História Behind The Secrets - Capítulo 45


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Ryan Butler
Visualizações 3.140
Palavras 5.270
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Festa, Mistério, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Adultério, Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Aproveitem esse último cap e leiam o aviso lá embaixo!

Capítulo 45 - Wait...


...

 A claridade da janela refletia na parede do meu quarto, iluminando meu rosto para que eu acordasse logo. Cocei os olhos e abri-os aos poucos. Justin ainda dormia ao meu lado, coberto até o meio do corpo. Custei a me levantar e vesti meu conjunto de lingerie, e fui ao banheiro. Fiz minhas higienes e passei uma água no rosto para acordar de vez. Penteei o cabelo e voltei para a cama. Liguei a tevê e abaixei o volume para não acordá-lo. Peguei meu celular e mandei uma mensagem para a Adriele, Alice, Logan e Chris dizendo o quanto eu estou animada para o baile de formatura de hoje.

Com a outra mão fiquei acariciando o cabelo dele bem de leve, para que não acordasse por conta disso. Passei a mão em suas costas, em cima das tatuagens e contornei-as com os dedos, voltando a esconder a mão nos curtos fios de seu cabelo.

- Isso é tão bom... - disse sonolento e apenas continuei, tentando enxergá-lo, que estava com o rosto escondido no travesseiro. 

- Bom dia, amor. - dei um beijo em seu rosto, que segurou minha mão com a ponta dos dedos e apertou-a. - É hoje! - Chacoalhei-o. - O baile de formatura é hoje. - falei animada.

- Verdade... Hoje você conhecerá o meu pai. - falou ao olhar para mim e coçou os olhos, encolhendo as pernas, pronto para se levantar.

- Ele vem mesmo? - olhei-o empolgada.

- Já deve estar chegando... Ele quer te conhecer.

- Sério? Ah!! - abracei-o no pescoço, que sorriu. - Agora estou ainda mais ansiosa.

- Você não está nervosa para conhecê-lo? - disse surpreso e levantou-se, indo até o banheiro.

- Eu... Huh. Não sei. Estou curiosa para saber como ele é, mas não estou nervosa. - dei os ombros e enrolei-me na coberta, esperando-o voltar.

- Isso não é justo. - falou ao abrir a porta, enquanto escovava os dentes, já com sua boxer no corpo.

- Não é só porque você ficou completamente nervoso quando conheceu a minha mãe, que eu terei que ficar para conhecer o seu pai. Eu só quero que ele goste de mim... - falei olhando para a porta, esperando-o aparecer novamente.

- Impossível ele não gostar de você.

- Você acha?

- Claro. - passou as mãos no cabelo, ajeitando-o. - Ele irá te adorar.

- Como tem tanta certeza? Você mesmo disse que ele não queria que você se envolvesse com ninguém...

- Ele já aceitou a ideia há alguns meses, e você sabe disso. - falou tranquilo. - Você é maravilhosa Mel, ele irá te adorar.

- Aw. - sorri sem graça e ele deitou-se novamente ao meu lado, dando-me um beijo no rosto e logo um selinho.

- Sua mãe está em casa? - neguei com a cabeça e levantei-me ao calçar meu chinelo.

- Vou trazer nosso café da manhã para cá. Estamos sozinhos mesmo.

- Eu vou lá te ajudar. - deu os ombros. - Tem certeza que ninguém chegará agora?

- Sim. - ri. - A empregada virá em uma hora, mais ou menos. Temos tempo.

- Ótimo. - riu e seguiu-me. Abri a porta do quarto e andamos rápido até a cozinha. Peguei duas bandejas e pedi para que ele abrisse a geladeira para pegar o que quisesse. Fui até a dispensa e peguei algumas bolachas, pães e mais algumas coisas. - É o seguinte. - disse ao pegar sua bandeja e peguei a minha, saindo da copa. - Eu não quero você ao menos conversando com o Luy, o John ou qualquer outro garoto que dê em cima de você na minha frente, tá?

