História Behind The Secrets - Capítulo 34


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Ryan Butler
Visualizações 2.892
Palavras 3.658
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Festa, Mistério, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Adultério, Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Postando antes pq todo mundo estava querendo me matar. Boa leitura n me matem bjs

Capítulo 34 - Please Mellanie, give me one last chance


- Acabou aqui. 

- Nunca mais repita isso. - Disse sério e segurou minhas mãos, que soltei-me rapidamente. Olhei novamente para o RG dele, e não há dúvidas... - Não chore. Calma, vamos conversar. Eu só não te contei antes porque não era a hora certa, mas você iria saber. - Falou aparentemente segurando o choro e deu dois passos para a frente. - Por favor, pare de chorar e vamos conversar com calma. Lembra do nosso trato? Sem brigas. - Disse com a voz doce, o que me deu ainda mais raiva. A minha vontade era de socar a cara dele, para que ele sentisse na pele o quão irritada eu estou. 

- Ninguém aqui está brigando. Se você quer manter isso em uma conversa, fale com a parede, porque não tem ninguém aqui para te ouvir a não ser elas. - Passei correndo por ele e saÍ do quarto. Eu estava sem as chaves do meu quarto, então corri em direção as escadas. Eu não iria entrar no elevador chorando desse jeito.

- Mellanie. - Disse me seguindo, e comecei a descer as escadas. Se eu ouvisse novamente a voz dele, uma das piores brigas que já tivemos estaria por vir, se não a pior. - Pare de andar agora. -  Falou como se eu desse ouvidos a ele. 

Continuei descendo com rapidez e assim que cheguei no térreo, saí do prédio pelos fundos, indo até um dos quiosques vazios. Eu não sabia porquê estava indo lá, mas eu precisava ficar o mais longe possível dele, para não fazer uma besteira sem pensar. - MELLANIE. - Gritou vindo em minha direção e a única reação que tive foi sentar-me e abaixar a cabeça. Eu estava chorando descontrolada. - Vamos conversar, por favor. 

- SAI DAQUI CARA. - Gritei rígida e senti minha garganta raspar. - SAI DAQUI.

- Eu não vou sair. - Disse insistente, e parou na minha frente. - Olhe para mim. - Tocou meu rosto e dei um forte tapa em seu braço, ainda sem olhá-lo.

- Não encoste em mim. - Falei tentando engolir o choro. 

- Você está irritada e decepcionada, eu sei. Então, olhe para mim e diga tudo o que tiver vontade. Eu sei que errei muito com você. - Levantei-me assim que ele terminou a frase, e olhei em seus olhos. Passei as mãos embaixo dos olhos para limpar as lágrimas, e ele parecia estar segurando o choro, para que as lágrimas parassem de empurrar umas as outras, tentando sair pelos olhos dele. A única coisa que me veio na cabeça quando olhei-o, foi exatamente o que eu fiz. Dei-lhe um tapa tão forte no rosto, que senti minha mão direita latejar de tão vermelha que estava. Ele simplesmente fechou os olhos e permaneceu com as mãos paradas. Ele sequer colocou os dedos no rosto para amenizar a dor. Apenas deixou escorrer as lágrimas de seu rosto e olhou para o chão, ao passar a língua nos lábios bem devagar. - Você não vai dizer nada? 

Engoli seco vendo-o segurar o próprio choro, sendo que ele já estava chorando. Suspirei e forcei os olhos para olhá-lo novamente.

- Você é o maior mentiroso que eu já conheci. - Falei olhando nos olhos dele, que foi fechando-os ao franzir a testa, para parar de chorar. - Acabou aqui. - Nunca pensei que seria tão difícil dizer isso a ele, mesmo estando profundamente irritada e brava. Permaneci parada na frente dele, e fechei uma das mãos apertando-a com as unhas. 

- Não. Por favor Mellanie. - Falou olhando-me. - Eu sei que eu errei de novo com você, mas eu prometo que se você me der uma ultima chance, eu... - Parou na frase. - Você é a única que sabe quem eu sou de verdade. Nem eu mesmo sabia, até te conhecer. Nós estamos em uma viagem de formatura incrível, e não pode acabar assim. Eu te amo e você também me ama. Não vale a pena acabar com tudo logo agora. - Ele falava com a voz falhada, ainda segurando o choro.

