História Behind The Secrets - Capítulo 35


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Ryan Butler
Visualizações 2.805
Palavras 4.136
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Festa, Mistério, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Adultério, Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura meninasss

Capítulo 35 - Get out


- Sabe que, eu não deveria estar te falando, mas... Ele comentou comigo que iria te surpreender amanhã, e eu perguntei o que era. Hoje ele mandou eu sumir com isso. - Tirou algo do bolso, e era um par de alianças, dentro de uma caixinha preta de veludo.

- Eu não... Não acredito. - Peguei as alianças e estava com os nossos nomes, e a data do dia 8 de setembro, quando começamos a namorar. Meu coração palpitou tão forte que parecia querer saltar pela minha boca.

- Ele disse que não quer ver isso pela frente de maneira alguma. - Disse ao terminar seu café e pegou seu celular.

- Eu vou guardar... - Coloquei no bolso do meu shorts e suspirei fundo. Ontem mesmo ele disse que tinha uma surpresa para sexta, e eu imaginei qualquer coisa, menos um par de alianças prateadas. Ele deve ter pago, no mínimo uns 200 reais. E vai querer jogar fora? De maneira alguma. Pelo menos terei algo dele comigo. - Não sei o que fazer.

- Se o motivo é tão sério quanto você está falando, você deve estar fazendo a coisa certa. - Falou ao se levantar, e saímos em direção à piscina. Eu estava tão desanimada, que a minha vontade era de voltar para o quarto e dormir até anoitecer.

- É realmente algo sério, mas eu estou tão perdida. Quero voltar para casa e esquecer tudo o que anda acontecendo. - Falei toda preguiçosa.

- Pode parar dona Mellanie. Você tem que se animar. Vamos para algum lugar divertido, e eu te animo. - De todos os meus amigos, o Logan é o único com alto astral 24 horas por dia. Chega a ser impressionante.

- Não quero. Eu estou desanimada demais para essas coisas. - Falei parando no meio do caminho, e ele passou a puxar minhas mãos, para que eu continuasse andando. - Você vai se animar querendo ou não. Amiga minha não fica choramingando por aí por qualquer um não. - Ele tinha acabado de dizer que o Justin ficou todo arrasado e fala ao contrário minutos depois. Por isso que ele é o melhor.

- Só você mesmo. - Falei rindo, e foi quando eu percebi que eu não sorria desde que nós terminamos.

- Uau, isso já é um bom começo. Venha Rose. - Ele sabe que eu detesto quando me chamam de Rose.

- Não me chame de Rose. - Falei séria e ele riu.

- Desculpe, Rose. Agora vem logo. - Continuamos andando e fomos até uma trilha moderna. Com moderna, eu digo que a cada passo havia uma caixa de som no alto, com músicas eletrônicas e de R&B tocando para nos motivar a fazer uma caminhada. Entramos nela, e ele começou a andar rápido. - Acompanhe o ritmo.

- Sério Logan? - Falei olhando para ele. - Não são nem 10 horas da manhã.

- Você parece velha, de tanto que reclama. - Revirei os olhos e comecei a andar rápido ao lado dele.

- Você está mesmo namorando com a Tiffany? Ou é aquilo que você falou, sobre diversão? - Ele riu assim que terminei a frase, e moveu a cabeça para os lados.

- Eu me divirto com a Tiffany, mas ela não é para mim. Sou bom demais para ela. - Disse todo convencido. - Digo, no sentido de gênero. Ela é fácil demais.

- Agora sim, você é o Logan que eu conheço. - O Logan é um dos meus únicos amigos homens que não pega qualquer garota fácil. Ele prefere ficar tentando as mais difíceis, e passar uns dias com elas, nada muito formal, apenas para se divertir mesmo. Mesmo assim, ele já namorou várias vezes.

- Acha mesmo que eu viria para essa viagem namorando uma garota que eu mal conheço? Não sou tão louco assim. - Falou ainda rindo, o que me fez rir. - Mas e você... Encontrou com o Luy desde que chegamos?