- Eu discordo. - falei ao parar no meio da escada, olhando para ele.

- Eu não perguntei se você discorda. Eu só estou te avisando.

- Não começa Justin. Eu mal falo com eles. - revirei os olhos e entramos no quarto. Enquanto deixei a bandeja na escrivaninha, arrumei minha cama para que pudéssemos nos sentar e peguei o controle da tevê.

- Eu não quero você perto deles Mellanie. - disse sério e sentou-se ao meu lado, cruzando as pernas uma em cima da outra, assim como eu.

- Qual é o problema? Será só mais uma noite com todas aquelas pessoas... Não sei quando irei vê-los de novo.

- Aposto que você não está nem aí para isso. - olhou-me rápido.

- Se for assim, eu não quero você perto da Lissy, da Brandy e até mesmo de outras garotas que ficam te cercando.

- Não faz sentido. Se eu estou te falando isso, é porque eu obviamente não ficarei perto de outra garota a não ser você.

- Eu entendi o que você quis dizer, mas eu estou tentando explicar que não faz sentido essa sua persistência em implicar com eles.

- Eu tenho mil e um motivos. - falou ao comer um dos biscoitos.

- Eu não quero você bêbado, porque hoje será uma noite especial e se você não estiver sóbrio, eu vou ficar muito brava.

- Agora que você quer me controlar? - disse implicante e logo riu. - Brincadeira, calma. - ri. - Eu não vou beber muito. Preciso estar lúcido para ver você conversar com o meu pai.

- Ele estará lá desde o início? - negou com a cabeça.

- Creio que ele chegará quase à meia-noite, para ver as valsas e depois você o conhecerá. - Falou contente.

- Por que eu não posso conhecê-lo antes?

- Porque irá perder a graça se você o conhecer agora, sendo que irá vê-lo de noite.

- Não tem nada a ver.

- Claro que tem.

- Não, não tem. - insisti.

- Paramos por aqui. - riu para descontrair.

- Você já terminou seu trabalho?

- Nem me lembre disso. Rodei toda a cidade atrás dessa tal de Melissa e até agora nada. - disse cansado.

- Mas é óbvio que você não iria encontrar essa garota tão fácil. Não sabe nem o sobrenome dela.

- Fala isso para o senhor McCann, porque eu já cansei de dizer e ouvir um "se vire".

- Por que ele quer encontrá-la? - falei curiosa, esperando que ele dissesse algo.

- É pessoal para ele. Não interfiro muito nisso.

- Entendi. - assenti assim que ele terminou a frase. - Quando você irá voltar para Moscou?

- Não quero falar sobre isso agora.

- Você sempre desvia o assunto quando eu pergunto! Poxa Jay, eu quero saber para ao menos me preparar para ficar longe de você.

- Não fale assim Mellanie! - disse sério ao aumentar seu tom de voz. - Eu já te falei várias vezes que, se eu for mesmo, você irá comigo.

- Então você ainda não sabe se irá?

- Não quero falar sobre isso.

- Alguma hora teremos que falar sobre.

- Não agora.

- Pare de frescura e me explique. - falei já impaciente com a intolerância dele de entrar nesse assunto.

- Não me sinto bem falando sobre isso.

- Por que?

- Porque eu não quero voltar para lá. Eu gosto daqui.

- Então, qual o problema? Você é maior de idade.

- O problema é que não existe nenhum Jason, e aqui não existe nenhum Justin. Como eu vou continuar vivendo em uma cidade com uma identidade falsa?

- Você sabe que pode ser preso por isso, não sabe?

- Você está exagerando... É claro que eu sei, mas eu nunca serei pego.

- Como pode ter tanta certeza?

- Porque meu pai que manda em tudo.

- Tudo o que?

- A empresa.

- Odeio quando você me enrola assim.

- Só estou respondendo às suas perguntas.

