História Beijado pela escuridão - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Beijo, Irmã, Jungkook
Exibições 20
Palavras 699
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olha só quem voltou! Não me apedrejem por favor! Enrolei sim, mas a inspiração veio só agora mesmo...
Bem, aproveitem! A fic está chegando ao fim...

Capítulo 11 - Vida


Fanfic / Fanfiction Beijado pela escuridão - Capítulo 11 - Vida

O ar sumiu de dentro dos meus pulmões, era como voar, sabe? Aquela sensação de alegria, que enche tanto você, até explodir de felicidade, pois lá dentro não cabe mais. Vontade de ouvir Hide&Seek do Astro, foi o que me deu na hora e não me pergunte o por quê, nem eu sei, desculpa.

Mas Jin havia aberto os olhos. Estava acordado, a pele branquinha das pálpebras se movimentavam, enquanto suas orbes sensíveis rodeavam o quarto. Os braços apertados ao meu redor haviam se afrouxado, seguindos de uma desistência gentil de me agarrar. Meu irmão não tinha desistido afinal, não tinha me deixado pra trás, ele estava ali, mexendo os olhos que há muito estava fechados.

- Hyung...- Foi tudo o que saiu da minha garganta, um resmungo rouco, como de quem leva um choque. E realmente, era isso o que eu havia levado.

Jin ainda não conseguia falar, graças às cordas vocais que ficaram estagnadas por muito tempo, era como ter perdido a prática. Os bombados que haviam ne perseguindo, julgando-me o louco de pijama do hospital, finalmente haviam feito algo útil e chamaram o médico, pra ele testemunhar esse milagre que era alguém desacreditado, que todos diziam já morto levantar, sentando-se na maca e mexendo o pescoço leve, pra observar o local onde se encontrava.

Eu não tinha palavras...mas eu entendi. A missão da Depressão era me matar antes que Jin acordasse, pois ela sabia que não podia com ele. 

E ela falhou...

/(@w@)/

Era muito difícil acreditar em meus olhos, parecia uma brincadeira, uma pegadinha feita por eles. Depois de poucos meses do sumiço da Depressão, e de Jin ter acordado, ele recebeu alta. Conversei tanto com meu irmão...me humilhei, pedi perdão, principalmente porque Tae e Jimin hyung me obrigaram a explicar tudo pra ele, além de me dedar. Bando de linguetas.

Lógico, Seokjin quase me estrangulou por ter pego numa arma, atirado no Jimin, quase me suicidado e socado a cara de Suga...mas eu também me estrangularia.

Não vou mentir, a tristeza ainda estava presente em mim, mas bem menor. A depressão nunca sai de você, ela apenas diminui a incidência e a influência sobre você, mas ainda está aí, esperando para ser despertada novamente. Mas conhecendo meus hyungs, eles nunca iriam deixar ela voltar.

Nesses meses, eu e Yoongi estávamos muito mais próximos, numa amizade esquisita que brotou de um jeito esquisito e Seokjin parecia feliz com isso, aliás todos pareciam.

Naquela manhã de friozinho, já nas minhas amadas férias, eu estava deitado nas pernas do meu primogênito, ganhando um cafuné gostoso na cabeça. A boca carnuda já havia se recuperado do corte, e com muito acompanhamento, Jin reaprendeu a andar, falar e comer, ele estava ótimo e com aquele sorriso quente e personalidade de mãe preenchendo aquela cadeira vazia na cozinha, todos estavam muito felizes.

- Foi eu sair e você aprontou todas, hein?- Disse, colocando os olhos em mim.

- Hihi, um pouquinho...

- Merecia um tapas.- O cu trancou.- Mas não voltei pra isso.- Seguido de um suspiro aliviado.

Ele tinha conversado muito com Suga, que ainda se sentia culpado pelo acontecido. Explicou a ele, daquele jeito materno, que ele não tinha falhado.

E sobre Kouga? Expulso da escola e surrado pelos pais, acabou indo pra um reformatório. Meus pesadelos acabaram, anunciados por uma carta gigantesca de pedido de desculpas, emitida pela escola.

Passei por muita coisa, e vivi muita coisa, mesmo com pouca idade. Isso mostra, que mesmo ainda tendo abaixo de dezoito anos, os sentimentos de alguém ainda não são menores, e exigem atenção daqueles que se julgam mais velhos. Nunca menospreze as emoções de um adolescente, não é porque ele é mais novo que ele ama menos, sente menos ou chora menos, na real, ele precisa de mais cuidados e compreensão ainda.

Não deixe seu maknae sofrer. Fique atento à esse fantasma silencioso da Depressão, ela pode já estar aí e você nem percebeu. Eu já tenho o meu hyung, que me ajuda, me ama- me bate - e está sempre aqui. Seu maknae também tem?

E você, adolescente, maknae, jovem. Não se deixe levar por esse monstro que quase me dominou. Busque ajuda, não recuse o auxílio de quem te ama e se importa com você.

Afinal....pessoas boas tem situações ruins para se tornarem melhores ainda...


Notas Finais


Obrigada gente! Por chorarem e infartarem com o meu trabalho! Por estarem aqui, lendo, comentando e me dando forças!
Me perdoem a demora, não vai se repetir em nenhuma outra fic!
Amo vcs e até a próxima fic!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...