- Não me fale de ex-namorado, por favor. - Ergui as mãos para o alto e ri. - Só o vi uma vez, porque ele não está nem no nosso andar, então nos desencontramos. Ainda bem.

- Isso é bom, porque o Luy é outro babaca.

- Ai, não fala assim dele. - Automaticamente defendi-o.

- Eu acho que você tem muito mau gosto por garotos.

- Você parece um gay falando isso.

- Tonta. - Riu. - Mas é verdade, você não sabe escolher.

- Se fosse para escolher seria fácil amigão. - Fiz careta para ele.

- Seria.

Continuamos caminhando até o fim da trilha, e tiramos algumas fotos. Encontramos com um pessoal da outra sala, e um dos monitores que já conversou com a gente. Comprei uma água de coco, igual ao Logan.

- Será que os outros já acordaram? - Falou ao sentar-se em um banco.

- Com certeza, sim. Já está bem tarde. - Logo meu celular começou a tocar, e era a minha mãe.

 

- Oi mãe.

- Oi Mel. Que saudades! Como está tudo aí?

- Está bem... E você? Também estou com saudades.

- Tudo ótimo. Quero você aqui logo. É muito triste ficar sozinha.

- Você tem o seu namorado, mãe. - ri. - Ele não é uma boa companhia?

- Ele não é minha filha. Mas e aí, você e o Jason estão aproveitando os dias aí?

- É... - engoli seco. - Nós terminamos ontem mãe. E eu não quero falar sobre isso agora.

- Por que? Ai meu Deus. Você deve estar arrasada querida.

- Eu estou, mas logo ficará tudo bem de novo. Agora preciso desligar, estamos voltando para o hotel.

- Eu não quero você chorando por aí durante a sua viagem, ok? Me dê notícias. Eu amo você, beijos.

- Ok mãe. Também te amo. Beijos.

 

- O que ela disse? - Logan falou curioso, e passamos pelo hall.

- Ela ficou surpresa. Por incrível que pareça, a dona Anne gostou do Jason. - Falei desviando o olhar, e percebi que começaríamos a falar novamente sobre ele. Eu tenho que parar com isso.

- Eu não acredito que você estapeou ele. - Ele disse assim que entramos no elevador, e riu.

- Não é engraçado. - Falei segurando a risada.

- E mesmo assim ele é louco por você.

- Não acho que é tanto assim. - Falei ao negar com a cabeça.

- Você está longe de entender os homens Mellanie. Muito longe. - Falou ao bater de leve na minha cabeça, como consolo.

- O que você quer dizer com isso? - Olhei para ele esperando a resposta.

- Quando você quer saber se um homem babaca como o Jason te ama ou não, repare nas coisas negativas que ele faz, e pense no que o levou a fazer isso. É tão óbvio. - No começo eu me perdi no que ele disse, mas segundos depois, tudo fez sentido. Se ele passou a noite bebendo, foi para esquecer o que aconteceu, e se ele quer esquecer o que aconteceu, é porque se arrepende profundamente de tudo o que fez de errado até agora.

- Uau. Tudo faz sentido. - Saímos do elevador e ele estava parado conversando com a Lissy e a Brandy enquanto o John falava ao celular com alguém. Percebi que ele tentou não olhar-me, mas mesmo assim passou o olhar rápido e voltou a conversar.

- Sim. Pense nisso. - Falou ao piscar e foi para o seu quarto.

- A Adriele já saiu? - Falei olhando dentro da sala.

- Faz tempo. - Brandy disse estalando os dedos. - Ela deve estar na piscina.

- Vou lá então. - Entrei no quarto e guardei a caixinha com as alianças no meio da minha mala vermelha. Saí rapidamente do quarto e tranquei a porta. Passei por todos eles sem dizer nada, e continuei pensando no que o Logan me disse. De uma hora para a outra, tudo está fazendo sentido. Quando ele implicou com aquela brincadeira com o John, ele teve uma atitude ridiculamente infantil, o que significa que ele não aceitou o fato de que eu não dei ouvidos a ele, como uma criança quando não ganha o que quer. Como eu nunca tinha parado para pensar nisso?

