História Bela dama - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Justin Bieber, Personagens Originais
Tags Drama, Família
Exibições 204
Palavras 3.763
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi gente, tudo bem com vocês? Espero que sim. Bom, está ai mais um capítulo pra vocês, espero que gostem, me desculpem pelos erros, mas enfim espero que gostem.

Boa leitura

Capítulo 13 - Sentimentos que curam


Fanfic / Fanfiction Bela dama - Capítulo 13 - Sentimentos que curam

Eu disser que não sinto nada, que minha estraga sem você é mais segura, eu sei você vai ri da minha cara. 

                                           Caissy Jones P.O.V

Eu sei que deis do dia que comecei a me envolver com o Justin coisas loucas comeram a acontecer, mas eu não me arrependo de ter transado com ele e muito menos de ter aceitado sua proposta. Principalmente depois de ontem, foi uma das nossas melhores transa com certeza, ele queria mais e mais, e não conseguia parar, e claro como uma boa vadia eu estava adorando isso. Hoje eu acordei e o Justin como sempre não estava ao meu lado, eu nem liguei voltei a dormir até umas 11:30, depois voltei pra minha casa, pois eu precisava ir com a Lucy comprar umas roupas novas pra minhas garotas, e claro pra mim. Já que todo esse dinheiro que o Justin está me pagando tem que servi pra alguma coisa.

- Essas roupas então maravilhosas, o Bieber vai adorar te vê vestida assim- disse Lucy

- Eu pensei a mesma coisa! – ri

- Anda pensando de mais nele, anda demais com ele e pelo seu sorriso está adorando.

- Um bom sexo e dinheiro é claro que estou adorando Lucy.

- É só isso mesmo Caissy? Não tem sentimentos nem um entre vocês? – perguntou

- Mas é claro que não! – dou de ombro

- Que bom, pois um dia ele vai cansar disso, sabe disso não é? 27 anos, está chegando nos 30 Caissy, daqui a pouco vai querer outra pessoa e assim vai. Não quero vê você sofrendo – disse ela

- Ei, olha eu não sinto nada e nem vou sofrer, relaxa. Já compramos tudo pras garotas? – perguntou

- Bom, acho que sim – ela olhou as sacolas

- Então vamos almoçar, nem tomei café direito na casa do Justin porque a Rita ficou me enchendo de perguntas. – faço careta

fomos procurar algum lugar no shopping pra almoçarmos, depois que compramos a comida, sentamos pra comer e claro, Lucy insistia em falar do Justin.

- Sei lá Lucy, ele deve está na empresa.

- Ele não tem liga pra saber como você está, nada?

- Muito difícil ele fazer isso! – dou de ombro

- Acho que ele tem medo de se apegar sabe? De se envolver, ainda como uma mulher como você. –disse Lucy

- É, eu sei! – suspiro

O Justin é o tipo de cara que perde o amigo, mas não perde a piada. Que prefere ficar horas no trabalho do que em um bar qualquer, bem que tenho certeza que as vezes ele faz isso, com certeza. Ele não quer mais nem um relacionamento depois do que aconteceu, eu não sei exatamente o que aconteceu, mas aposto que foi bem grave pra não querer se envolver com mais ninguém. Bom, eu entendo sabe? Se apaixonar, amar é muito bom, a sensação é maravilhosa, parece que tudo ao seu redor muda de uma hora pra outra, mas quando acaba, leva tudo isso embora e fica só os caquinhos por ai, isso é triste, mas faz parte de nos,  única coisa que podemos fazer levar só aquilo que foi bom e seguir em frente.

Depois do almoço, voltamos pra minha casa pra separarmos cada peça de roupa pra cada garota, pra quando chegar lá no bordel a noite entregar a elas tudo certinho. Espero que o Justin não apareça lá de novo

meu celular vibra e vejo que era uma mensagem do Justin, e quando percebi isso foi impossível de não abrir um sorriso

“ Oi, sou eu. Pode buscar a Jenny na escola pra mim? O carro que meu motorista usa pra busca-la esta na manutenção e estou ocupado. Mas se não pude tudo bem. “ – Justin

 “Tudo bem, estou indo busca-la! “ – Caissy

- É Justin né? Claro que é, pra está com esse sorrisinho no rosto. – Lucy riu

- Ele confiou em mim pra ir buscar na irmã dele na escola, e olha que ele não bota qualquer pessoa pra fazer isso não. – ri pegando minha bolsa

- Já que você vai sair eu vou embora!- diz Lucy

Saímos da minha casa, ela pegou  um táxi enquanto eu entrava no meu carro e ia direto pra escola da Jenny. Não demorou muito pra eu chegar lá, abusei e coloquei a cabeça na janela pra ela vê que ela eu, logo ela sorriu e entrou no carro.