- Eu não sei quem é você. Nunca soube. Você passou sua imagem errada para mim, e agora eu não consigo te ver com outros olhos. - Falei olhando para ele. - Acabar com tudo? Tudo o que? Só houveram mentiras. - Falei ao dar passos para trás.

- Você sabe quem eu sou. Eu sei que no fundo você sabe. Nós tivemos tantos momentos bons, tantas palavras ditas. Por favor, vamos conversar sobre isso. Uma última chance. - Falou quase implorando. Eu não queria que ele se redimisse tanto, eu só queria esquecer tudo isso que anda acontecendo. Minha cabeça estava latejando, me fazendo fechar os olhos a cada segundo e continuar chorando. 

- Quantas últimas chances eu te dei? Você só tem provado para mim que não saber cumprir o que fiz, e não saber ser verdadeiro. O que custava você dizer que tem quase 20 anos quando eu descobri que o Jason não existe? Vai me dizer que você repetiu dois ou três anos? Estou farta de tentar montar esse quebra-cabeça que é você, sem ter ao menos metade das peças. Você sabe o que é amar alguém que você confia, mesmo sabendo que ela pode estar mentindo? É óbvio que você não sabe, porque eu nunca menti para você. Mas já você, nunca foi verdadeiro comigo. Eu te dei chances de se redimir, e você disse que estava mudando tanto no jeito, quanto no dia a dia. Você não teve coragem o suficiente para chegar e me dizer que você não tem 17 anos, mas sim 19. Que seus olhos não são escuros, e sim cor de mel. Assim como seu cabelo que na verdade é quase um loiro. Você preferiu dizer que é órfão, ao invés de dizer que tem um pai, mesmo que ele esteja morando em outro país. Você disse milhares de vezes que não se apega às pessoas, e do nada você disse que poderíamos dar certo. Agora você me pergunta se ainda tem uma última chance? Última chance foi a primeira que eu te dei, porque eu já imaginava que não haveriam outras. - Falei completamente irritada, e as palavras simplesmente saíram sem que eu ao menos pudesse pensar no que dizer. Foi como se a minha consciência estivesse se expondo para ele, dizendo tudo o que eu guardei para mim. Suspirei fundo e passei as mãos no cabelo, tentado parar de chorar. Já ele não estava mais se contendo. Nunca pensei que o viria chorar tão silencioso, baixo e tentando disfarçar. 

- Você está certa. - Disse quase sem voz, e forçou sua garganta engolindo o choro. - Eu só quero que você saiba que eu te amo, eu amo o fato de que você é sempre determinada no que faz. E... Você fica ainda mais linda quando está triste, porque seus olhos brilham quando está me olhando, e isso é a prova de que amamos um ao outro. - Eu não sabia que ele estava observando meu olhar. Realmente me surpreendi com o que ele disse. - A única coisa que eu posso te dizer, é que eu vou esperar a sua resposta. Não podemos acabar com tudo agora. Eu te amo. - Repetiu a mesma frase e passou as mãos no rosto tentando amenizar a cara de choro. Passei vagarosa por ele, e continuei andando até perdê-lo de vista.

- Mellanie... Mellanie. - Ouvi sua voz ainda distante, e parei no meio do caminho. - Mellanie. - Olhei para trás e ele estava parado tão distante, olhando-me com um olhar completamente vago. - Não acaba com tudo o que nós conquistamos juntos. - Disse com a voz docemente rouca.

- Foi você que acabou com tudo, e não eu. - Falei tentando parecer fria, e continuei andando. Não ouvi sequer um barulho de seus passos ou sua voz. O que eu mais queria agora era que ele viesse até aqui, mas o que ele faria? Eu só pedi para que ele sempre fosse sincero comigo, e ele nunca foi.

Foi ai que eu chorei para valer. Eu soluçava sem saber o porquê, mas ao mesmo tempo eu tinha todos os motivos do mundo para estar fazendo isso. Depois do tapa que eu dei na cara dele, e de todas as coisas que eu disse, ele simplesmente disse que eu estou certa e que ele me ama. Se os motivos não fossem tão graves assim, nós poderíamos tentar esquecer. Mas se tem algo que eu aprendi, é que se foi prometido, não podemos voltar atrás de maneira alguma. Minhas pernas bambeavam enquanto eu andava, e eu sentia meu corpo se amolecer como se eu fosse desmaiar. Não sei se era apenas uma forte tontura, ou um terrível enjoo. Eu só sei que estava sentindo todas as dores possíveis, inclusive a da frustração. Parei no meio do caminho e olhei ao redor. Onde eu estou indo? Preciso pegar a chaves do quarto com a Adriele o mais rápido possível. Fiz o caminho contrário, e fui até o prédio novamente. Eu já não estava mais chorando, e fui até a recepção.