- Você está sendo ignorante.

- Você que está.

- O quê? Não estou não.

- Você está procurando uma discussão.

- Isso é mentira. Eu só quero que você seja sincero comigo.

- Mais do que eu já sou? - encarou-me e deixou sua bandeja de lado, já vazia. Coloquei a minha por cima e peguei meu celular.

- Você não é.

- Parei com você. - esticou as pernas e aumentou o volume da tevê, procurando por um canal produtivo. Ele age como uma criança impaciente com tudo o que não gosta de ouvir, e não é assim que funciona. Às vezes, ele tem esse ataque de criança por uns cinco minutos na semana, onde ele age como tal e esquece que já é praticamente um adulto.

Passamos um bom tempo em silêncio, enquanto eu mexia no meu celular e ele assistia tevê todo entretido nos programas. Ouvimos o barulho da empregada chegar e ela já deve estar terminando o almoço. Lembrei-me que marquei a manicure mais próxima para daqui vinte minutos e decidi me arrumar logo.

- Eu vou tomar um banho e irei à manicure. Você vai comigo? - falei ao abrir as portas do meu guarda-roupa.

- Não. - respondeu seco. - Tenho que ir para casa e ver se meu pai já chegou, falar com o Ryan e pegar meu terno.

- Vai voltar aqui no fim da tarde?

- Sim. 

- Você ficou bravo? Sério?

- Não estou bravo. 

- Por que você ficou chão do nada?

- Eu sou assim... Esqueceu? - disse grosseiro.

- Odeio esse seu mau humor do nada.

- Eu não estou mau humorado.

- Então você é chato mesmo.

- Você sempre fala isso. - retrucou.

Levei minha toalha para o banheiro e voltei até ele, sentando-me em sua frente.

- O que te deixou assim? - falei calma e ele passou as mãos no rosto.

- Eu não gosto de ficar falando sobre ir embora daqui, porque eu não quero pensar nisso agora. Eu fico irritado porque eu não quero voltar para lá. - falou chateado e apenas assenti.

- Tudo bem... Não falaremos mais sobre isso - passei a mão em seu rosto e dei-lhe um selinho, que me beijou lento.

- Quando eu conseguir resolver o que fazer, entrarei nesse assunto, tá? - consenti em concordância e dei um beijo em seu rosto.

- Tá. - fui para o banho e ele continuou sentado na minha cama. Prendi o cabelo em um coque e passei um gloss e rímel para não ficar com cara de sono. Eu iria fazer uma bela escova na cabelereira mesmo, então terei que passar boa parte da tarde lá.

Justin entrou para tomar banho enquanto fui até a cozinha para ver se o almoço estava pronto e, para a nossa sorte estava. Deixei as bandejas na pia e abri todas as portas para ventilar a casa com um ar fresco, apesar da empregada já estar fazendo isso.

- Até que você foi rápido. - olhei-o, que descia as escadas com o celular em mãos.

- Eu sou rápido. - disse convencido e ri.

Nos sentamos na mesa e ele passou as mãos no cabelo que ainda estava pouco molhado.

- Que horas você voltará para cá?

- Não sei... No fim da tarde.

- Não quero que se atrase.

- Eu nunca me atraso. - franziu a testa em sua defesa.

- Você sempre se atrasa.

- Está falando de você?

- Não me chamo Jason. - disse baixo.

- Nem eu - retrucou ao se aproximar com o rosto e riu para descontrair.

- Você é sem graça. - falei ainda olhando para ele e mostrei a língua.

- Isso é mentira. - respondeu ao cerrar-me com os olhos e ri.

Não demorou muito para que saíssemos de casa e ele foi resolver as coisas do trabalho com o Ryan e esperar o pai, enquanto eu fui fazer o meu cabelo e as unhas. Aproveitei para passar na casa da Alice e ver se ela iria mesmo, porque fomos juntas para o local e de lá eu fui para a casa dela na intenção de ajudá-la a escolher a roupa que iria.