- Justin avisou que eu vinha te buscar? – perguntei

- avisou sim! – ela disse

- Como foi a aula? – perguntei

- Até que foi legal, ultimas semanas de aula braça a Deus – ela riu

- Eu vou conversar com o Justin pra vê se ele te libera do castigo antes das férias – falo

- Serio? Você é a melhor! – ela sorriu

- Vamos, vou te levar pra sua casa! – falo

Durante o caminho todo pra casa dela e veio suas amigas e os garotos da escola que dão em cima dela, mas o Justin nem sonha com isso, acho que ele surtaria, ele trata ela igual uma garotinha de 15 anos, ela tem 18. Mas não vou me meter nesse assunto, da ultima vez não saiu muito bem quando tentei faze isso. Bom, depois de deixar a Jenny na casa dela eu pensei em dar um passadinha no escritório do Justin, mas como ele mandou mensagem dizendo que estava ocupado eu achei melhor não, acho que também ele nem iria gostar. Então fui pra casa, dormir um pouco, eu viro a noite acordada no bordel.

[.....]

Mais a noite, acordei com o meu celular tocando era a Lucy perguntando se mais tarde eu iria por bordel, eu não soube responder pela primeira vez em anos, eu precisava ligar pro Justin pra perguntar se queria fazer alguma coisa hoje. Mas quando eu iria fazer isso a campainha toca, desço correndo e vou atender a porta, era um entregar todo arrumando, ele perguntou meu nome me mandou assinar, logo me deu um caixa media de azul e tinha um cordão lindo nela e apenas dizia “ Um cordão especial pra uma mulher especial, espero que goste” – Justin

Espera, Justin? Justin tinha me dando um cordão lindo desses? Isso é serio mesmo? Não estou acreditando. 

Um sorriso bobo se formou nos meus lábios e eu senti no sofá olhando pro cordão na caixa. Pego o meu celular e mando uma mensagem perguntando se ele irá passar aqui depois do trabalho, e sua resposta foi sim. Então subi pro meu quarto correndo, peguei uma das roupas que e comprei pra mim hoje e deixei em cima da cama, entrei no banheiro tirei toda a roupa e entrei no box, liguei o chuveiro sentindo aquela água quentinha cair no meu corpo, é sensação era boa, muito boa. Depois de tomar o banho que não caso foi bem demorado, eu fui me arrumar e secar meu cabelo, cassei uma leve maquiagem um batom, quando eu estava passando meu perfume a campainha toda fazendo meu coração quase sair da boca. Saio do quarto e desço até a sala, dou uma arrumada no meu sutiã e abro a porto vendo ele com aquele terno maravilhoso e um leve sorriso no nos lábios, céus ele é tão lindo.

- Oi Bieber

- Oi, nossa.. ta gata – ele beija meu pescoço

- Pra você! –pisco

- Pra mim, hm.. eu gostei disso, gostei muito. Mas é só vim da um passadinha rapidinha e dizer que vou pegar você depois do bordel, eu tenho um aniversario pra ir. – ele diz

- Há, sim. Aniversario de quem? – pergunto

- Amanda! – ele me olha

- Claro que aquela vaca não deixou você me levar! – ri

- Mas ou menos isso, mas relaxa depois e vou ser todo seu! – ele me puxa pela cintura

- Antes vai ser todo dela! – bufo

- Eu já disse que não tenho mais nada com a Amanda, ela é uma amiga. – ele beija meus lábios

- Hm, mas quero agradecer pelo presente que você mandou pra mim. – sorri

- Sobre isso – ele se afasta – não era você, o entregador confundiu tudo, era pra Amanda, eu vim aqui buscar o presente dela. Eu tinha dois presente, um bem sexy pra você usar comigo hoje a noite que o entregador acabou levando pra Amanda e o presente dela veio pra você. Ele confundiu tudo. – disse Justin

Espera, cordão lindo dizendo que era uma mulher especial não era pra mim? Claro, como eu pude pensar que seria pra mim? Justin me paga pra dormir com ele, que ideia.

