu e deu-me um forte e aconchegante abraço. - Eu amo você Mel. - Disse ainda me abraçando, e acariciou meu cabelo, direcionando seu rosto ao meu. Meus olhos brilharam assim que ele disse que me ama, e um sorriso formou-se em meu rosto.

- Eu não sei como, mas você consegue. - Pensei alto, e olhei para ele, tocando seu rosto com as duas mãos. Ele sorriu sincero, e toquei seu rosto no meu, sentindo sua respiração tão profunda... Foi aí que ele me beijou nos lábios, bem lento e não muito duradouro, infelizmente. - Eu amo você. - Confessei olhando para ele, que deu os ombros e sorriu novamente, dando-me um selinho. - Podemos esquecer todas essas coisas?

- Que coisas? - Falou se fazendo de desentendido, e logo compreendi que ele falou como se já tivesse se esquecido.

- Tonto. - Ri e me levantei. - Onde você quer ir? - Olhei ao redor, e havia pouquíssimas pessoas perto de nós.

- Vamos para uma das piscinas de hidromassagem. Só preciso parar no caminho para tirar as lentes. - Levantou-se e passou seu braço em volta dos meus ombros. Ao sair da sala, os dois não estavam mais lá, ou melhor, eles realmente nos deixaram aqui e foram se divertir. Caminhamos até a piscina mais distante de hidromasssgem, e para a nossa sorte estava completamente vazia.

O sol não estava tão forte, mas o suficiente para que continuássemos com os óculos. Tirei meu vestido por cima, enquanto ele foi ao banheiro para tirar as lentes. Pedi um filtro solar para uma das mulheres que estava organizando as toalhas, e voltei para a beira da piscina.

- Jay. - Chamei-o, e em instantes ouvi seus passos próximos. 

- Já sei. Espere. - Falou risonho e tirou sua camisa. Deixou a caixinha da lentes e o celular em cima das toalhas, e logo veio até mim. Sentou-se atrás, tocando suas pernas nas minhas costas e pegou o protetor solar das minhas mãos. Colocou todo o meu cabelo para a frente, e passou o filtro solar nas minhas costas, massageando-me com seu toque agressivo. - Nas pernas também? - Falou passando as mãos na minha coxa, apoiando com sua cabeça na curvatura do meu ombro esquerdo.

- Acho que eu posso passar. - Ri e ele ficou ao meu lado, passando em seus braços por cima de todas as tatuagens. Passou no rosto, assim como eu e deixou seus óculos na beira da piscina, caso alguém conhecido passasse e o visse sem as lentes. Passei nas costas dele, e levantei-me, levando de volta para a mulher da toalha. Aproveitei para pegar duas brancas e deixei-as dobradas em cima da cadeira de praia. Justin já estava sentado no banco da hidromassagem, com a água batendo em seu peitoral. Entrei com ele, e a água estava fresca, batendo em meu pescoço, como nas outras piscinas. Uma música desconhecida e em volume ambiente tocava. Era um estilo mais R&B jogado para o POP, provavelmente para nos animar.

Ele me puxou para perto, e ficamos sentados juntos, enquanto ele segurava a minha mão e relaxava naquele sol forte.

- Tive uma ideia. - Falou ao abrir os olhos, olhando-me. - Toda vez que começarmos a brigar ou discutir, um dos dois terá que parar, independente de estar certo ou não. - É um caso a pensar, mas do jeito que nós somos teimosos, nenhum dos dois irá ceder.

- É, mas aí depende da situação, porque você sabe, nós não vamos nos render tão fácil um ao outro. - Falei sorrindo para ele, que deu-me um selinho.

- Eu sempre me rendo. - Falou entre o beijo.

- Talvez, deve ser porque você sempre está errado. - Ri e ele negou com a cabeça.

- Isso é mentira. - Disse ainda risonho e beijei-o nos lábios, que passou seu braço por trás, apoiando na beira da piscina, e tocando minhas costas.

- Não é não. - Insisti e ele continuou sorrindo. Grudei com os dedos em seu couro cabeludo, e ele virou-se mais de frente para mim, beijando-me repleto de desejo.

Às vezes é tão inusitada a maneira como nós discutimos, brigamos e minutos depois já estamos aos beijos, que eu não sei se devo continuar me irritando tão fácil ou não. Ele deve pensar o mesmo, eu acho. Continuamos nos beijando cada vez com mais intensidade, e fomos passeando por toda a piscina. Ele segurou minhas pernas com as mãos, dando-me impulso para que eu ficasse em seu colo. Cruzei os braços em volta de seu pescoço e prosseguimos com o beijo. Ele puxou meu lábios bem suave com os dentes e moveu sua língua mais devagar, desacelerando nosso ritmo, tornando mais romântico. Eu queria que ficássemos exatamente assim um com o outro, sem mais ninguém à nossa volta, nos olhando, tentando entender a nossa relação bipolar, que na minha opinião está sendo bem resolvida.