Assim que deixei o hotel, passei a procurar a Adriele nas piscinas mais próximas, e ela estava lá, torrando no sol sozinha. Sentei-me na cadeira de descanso ao lado das coisas dela, e esperei que notasse a minha presença.

- Como você conseguiu acordar tão cedo hoje, depois de passar horas chorando? - Falou olhando-me.

- Acordei com a gritaria do Logan, porque o Jason chegou de manhã completamente bêbado. - Falei tranquila e fechei os olhos, em direção ao céu. 

- Ele estava em um estado crítico, segundo o Chris. Você não falou com ele? 

- Eu até tentei ajudá-lo, mas ele foi muito grosseiro então eu fui embora. - Falei irritada, e logo ouvi a voz dele ainda distante. Não consegui me conter, e acabei olhando para trás. Ele e o Logan estavam vindo até nós, e voltei a fechar os olhos. Foi só começar a pensar nele, que o fato de que ele tem 19 anos me veio à cabeça e acabou com tudo. Como ele consegue inventar uma mentira atrás da outra? Eu não consigo entender o que se passa na cabeça dele para fazer isso. 

- Agora eu estou completamente bem. - Falou com a voz firme.

- Também, você quase se dopou de tantos remédios para essa merda de ressaca. - Logan disse rindo e sentou-se ao meu lado. 

- Não foi bem assim. - Justin disse ao sentar-se pouco distante. Logo a Lissy e o John chegaram e mergulharam instantaneamente na piscina.

- Jason. - Falei sem pensar, e ele permaneceu parado. - Preciso falar com você. - Levantei-me e ele fez o mesmo, ainda sem dizer nada. Logan olhou-me sério, como se não quisesse que eu dissesse que guardei as alianças, e apenas assenti para que ele relaxasse. Andamos pouco até uma parte perto do nosso quiosque. Não demorou mutio para que ele cruzasse os braços impaciente, e suspirou. 

- Vai me dar um tapa de novo? - Falou frio e molhou os lábios.

- Não. - Retruquei. - Você está melhor? Comeu alguma coisa? - Falei para que ele percebesse que eu estava preocupada com o que ele aprontou.

- Acho que a minha resposta não vai mudar a sua vida, vai? - Detesto quando ele fica grosseiro desse jeito. 

- Você vai me responder ou não? - Falei rápido.

- Eu estou ótimo, não está vendo? 

- Por que você fica agindo tão revoltado? Eu não estou brigado com você. - Falei para que ele parasse de agir desse jeito.

- Por que você acha? - Continuou. - Não tenho porquê agir de outra maneira. 

- Olha, se você fez tudo o que fez ontem, com a intenção de continuar me machucar aos poucos você está conseguindo.

- Você fala como se eu estivesse muito diferente. Eu não aguento olhar para você e aceitar que nao estamos mais juntos. O que você quer que eu faça? 

- Pare de agir feito criança. Você é velho o bastante para saber lidar com isso.

- Lidar com isso? Você só pode estar zoando comigo. Como alguém consegue ficar bem, depois de ouvir tudo o que você me disse e ainda ficar com a cara marcada? - Falou apontando para o próprio rosto.

- Eu só fiz o que você mereceu, e sabe disso. - Falei olhando para ele. 

- É por isso que eu odeio o amor. Como alguém pode dizer que é lindo, depois que você quase morre por isso? É por isso que eu nunca tinha me apaixonado antes, porque eu via os casais brigando por aí e achava ridículo. É por isso que eu odeio amar. Eu odeio o fato de te amar mais do que a mim mesmo. Isso acaba comigo. - Ele falou de uma maneira tão fria, que parece estar tirando um peso da consciência e ao mesmo tempo aparenta estar farto de tudo. - Como as pessoas podem achar que o amor é lindo? O que tem bonito em se machucar?! E o pior de tudo, é que eu não posso simplesmente voltar a trás e fingir que eu não te amo mais, porque é mais forte do que eu. Era tudo isso que você queria ouvir? Eu estou péssimo. - Terminou suspirando fundo, o que me fez esconder o rosto com as mãos, sem saber o que dizer.

- Eu não... Não posso fazer nada. - Falei fraca. - Eu me sinto igual a você.