- Pra Amanda, entendi! – falo

- É, hoje é aniversario dela. – ele diz

- Já entendi isso, já entendi. Por isso colocou pra uma mulher especial. Como pude pensar que era pra mim, que cabeça minha. – ri sem humor

- Pensou mesmo que era pra você? Caissy – ele riu

- O que? Eu não posso ganhar um cordão desse por que sou uma puta? – cruzo os braços

- Eu não disse nada disso! – ele reclama

- Você nunca quer dizer nada disso, nunca – ri

- Vamos brigar agora Caissy? – ele me olha serio

- O que? Claro que não, vou buscar o cordão pra você dar aquela vaca metida

vou até o meu quarto e pego o cordão, poderia jogar na cara dele, mas não vou fazer, desço novamente e entrego pra ele.

-Está ai, tchau

-Para com isso Caissy, caralho! – ele diz

- Amanda sabe que você me paga pra dormir com você?

- Claro que não! – ele diz

- Então ela continua pensando que sou sua namorada certo?

- Certo! – ele diz

- Então por quê não insistiu em me levar? Você deveria ter me defendido quando ela disse que não queria sua namorada no aniversario dela.

- Caissy, você NÃO é minha namorada, coloca isso na sua cabeça.

- Não sou mesmo, mas você come aqui, na minha mão! – falo o encarando

- O que é?  - ele riu – vadia metida não da né?

- Já sei porque não quer me levar, não sirvo pra acompanhar você, eu sei disso e além do mais vai ter outras mulheres lá que com certeza você irá ficar de olhos. – falo

- Porra, você é muito dramática sabia? O que eu disse pra você? Quero exclusividade na cama e você aceitou. Eu não falei nada que iria sair de mãos dadas ou que você iria me acompanhar em todos os lugares que fosse. – ele reclama

- Eu só sirvo na cama pra você, é claro! – ri

- Caissy, isso é obvio! – ele diz na minha cara

- Sai da minha casa – bato no seu braço

- Caissy, que isso – ele riu

- SAI DA MINHA CASA BIEBER – empurro ele

- Ei, calma ai .. – ele se afasta

- Sai! – aponto pra porta

- Caissy, para com isso!

- Sai Bieber, sai porque não é assim que se trata um ser humano. Eu sou puta, você me paga,  mas não tem o direito de me humilhar.

Ele não diz nada, apenas me olha por alguns segundos e sai me deixando lá sozinha sentada no sofá. Ele idiota, um canalha egoísta, que droga.

Mas por quê eu me importo tanto com o que ele faz ou deixa de fazer? Merda. Esse sentimento desgraçado que está queimando no meu peito quero arranca fora.

sentada aqui olhando pro chão acabei lembrando de como cheguei aqui, foi tudo tão novo, eu tinha medo do desconhecido sozinha eu vou me descobrindo a cada dia. Do quanto tudo mudou do dia pra noite quando comecei o bordel.

Do quanto não tinha a menor ideia do que estava fazendo quando cheguei aqui e das versões de mim mesma que foram nascendo entre uma descoberta e outra. Das grandes amizades que viraram pó e dos desconhecidos que aparentemente vieram pra ficar. Odeio como personagens legais morrem ou simplesmente desaparecem nas séries favoritas, mas aí vai uma triste verdade sobre ser um adulto: na vida real às vezes também é assim.

A parte boa de quebrar a cara e seguir nosso próprio caminho é que as escolhas que fazemos podem nos levar a lugares surpreendentes e esse é um dos motivos que me faz não acreditar nem um pouquinho em coincidências. Não foi acaso que me trouxe aqui, foram minhas pequenas peculiaridades que eu não deixei que morressem ao longo do tempo quando apontaram pra mim.

Por anos da minha vida ser diferente das outras pessoas foi uma merda, mas depois de adulta essa coisa de não ser igual a todo mundo até que me caiu bem. Você meio que se acostuma, sabe? E vai aprendendo a valorizar o que te diferencia dos outros e a se impor quando realmente precisa. O grande momento em que você se dá conta de que nem todo mundo precisa gostar de você. Simples assim! Sobra mais tempo pra você se preocupar com quem realmente se importa ou o que você sonha.

A principal lição que tiro de todas essas aventuras e desventuras que vivi até hoje é que no fim das contas não são coisas que nos fazem crescer. Não é ter um carro foda ou emprego dos sonhos. São as pessoas que conhecemos ao longo do caminho e o quanto de nós mesmos as deixamos explorar. São os cacos que se espalham no chão e se juntam formando algo completamente novo e único. Somos exatamente assim: um monte de detalhes que ninguém percebe. Um monte de histórias que nunca ninguém ouviu por completo. Essa é a verdade.

me levanto do sofá e vou lá pra cima, coloco uma roupa bem sexy pra ir pro bordel e uma roupa normal na minha bolsa, passo uma maquiagem bem forte e entro no meu carro, no caminho todo até lá fiquei pensando nisso entre mim e o Justin e acho que não está dando certo e nem vai dar, já estou apagada demais nele e não quero isso pra mim, não quero. Assim que chego no bordel, estaciono o carro, entro e vejo as minhas garotas com as roupas que comprei, dei um oi pra elas que ficaram felizes por me vê e caminho até a Lucy que bebia alguma coisa.

