História Bela dama - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Justin Bieber, Personagens Originais
Tags Drama, Família
Exibições 262
Palavras 4.105
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi gente, tudo bem com vocês? Espero que sim, bom está ai mais um capítulo de Bela dama pra vocês me desculpem se tiver algum erro, mas espero que gostem.

Boa leitura

Capítulo 12 - Ciúmes de você


Fanfic / Fanfiction Bela dama - Capítulo 12 - Ciúmes de você

Acho que tudo acontece por um motivo, e ter você na minha vida deve ter um motivo especial. Pois não é possível, eu me sinto muito bem com você.


                                                   Justin Bieber P.O.V

Fazia dois dias que aquilo aconteceu e a única certeza que temos é que foi uma mulher que fez a bomba e se foi ela que colocou no carro não sabemos. Ontem eu passei o dia inteiro traz dia, só pensando nisso. Mas hoje eu tive a audiência do Max e estou feliz por ele ter sido declarado inocente, foi a filha dele que matou a madrasta Cristina, no começo eu pensava que tinha sido a amiga Taylor, mas não foi a filha de Max que não o  perdoou pela separação dos pais. Enfim, fiquei mais animado por ter ganhado mais um caso.

Mas ainda quero saber que mulher loira colocou aquela bomba, a Caissy é loira, mas ela não iria querer se matar ou matar alguém, ela não faria isso.

batem na porta do meu escritório e vejo a Sthafany, que também é loira, mas ela trabalha anos comigo, porra. Eu conheço muitas mulheres loiras, pode ser qualquer uma.

- Fala Sthefany

- Senhor Bieber a senhora Baker está aqui.

- Quem?

- Senhora Baker, Elisabeth Baker – disse

- Há sim, mande entra – falo ajeitando meu terno

segundos depois vejo a porta se abrir novamente a senhora Baker passar por ela com um leve sorriso no rosto, porra é loira também. Ok, eu não posso pensar que todas as loiras são culpadas.

- Senhor Bieber é um prazer conhece-lo

- O prazer é todo meu! – falo apertando sua mão

- Eu sou a detetive Baker e estou cuidando do seu caso Bieber. Estamos tentando descobrir o que realmente acontece e quem fez isso. – disse ela

- Eu não vejo a hora disso!

- Eu estou fazendo de tudo pra achar o culpado, quer dizer a culpada pela bomba. – disse ela

- Certo! Mas essa mulher pode ter um cumprisse não é?

- Na verdade eu tenho certeza que ela tem, difícil alguém planejar isso sozinho. Ela deve ter tido ajuda de alguém. Tem algum suspeito? – pergunto

0 que poderia falar? Eu falaria que suspeitava do meu próprio pai? Essa era a chance de eu colocar ele na cadeia, mas não só por isso, por outros motivos que sabemos bem qual é. Mas eu não consegui dizer, não porque ele é meu pai, mas porque também iria complicar o nome da empresa, já que ele é sócio.

- Não, não tenho nem um suspeito! – falo

- Ok! Vou continuar investigando e qualquer novidade eu ligarei. – ela diz

- Certo! Obrigada detetive! – falo

- É meu trabalho senhor Bieber. Eu tenho que ir, vou investigar isso melhor. Boa trabalho – ela sorrir

- Obrigado! O mesmo pra você detetive Baker

Ela me da um tchau e abre a porta do meu escritório saindo, depois que ela sai me jogo na cadeira me achando um burro por não ter entregando meu pai. Mas porra, no fundo ele ainda é meu pai.  É horrível saber que o homem que me ensinou a andar de bicicleta tentou matar um pessoa, que abusou de uma garota, porra, é complicado isso tudo, é muito complicado. Ok, eu não era o maior admirado dele, mas mesmo assim, como filho eu ainda tinha um pouco de fé nele, logo agora que ele estava se dedicando a passar mais tempo com a Jenny, comigo e acontece isso. Meu pai nunca foi um santo, eu sempre soube disso, mas chegar a esse ponto? Puta que pariu em, eu não espera. E espero que a Jenny não fique sabendo disso, seria a pior coisa, bom não só pra ela, mas pra todo o resto da minha família.

Era mais fácil quando eu era pequeno minha família era tudo o que eu tinha, e eu não me importava com isso, eu tinha pouco e era feliz e hoje que tenho tudo será posso dizer o mesmo?