- Boa noite. Vocês podem me dar a chave reserva do quarto 112, por favor? - Falei séria e a mulher logo me entregou. Entrei no elevador e finalmente olhei-me no espelho. Minha maquiagem estava completamente borrada, deixando meus olhos quase todo preto. Meu olhar estava péssimo e completamente amargurado. Assim que cheguei ao meu andar, deixei o elevador e a porta do quarto 114 estava fechada. Mesmo assim era possível ouvir barulhos altos, como se ele estivesse discutindo com alguém aos gritos. Rapidamente entrei no meu quarto e tranquei a porta. Peguei uma camisola qualquer e despi-me ainda tão triste. A cada vez que eu fechava os olhos, podia enxergar as lágrimas escorrendo pelo rosto dele, enquanto ouvia tudo o que eu dizia em silêncio. 

Como ele pode ter 19 anos? Eu perguntei tantas vezes se ele tinha realmente 17, pelo seu olhar e maneira de agir mais adulta, e ele me garantiu que tinha 17. Do mesmo jeito que ele se apresentou como Jason. Do mesmo junto que ele mentiu sobre as lentes. Mesmo depois de tudo, ele não teve coragem o suficiente para chegar até mim e dizer que errou mais uma vez. 

Tomei um banho demorado, enquanto lembrava de todas as coisas que ele me disse apenas nessa viagem. Não consigo acreditar que nós terminamos da maneira mãos cruel possível. Porque não houve uma briga que eu imaginava. Foi apenas um término doloroso e triste. Continuei chorando e logo desliguei o chuveiro.

- MELLANIE! - Adriele gritou e passou a bater na porta. - MELLANIE RESPONDE.

- O que foi? - Falei ainda com a voz mole e ela continuou batendo na porta.

- Abre essa porta agora. - Ela parecia aflita. Vesti meu conjunto de lingerie rosa e abri a porta com a toalha na cabeça.

- O que aconteceu? - Falei desinteressada.

- Você viu o Jason por ai? Você está chorando? O que aconteceu? - Começou a falar tudo de uma vez.

- Não faço ideia. Por que? Nós terminamos e eu não quero falar sobre isso agora. - Falei andando até o quarto.

- Ele sumiu faz mais ou menos uma hora. Não está no prédio, nem em qualquer outro lugar. Os garotos rodaram todo o resort e nada dele. - Falou me seguindo. - Eu não acredito que vocês terminaram. Quem foi? - Disse tentando me entender.

- Eu não sei onde ele pode estar. - Disse ao vestir minha camisola. - Eu terminei. - Me joguei na cama e voltei a chorar.

- Eu não estou entendendo nada. O que aconteceu? Deve ter sido por isso que ele sumiu... - Falou pensativa, o que me fez parar de chorar instantaneamente. Onde será que ele foi? Quando eu vim para cá ouvi a voz dele no quarto.

- Eu não quero falar sobre isso agora. - Falei fria. - Só não queria que isso tivesse acontecido. Nós brigamos demais, e eu dei um tapa tão forte na cara dele. - Falei ao menos uma parte, para que ela não ficasse completamente sem entender nada.

- Mellanie! Eu acho melhor você nos ajudar a procurá-lo, porque já está bem tarde e ele tem que voltar até às 5h da manhã pelo menos.

- Não vou. Ele deve estar bebendo por aí. - Falei tentando não parecer preocupada.