- Até que enfim a madame apareceu! – ela riu

- Cala a boca ok? Eu vim pra ficar dessa vez! – sorri

- Tenho minha melhor amiga de volta? – sorriu

- É claro que tem, pois no fundo ela nunca foi embora- pisco


Lucy sorriu mais ainda e pediu um bebida pra mim, enquanto ficávamos observando nossas garotas trabalharem, estou orgulhosa delas. Isso aqui está locado, tem uns caras que eu nunca vi por aqui, isso quer dizer que é mias grana no bolso da mamãe aqui. Maravilha.


 Sempre que alguma coisa ruim acontece na minha vida eu tento encontrar um motivo. Algum aprendizado que possa me ajudar da próxima vez e que dê pelo menos um pouquinho de sentido pra tamanha falta de sorte. Por que justo eu, Deus? É bem mais fácil se lamentar e se revoltar com o mundo, eu sei. Colocar a culpa no passado ou nas pessoas que estão por perto, mas fazer isso infelizmente não resolve nada. O melhor jeito de se livrar de algo ruim, é perceber que aquilo não aconteceu por acaso e que lá na frente, toda dor te ensina a agir da melhor forma possível e fazer a escolha que vai te trazer mais felicidade.

Temos mania de dividir tudo em certo e errado, bom e ruim, mas na prática nem sempre as coisas funcionam assim. Às vezes a fórmula pra ser feliz é cheia de erros e momentos difíceis.


e meu erro é está envolvida com o Bieber emocionalmente enquanto ele está cagando pra mim.


Durante a noite toda tentei não pensar ele, mas vezes acontecia de pensar, tipo agora onde estou conversando comigo mesmo na minha mente sobre ele. Que maravilha Caissy, pensando no cara eu paga pra você da a buceta. BURRA!

largo minha bebida quando senti uma mão na minha cintura, quando olho vejo que é o cara que estava roubando meus pensando agora pouco.

- Bieber vai embora! – falo

- Há, Caissy não faz assim! – ele beija meu pescoço

- Sai! – o empurro

- Aquilo foi um mau entendi sabe? O entregou trocou tudo, eu sinto muito.

- Sente muito também o que você disse Bieber? Duvido, você é ridículo achando que é dono do mundo.

- Sim, eu sinto muito. Agora já passou esse drama né? – ele segura minha mão

- Drama? Não Bieber, não passou! – solto minha mão

- Caissy, me desculpa.  Eu sei que falo as coisas sem pensar e esqueço que pode machucar você.  Me desculpa ok? Eu sinto muito pelas coisas que disse. Eu vim aqui por isso, por você. Pois não vem dizer que não me importo, porque me importo sim se não, não estaria aqui agora te pedindo desculpas. – ele segura minha mão novamente

- Você é um idiota! – reclamo

- Eu sei, desculpa – ele beija meu rosto

- Sai Bieber!

- Eu sei que no fundo você não quer isso, eu sei Caissy, eu sei. – ele sorriu

- Sai Bieber, serio!

- Eu – beija meu rosto – sei – beija meu queixo – que você não quer isso – beija meus lábios

não demorou muito pra isso se tornou um belo beijo cheio de emoções misturadas, mas principalmente desejo.

- Olha .. – me afasto dele dando um selinho

- Eu sei o que vai dizer, que devo te trata melhor e vou fazer isso, eu prometo.

- Vamos pra minha casa! – falo

- Essa é a minha garota! – ele sorriu

- Eu sou o que? – sorri

- Minha garota! – ele pisca

- Sua?

- Minha! – ele beija meu pescoço – só minha

Nem falo nada com a Lucy, eu sei que ela vai cuidar bem do bordel e puxo o Justin pela mão, ele mandou o táxi que ele veio ir embora, pois fomos pra minha casa com o meu  carro. 

nada melhor que sexo de reconciliação

[....]