Passamos um bom tempo lá, e aproveitei para tentar espiar o Justin na casa dele com seu pai. Para variar, nenhum dos dois estavam lá e acabei passando um tempo observando o nada, já que a casa aparentava estar vazia.

Queria aproveitar o dia de hoje para dizer a minha mãe sobre a verdadeira identidade do Justin, já que irei conhecer o pai dele, mas obviamente essa ideia está fora de cogitação, apenas para ele, claro.

Voltei para casa quando já estava anoitecendo e corri para tomar um banho demorado e relaxante. Preciso ficar pronta logo porque o Justin já deve estar chegando e minha mãe ainda não saiu do banho. O Paul já deve estar pronto e a minha tia também.

- Mãe! - gritei saindo do quarto ainda de lingerie, já que o Paul estava lá embaixo.

- Fala. - retrucou distante.

- Vem aqui fazer aquele penteado no meu cabelo, por favor. - Voltei para o quarto e liguei a tevê em uma seriado desconhecido. Ela logo entrou no quarto e puxou minha cadeira para mais perto ainda da escrivaninha. Sentei-me e ela pegou  o pente e passou a puxá-lo todo para trás. Deixou pouco levantado e liso para trás, puxando as duas pontas prendendo com uma presilha dourada em formato de um pente florido. Demorou um bom tempo arrumando tudo, até que passou pouco laquê para não desmanchar tão cedo.

- Pronto, Mel. - disse olhando-me e sorriu. - Você está linda!

- Obrigada, mãe. - levantei-me e olhei-me no maior espelho do quarto. Meu cabelo estava tão liso atrás e com um penteado diferente do normal. - O Jason deve chegar a qualquer momento. Vista-se logo.

- Calma, estou indo. - falou como se fosse eu e voltou para o seu quarto. Peguei meu vestido no guarda-roupa e estendi-o na cama. Peguei meu salto tamanho quinze e deixei-o na beira da cama. Fiz minhas higienes e passei a base no rosto antes de começar a maquiagem.

- Eu atendo. - Paul disse assim que a campainha tocou. Deve ser o Justin. Deixei a tevê no mudo para poder ouví-los, e o Justin disse "não estou atrasado, estou?". Logo os dois riram e seus passos fortes subiram os degraus da escada. Peguei meu vestido e estava terminando de colocá-lo quando ele entrou no quarto. Parei meu olhar instantaneamente, olhando-o de cima a baixo, que olhou-me do mesmo jeito. Ele estava com um olhar mais maduro, uma roupa diferente de todas as outras e, apesar de já tê-lo visto com este terno, ele estava incrivelmente maravilhoso. Seu cabelo estava arrumado em um perfeito topete, como ele havia cortado o cabelo, bem baixo deixando mais natural e com as lentes, sem os óculos. Segurava um cabide preto com um pano da mesma cor, dobrado em seu braço como um mordomo.

- Cadê o meu namorado? - falei olhando atrás dele, que também olhou para trás risonho.

- Não sei. - riu. - Gostou? - ajeitou sua gravata e piscou para mim, que logo assenti.

- Você está lindo. - confessei e ele sorriu convencido. Terminei de colocar meu vestido e puxei meu cabelo para o lado. Ele veio até mim e deu-me um selinho. - Feche aqui atrás para mim, por favor.

- Claro. - parou atrás de mim e apertou minha cintura com uma das mãos, pegando no zíper com a outra. - Esse vestido te deixou perfeitamente maravilhosa. - disse ao dar-me um beijo no ombro esquerdo, já que era tomara-que-caia e voltei a deixar meu cabelo como estava antes.

- Você gostou? - dei uma rápida volta e sentei-me na cama.

- Demais. - assentiu e olhou-me novamente. - Você está perfeita.