Meus pensamentos sobre isso sumiram no mentos que escuto vozes altas no correr. Me levanto rapidamente abro a porta sem pensar duas vezes e vejo uma mulher falando alto com a minha secretaria o Chaz tentando acalma-la

- O que está acontecendo aqui? – pergunto

- Justin? Justin Bieber? Ai meu Deus, eu..eu preciso de você – ela corre até a mim

- Todos que vem aqui precisam de mim! – falo

- Eu tentei faze-la parar de gritar senhor Bieber – disse Sthefany

- Tudo bem, está tudo bem! – falo

- Eu ..eu preciso de você eu não fiz nada, nada. –disse ela

- Certo! Se acalme e assim poderemos conversar. – falo

- Exatamente, foi o que estava tentando dizer a ela! – disse Chaz

a porta do elevador se abre e a Caissy passar por ela, a encaro surpreso por vê-la aqui, assim como o Chaz que a olha de cima a baixo. Ela estava linda, porra linda.

ela fala com todos e vem na minha direção rebolando gostosamente e da um beijo rápido me deixando completamente paralisado. Ela é maluca de vim aqui e fazer isso?

- O que está fazendo aqui Caissy?

- O que? Eu vim te buscar pra almoçar. Vai dar 12:00 – ela diz

- Eu almoço 13:00!

- Não importa, eu te espero na sua sala! – ela diz

- Eu tenho uma cliente agora! – aponto pra moça

- E dai? Continuarei te esperando na sua sala! – ela diz

- Então fica quieta e me deixa trabalhar. Senta no sofá que tem lá e calada. – falo

- Sim senhor Bieber – ela encaro meu rosto e sorri maliciosamente – gostoso – diz baixo me fazendo ri

Ela é impossível e vai me deixar louco, louco.

Tento me concentrar no trabalho e não na bunda da Caissy que estava na minha frente antes de sentar no sofá e cruzas as pernas, até que enfim está parecendo uma dama, ela sentava toda aberta.

Chaz entra na sala junto com a minha cliente que já estava um pouco menos nervosa, mando Chaz chamar a Amanda e vejo a Caissy fazer careta, o que achei completamente engraçado. Logo Amanda aparece, ela e Caissy trocam fartas só pelo olhar e sabe o que é melhor disso tudo? É que é por mim isso, apenas por mim. Bem que eu comeria as duas aqui agora mesmo, são muito gostosas, muito.

- O que temos? – Amanda pergunto

- Vou descobrir agora. Chaz? – pergunto

- Ela veio me procurar desesperada falando que estão chamando ela de assassina da aspirina – disse Chaz

escuto a risada da Caissy fazendo todos olharem pra ela sem acreditar que ela estava fazendo isso. Mas tenho que concordar que aquilo que ele falou foi engraçado.

- O que gente? Assassina da aspirina? Que nome horrível, eu não teria medo de alguém que é chamado assim. – disse Caissy

- Ela não pode ficar aqui! – disse Amanda

- A sala é sua querida?  Dono dela me deixou ficar ok? – disse Caissy

- Deixei, deixei se você ficasse quieta então fica antes que mude de ideia sobre isso.  – falo

ela deu de ombro me fazendo suspirar e agradecer aos céus por esse momento antes que a Amanda a jogasse pra fora da sala, eu vejo a raiva em seus olhos, ou melhor ciúmes.

- Voltando! Chaz continua

- Bom, relato dos fatos: Tentativa de homicídio. – disse ele

- Mas eu não fiz nada disso, eu sou inocente! – disse a moça

- Eu quero acreditar na senhorita, mas preciso que deixe ele falar. – falo

- Tudo bem! –ela diz

- Continuando.  Senhorita Sadowski era secretaria da vítima, Arthur Kaufman ceo de uma agência de publicidade.  Mas ela não era apenas a secretaria – Chaz olha pra e senhorita Sadowski

- Era a amante! – disse Caissy

- calada! – aponto pra ela

- Eu era! – a senhorita Sadowski disse

- Você o matou? – perguntei

- Claro que não, eu amava, foi a mulher dele eu tenho certeza– ela diz

- Então precisamos resolver isso – falo

- O que acontece quando uma esposa descobre que o marido tem uma amante? – Chaz ri e coloca  a ficha do caso na minha mesa

