História Behind The Secrets - Capítulo 33


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Ryan Butler
Visualizações 3.084
Palavras 3.322
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Festa, Mistério, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Adultério, Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Ps: não me matem tá gente. Boa leitura bjoes.

Capítulo 33 - STOP!


- Às vezes você diz umas coisas tão espontâneas, que eu custo a acreditar que isso vem de você. - Falei ao pausar o beijo.

- Tipo o que? Meu romantismo? - Assenti assim que ele terminou a frase. - Você que diz que eu sou bipolar... Não tenho outra desculpa. 

- Realmente... Não te entendo. - Falei ainda olhando para ele, que deu-me um selinho. 

- Não precisa me entender. - Sorriu e juntou suas mãos em minhas costas, colando seu corpo no meu. Seu beijo molhado era ainda mais relaxante do que ficar aqui, descansando com ele. - O que nós vamos fazer hoje? - Disse ao beijar-me diversas vezes no rosto. 

- Não sei. Estava pensando em participaR alguma atividade com os monitores, ou algum esporte.

- É uma boa. Podemos jogar tênis. 

- Não sou muito boa em tênis, mas podemos tentar. - Falei rindo.

- Eu te ensino. - Disse todo convencido.

- Como você é convencido. - Revirei os olhos.

- Mas eu só disse que posso te ensinar. Isso não quer diZer que eu sou um mestre no tênis. - Disse risonho e tocou meus lábios sorridente.

- Você consegue admitir algo em que não é bom? - Falei ao arquear a sobrancelha, e ele deu-me um beijo.

- Huh, eu não sou bom em achar um defeito em mim mesmo. - Gargalhou, e me fez rir. - Isso conta?

- Não Justin. - Falei negando com a cabeça ainda sorrindo.

- Sabia que eu amo quando você sorri? - Falou do nada. - Principalmente quando ri de algo que eu digo ou faço.

- Por que? - Falei sorridente.

- Porque significa que você é feliz comigo. - Disse ao colocar as mãos na minha cintura, e fitou meus lábios.

- Seu distúrbio de humor me deixa completamente confusa. - Falei sem saber o que dizer, e ele riu.

Após um longo tempo à sós, fomos caminhar pela trilha e encontramos os professores, que perguntaram se estávamos nos divertindo e logo fomos almoçar.

Conseguimos almoçar apenas nós dois, e por sorte não encontramos mais ninguém da nossa sala ou da outra. Pelo menos por hoje nós poderemos nos divertir sozinhos. Estamos precisando de um tempo sem mais ninguém ao nosso redor, principalmente porque estamos em um lugar incrível como esse. Saímos para o bloco B do resort, que fica na direção oposta das festas e das praias. Era onde haviam várias lojas, sorveterias, piscinas em volta de bares e duchas. A melhor parte é que, não importa o lugar em que estejamos, sempre está tocando alguma música animada em um volume ambiente.

- É bom demais não encontrar ninguém por aqui. - Falou ao sentar-se no banco da sorveteria, de frente para mim.

- Como você é antisocial! - Falei surpresa e ele riu.

- Não sou. - Disse ao tomar um gole de seu milkshake. - Eu só acho que precisamos passar um tempo juntos, sabe, sem mais ninguém por aqui. - Tirou seu celular do bolso e passou a mexer no mesmo. Tentei enxergar o que ele estava fazendo, e parecia estar fuçando o Instagram.

- Eu também penso assim. - Coloquei novamente os óculos de sol e ficamos em silêncio curtindo a música. Olhei para os lados e o John passou perto de nós com o Luy e o Chris. Preferi não comentar, até que o Justin os visse, o que não demorou muito para acontecer.

- Tem que chegar alguém para estragar. - Falou ao desviar o olhar.

- Para, Jay. Eles nem estão aqui perto. - Falei baixo e ele continuou cismando.

- Mas eles estão olhando para você. - Disse ao aproximar-se e deu-me um selinho.

- Qual é o problema? Eu nem falei com o Luy desde que chegamos. - Dei os ombros e eles logo vieram nos cumprimentar. Pisquei para que ele não se irritasse à toa, e sorri para os garotos.