- Exagerado. Obrigada. - sorri sem graça e calcei os saltos, logo ficando de pé. Apesar de tudo, eu continuava um centímetro menor do que ele.

- Não estou exagerando. - disse sorrindo feito bobo. - Eu trouxe um presente para você. - entregou o cabide nas minhas mãos. - Espero que goste.

Abri-o rapidamente, e era um vestido curtíssimo de festa, provavelmente para que eu usasse no baile hoje após o brinde e a valsa. E como se já não bastasse, havia uma blusa cinza com uma calça toda brilhante, cheia de strass.

- Não acredito que você comprou isso sozinho. - Eram realmente roupas incríveis.

- Sua mãe me ajudou... Eu comprei semana passada. - disse olhando-me nos olhos.

- E você não me disse nada? - falei surpresa e ele deu os ombros.

- Era uma surpresa. E... Não quero que você use essas roupas hoje.

- Então, por que me deu hoje?

- Porque sim, oras. - disse seco. - Hoje é seu dia de formanda e você ficará com este vestido.

- Obrigada, amor. - abracei-o forte, que deu a volta com os braços em minha cintura.

- Nossa, você está muito alta para o meu gosto. - afastou-se, ainda apoiando com as mãos em meu quadril. - Muito alta mesmo.

- Só por hoje. - dei um selinho nele, que beijou-me nos lábios bem lento. - Eu amei os presentes. Obrigada mesmo! - sorri para ele.

- Que bom que gostou... Depois quero que você prove os dois. - assenti e fui para o banheiro.

- Preciso terminar de me maquiar. Daqui a pouco chegaremos atrasados. - falei ao passar o pó e rímel a prova d'água, como sempre faço. Ele ficou parado olhando-me e pegou seu celular.

- Não quero você com tanta maquiagem, babe. - disse observando-me passar a sombra.

- Por que?

- Porque não. - falou rápido.

- Mas hoje eu tenho que passar algo mais carregado.

- Mas eu não quero.

- Os olhos são meus. - retruquei e ele revirou os olhos. Passei um batom vermelho bem forte e retoquei o rímel, assim que passei um pingo de blush.

- Está pronta Mellanie? Quero tirar fotos. - minha mãe disse de longe.

- Acho que sim... - Peguei minha bolsinha de mão, da qual coloquei um gloss rosa, um comprimido para dor de cabeça como sempre levo comigo, caso acabe exagerando na bebida, ou melhor, o Justin.

- Como você é lerda. - disse ao sentar-se na minha cama e ajeitou o relógio em seu pulso.

- Já estou pronta. - mostrei a língua para ele, que deu-me um selinho bem de leve e limpou os lábios.

- Esse batom vermelho... - falou sério e saímos do quarto. Minha mãe estava conversando com o Paul na sala, minha tia e a Alice. Eu não sabia que elas já estavam aqui.

- Uau. Vocês estão lindos. - Falou sorridente assim que descemos as escadas.

- Obrigada. - abracei minha tia e a Alice devagar para não desmanchar o penteado de todas nos.

- Podemos tirar as fotos agora? - Lice falou ao tirar seu celular da bolsinha.

- Claro. - dei o celular mãos mãos do Justin. - por favor.

Ele tirou varias minha com a minha mãe, com o Paul, com a minha tia, a Alice, todas nos juntas e por fim tiramos uma juntos.

- Não tirei nenhuma foto com você, babe. - disse ao lamber os lábios e olhou-me.

- Eu sei. Vamos tirar agora. - apoiei com a mão em seu ombro e ele passou a não direita em minhas costas, colando seu corpo no meu. Tiramos varias fotos juntos e uma dele dando um beijo em meu rosto.

- Agora podemos ir? - minha tia falou animada e assentimos ao mesmo tempo.

- Vamos com dois carros. Eu levo vocês e o Justin e a Mellanie irão em outro. - Paul falou autoritário.

- Está nos expulsando mesmo? - falei encarando-o que riu.