-  As esposa fez ele terminar tudo, então ele terminou o romance e a transferiu para contabilidade certo senhorita? – Amanda perguntou

- Certo! – disse a moça

- E isso teria dado motivo a você pra trocar o remédio de pressão pela aspirinas o que ele era alérgico – disse Amanda

- O que aconteceu quando ele tomou as aspirinas? – pergunto curioso

- Morreu ué, ele era alérgico! – disse Caissy

- Calada Caissy, isso aqui não é brincadeira, é trabalho! – falo irritado

- Ele..ele entrou em choque anafilático, a garganta inchou e ele ficou sem oxigênio por sete minutos antes da reanimação pela assistente Michaela, Michaela Pratt. – disse a senhorita S

- Certo! – falo me sentando

- A intensão realmente foi mata-lo – disse Chaz

- Minha pergunta é, menos pra você senhorita Sadowski. Ela é culpada? Foi ela? – encaro Amanda e o Chaz

- Por quê não perguntar isso a ela que está bem aqui na sala? Vocês são profissionais, vão saber quando ela está mentindo, ou pelo menos vão saber testa-la. – disse Caissy

E desse vez eu não a corrigi, pois ela estava certa, mas ela mau sabe que eu já à estou tentando faz uns minutos.

- Então senhorita Sadowski ?

- Eu sou inocente. Entrei na sala dele e gritei, gritei bem alto porque Arthur estava atrás da porta, achei que ele ficaria bravo, mas começou a ri e eu também comecei a ri e foi nesse dia que ele me beijou pela primeira vez e foi dai que eu virei a “ outra”.

- Como foi o ultimo dia de trabalho com ele? – perguntei

- No ultimo dia,  bom eu voltei do almoço e vi os paramédicos, ao saber que ele estava mal surtei. Eu amova, eu sei que é difícil de acreditar, mas eu o amava.  Por quê eu iria querer mata-lo? – ela começou a chorar

- Certo Senhorita Sadowski se acalme ok? Vou ajuda-la. – falo

- Muito, muito obrigada! – ela diz

- Quando é o julgamento? – pergunto a Chaz

- É daqui a dois dias. Amanhã temos que juntas a nossas melhores defesas. – disse Chaz

- Certo! Vão vocês dois encontrarem a melhor defesa pra nossa cliente – falo

- Ok! – Chaz e Amanda falam juntos

- Amanha entrarei em contato com a senhorita! – aperto a mão dela

- Obrigada por cuida do meu caso senhor Bieber! – diz

- É meu trabalho! – falo

todos saem da sala me e deixando sozinho com a Caissy que me encara e acabou fazendo o mesmo com ela.

- Você fica tão sexy vestido assim eu já disse isso? – se levanta

- Já! – ri

- Já disse também que fica sexy trabalhando? Falando essas coisas? Eu estava observando cada movimento seu. Me passou tantas fantasias na minha cabeça. – ela sentou no meu colo

- Hm.. é mesmo senhorita Jones? – sorri

- Oh sim!-  ela beijou meu pescoço

- Que tal uma rapidinha antes de irmos almoçarmos? – aperto sua coxa

- Eu acho ótimo! –ela sorriu

- Eu também! – sorrir

Eu acho muito, muito bom isso, gostei de ter está pagando de ser um sexo sempre, ter ser exclusivo, eu realmente gostei.

 [.....]

Eu trouxe a Caissy pra almoçar comigo e vejo que ela ficou toda boba com isso, bebi vinho e ela ficou mais boba ainda. Parecia a Jenny pela primeira vez na Disney, foi assim mesmo que ela ficou encantada e tudo que aconteceu no restaurante deixava a Caissy assim, encantada. Até da música lenta que estava tocando no fundo deixou ela feliz, ela sorria o tempo todo pras pessoas elegantemente que passavam ao nosso redor.

-Ei, está pensativo! – ela diz bebendo o vinho

- Há, normal. Mas não é nada demais

- É sobre o caso daquela moça da aspirina? – perguntou

- É, é isso mesmo! – menti

- Eu andei pensando nisso sabia quando saímos do escritório.