- Você pode sim. - Insistiu e aproximou-se, quase tocando nossas mãos. - Você quer acabar de vez com o que sentimos um pelo outro? - Falou esperando minha resposta. É óbvio que eu não queria isso, mas o que eu posso fazer? Ele errou tanto comigo, mentiu tanto que não vou conseguir desculpar tudo o que ele já fez tão cedo. Apenas assenti bem devagar, e ele abaixou a cabeça. - Então... Só mais uma coisa. - Voltou a olhar-me nos olhos. - Só me dê um beijo, só um. Eu prometo não tocar te tocar mais ou mentir novamente. 

- Justin, eu não se... - Parei no meio da frase e voltei a olhar para ele, que veio mais a frente, quase tocando nossos lábios. Meu coração palpitou como nunca antes e rapidamente fitei seus lábios. Eu não posso beijá-lo agora, ainda mais porque preciso tentar esquecê-lo, mas ao mesmo tempo eu sinto como se estivesse necessitando do seu beijo com urgência, porque eu preciso dele mais do que qualquer outra pessoa. Ele permaneceu tocando apenas nossas testas, até que eu assenti em concordância, e ele passou uma de suas mãos por meu rosto, até a minha nuca.

Inclinou sua cabeça e selou nossos lábios bem devaga. Mordeu-o com ainda mais calma. Passei minha língua por seus lábios, que quase me abraçou e colou nossos corpos como se fosse um só. Estávamos calmos e tanto eu quanto ele não queríamos que esse momento acabasse. Virei minha cabeça para o lado oposto ainda bem vagarosa, e ele deu-me um selinho, recusando a se afastar. Creio que tenha sido nosso beijo mais apaixonado e sentido de todos. Pude sentir sua amargura e amor apenas por alguns segundos. 

- Eu amo você - Falei choramigando e continuamos com as testas coladas. Precisei dizer isso a ele, para que soubesse que não é o único machucado. Tudo porque ele mentiu demais para mim. 

Pensei seriamente em beijá-lo novamente, mas não é certo. Isso só fará com que eu o queira ainda mais. 

- Eu também. - Engoliu seco. - Me desculpa por sempre ter sido tão idiota e mentiroso com você. - Falou ao se afastar, olhando em meus olhos assim que tirou os óculos. Seus olhos estavam transbordando em lágrimas, enquanto as minhas já escorriam aos poucos. - Eu passei a noite pensando em tudo, tudo mesmo. Eu não fiquei tão bêbado o quanto eles imaginaram. Eu só queria ficar sozinho para pensar em tudo o que eu já fiz. E eu te amo tanto, que não aguento ficar longe de você, e nunca vou aceitar a ideia de que eu estou te perdendo por mim mesmo. - Continuou falando baixo e mordi meu próprio lábio. 

- Você está piorando, por favor, pare. - Falei ao arrumar meu cabelo, jogando-o para trás. - Eu preciso me acostumar com tudo isso novamente. Esse beijo só piorou a nossa situação. - Falei ainda confusa, e ele colocou os óculos novamente. 

- Então... Você tem certeza que acaba aqui? - Falou olhando para mim, e apenas assenti sem saber o que dizer. Comecei a caminhar de volta para a piscina e ele ficou mais para trás.

- Só uma coisa. Qual era a surpresa que você disse que tinha para mim amanhã? - Olhei-o pelo canto dos olhos.

- Ah, não... Não é nada demais. Você não iria gostar tanto assim. - Foi como se todo o amor que eu sinto por ele estivesse aceso de uma única vez em meu coração, me deixando completamente perdida no que fazer ou pensar. Sentir seu beijo pela última vez foi tão doloroso, mas ao mesmo tempo tão fundamental que eu não sei mais o que pensar ou fazer. Avistei os outros de longe, que automaticamente nos olharam e fui até a Adriele. Sentei-me com elas e Justin passou reto com os garotos sem dizer nada.

- E ai? - Brandy disse esperançosa.

- Nós terminamos de vez. - Falei triste. - Acabou.