- Detesto quando você faz isso. Finge não estar nem aí com nada. - Falou irritada e foi até a sala. Penteei os cabelos e comecei a secá-los, para não molhar meu travesseiro. Liguei a tevê para quebrar o silêncio e coloquei um dos únicos canais que prestava. Estava passando um filme, e, para ajudar a minha vida, começou a tocar "Love The Way You Lie" no intervalo, e passou a clipe. Olhei para a tevê e passei a lembrar da noite de amor que tivemos enquanto ouvíamos essa música. Eu digo noite de amor, porque realmente foi amor, e não apenas sexo, como na primeira vez. Foi romântico, envolvente e isso está acabando comigo. Foi aí que eu também parei para pensar onde ele deve estar. Eu poderia ir atrás dele e procurá-lo igual louca, mas eu não vou e nem devo voltar atrás, assim como ele. Mas, não é só porque terminamos que eu não posso me aproximar dele. O grande problema é que se eu me aproximar, nem que seja com um metro de distância, eu me rendo a ele novamente, e isso não pode acontecer, não tão cedo. Foi como se a voz dele soasse tão baixa próxima ao meu ouvido, dizendo "eu te amo babe", mas ele não estava aqui, e provavelmente não deve estar pensando em mim, ou ao menos sobre nós. Terminei de secar o cabelo ainda pensando sobre tudo isso, e Adriele ficou andando de um lado para o outro, parecendo preocupada. Como ela pode estar mais preocupada do que eu?

- Por que você está tão preocupada? - Falei olhando para ela.

- Ele sumiu faz uma hora Mellanie. Você tinha que estar no mínimo aflita. Os garotos estão mais preocupados que você. Eles estão procurando informações das últimas coisas que ele comprou para saber se alguém sabe de algo. - Falou enquanto batia com o celular na palma de sua mão.

- Não tem como ele sair do resort, ou até mesmo da ilha. De manhã ele aparece Dri, eu sei que sim. - Falei ao guardar meu secador, e coloquei meu celular para carregar.

- Nunca se sabe. O certo seria se ele voltasse logo. - Falou entrando novamente no quarto. - A Lissy e a Brandy estão procurando ele por aí também.

- E por que você não está?

- Porque eu estava esperando você, mas pelo jeito eu vim aqui em vão. - Falou já impaciente.

- Calma Adriele. Você está muito irritada à toa. Eu não vou sair desse quarto tão cedo. - Falei ao me deitar na cama e grudei no travesseiro, voltando a pensar nele.

...

- FINALMENTE CARA.

- VOCÊ É LOUCO? - Acordei pelas vozes altas vindo do corredor, aparentemente do Chris e do Logan. Abri os olhos com dificuldade e o quarto ainda estava todo escuro, por conta das cortinas. Levantei-me com ainda mais dificuldade e peguei meu celular. São exatamente 7h30 da manhã. O que eles estão fazendo acordados? Não faz nem seis horas que eu dormi.

Saí do quarto pisando fraco no chão e lavei o rosto, fiz minhas higienes e penteei o cabelo. Fui até a porta e destranquei-a devagar, enquanto eles ainda falavam todos ao mesmo tempo.

- O que está acontecendo aqui? - Falei olhando para a porta deles, e Christian estava aparentemente irritado, enquanto o Logan gritava com alguém.

- Seu namorado chegou agora, e os professores quase descobriram. - Falou alterado e Logan continuou gritando, provavelmente com o Justin. Engoli seco quando ele disse namorado, e mordi o próprio lábio.

- Nós terminamos. Foi por isso que ele sumiu. - Falei olhando para ele.

- Não creio. Eles terminaram cara. Foi por isso que esse babaca aí sumiu. - Chris disse indo até o Logan, e continuei parada esperando uma resposta deles.

- Venha aqui Mellanie. - Christian disse, e deixei a nossa porta encostada, indo até o quarto deles. John ainda dormia no outro quarto, ou melhor, tentava devido a gritaria, e Justin estava tomando banho.

- Mas que caralho deu nele para sumir? Até eu sou mais ajuizado. - Logan falou olhando para mim.

- Nós terminamos ontem durante a festa, e ele resolveu sumir. - Falei o mais óbvio possível.

- Você não tem ideia de como ele chegou aqui. - Christian disse.

- Como? - Falei olhando para os dois.

- Não sabemos também. No estado em que ele estava, deve ter bebido, no mínimo, mais de 10 garrafas de tudo quanto é drink. Ele está a ponto de desmaiar no banho. - Logan disse ao entrar no quarto dele.

- Eu acho melhor você entrar lá e falar com ele. Pelo menos para convencê-lo a comer alguma coisa ou a dormir. - Christian disse me empurrando até a porta do banheiro.

