História Behind The Secrets - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Ryan Butler
Visualizações 4.332
Palavras 2.465
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Festa, Mistério, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Adultério, Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Ainda está tudo um pouco confuso, mas como eu já disse, cada detalhe tem um motivo lógico. Boa leitura.

Capítulo 5 - A week


- Você fingiu que não me conhecia, e agora quer sair comigo de novo?- Falei atropelando as palavras, ao afastar-me um pouco mais da porta. - Por que isso?

- Porque é assim que funciona Mellanie. - Ele disse ao apoiar com as costas na porta, olhando-me de cima a baixo.

- Assim, como? - Franzi a testa olhando para ele, ficando um pouco mais próxima.

- Você sabe do que eu estou falando. Eu lá tenho cara de homem que fica com a mesma mulher por dias? - Ele disse em um tom tranquilo, como se tivesse completa noção do que disse.

- Eu não sou o tipo de garota que você pensa. Vai procurar uma que esteja disponível por hoje. - Respirei alto para mostrar insatisfação e ele riu, sem ao menos dizer algo.

Fechei a porta na cara dele, e sentei-me no sofá. Que tipo de garota ele pensa que eu sou? Acha que só porque ficamos duas vezes e eu terminei um namoro de quase um ano, pode falar assim comigo? Eu não sou tão fácil assim, muito menos para um garoto como ele, todo esquisito.

Peguei meu caderno de física e estudei um pouco para a matéria. Mesmo que as provas sejam no fim do mês, preciso ir muito bem em todas as matérias para a graduação. Enquanto estudei um pouco, deixei em um canal de clipes de músicas atuais.

Sempre passo as tardes sozinha, fazendo literalmente nada, esperando minha mãe chegar para me fazer companhia. Ainda faltam três ou quatro horas para ela voltar. Nesse tempo, eu poderia sair por ai, mas onde? Não tem nenhum lugar legal que eu possa ir logo agora.

Pensei em mandar um uma mensagem para o Luy, mas eu não tinha o que dizer. Eu queria que ele fosse meu amigo, mas depois do que eu fiz, não tem volta mesmo. Mas foi só um beijo, ou dois. O que importa é que não fiz isso de má intenção. 

Já que não terei literalmente nada para fazer até a minha mãe chegar, decidi ir à casa da Alice, já que ela está sozinha por uns dias. Espero que ela esteja lá, a não ser que tenha saído com os amigos da faculdade. Prefei ir sem avisar, do que ligar falando que em 20 minutos eu estaria lá. No meio do caminho, minha mãe me ligou, provavelmente para saber como eu estava. Conversamos no tempo em que eu cheguei na casa da Alice. Por sorte, o carro dela estava lá. Desci do carro e olhei discretamente para a casa do Jason. Apenas para matar a curiosidade se ele teria mesmo saído com outra garota. Haviam dois carros na rua, e assim que toquei a campainha dela, o vi saindo pelo portão enorme de mãos dadas com uma garota quase do seu tamanho. Seus cabelos eram pouco longos, bem loiros e ela vestia uma roupa digamos que, não muito adequada para uma tarde da qual não está ensolarada. Desviei rapidamente o olhar para que ele não me visse, e assim que a Alice abriu a porta, Jason a beijou na rua e entrei na casa dela sem dizer nada.

- Nossa, o que houve? - Ela disse ao fechar a porta.

- Ahh, o que? - Percebi que havia entrado bufando na casa dela, por nada. - Não aconteceu nada. Só não de ficar sozinha em casa. - Sentei-me no maior sofá, sorridente.

- Então por que você entrou irritada? - Ela foi até a janela ao lado da porta, provavelmente procurando o motivo pelo qual eu estava impaciente. - Não tem ninguém aqui. - Voltou a olhar-me ainda curiosa, e sentou-se no outro sofá, com o controle da tevê e o celular em mãos.

- Ontem eu sai com o Jason. - Falei rápido, antes que me arrependesse de contar à ela, e olhei para o nada, esperando seu sermão. 

- Vocês ficaram de novo? - Alice disse tirado a atenção do celular. - Estão ficando sério? - Olhou-me com os olhos salientes, como se quisesse que a minha resposta fosse não.

- Sim, mas foi só ontem. - Ri e ela suspirou aliviada. - Ele já está com outra garota... - Pisquei como se não desse importância.

- Huh, então ele é esse tipo de garoto? - Assenti assim que ela terminou a frase.

- Sim, ele é. - Cruzei as pernas e fiquei um pouco deitada, mexendo no celular.

Passamos o resto da tarde conversando, até que deu o horário em que a minha mãe chegaria em casa.

- Quando a tia Nine volta pra cá Alice? - Levantei-me, arrumando a blusa.

- Daqui uma ou duas semanas. Estou tão tranquila sozinha. - Riu pelo nariz sacaneando. Ri da ironia dela.