- Por que vocês estão do outro lado do resort? - Chris falou curioso e me cumprimentou. Abracei o Luy um tanto desconfortável e fiz o mesmo com o John. Justin os cumprimentou com força na mão, como se quisesse machucá-los.

- Não tínhamos vindo aqui ainda. E vocês? - Cruzei novamente as pernas ao virar-me de frente para a bancada.

- Também. - Luy sorriu. - Vocês irão à festa de hoje? - Falou encarando discretamente o Justin, que não tirava os olhos dele quase com os lábios franzidos.

- Com certeza. - Assenti. - Espero encontrar vocês lá.

- Ah tá. - Justin disse baixo em um completo sarcasmo.

- Então, até lá. - John disse sorridente e eles continuaram andando.

- Babacas. - Bufou impaciente e jogou seu milkshake no lixo após terminá-lo.

- Para de falar assim. Você sabe que eles são legais. - Colocou sua mão sob a minha assim que terminei de falar, e deu-me um selinho.

- Eu não acho. - Falou todo sarcástico, o que me fez rir. - Não quero você de papo com eles.

- Eu quase não falo com eles, e você sabe disso. 

- Ainda bem, meu amor. Ainda bem. - Levantou-se novamente e parou em minha frente. 

- Sua ironia me irrita. - Falei ao franzir a testa para ele.

- A sua também. - Sorriu de volta e beijou-me nos lábios. Pausei o beijo para ver se havia alguém por perto, e poucas pessoas estavam nos olhando. 

- Eu estou cansada. Onde nós vamos? - Falei ao apoiar com os braços em seus ombros.

- Podemos descansar um pouco no meu apartamento. Nenhum dos caras deve estar lá agora.

- Descansar, tá? - Falei risonha e ele assentiu. Joguei a embalagem do milkshake fora e voltei até ele. 

- Adoro descansar. - Disse em um tom de malícia.

- Me leva? - Parei em sua frente manhosa. Eu já não aguentava mais andar tanto. 

- Não. Você é muito pesada, Mellanie. - Sorriu segundos depois e olhou-me pelo canto dos olhos, logo estendeu as mãos para que eu pulasse em seu colo. Assim fiz e dei a volta com as mãos em seu pescoço, e ele segurou minhas pernas. Estava me sentindo uma criança brincando de cavalinho. Isso é bem divertido. 

- Até que você é forte. - Apertei seus bíceps. - Você malha? - Falei assim que chegamos na recepção e ele me colocou no chão.

- Bato punheta mesmo. - Falou rápido e entramos sozinhos no elevador. Percebi que ele mordeu a própria língua, segurando o riso.

- Estou falando sério, besta. - Olhei para ele.

- Eu também, Mel. - Deu os ombros e olhou-se no espelho. - Eu malho quase todos os dias. - Riu e me puxou para perto, saindo do elevador abraçado comigo. 

- Você é muito tonto. - Ele logo abriu a porta do quarto e tirou os óculos, deixando-o em cima da mesinha, e também tirou as correntes. 

- Vamos descansar um pouco, e logo iremos nos divertir, ok? - Falou tranquilo e caminhou até o quarto. Tirei meu chinelo assim como ele e nos deitamos em sua cama de casal, que estava foda arrumada. Ele deixou a porta encostada e ligou a tevê, ajeitando-se na cama, ficando quase deitado. Deitei-me ao seu lado e estiquei uma das mãos em cima de sua barriga e com a outra apoiei em seu peitoral. Ele colocou os celulares no chão, e deslizou sua mão em meu braço esquerdo, trazendo-me ainda mais para perto. 

- Agora você realmente pode dizer que eu mudei. - Falou do nada enquanto procurava um bom canal para assistirmos. 

- Por que? - Falei risonha e ele deu-me um beijo no rosto.