No quarto só de ouvia gemidos e mais gemidos, a cama batendo na parede,  o meu corpo suado em cima do Justin enquanto rebolava em seu pau.  Joguei minha cabeça pra trás sem deixar de rebolar no Justin, que matinha suas mãos em minha bunda. Soltei um suspiro quando minhas pernas ficaram bambas, Justin aumentou os movimentos dos meus quadris me fazendo gemer, logo sentir meu liquido escorrer, me fazendo morder os lábios e fechar os olhos, mas logo sem seguida abrir quando ouvi o gemido rouco do Justin sentindo ele me preencher. Caio em cima do Justin com meu corpo cansado e completamente suado. Ele tirou os fios de cabelo do meu rosto e passou a mão nas minhas costas. Até me virar de frente pra ele e beijar seu lábio levemente

- você é a mulher mais gostosa que eu já comi! – ele diz

- Disso eu tenho certeza – pisco pra ele, fazendo ele ri

ele junta nosso lábios formando um beijo quente e cheio de desejo. Do nada sentir o Justin entrar em mim com seu pênis. Soltei seus lábios e gemi baixo, senti seu membro entrar inteiro dentro de mim, me fazendo gemer e morde com força meus lábios. Sua pele ligada a minha, causando sensações que eu desconhecia. Justin começou a se mover dentro de mim, fazendo movimento de vai e vem me fazendo gemer. Eu sentia seu calor, sua grossura dentro de mim. Ele colocou minhas pernas em seus quadris, enquanto eu arranhava suas costas com minhas unhas, deixa ele escapar um gemido rouco. Na naquele ritmo de vai e vem que o Justin fazia está me causando sensações gostosas que eu não queria mais parar de sentir. Eu não estava me importando com nada e com ninguém, eu só queria continuar ali com o Justin. Não existe nada melhor do que está assim com o ele, com o Justin me fazendo sentir sentimentos, emoções e sensações únicas que ninguém jamais conseguiu fazer. Ele encostou seu rosto na curva do meu pescoço dando leve beijos e lambidas. A sensação de tê-lo dentro de mim era maravilhosa, ainda mais com seus beijos na pele quente do meu pescoço. Justin deu um mordida leve no meu pescoço me fazendo morde os lábios. Ele continua com seu vai e vem e logo comecei a sentir minha pernas frascas e um liquido quente escorrer por elas, suspirei abrindo a boca. Logo meu corpo começou a movimentar mais rápido, Justin começou a se movimenta mais rápido dentro de mim. Ainda no ritmo de vai e vem, segundos depois Justin começou a se movimentar dentro de mim em um ritmo alucinado. No quarto só se ouvia o som do nossos corpos se chocando. Um gemido rouco saiu dos lábios do Justin e logo sentir ele me preencher com seu jatos quentes.

O corpo do Justin caiu sobre o meu, mas ele apoiou seus braços em volta de mim pra não me machucar com seu peso.


ele mordei meu queixo e depois cai ao meu lado na cama, nossas respirações estão aceleradas enquanto nossos peitos subiam e desciam dentando controlar nossas respirações.

- Vamos tomar um banho? – pergunto

- Claro! –ele isso


Depois do banho, realmente fomos dormir, demorei um pouco confesso, pois fiquei vendo o Justin calmo e sereno dormir ao meu lado, ele apareci um neném com esse pequeno bico que ele faz quando está dormir, tão lindo.

- Boa noite Bieber – falo baixo beijando seu rosto

logo meus olhos começaram a pesar e peguei no sono. No outro dia acordei com meu celular tocando, era a Lucy me perguntando onde eu tinha ido, expliquei tudo pra ela e desliguei, como sempre Justin não estava ao meu lado. Mas percebi que tinha uma molha em cima da cama, peguei e na hora soube que era do Justin.

 
Deveria começar com querida Caissy? Não né? Gostosa Caissy, eu não pude ficar pro café da manhã pois eu tenho uma audiência bem cedo e um reunião com a detetive sobre a bomba logo depois. Mas antes de ir embora, eu comprei frutas cortadas e alguns pães pra você, eu não sei cozinhar, então tive que comprar, alimenta-se bem e me encontre na hora do almoço lá na empresa. Com todo desejo do mundo, Justin


Com todo desejo do mundo, mas também com todo meu sentimento Justin que eu sei que sinto, mas não sei qual é. E com certeza me meti na maior roubado por está sentindo isso.

Eu estava magoada com o Justin, mas esses sentimentos, é um sentimento que cura, é isso mesmo, sentimentos que curam, machucam, mas curam.


 

 


Notas Finais


E ai gente, Acho que a Caissy está mesmo gostando do Justin, ai não ...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...