- Isso é bom? - Caminhei até a porta e abri-a. - Eu preciso ir. Minha mãe já deve estar em casa. - Abracei-a, que sorriu e desci os degraus até o meu carro.

Jason parecia não estar em casa... Ainda deve estar com aquela loira que passou a tarde. Pelo menos eu não fui uma segunda opção, como ela, eu acho. Também, não tenho porquê me preocupar com algo tão banal.

No caminho para casa, fui ouvindo música e o Paul me ligou. Eu não consegui atender a tempo, porque estava estacionando na garagem, mas ele já deve estar aqui.

Abri a porta de casa e minha mãe estava abaixando o volume da tevê, enquanto falava ao telefone com alguém. Dei um beijo em seu rosto e arqueei as sobrancelhas, para que ela falasse com quem está falando. 

- É a Nine. - Assenti e fui até a cozinha, para procurar algo para comer. O jantar estava pronto, e enquanto ela falava com a minha tia, coloquei a mesa e fui para o meu quarto. Encostei a porta e despi-me. Peguei uma calça cinza e uma blusa curta da mesma cor. Tomei um banho rápido e vesti o pijama. Enquanto penteava os cabelos, ouvi minha mãe rir alto enquanto falava ao telefone. Fui até ela, que desligou e sorriu.

- Do que estava rindo mãe? - Sentei-me na cadeira de frente para ela.

- O Paul não sabe contar piadas. - Ela riu como se estivesse lembrando do que ele disse e tomou um gole do suco.

- Ah claro. Por que ele não veio jantar com a gente? - Falei ao dar uma garfada no meu jantar.

- Ele está de plantão até a madrugada. - Suspirei sem resposta e continuamos o jantar em silêncio.

Eu adoro morar apenas com a minha mãe aqui, mas ao mesmo tempo eu sinto uma falta enorme do neu pai, ou apenas de um homem presente nessa casa. O Paul não mora aqui, mas é como se morasse. Mesmo assim... As vezes eu penso no quão bom seria se ele não tivesse nos abandonado. Talvez tudo seria diferente.

...

Cheguei mais cedo do que o normal no colégio e fiquei sentada na minha carteira, esperando os meus amigos chegarem. Desde que o Jason me chamou para sair com ele e eu neguei, não nos falamos mais. Mesmo estando na mesma sala, ele não me olha nos olhos e eu faço o mesmo. Foi melhor assim, porque além dele ter acabado com o meu namoro, não sabe nada sobre mim, e pelo jeito, não faz questão de saber. Tudo bem que já faz uma semana que isso aconteceu, mas desde então, é assim que estamos. 

Adriele e Logan entraram juntos na sala e vieram até a minha mesa.

- Como assim você chegou mais cedo? - Logan disse em tom de ironia, porque sabe que eu sempre atraso. - Você está bem Mellanie? - Os dois me fizeram rir, e assim que bateu o sinal, fora para os seus lugares.

- Eu sou pontual. - Olhei para trás e falei olhando para os dois.

Jason estava sentado do outro lado da sala, com o mesmo visual de sempre. Todo de preto. A única coisa que mudou, foi que ele não está com óculos escuros. 

A professora de teatro entrou na sala, e esperou que todos ficassem em silêncio para poder começar o sermão.

- Bom dia pessoal. Bom, hoje será uma aula diferente. Peço que me acompanhem até o auditório, porque teremos uma aula de música. - Todos passaram a falar ao mesmo tempo, tentando entender o que teria levado a professora a dar uma aula musical, sendo que o que sempre fazemos é a parte de atuação. Seguimos-a por todo o colégio e fomos até o auditório, que ficava do outro lado. Sentei-me na poltrona da ponta, ao lado do Logan, que estava com o John e a Adriele. Jason sentou-se na fileira ao lado da minha, também na ponta.

- Estão todos aqui? Bom... Antes que vocês reclamem, eu quero dar uma aula dinâmica. Vocês formarão pares e irei passar alguns passos de um estilo de dança para vocês. - Algumas garotas reclamaram, e os meninos começaram a interferir. Que tipo de dança ela iria querer nos ensinar? Ninguém aqui é bom nisso. 

- Já que vocês estão reclamando, eu mesma faço os pares. Vocês dois que estão na ponta. Vanessa e Ryle. Os próximos dois, e vocês dois também. - Ela foi apontando para os pares subissem ao palco, ao lado dela. Eu era a próxima, mas com quem ela me coloraria? Se for com o Logan, está tudo tranquilo.

- Mellanie... Você vai com o Jason. Tirem a jaqueta e subam ao palco. - Era só o que me faltava. Eu não estava desanimada por dançar com ele, mas estava uma situação um tanto não aceitável, até porque ele é grosseiro demais. Tirei a minha jaqueta e ele fez o mesmo. Estava com uma camisa preta da lacoste, com manga comprida. Desviou o olhar do meu e fomos até o palco andando um ao lado do outro. Ele parou bem ao meu lado, atrás da professora para que não o vissem, mas ele é bem maior do que ela. Cruzei os braços enquanto ela terminava de escolher os casais e Jason estava com as mãos no bolso, olhando para o nada. A professora virou-se de costas para os outros, nos olhando e conferiu se os pares estavam certos.