- Mas vocês parecem tão tristes. Ele não disse nada sobre te amar? - Adriele disse ao sair da piscina.

- Ele disse tantas coisas... Falou bem assim 'Eu odeio o fato de te amar mais a mim mesmo. Isso acaba comigo'. - Falei pensando em quando ele disse isso e as duas pareciam perplexas. 

- Caralho Mellanie! Ele é louco por você. - Brandy disse surpresa.

- Você não faz ideia. - Adriele interferiu.

- Já reparou no jeito que eles olham um para o outro? - Continuou. - Ele ama a Mellanie.

- VOCÊS NÃO ESTÃO AJUDANDO. - Falei nervosa. 

Quando fomos almoçar, acabamos nos sentando na mesma mesa que a Amy e as meninas da outra sala. Combinamos de nos divertir juntas na tarde de hoje, e elas disseram que fariam de tudo para me animar. Jogamos vôlei de praia, golfe, fizemos uma aula de dança de rua, já que eu estava precisando me desestressar e por fim fomos à praia, onde encontramos a professora Hillary conversando com vários turistas.

- Eu não vou à festa de hoje. - Falei toda desanimada.

- O que? Mas é claro que você vai Mellanie! É a penúltima festa. - Falou enquanto penteava o cabelo.

- Não estou animada Dri. - Pulei na cama e escondi o rosto com o travesseiro.

- Por isso mesmo. Tem tantos garotos bonitos por aí, e eu acho que você deveria aproveitar. 

- Eu não vou ficar com nenhum outro garoto. - Falei como se fosse óbvio.

- Será que você pode me explicar o que anda acontecendo? Eu não entendo. Vocês se amam e agora você está sofrendo por ele, sendo que foi você que terminou o namoro. - Falou confusa.

- É uma longa história. - Falei pensando sobre o que dizê-la. - Envolve a vida pessoal dele. O Jason já mentiu muito para mim e eu desisti dele. 

- Pelo jeito deve ser algo bem sério. Mas, se você acha que está fazendo o certo, levante essa cabeça e vá aproveitar sua viagem. - Bateu palmas para que eu me levantasse e assim fiz.

- Eu não sei se estou fazendo o certo. Esse é o problema. - Falei ao me levantar. - Qual o tema da festa de hoje mesmo? 

- Agora sim! É a festa do vermelho. - Falou rindo. Abri a porta do guarda-roupa e peguei meu vestido vermelho bem forte. Aproveitei pra deixar meu salto preto separado junto com os brincos grandes, tudo em detalhe dourado. Como já sequei o cabelo, achei melhor apenas fazer uma escova. 

Adriele vestiu uma cropped comprida preta e uma saia vermelha, com um salto preto e vários detalhes vermelhos. 

Vesti minha roupa e fizemos a maquiagem uma na outra, porque segundo ela é mais fácil.

- Podemos ir? - Falei ao pegar meu celular.

- Sim, mas antes precisamos de fotos. - Falou ao pegar o celular dela e tiramos várias. Não posso dizer que estou animada, mas eu preciso me distrair nem que seja por cinco minutos. Saímos o hotel e fomos até o local da festa, que não era o mesmo de sempre. Tivemos que atravessar boa parte do resort até chegar no clube, que era uma casa noturna enorme. 

- Uau, aqui é bem bonito. - Falei olhando ao redor e Wake Me Up estava tocando em um remix. Muitas pessoas já estavam dançando, enquanto poucos estavam bebendo no balcão. Já os sofás em formato de beijo e todos decorados de acordo com a festa estavam vazios. Procurei o Justin com os olhos e não o encontrei. Achei melhor ir dançar para me animar, e peguei uma garrafa de energético. Não acho legal ficar bêbada logo aqui, e acabar fazendo o que não devo, ainda mais depois de um péssimo dia como esse.

- Ei. - Olhei para trás, e era o tal do Daniel.

- Oi, Daniel? - Fingi não ter decorado o nome dele. 

- Vejo que está sem o seu namorado. - Falou olhando ao redor e eu estava realmente sozinha.

- Não tenho namorado. - Falei ao tomar mais um gole da minha bebida.