- Babe... - disse ao segurar minha mão e logo saímos de casa. Entrei no carro devagar para não acabar pisando em falso e logo torcer o pé e ele sentou-se no banco do motorista.

- Você está com cara de homem agora. - falei encarando-o, que arregalou os olhos olhando-me.

- Você disse mesmo isso?

- Não quis dizer tipo, no sentido de ser gay. - ri. - Eu quis dizer que você está com um jeito mais maduro, aparentando ter 19 anos.Você está charmoso.

- Charmoso? Quem ainda usa essa palavra? - riu.

- Eu. - ri.

- Só velhos falam charmoso. Eu estou gato mesmo.

- Você só é convencido mesmo. - falei ao revirar os olhos e fiquei me olhando no espelho, retocando o batom.

- Também. - deu os ombros. - Você está tão linda, Mel. - disse olhando-me e olhei-o, que sorria para mim.

- Obrigada, amor. - dei um selinho nele, que logo limpou os lábios por conta do batom.

- Cuidado porque eu não posso borrar o meu batom. - disse imitando minha voz e riu. - Não gosto disso.

- Ah, para. - ri sem graça e viramos na rua da enorme casa noturna. Era realmente enorme, e estava toda decorada por fora. Na verdade, deve ser mais um salão enorme com mezanino, como em uma boate.

Ele estacionou um pouco distante da entrada, ao lado do carro do Paul e descemos todos juntos. Segurou sua mão direita com a minha esquerda e esperamos todos para ir até a entrada, que estava lotada.

- Nossa, são quantos formandos? - falou o Paul.

- Acho que 60 ao todo, não? - olhei para o Justin que parecia não saber. - Deve ser por aí.

- É bastante. - Alice disse animada e passou logo em nossa frente para entrar antes. Era mais do que óbvio que ela não ficaria perto de nós a festa toda.

- Eu já vou procurar a sua mesa, tá Mellanie? - minha tia passou por nós e não respondi. Assim que demos nossos nomes, tirei uma foto com o Paul e a minha mãe e depois uma com o Justin. Já que ele estava sozinho, minha mãe fez questão de tirar uma foto com ele.

- O Ryan e o Greg não vem? - falei olhando ao redor e logo pudemos ouvir a música extremamente alta.

- Não sei. - desviou o olhar. - O Ryan deve chegar com o meu pai e, o Greg não poderá vir.

- Você não fica chateado de estar sozinho aqui? Digo, não chamou seus tios nem ninguém do Canadá?

- Não, babe. - negou com a cabeça e deu-me um selinho todo cuidadoso para não borrar meu batom. - Eu já me formei há quase dois anos. Estou apenas encenando.

- Isso é estranho. - continuamos andando juntos e fomos até a nossa mesa. Minha mãe e o Paul sentaram-se ao lado da minha tia e deixei minha bolsa de mão junto com eles, caso acabasse perdendo por um descuido.

- Que horas será a valsa? - falou animada.

- Daqui uma hora, creio eu. - falei pensando no horário marcado.

- É daqui a pouco mesmo. - Justin assentiu e puxou-me pela mão, saindo de perto da mesa. - Não estou acostumado a te ver com um vestido tão longo como esse. - sorriu e fomos até a pista de dança. Encontramos com o Logan, um pessoal da outra sala, a Amy e a professora de teatro. Começamos a dançar juntos no meio de todas as pessoas, que por sinal as garotas que também eram formandas estavam com vestidos longos assim como o meu.

- Você é a garota mais linda de todas. - disse olhando-me quase em leitura labial por conta da música exageradamente alta.

- Obrigada. - disse quase beijando-o, que deu-me um selinho por conta do batom e afastou-se com dificuldade.

- Quero tanto te beijar. - disse já com as mãos apoiadas em minha cintura, apertando-me fortemente. Apenas sorri e continuamos dançando.