- Os outros farão parte apenas da atuação da peça, e vocês farão uma cena de dança rápida e depois a atuação, tudo bem? - Assentimos e o Jason ergueu uma das mãos, pedido para falar algo.

- Qual gênero de dança? - Olhei-o enquanto perguntava, e a professora sorriu.

- Bem, eu pensei em algo mais lento e sensual, como o Tango. Mas se preferirem, podemos mudar.

- Elas irão dançar tango? O dia está feito. - Um dos garotos que estava sentado gritou seu comentário, o que causou risos no auditório.

Ela ficou na minha frente e começou a nos explicar o que faríamos.

- Bem, primeiro de tudo, vocês não podem ter vergonha do parceiro, porque o Tango é uma dança em que o casal está muito próximo um do outro. Então... Peguem  mão do seu parceiro meninas. - Um tanto sem jeito, virei-me de frente para ele, que segurou minha mão com firmeza e parou sua mão esquerda abaixo das minhas costas. Ele sorriu de leve e ajeitei minha mão esquerda em seus ombros.

- Essa é aquela dança com a rosa na boca Senhora Fontez? - Lissy perguntou risonha, como se tivesse gostado da ideia. Fontez rapidamente assentiu e foi até a caixa de som, para colocar a música. 

- Não fique desconfortável. - Por uma surpresa, ele se pronunciou em um tom amigável.

- Não estou. - Respondi em um tom calmo, para que ele estivesse confiante de que eu não teria problemas em dançar com ele. 

A música começou, e a professora esperou que fizéssemos algo. Todos os pares não moveram um passo, e começamos a rir. Jason, completamente sem humor, continuou com o olhar fixado para o nada. 

- Não vai se mexer? - Olhei-o nos olhos, tentando chamar sua atenção, que rapidamente olhou-me.

- Eu não sei dançar isso. - Disse ainda sério, colando completamente seu corpo no meu. Ainda desconfortável, tentei me afastar, mas fui impedida.

- Não não moça. O Tango é uma dança em que o casal tem que estar colado um no outro. - Ele disse sorridente, como se estivesse zombado comigo. Pelo menos ele sorriu. Seu sorriso é tão lindo.

- Eu não estou vendo vocês tentando dançar. - Fontez disse ao ficar ao nosso lado, esperando que fizéssemos algo.

- Nós não sabemos fazer isso senhora Fontez. - Falei com a mínima vontade, esperado que ela me liberasse para sentar novamente. 

- Um passo para a frente, dois para trás e um para o lado. Comecem assim, um  pouco devagar. - Ela segurou nossos ombros para que ficássemos ainda mais próximos, de novo e continuou parada em nossa frente. Jason disse que não sabia dançar isso, mas ele estava se saindo bem melhor do que eu esperava. 

- Vocês tem que se entender um com o outro, para relaxar na dança. - Entender o que? Nós nem somos amigos, muito menos temos algo para nos entender. Só ficamos praticamente duas vezes, mas isso não significa que temos algo. 

- Moça, você não está prestando atenção na coreografia. - Ele disse me conduzindo de um lado para o outro, com a voz baixa e suavemente rouca. Sim, ele tinha uma voz boa, se é que me entende.

- Estou sim. - Falei voltando a me concentrar nos passos, acompanhando-o. Essa música não acaba logo. Confesso que ao mesmo tempo que estava gostando, me senti um tanto desconfortável dançando com ele. Poderia ser qualquer outro garoto, mas com ele, não foi a escolha certa.

- Não está. - Ele virou-me para o lado oposto ao palco, ficando de costas para os outros, enquanto eu olhava para eles envergonhada. Estávamos tão próximos um do outro, que se eu pudesse, o beijaria agora mesmo, mas não seria uma boa ideia fazer isso. Seus lábios estavam a um centímetro dos meus, e antes que pudesse imaginar, ele veio com o rosto ainda mais para a frente, e tentou me beijar. Antes que acabasse cedendo, coloquei as mãos em seu peitoral, na tentativa de evitar.

-  Não faça isso. - Continuei com as mãos em seu tórax, e senti seu corpo completamente definido. Eu estava tensa por dentro, por querer acabar logo com isso e beijá-lo, ou simplesmente voltar ao meu lugar com essa vontade.

- Por que? - Ele disse devagar, ao lamber os lábios e soltou um dos braços. A música terminou, e os que estavam sentados nos aplaudiram. - Você não quer? - Afastou-se, ao dizer com uma voz tentadora. 


Notas Finais


Espero que tenham gostado!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...