- Nunca, jamais eu me imaginei deitado com a minha namorada descansando, ao invés de estar aproveitado todas as garotas que eu vi pela frente nesse resort. E eu prefiro mil vezes você. - Continuou me acariciando e foi beijando meu rosto sucessivamente, para que eu me virasse de frente para ele. 

- Gosto de te ouvir dizer isso, e fico feliz que reconheça estar mudando. 

- Eu já sou que um adulto. Tinha que mudar algum dia... - Falou empolgado.

 - Você ainda está longe de ser um adulto. - Olhei-o elevando minha cabeça que mordeu o lábio, beijando-me bem devagar.

- É. Mas eu me considero um adulto. - Insistiu e colou seu rosto no meu, me aconchegando.

- Não deveria. Você mal tem mentalidade de um adolescente de 17 anos. - Falei olhando para ele, que mostrou a língua birrento e riu.

- Isso é mentira. - Apertou-me forte contra ele e aumentou pouco o volume da tevê.

Acho que não é preciso dizer o quanto a nossa tarde foi boa, digo, divertida. Jogamos tênis, fiquei assistindo o Justin jogar futebol com uns garotos desconhecidos - particularmente, lindos demais, participamos de várias atividades propostas pelo resort, voltamos para a piscina, tiramos fotos, fomos nos tobogãs da piscina perto do nosso apartamento, compramos vários doces e acho que só. Foi um dia bem cheio. 

Já estávamos nos divertindo na festa há quase uma hora, enquanto eu e as meninas dançávamos a cada música estranha que tocava. Justin e os outros garotos estavam sentados perto do DJ, opinando sobre as musicas e provavelmente todas as outras garotas bonitas que passavam por eles. Preferi não reclamar hoje. Eu e as meninas tiramos fotos e ficamos cantando junto com a música, feito tontas. Isso porque eu preferi não beber nada alcoólico. Tomei algumas latas de energético, apenas para ficar mais animada, e deu super certo. Já pensou se, eu acabar bebendo algo e perder essa festa incrível porque não me lembrarei de nada no dia seguinte? Acho que não gostaria nada disso.

Estava tocando o remix da música "Summertime Sadness" da Lana Del Rey. É uma letra forte, e rapidamente olhei para ele, que estava me observando de longe. Logo veio até mim e ficou parado me olhando dançar, enquanto tomava aquela bebida. Permaneceu imóvel, olhando-me já um pouco distante, e mandei um beijo para ele, virando de costas, voltando a dançar com a Amy e a Brandy. Nós cantávamos e dançávamos ao mesmo tempo com tamanha animação, que eu me sentia como se estivesse fazendo algum exercício há horas.

Ele parou novamente em minha frente e me puxou para que eu dançasse com ele. Olhei para trás e o Logan, John e Luy estavam nos observando ainda distantes, enquanto o Justin parecia bem animado, porém perdido na música.

- Você só quer se mostrar. - Falei olhando para ele que riu.

- Pode ser. - Deu os ombros confessando e beijou-me nos lábios com força, caminhando para fora da pista rapidamente. Continuamos caminhando até um dos primeiros sofás e nos sentamos.

- MEL. - Ele gritou para que eu pudesse ouvir, e ri na cara dele, que dobrou os dedos para que eu me aproximasse novamente. Ele ainda estava com o copo de Wodka na mão esquerda. - Vamos lá em cima comigo? - Falou ainda com a voz alta, devido o volume da música. 

- Por que? - Falei sorridente, e ele segurou minha mão assim que nos levantamos, indo até a saída.

- Preciso tirar essas lentes, e não quero você sozinha com aqueles caras te olhando. - Falou todo sério e continuamos andando. 

- Ótima desculpa. - Falei zoando com ele. - Não acha que já bebeu demais? - Falei assim que entramos no elevador.

- Não muito. E você já pode parar com esse energético. - Disse olhando-se no espelho, e tirou sua jaqueta, ficando apenas com a regata preta. As portas se abriram, e ele foi até a sua porta. Tirou as chaves do pescoço e abriu, e eu entrei atrás dele. Tranquei a porta e coloquei minha lata de energético na mesinha, após tomar o último gole. Ele deu a garrafa na minha mão e escondi-a, para que ele acabasse esquecendo. Segui-o até o quarto, que pegou a caixinha das lentes e foi até o banheiro. 