Apesar de tudo, eu não tenho como não me importar com ele, ainda mais depois de tudo o que ele aprontou no decorrer desta noite. Parei em frente à porta e abri-a. Está tão desligado que nem pensou em trancá-la. Ele estava de costas para mim, se refrescando com os olhos fechados.

- O que deu em você? - Falei ao fechar a porta, e apoiei com as costas na mesma. Ele literalmente me ignorou. Só não sei se foi de propósito. - Você está me ouvindo? O que deu em você? - Falei em um tom mais alto, e ele chacoalhou a cabeça, olhando para mim.

- É a Mellanie? - Falou todo confuso e forçou a vista para me enxergar.

- O que deu em você Jason? - Repeti a mesma pergunta.

- Você nunca me chama de Jason. - Falou todo aéreo e logo desligou o chuveiro. Ele secou seu cabelo com a toalha e abriu o box de vidro, passando a secar todo o seu corpo. - O que deu em mim? Acho que você tem a resposta. - Ele não me parece estar tão mal quanto os garotos disseram. Talvez, ele tenha exagerado para poupar perguntas bestas, do tipo "O que deu em você?".

- Eu vim aqui para ver se você estava bem. - Falei para que ele percebesse que eu me importo. O rosto dele ainda estava com a leve marca do meu tapa, por incrível que pareça.

- Eu estou ótimo, não está vendo? Terminar um namoro é o que precisava para acabar com a minha vida de vez. Se era isso que você queria saber, pronto. - Disse todo grosseiro e vestiu uma cueca boxer amarela. Ficou parado me olhando sem expressão alguma. Ele ainda estava sem as lentes, e pegou seus óculos escuros, pronto para colocá-los.

Saí do banheiro irritada e passei por eles sem dizer nada. Eu fui besta o bastante para ir até ele, só para saber como ele estava depois de ter bebido a noite toda e ele ainda vem ser grosseiro? Me poupe.

Voltei para o quarto e decidi tomar um banho fresco, já que não irei conseguir dormir de novo.  Foi deprimente vê-lo falar daquele jeito comigo, mas eu tentei me colocar no lugar dele e passei a lembrar tudo o que eu havia dito a ele ontem. Será que eu fui muito cruel? Ou ele ouviu tudo o que mereceu?

Vesti uma roupa simples e fresca, e saí para o café da manhã. As meninas continuavam dormindo, então eu fui com o Logan até o restaurante. Nos servimos e pegamos uma mesa vazia apenas para nós.

- Por que você terminou com ele? - Falou ao tomar um gole de seu suco.

- Eu já dei tantas chances a ele. É um assunto complicado. - Falei tentando não mencionar as mentiras dele. 

- Ele está arrasado. - Falou sério. 

- Como você sabe? - Falei curiosa.

- Porque é óbvio. Depois que o Chris voltou a dormir, ele começou a falar mais ou menos, sabe, difamando ele mesmo. Coisas de um cara babaca. Ele disse que nunca mereceu você e que ele é uma merda, mas eu não entendo. - Falou olhando para mim, e deve ter percebido meu olhar triste. - Até eu que sou homem, percebo seu olhar triste. Por que você terminou com ele Mellanie? Sabe, eu sei que ele não presta, assim como todos os outros garotos do mundo, mas ele realmente gosta de você.

- Eu estou tão decepcionada, que não acho possível uma reconciliação. - Falei de uma vez.

- Sabe que, eu não deveria estar te falando, mas... Ele comentou comigo que iria te surpreender amanhã, e eu perguntei o que era. Hoje ele mandou eu sumir com isso. - Tirou algo do bolso, e era um par de alianças, dentro de uma caixinha preta de veludo. 

 

SPOILER

- Vai me dar um tapa de novo? - Falou frio e molhou os lábios.

- Não. - Retruquei. - Você está melhor? Comeu alguma coisa? - Falei para que ele percebesse que eu estava preocupada com o que ele aprontou.

- Acho que a minha resposta não vai mudar a sua vida, vai? - Detesto quando ele fica grosseiro desse jeito. 

- Você vai me responder ou não? - Falei rápido.

- Eu estou ótimo, não está vendo? 

- Por que você fica agindo tão revoltado? Eu não estou brigado com você. - Falei para que ele parasse de agir desse jeito.

- Por que você acha? - Continuou. - Não tenho porquê agir de outra maneira.


Notas Finais


Socorro to rindo com os comentários vocês são demais!!! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...