- Não? - disse duvidoso e logo assenti. - Incrível. - Sorriu e continuei dançando. Ele estava todo de preto, com pouquíssimos detalhes vermelhos. Sem contar que ele já é lindo por natureza, e além de tudo é cheiroso e me parece simpático.

- Fica com ele. - Adriele disse tentando parecer discreta e ri. 

- Não. - Neguei com a cabeça rindo, e ele continuou dançando todo contente na minha frente. Não me parece bêbado, mas sim bem elétrico. 

- Eu já te falei que adoro garotas de batom vermelho, não? - Disse quase tocando meus lábios e rapidamente me afastei.

- É, você disse. - Falei lenta e fechei os olhos voltando a dançar. Notei que ele se aproximou, e tentou me tocar. Rapidamente afastei-me pela segunda vez, e ele deu uma risada baixa.

- Calma gata. - Falou olhando-me.

- Prefiro que me chame pelo nome. - Falei seca.

- Sem problemas, Mellanie. Mas que você está gata, você está. - Disse olhando-me de cima a baixo. Quem ele pensa que é para chegar do nada e já ficar jogando ideias em mim? Não é assim que funciona, mas eu estou precisando esquecer o Justin, nem que seja apenas por hoje. 

- Obrigada. - Sorri falsa, e dei passos para trás, quase saindo da pista. Em um piscar de olhos ele tentou me beijar, e a única reação que tive foi hesitar. Percebi que ele ficou sem graça e voltamos a dançar. 

- Você é muito difícil. - Disse após um longo tempo em silêncio. - Gosto disso. - Falou com a voz sexy. Apenas sorri novamente. Ele tirou o energético da minha mão e antes que pudesse me defender, me agarrou com força. Confesso que eu não seria burra o bastante a ponto de evitá-lo mais uma vez. Tenho que confessar ao menos para mim mesma, que ele beija muito bem e conseguiu me envolver. Agarrou minhas costas com as mãos enquanto passei as minhas por seu cabelo. Ele foi me conduzindo mais a frente e acabamos encostando na parede. Nos afastamos por míseros segundos e ele voltou a beijar-me nos lábios, e eu obviamente correspondi. Não senti absolutamente nada com o beijo dele, nem mesmo um forte desejo. Eu só estava realmente tentando me divertir. 

- Gostei de você. - Disse com a voz baixa e deu-me um selinho. Preferi não responder e passamos mais um tempo ali. Ficamos aos beijos por mais um longo tempo e voltamos a dançar juntos. Eu não estava pensando em mais nada, a não ser o momento. Eu não pensava nele e muito menos em um outro alguém. Percebi que apesar de parecer um homem metido, ele não era tão assim e não bebeu quase nada. Pelo menos tem um pouco de noção do que faz.

- Podemos ir para outro lugar, não acha? - Falou ao tentar me beijar, e hesitei. 

- Acho que podemos ficar aqui. - Falei séria e ele apenas sorriu. 

Enquanto uma música eletrônica tocava, voltamos a nos beijar e dançar em um ritmo animado.

- Licença. Sai da frente porra. Vamos parar com essa palhaçada aqui. - Bateu palmas para que nos afastássemos e assim fiz. 

 

SPOILER

 - Até onde eu sei, ela não é sua coisa nenhuma.

- Ótimo. Você não sabe de nada. - Falou irônico. - Agora deixe-a de lado, se não irá se arrepender.

- Vai me socar, é? Babaca. - Daniel falou rindo e parei ao lado dos dois, pronta para interferir.

- Eu não tinha pensado nisso, mas até que é uma boa. - Falou ao puxar o comprimento de sua jaqueta do lado esquerdo e deu um soco no rosto dele, fazendo-o virar para trás instantaneamente. Todos olharam para nós e a música parou no mesmo instante.

- JASON! - Gritei com ele e passei a mão no rosto só Daniel, que estava com uma mínima marca de sangue perto dos lábios.


Notas Finais


Todas vocês estão querendo me matar, ok, n façam isso com a minha pessoa. Não promero nada, mas pode ser que as coisas melhorem... haha bjs.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...