- Andou pensando nisso? Caissy – ri

- É serio, escuto só. A outra secretaria Michaela viu a Senhorita Sadowski com a aspirinas e havia resíduo de aspirina no prato do Arthur e ela sabia que ele era alérgico portando podemos afirmar que essa Michaela é culpada. Ela colocou lá pra culpa a senhorita Sadowski – disse

- Caissy – ri

- O que? Estou errada? Me deixe tenta – perguntou

- Certo Caissy. Vamos lá, acha que foi a Michaela, mas por quê? Me fala, me de o motivo pra que ela possa ter feito isso. – a encaro

ela morde os lábios pensativa e suspira frustrada, abro um sorriso e balanço a cabeça.

- Deixa esse assunto pra quem entende! – falo rindo

- Tipo a Amanda? – revirou os olhos

- Sim, ela é advogada muito bem formada ela sim entende disso, aceite. – dou de ombro

- Ela é ridícula, mas é bonita! – ela diz

- Você também é bonita Caissy, para de ciúmes! – ri

- Quantas vezes transou com ela? – perguntou

- Sei lá, não contei, mas foram bastante! – falo

- Há

- Não transo mais, porque ela não quer e porque eu quero que ela continue trabalhando comigo e não quero misturar as coisas novamente. Não quero perder a Amanda, ela é minha amiga e uma ótima advogada, então nada de sexo com ela. Melhor ? – falo

- Sim! – Caissy riu – mas qual foi a ultima vez que transou com ela?

- Porra Caissy, vai ficar me enchendo o saco como se você minha namorada? Sossega!

- Desculpa! –ela suspira

- Vamos terminar de comer!  - falo

Eu não quero ser grosso com ela, mas ela também não pode ficar achando que é minha dona, que é minha namorada. Eu em, porra isso enche o saco.

- Não queria ser grosso com você!

- Tudo bem, não tenho direito de me meter na sua vida! – ela diz

- Olha, vamos esquecer esse assunto ok? Eu não transo mais com Amanda e ponto. – falo

- Tudo bem! Vamos pedir sobremesa? – perguntou

- Pode já ir escolhendo! –falo

Depois do almoço levei a Caissy pra casa, ela no lugar de sair do carro assim que parei em frente a casa dela, ela ficou olhando pra janela e isso já estava me deixando agoniado.

- Caissy vai descer ou não? – pergunto

-  Eu vou pro bordel hoje a noite!

suspiro fechando os olhos e abrindo novamente

- Caralho Caissy, eu te pedi exclusividade. – falo

- Não é nada disso Justin, mas é que o bordel é meu eu tenho que ficar lá. Eu estou passando muito tempo com você.

- Você não reclama quando está comigo, não reclama dos meus presentes, não reclama do meu dinheiro- falo irritado

- Eu não estou reclamando beleza? Eu só estou dizendo que tenho que me dedicar mais no meu trabalho igual você faz. Eu preciso vê como as garotas estão, se os clientes estão satisfeitos, essas coisas. Larguei a Lucy sozinha, preciso voltar ficar no bordel tomando conta das coisas, afinal ele é meu.

balanço a cabeça concordando com isso e seguro sua mão.

- Me liga quando sair de lá, mando Robert te buscar pra minha casa. – falo

- Ok, tudo bem. – ela diz

- Mas não esquece de trocar de roupa quando for pra minha casa, por causa da Jenny e da Rita.

- Pode deixar! – beija meu rosto

- beijo no rosto é coisa de amigo! –falo bufando

- E somos o que afinal? – me olha curiosa

- Amantes do sexo! – falo rindo

- Idiota! – riu

- Estou mentindo senhorita Jones? – pergunto

- Pior que não! –ela junta nosso lábios

a beijo rapidamente e a observo entrar em casa e assim que isso acontece saio com o carro dali.  Volto pro meu escritório pra me juntar a Amanda e o Chaz sobre esse novo caso que apareceu hoje, caso da aspirina, é Caissy tem razão, é engraçado.

meu celular começa a tocar, vejo que era o meu pai, suspiro pensando duas vezes em atender, até que o celular para de tocar e recebo uma mensagem.

Não fui eu que coloquei aquela bomba e muito menos mandei colocar, só quero que saiba disso, se acredita ou não eu entendo, mas não fui” – Jeremy

Se quer que  eu acredite em você, ache quem foi” – Justin

respondi a mensagem e voltei a me concentrar no meu trabalho quando o Chaz chama a minha atenção.