- Você se importa se eu beber na festa de hoje? - Disse entre selinhos.

- Se você não perder a noção, tudo bem. - Sorri e ele me soltou, que mergulhei para que o meu cabelo ficasse todo escorrido.

- Eu nunca perco a noção. - Disse ao mover suas sobrancelhas, e passou as mãos no cabelo, que ficou todo espetado.

- Eu queria tanto que você parasse de usar lentes. - Falei com a voz mole, e olhei fixamente em seus olhos, passando o polegar em seu rosto com carícia.

- Eu também queria parar. - Deu os ombros e molhou os lábios, puxando-me novamente para perto dele.

- Até quando você irá usar aquilo?

- Até eu ir embora. - Selou nossos lábios, deixando uma ponta de dúvida no que disse.

- Como assim, ir embora? - Falei sem entender.

- Você sabe... Quando eu for embora da Califórnia, e voltar de vez para Moscou.

- Você não pode estar falando sério. Você não vai embora. - Soltei-me dele, que me abraçou novamente.

- Calma babe. Eu só vou no fim do ano. - Disse em um tom calmo.

- Não sei se você percebeu, mas o fim do ano já está aí. - Falei já aflita. Como ele pode me dizer na cara dura que irá me abandonar daqui três ou menos?

- Você está muito aflita. Fique tranquila. Quando eu for, você irá comigo.

- Fala como se fosse simples.

- Mas é. Onde eu for, você vai comigo. - Beijou-me nos lábios, e continuamos abraçados. - Não pense nisso agora. Eu... Eu tenho uma surpresa para você.

- Que tipo de surpresa? - Falei curiosa.

- Uma surpresa boa. Mas só para sexta. - Sorriu empolgado, deixando-me ainda mais curiosa.

- Mentira? E por que não hoje? 

- Ah, porque não. 

- Você não deveria ter falado. - Franzi a testa. - Agora eu estou curiosa.

- Aw. Essa era a intenção. - Deu-me um forte beijo no rosto. 

- Como você é chato. - Revirei os olhos.

- Sou, igual a você. - Sorriu falso e dobrou pouco as pernas, ficando com seu rosto direcionado ao meu. 

- Eu não sou tão chata. - Falei ainda olhando para ele, que quase tocou nossos lábios.

- Sim, você é. - Disse roçando nossos lábios, e passei as unhas em seu lóbulo, acariciando seu cabelo. 

- Para. - Fiz bico e ele deu-me um selinho. - Eu sou muito legal. - Falei graciosa e ele riu. 

- Nossa, tão legal que eu nunca tinha pensado no quão legal você é. - Falou em um completo sarcasmo, e segurei a risada.

- Você fala como se fosse muito diferente. - Falei ao dar-lhe um beijo no canto da boca, que passou a língua em meus lábios.

- Eu sou. Por isso que nós completamos um ao outro. - Disse tranquilo, e voltou a me beijar.

- Às vezes você diz umas coisas tão espontâneas, que eu custo a acreditar que isso vem de você. - Falei ao pausar o beijo.

- Tipo o que? Meu romantismo? - Assenti assim que ele terminou a frase. - Você que diz que eu sou bipolar... Não tenho outra desculpa. 

 

SPOILER

- Vamos ficar aqui um pouco... E quando voltarmos, eu coloco as lentes de novo. - Falou ao refazer seu topete, e deu-me um selinho. Retribui-o com um beijo, que foi me conduzindo a dar passos para trás, entrando no quarto dele. As luzes estavam apagadas, e acabei tropeçando em um par de sapatos dele, caindo na cama. Ele riu e caiu em cima de mim. Continuei beijando-o nos lábios, que empurrou-me mais para trás, e mordeu meu lábio com força. Eu estava agitada e  morrendo de vontade de continuar beijando-o. Uma das únicas coisas que eu gosto de quando ele bebe, é que ele faz o que sente vontade e não disfarça nada. Mas, ele se torna mais implicante do que o normal.  Se ainda não discutimos, é porque ele não bebeu tanto o quanto eu imaginei.


Notas Finais


Preparem-se para o próximo capítulo lol. Ainda tem mta coisa pra vocês entenderem! Beijos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...