- E aí! - falou animado ao cumprimentar uns garotos que eu não fazia ideia de quem eram. Conversou pouco com eles enquanto olhei-os, que me cumprimentaram simpáticos e logo saíram.

- Quem são eles? - falei.

- Os garotos da outra sala. Você não conhecia eles?

- Só de vista, eu acho.

- Eles já conheciam você.

- Como sabe? - falei olhando para trás e eles já haviam se afastado.

- Eles disseram, oras. - falou como se fosse óbvio e continuamos dançando. Ele pegou uma garrafa de wodka o mais discreto possível e acabou com a mesma em instantes.

- Não quero você bêbado logo hoje. - falei brava.

- Relaxe meu amor. - disse risonho e encontrei com a Adriele e a Brandy, que dançavam animadas mais para o outro lado da pista. Fui até elas e conversamos um pouco enquanto Justin passeava por aí à procura do Ryan ou de outro alguém conhecido, como o Logan e o Chris.

Ficamos um bom tempo afastados e aproveitei para tomar uma lata de energético, do que beber algo alcoólico logo agora que a feste nem começou.

Os diretores anunciaram que a valsa iria começar e pediram para que todos os formandos fossem até a entrada do salão, se posicionar com seus pares. Eu iria dançar com o Paul e o Justin com a minha mãe, já que eles se adoram.

Fomos até a entrada e ele guardou o celular no bolso, parando em minha frente com a minha mãe. Apoiei com a mão no braço do Paul e os outros pares foram se organizando.

- Não quero você grudada o tempo todo com o seu namorado. - falou baixo para que ele não ouvisse e ri.

- Ai Paul, mas ele é meu namorado. - encarei-o que deu os ombros como se isso não significasse nada.

- Estou de olho em você. - disse súbito e fingi não ouvir. Justin me cutucou para que eu o olhasse ele parecia querer dizer algo.

- Meu pai chegou com o Ryan e meus amigos. - falou sério. - Depois da valsa e do brinde você irá conhecê-lo.

- Sério? - falei animada e ele assentiu ainda sério. Era para ele estar animado por isso e não com essa cara de quem não está nada empolgado. Eu quero muito conhecer o pai dele e, para ser sincera, senti um frio na barriga quando ele disse que eu iria conhecê-lo em alguns minutos. Passei a ficar inquieta e o Paul percebeu que eu estava ansiosa para algo.

Em alguns minutos todos foram anunciados um por um e passamos por todas as pessoas em uma fileira, indo até a pista, como em um aniversário de 16 anos. Parei ao lado do Justin, que estava abraçado com a minha mãe, assim como eu estava com o Paul. Ele segurou minha mão discretamente e apertou-a forte, dando um beijo na mesma.

Enquanto os outros nomes eram anunciados, minha mãe e ele ficavam cochichando, provavelmente falando sobre o pessoal que estava entrando. O Luy apareceu com a mãe dele e parou do outro lado, em nossa direção. Adriele ficou com seu pai ao lado dele, logo a Amy com o irmão mais velho, o Chris com a irmã mais velha e os outros.

Logo dançamos a valsa e minha tia ficou tirando as fotos. Olhei para todos os lados à procura do pai do Justin, apesar de não fazer ideia de quem era. Provavelmente, ele deve ser, no mínimo, um pouco parecido com o pai. Não encontrei nem sinal dele, e fizemos o nosso brinde todos juntos.

- Dança comigo? - Luy se aproximou e parou em minha frente, todo sorridente.

- Luy eu... - não sabia o que dizer. Apesar de não ter mais nada com ele, o considero uma ótima pessoa e não tenho porquê negar. Olhei para o Justin que assentiu como se não fosse reclamar e sorri para ele. - Tudo bem.

Dançamos um pouco juntos, e o Justin ficava nos encarando quase que a todo momento. A música estava ficando lenta e continuamso dançando mesmo assim. Conversamos muit pouco e ele me perguntou se eu estava feliz com o Justin. Obviamente disse que sim e foi aí que eu percebi que ele havia sumido.