- Eu não aguento mais usar isso. - Falou ao tirar uma delas, e piscou várias vezes. Ele já estava com a voz mole e parecia cansado. 

Fiquei parada olhando-o na porta, que lavou o rosto para se refrescar, e logo secou-o. 

- Como você vai voltar para lá sem as lentes? - Falei ao apoiar com a mão direita na cintura.

- Vamos ficar aqui um pouco... E quando voltarmos, eu coloco as lentes de novo. - Falou ao refazer seu topete, e deu-me um selinho. Retribui-o com um beijo, que foi me conduzindo a dar passos para trás, entrando no quarto dele. As luzes estavam apagadas, e acabei tropeçando em um par de sapatos dele, caindo na cama. Ele riu e caiu em cima de mim. Continuei beijando-o nos lábios, que empurrou-me mais para trás, e mordeu meu lábio debaixo com força. Eu estava agitada e morrendo de vontade de continuar beijando-o. Uma das únicas coisas que eu gosto de quando ele bebe, é que ele faz o que sente vontade e não disfarça nada. Mas, ele se torna mais implicante do que o normal. Se ainda não discutimos, é porque ele não bebeu tanto o quanto eu imaginei. Grudei com as pernas nas suas, e segurei os fios de seu cabelo, arranhando-o bem de leve. Desviei meus lábios de sua face e beijei-o quase na nuca, mordendo para que ele se arrepiasse. Seu corpo se estremeceu por completo e ele apertou minha cintura, deitando-se ao meu lado. Ele ficou com a cabeça direcionada ao teto, e ainda com os olhos fechados, beijou-me repleto de cobiça. Deitei-me em cima dele, invertendo as posições. Ele passou as mãos em minhas costas, descendo até a minha bunda. Subiu o comprimento da minha saia com agilidade e me apalpou enquanto ainda nos beijávamos. Justin ameaçou puxar minha blusa para cima, para que pudesse tirá-la de uma única vez, mas hesitei, apenas para que ele se acalmasse um pouco. Parei por um instante, e fiquei acariciando seu rosto, para ver o que ele iria fazer.

- Onde você colocou a minha bebida? - Disse ao abrir os olhos.

- Chega de beber Justin. - Falei negando com a cabeça.

- Tá, mas onde está? - Disse ao dar-me um selinho.

- Lá na mesa. - Falei devagar.

Justin beijou meus lábios bem devagar, e tentou me sugar pelo lábio debaixo, fazendo com que eu apoiasse com as mãos em seu rosto e o acariciasse. Ele parecia estar mais apto do que eu, e voltou a passar as mãos por todo o meu corpo, apertando-me aos poucos. Eu estava tão envolvida em seus beijos que não cedi outra coisa além disso.

- Eu amo tanto você. - Falou em um provável momento de fraqueza e instantanamente senti meu coração se acelerar descontrolado. Beijei-o nos lábios novamente como resposta, que puxou os fios de meu cabelo para ainda mais perto. Pausei o beijo com vários selinhos e ele suspirou. - Guarda minha lentes para mim, por favor? Acho que não vou mais sair daqui. - Falou risonho e deu a caixinha na minha mão. Levantei-me ao ajustar o comprimento da minha saia e liguei a luz. - Apaga isso! - Tapou os olhos e ri. 

- Onde é para guardar? - Falei olhando por todo o quarto.

- Na primeira gaveta da cômoda. - Disse ainda com os olhos fechados, e abri a gaveta. - Se eu esquecer de guardar é capaz de um dos caras achar e já viu, né?! - Olhou-me quase de ponta-cabeça risonho.

- Eles só iriam ver se entrassem no seu quarto. Eles passeiam por aqui, é? - Ri sarcástica e ele resmungou em resposta, como se não tivesse gostado do que eu disse. 

