História Bela e Fera - Capítulo 14


Escrita por: ~ e ~Jaskine

Postado
Categorias A Bela e a Fera, Monster High
Personagens Clawdeen Wolf, Cleo de Nile, Draculaura, Fera, Frankie Stein
Tags Amizade, Aventura, Clawdeen Wolf, Colegial, Draculaura, Drama, Frankie Stein, Insinuação De Suicídio, Lobisomens, Monster High, Revelaçoes, Romance, Vampiros
Exibições 14
Palavras 1.408
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fantasia, Festa, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Survival, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Canibalismo, Heterossexualidade, Mutilação, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oii, estou sumida como um fantasma mas estou viva rsrsrsrs
Me desculpem por isso :/
Esse capítulo é sobre a visão da Hayley, espero que não me abandonem ♥

Capítulo 14 - Analisando a Situação


Fanfic / Fanfiction Bela e Fera - Capítulo 14 - Analisando a Situação

POV Hayley <<<

É difícil ser eu, cuidar da situação psicológica desse povo e ainda passar fome! Brincadeira, amo o que faço, e a Claw e o Andy já foram comprar comida pra mim, que de tão ocupada, esqueci. Andy caçou ontem, afinal de contas, tem o mercado da vila, mas alguém tem que fazer o serviço desagradável de colocar a carne nele, e não é indo na cidade que isso vai acontecer, haha. Então ele ajuda nesse trabalho de buscar carne e sangue. Poxa, o ruim é que as espécies daqui estão cada vez mais em falta, então muitos de nós começamos a criar alguns animais para servir de alimento, não gosto disso, me apego a eles e depois tenho que come-los, ah não! 

Já se passou uma semana e a Claw aprendeu muito, descobrimos o que ela fazia e não observava, ela passava muito tempo sem comer na escola, e depois na casa da prima, aí quando ela chegava em casa já saía devorando tudo, ela precisa dar um jeito de comer nas horas certas para que seu organismo não se desespere na hora da fome, assim a probabilidade da fome dela ficar incontrolável nas noites de lua cheia diminui, se ela conseguir se policiar e ajudar seu próprio corpo, ele a ajudará, não se deve brincar com nossa fisiologia, ficar ignorando o que o corpo precisa e depois ainda exigir dele? É, na maioria das vezes nós fazemos isso, e então as emoções também se abalam por que elas também são biológicas, nosso psicológico não é independente do corpo como muitos pensam, ele não só influencia o corpo como também é influenciado por ele, a maioria das pessoas veem a mente como uma parte um pouco independente e flutuante do corpo, mas quando sentimos alguma emoção, não a sentimos somente no psíquico, nosso coração pode acelerar, alguma parte de nosso corpo se tensiona, ou se arrepia, até mesmo o sorriso e o choro são respostas do corpo em relação aos sentimentos que temos. Se uma pessoa tem a perda de algum membro, dores, está doente ou apenas se alimenta mal, tudo pode abalar seu cérebro, todos estão interligados, por isso quando estivermos doentes nosso rendimento pode cair, e quando estamos com baixa auto estima ou qualquer problema emocional, nosso corpo também pode sofrer. 

Claw ainda tem sorte de ser metade humana, eu por exemplo não sou, então não posso sair lá fora e fingir que sou humana assim como ela, que pode comer comida normal também, antes ela tinha preguiça ou vergonha de comer na escola, 50% da alimentação dela é carnívora, e mesmo com comida humana ela ainda comia meio desesperada, ás vezes, aí não queria que os outros reparassem. Mesmo assim ela conseguiu um pouco de resistência estudando com as meninas, mas nem sempre conseguia se concentrar com muita fome, agora sempre que a fome bate ela se lembra de que mais tarde vai se alimentar, como no caso das provas que fazíamos de manhã, agora ela consegue se controlar até por uma hora antes de comer, mesmo que não tenha comido muito à noite, pois estávamos controlando sua alimentação diária, comendo nas horas certas ela poderá ficar tranquila à noite sem assaltar a geladeira, hahaha. 

Agora, deixei ao critério dela dar um jeito de manter-se disciplinada com a volta da rotina, amanhã já é segunda feira, ela voltará para a escola e só virá à vila nos dias em que não estudar com a prima, vamos manter a terapia com menos frequência. Claw disse que não sabia como se manter comendo de 3 em 3 horas, sendo que precisa equilibrar comida humana e carne em todos os pratos, pois é um obstáculo pedir à tia de tarde, e manter essa exigência nos almoços com a prima, mas é algo do qual ela já se explicou antes, dizendo ter um deficiência de proteína que ela inventou, e depois deixou para lá, então tem que explicar à tia a importância disso ou levar o próprio lanche.  