- Olha essas fotos da esposa, todas ela está usando óculos, e isso mostra que ela não enxergar muito bem – disse ele

- Verdade! – sorri animado com a ideia que passa na minha cabeça

- Isso gente! Podemos mostrar no julgamento que ela pode ter muito bem confundido as aspirina com outra coisa já que ela não enxerga bem. – disse Amanda

- Maravilha! Já temos um começo – sorri

É isso que eu gosto, de tudo nos mínimos detalhes, e quando eu entro pra ganhar eu ganho, e ganho muito mais do que esperado, e não é só como advogado que estou falando isso. Porque do que adianta ter todo esse dinheiro se não sabe negociar? Principalmente quando se trata de prazer.  Falar em prazer, vou fazer um surpresinha pra Caissy, minha vadia gostosa.

Hora depois:

Mais a noite, larguei o escritório eram 22:30, falei pra Jenny que chegaria tarde hoje, eu estou cansado e logo pra ir pra casa, mas eu quero levar a Caissy pra poder me relaxar com um foda gostosa antes de dormir. Eu estou pagando não estou? Quero sexo sempre que eu pude, o dinheiro é muito bem usado pra quem saber negociar.

paro meu carro em frente ao bordel, e mostro minha identidade pro segurança e falo que sou amigo da Caissy, ele lembrou de mim e me deixou entrar.  Assim que entro, escuto musica sexy tocando, dançarinas dançando quase nuas me deixando com mais vontade de foder, na verdade eu foderia qualquer uma aqui, são muito gostosas, Caissy sabe escolher bem as suas garotas. E falar nela, vejo ela com um vestido de couro preto e cabelo solto e um belo batom vermelho em seus lábios. Quando pensei em ir até ela e puxa-la pra um canto eu vejo ela caminhar até um cara que estava sentada em uma cadeira e começar a dançar pra ele, ela vira de costa e rebola na cara dele enquanto ele passa a mão na coxa dela, eu vejo ele apertar com força e ela sorrir correspondendo seu ato.

Caralho, qual é a parte da exclusividade que ela não entendeu? É uma vagabunda mesmo, aposto que ele pagou bem.

caminho até ela, mas antes passo pela Lucy que me olha surpresa por está lá.

- Justin, oi tudo bem? – falo

- Oi! – foi a única coisa que falei antes de deixar ela pra trás

escuto Lucy me chamar novamente, mas nem dou bolo e continuo andando até a Caissy e quando ela me vê tira o sorriso do rosto e me olha seria, assim com estou fazendo com ela.

- O que pensa que está fazendo? – seguro seu braço

- Me solta porra! –ela se afasta de mim – baby, vou chamar outra garota bem gostosa pra te atender

- É, porque essa aqui é minha! – falo puxando ela pelo braço

vou com ela pra perto do bar enquanto a Lucy estava tentando achar outra garota pro cara, mas eu não estava me importando com isso, e sim com a Caissy mentindo pra mim.

- Caissy o que você disse pra mim? Que voltaria pra OLHAR o bordel e chego aqui e vejo você se esfregando com um cara? Porra!

- Olha só, ele pagou muito bem por uma simples dança, era apenas um dança.

- Dança o caralho, ele estava passando a mão em você, e você como uma puta estava gostando. Normal né, não pode vê um pau que a buceta pisca. Eu te pedi exclusividade, eu estou te pagando pra dormir COMIGO entendeu? Apenas comigo.

- Eu não estaca me esfregando, eu estava dançando, ele pagou bem por isso. E sim, eu sou sua porra, era só uma dança.

- Ficou só na dança porque eu cheguei, se não..

- Se não o que? Eu sou solteira Justin!

- Eu estou te pagando muito bem pra dormir apenas comigo e estou pouco me fodendo se está solteira ou não. Eu quero você só pra mim, você é minha Caissy, você está comigo. – falo irritado

- E você? Está comigo Justin? Duvido! Pensa que eu esqueci você dando em cima da Amanda na minha frente? Há, me poupe. Só eu que tenho que ser profissional? Faça por onde também.

- Você não está vendo que eu quero você só pra mim? Eu não estou com mais ninguém Caissy, porra eu ..eu te pedi pra ser só minha e eu.. porra.