Assim que abri a gaveta, havia alguns pertences dele, inclusive sua carteira, conjunto de óculos escuros e alguns envelopes embaixo da caixa do mesmo. Guardei a caixinha ao lado e peguei o primeiro envelope branco, que era pequeno. Abri-o em silêncio, só para matar a curiosidade do que poderia ser. Como eu não esperava, havia dois RG's dele. Por que ele guarda isso em um envelope, sendo que poderia estar em sua carteira? Às vezes, parece que ele não pensa muito nas coisas. Um era o do Jason McCann, constando que ele nasceu no dia 1º de Março de 1996 na foto ele estava com um topete muito bem feito, colares de prata e uma jaqueta de couro ainda preta. O outro era o do Justin Drew Bieber. Eu não sabia que ele tinha Drew no nome... Na foto ele apareceu com o cabelo loiro escuro, como ele tinha me mostrado uma vez, e estava sem qualquer topete. A foto era realmente linda, assim como ele.

- Até que você está bonito na foto do seu RG, Justin. - Falei rindo e ele deu um pulo na cama, ficando de pé.

- Não Mellanie. Me dá isso. - Disse sério e aumentou rapidamente seu tom de voz, vindo até mim.

“Nascido em 1º de Março de 1994”. Era isso que estava escrito no RG original dele. 94? Então ele tem 19 anos? Não pode ser. É muita diferença para uma pessoa só e outra, se ele tivesse mesmo 19 anos, o que ele está fazendo aqui? Não pode ser. Suspirei fundo antes de falar qualquer coisa ou ao menos me irritar como sempre faço.

- 1994... Bem... Você tem 19 anos. - Falei processando o fato de que ele é quase um adulto, e foi a pior de todas as mentiras, sem contar com a da identidade falsa. Eu não estava irritada ou algo relacionado a isso. Foi por isso que ele disse hoje à tarde que já se considera um adulto. É porque ele é! Posso dizer que entrei em um completo e repentino choque. Parei de caminhar na hora e foi como se meus pés tivessem presos no chão, impedindo-me de fazer qualquer coisa.

- Sim... Me dê o RG, Mel. - Falou com a voz pausada, ainda aproximando-se de mim, como um adulto tentando pegar o brinquedo preferido de uma criança. - Deixe-me guardar isso, e iremos conversar. - Tentou pegá-lo da minha mão, e meus olhos já estavam completamente marejados. Eu podia sentir as lágrimas escorrendo por todo o meu rosto. Não conseguia tomar uma atitude bem pensada, ou da boca para a fora. O que está acontecendo comigo?

- Ok. Espere. - Parei do outro lado do quarto ainda com os documentos em mãos. - Você lembra do jantar na minha casa? - Ele me interrompeu rapidamente.

- Não continue. - Tentou interferir.

- Eu te disse com toda as letras, que se houvesse mais uma mentira, por mais boba que fosse, acabaria aqui. - Falei olhando para ele, que parecia não saber o que fazer. Era estranho que eu não estava conseguindo processar o fato dessa terrível mentira, e ele parecia completamente assustado com a minha tremenda calma em um momento como esse.

- Mellanie. Eu quero que... - Falou tentando se aproximar e olhava para todos os lados completamente perdido.

-  Eu não vou me irritar com você, e muito menos dizer coisas da boca para a fora. - Ele engoliu seco, e permaneceu imóvel. - Acabou aqui.

 

SPOILER

- Abre essa porta agora. - Ela parecia aflita. Vesti meu conjunto de lingerie rosa e abri a porta com a toalha na cabeça.

- O que aconteceu? - Falei desinteressada.

- Você viu o Jason por ai? Você está chorado? O que aconteceu? - Começou a falar tudo de uma vez.

- Não faço ideia. Por que? Nós terminamos e eu não quero falar sobre isso agora. - Falei andando até o quarto.

- Ele sumiu faz mais ou menos uma hora. Não está no prédio, nem em qualquer outro lugar. Os garotos rodaram todo o resort e nada dele. - Falou me seguindo.


Notas Finais


ps²: não me matem, tá gente? Espero que estejam gostando <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...