Ahh, as pessoas tem preguiça de pensar na solução de seus problemas, pois assim como problemas matemáticos, eles só crescem, aumentam a dificuldade, e do jeito que essa geração de hoje está, não resolve mesmo! Assim como eu, né, que sou jovem e digo como se fosse mais experiente, haha. Quanto maior a dificuldade, mais largamos o problema e vamos para o celular, ou reclamamos para alguém, pedimos atenção, nos fechamos nas nossas próprias percepções e não vemos saída, precisamos ampliar os nossos próprios limites, pois eles foram feitos por nós mesmos, e se foram feitos de acordo com nossas experiências eles podem ser modificados, e precisam da ajuda da visão de pessoas diferentes, que tem limites diferentes dos nossos para isso. 

Eu acabei cochilando naquela noite de domingo, antes mesmo de jantar, então acordei lá pra meia noite com a barriga roncando e desci as escadas de madeira, logo escutei um barulho no quarto da Claw e me lembrei de que eu nem a vi voltar para casa, ela e Andy estavam no mercado de carnes e não haviam voltado, então fui conferir se ela estava no quarto ou se não tinha voltado ainda. Ah, se ela não tivesse voltado! Eu teria me culpado por um tempo, pois aquela hora não era boa para sair de casa. Cheguei perto da porta fechada e escutei uns barulhinhos suspeitos, minha nossa senhora dos lobisomens e vampiros desamparados! Será que estava acontecendo o que eu tentei evitar ao separar os dois de casa à noite? Andy deveria ter voltado para sua casa! Que incompetência, deixar Celina sozinha! Pensando nisso espiei pela velha fechadura. 

Claw estava lá com Andy, a princípio desconfiei mas depois entendi, Andy estava sugando seu sangue! Ahh, mas eu mato ele, mato mesmo! Calma Hayley, você é considerada uma das mais sábias daqui, vai se controlar, vamos, se acalma. Bom, se isso fizer bem a eles não posso interferir, mas antes que aconteça mais alguma coisa eu devo atrapalhar, não quero ninguém grávida aqui. E a Celina confiou em mim ao deixar Claw aqui, por isso me sinto meio mãe. Meu lado curioso me permitiu ficar ali alguns minutos até encontrar um momento mais tranquilo de  interferir, acho que ele está sugando demais, seu sangue perdido será reposto após algumas horas, mas a quantidade de proteína de Claw pode ficar comprometida, leva cerca de semanas para voltar ao normal, isso pode deixá-la com mais fome, se eu souber que ele está sugando esse sangue a mais tempo... Enquanto eu refletia, me desequilibrei e caí meio desajeitada em frente à porta, deve ser pelo meu nervosismo. 

-Alguém está aí? - Andy perguntou alto de dentro do quarto. 

-Sou eu, Hayley, está tudo bem aí? 

-Está sim. -Os dois responderam envergonhados. 

-Só queria confirmar se chegaram, posso entrar? - Eu disse já entrando, na doida mesmo. - Ei, vocês estão aprontando algo? 

-Aprontando? O quê?- Disse Claw enrolando o cabelo entre os dedos nervosa. 

-Acabamos de chegar do mercado. - O danado do Andy disse. 

-Ah, pois está tarde, não é mesmo? Cadê as compras? Tô morrendo de fome! 

-Estão perto do microondas. Já vou guardar e ir embora. 

-Deixa que eu guardo. Não deveria ter deixado vocês irem aquela hora, mas já fazem três horas que pedi para vocês irem lá, o que fizeram depois? 

-Ficamos passeando.  

-Sei. 

-Sabe do quê? 

-Que está muito, muito tarde e amanhã a Claw tem aula, vocês vão acordar bem cedinho e já deveriam estar dormindo, já passearam demais essa semana para o meu gosto! 

-Credo, parece a minha mãe! Tchau Claw. -Ele deu um beijo em sua bochecha e ela muito tímida só retribuiu o tchau. 

-Tchau, vampiresco! - Eu provoquei 

-Tchau, mãe! -Ele ironizou saindo pela porta. 

-Boa noite, Claw!  

-Boa noite! -Ela sorriu, disfarçando, que eu sei. 

É, preciso contar ao Andy e controlar isso, não é atoa que ela precisa ingerir um pouco de sangue por dia, e ele ainda me apronta essa, eu não sabia que ele já tinha provado sangue pelo menos meio humano, ele sabe que vicia, mesmo o dos lobisomens vicia, ainda mais metade um metade outro, pode ter um momento em que ele não consiga se controlar, a gente sabe como é o corpo da gente, provamos algo e achamos muito bom, mas quando provamos algo melhor... ahh, aí aquele primeiro fica bem mais sem graça, e o corpo vai pedir por mais. 


Notas Finais


Bjs e espero que tenham gostado ♥♥♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...