- Obrigado por dançar comigo. - disse soltando-me e abracei-o forte.

- Sabe que sou sua amiga. - falei olhando para ele que assentiu sorrindo fraco, com um ar de decepção.

Saí da pista e voltei para a minha mesa. Sentei-me de frente para a minha tia que estava comendo um pouco de cada do que estava na mesa e peguei uma garrafa d'água.

- Vocês viram o Jason por aí? - falei olhando para ela e o Paul logo se aproximou-se e negou com a cabeça.

- Eu pensei que você estava dançando com ele na pista. - falou surpresa.

- Não... Ele sumiu. E a minha mãe? - falei olhando ao redor e não encontrei ninguém. Onde eles foram?

- Ela foi ao banheiro. Mas o Jason eu não sei. - Paul e manifestou e sentou-se ao meu lado. Levantei-me e fui até o banheiro com a minha bolsinha em mãos.

Assim que entrei, dei de frente com a minha mãe que estava se olhando no espelho, pronta para voltar à festa.

- Mãe, você viu o Jason? - falei ao retocar meu batom ao lado dela.

- Ele não estava na pista com você? - disse confusa e neguei com a cabeça.

- Ele sumiu há alguns minutos. Pensei que o tivesse visto. - falei pensando onde ele poderia estar.

 

- Jay, onde você está?

- Estou aqui fora com o meu pai. Venha aqui!

- Mas onde?

- Saia pela entrada da pista e eu estou um pouco mais a frente.

- Ok

 

- Resolvido. - dei os ombros e guardei o celular no bolso após tirar uma foto com a minha mãe. - Ele está lá fora com o pai.

- Você vai conhecê-lo agora? - falou empolgada e assenti sorridente.

- Sim! Finalmente. - abri a porta do banheiro e ela saiu atrás de mim.

Atravessei a pista de dança e encontrei a Alice, que segurou meu braço com força, chamando-me a atenção.

- Ai! O que aconteceu? - falei surpresa e ela me soltou.

- Preciso falar urgente com você. - disse séria e gritando por conta da música alta.

 - Sobre o que? Você está me assustando. - falei sem reação e ela passou as mãos no rosto.

- Vamos lá fora. - disse apontando para a saída.

- Eu preciso falar com o Jason urgente também! Já volto aqui. - saí antes que ela respondesse e fui para fora do salão. O que deve ter acontecido para ela estar tão aflita assim? Eu em!

Comecei a procurar o Justin, e não o encontrava de maneira alguma. Este lugar está estranhamente vazio.

- Babe. - ouvi sua voz soar distante e virei-me para trás. Ele estava parado com as mãos para trás com o pai conversando com o Ryan de costas. O cabelo do pai dele era da cor do dele, natural, digo. Era um castanho claro mais puxado para o loiro e ele era alto. Sua feição - mesmo que de costas não me era estranha.

- Você sumiu! - abracei-o, que deu-me um selinho e mordeu meu lábio rápido.

- Eu não quis arrumar briga com o Luy, então vim falar com o meu pai. - segurou minha mão e andamos até ele, que parou de conversar instantaneamente, mesmo ainda estando de costas.

- MEL? - gritou com a voz aflita e meu coração gelou como nunca antes. Minhas mãos tornaram-se frias em um piscar de olhos e soltei-me do Justin ao olhá-lo boquiaberta. - EU NÃO ACREDITO! É VOCÊ. - olhou-me ao arregalar os olhos assim que tirou os óculos.


Notas Finais


Espero que tenham gostado dessa temporada, porque a próxima será bem diferente <33333. Irei começar a segunda temporada na sexta, e vocês podem procurar o link por aqui ou deixem o tt no comentários que eu mando para vocês! Minha foto com o Justin: http://instagram.com/p/gSurslRD9_/ (; Beijos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...