- E você não está vendo que você está morrendo de ciúmes? – disse

- De novo com essa merda? Que ciúmes o que, ciúmes até aparece.

- Ciúmes sim senhor, ciúmes sim.

- Que ciúmes o que. Maluca! – falo

- Ciúmes sim, o que? É ciúmes sim! Coisa de amador, está com ciúmes sim e não admite sendo que a profissional aqui admite que sente ciúmes da Amanda, eu sinto mesmo. E eu sei que está com ciúmes porque eu fico exatamente assim, é ciúmes sim entendeu? Aceita ou me perde. Simples!

- Porra Caissy, você quer me enlouquecer? Você..você quer me deixar maluco aqui? Você.. porra, você está me dando nos nervos.

- Isso não é nervoso, é ciúmes. Ciúmes Bieber, ciúmes! – ela ri 

- Quer sabe? Foda-se ok? Eu vou embora! – falo dando as costas

ela gargalha e me puxa de volta e junta nossos corpos

- ui, ciúmes, ciúmes .. – ela sussurra

- cala boca, eu vou embora! – falo

- Você não quer ir embora Bieber, relaxa que o único que eu quero é você – ela me beija

vadia, vadia gostosa sabe muito bem como me convencer a ficar, a corresponder seus beijos, seus toques. E porra, como ela faz isso?

- Troca de roupa e vamos pra minha casa! – falo terminando o beijo

- Ok!

ela foi ate o banheiro, demorou um pouquinho e depois voltou, falou com a Lucy e foi comigo até o carro, ela ainda ria da minha cara e eu realmente não estava achando nem uma graça.

- Entra no carro logo!  - falo

- Eu tenho ciúmes de você! – ela me encara

- Caissy – suspiro

- Eu tenho ciúmes de você Bieber e sei que tem de mim, está mostrando isso cada vez mais. Eu sei. Não é? Você não sente? Admite!

- Se você sabe, eu não preciso admitir nada! – falo abrindo a porta do carro pra ela – entra

ela riu e me deu um selinho entrando no carro, fecho a porta e entro no banco do motorista, coloco a cinto e vejo ela tirar os saltos e fazer o mesmo. Meu celular vibra mostrando que tinha mensagem, e novamente era do meu pai.

Eu já encontrei e vou mata-la por tentar matar o meu filho e por tirar a minha dadiva de fazer isso com a Caissy. Quem colocou a bomba está mais perto do que você imagina. Boa sorte, eu estou de olho”- Jeremy “

olho pela janela do carro e vejo ele do outro lado a rua encarando o meu carro e a Caissy percebe que fiquei estranho.

- O que foi Bieber? – perguntou

- Não, nada! – forcei um sorriso

estou com receito pela Caissy, eu não sei o que faria se acontecesse alguma coisa com ela, essa vadia faz parte da minha vida agora. Eu ela tem razão, tem toda razão em dizer que sento ciúmes porque sinto mesmo e me odeio por isso, ainda mais por está me importante demais com ela, com uma vadia dona de um bordel.

- Você está certa Caissy!

- Eu sabia, você sente ciúmes não é? – riu

- É, mas principalmente, eu me importo com você – a encaro

- Eu também me importo muito com você Bieber, mas agora eu quero que você me leva pra sua casa e se importe comigo, na cama – ela sorriu maliciosa

- pra já, vadia! – sorri ligando o carro

É, Jeremy Bieber está aprontando e eu tenho que me preocupar com uma vadia que estou tratando como uma dama. Onde eu fui me meter?

Eu sei negociar e, é isso que eu vou fazer porque o dinheiro abre muitos caminhos, com direito a tapete vermelho e vou colocar o pessoa da bomba e meu pai como as principais estrelas desse show. Mas agora eu só quero foder a Caissy, sem me importa com nada  e ninguém.




 


Notas Finais


CIÚMES DE VOCÊ, CIÚMES DE VOCÊ, CIÚMES DE VOCÊ...

Eles admitiram que sentem ciumes um do outro, que bonitinho haha <3

Se não foi o Jeremy que mandou colocar a bomba quem será que foi? Quem foi a loira que fez isso gente? Quais são seus palpites? FAÇAM SUAS APOSTAS!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...