História Belas e ordinárias - Capítulo 26


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Romance
Visualizações 111
Palavras 1.079
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Romance e Novela

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 26 - Intruso na casa


Rich continuou encarando o jardim. Semicerrou os olhos tentando enxergar melhor na escuridão, mas não adiantou muito. Ele sabia que Analú e Maya estavam atrás dele, mas de repente um pensamento lhe cruzou a mente.

-Mad! -Ele falou se virando rapidamente e olhando para o sofá. Ela não estava mais lá

-Meu Deus do céu! -Analú sussurrou colocando a mão em frente a boca.

Os três passaram alguns segundos olhando para os lados e procurando sinais de para onde Maria Eduarda poderia ter ido. Rich fez sinal para que as garotas ficassem quietas, mas mesmo com a casa inteira em silêncio eles não ouviam nada.

-Mamãe e papai estão em casa… -Maya murmurou.

-E o que eles vão fazer? Mandar o bandido desligar a televisão e ir dormir? -Analú tentou não rir da resposta de Rich, mas falhou -Fiquem quietas!

Os três saíram andando pela casa, juntos, olhando para todos os lados e checando se todas as portas e janelas estavam trancadas.

-Já pensaram que ao trancar todas portas e janelas estamos nos trancando dentro de casa junto com o que quer que seja que está nos assustando? -Analú perguntou.

Rich ia responder quando ouviu um barulho vindo do segundo andar, alguma coisa tinha caído no chão com bastante força. Os três foram correndo até os pés da escada, mas Rich parou fazendo com que as meninas parassem atrás dele.

-Fiquem aqui embaixo -Ele disse e entregou seu celular na mão de Maya -Se eu não voltar em cinco minutos chamem a polícia.

-Mas Rich… -Analú falou.

-Só façam isso, ok? -Elas assentiram.

Rich passou rápido pelos degraus da escada e ao mesmo tempo tentou fazer o mínimo de barulho possível com medo de ser percebido.

-Me solta! -Madu gritou puxando o braço das mãos do ladrão a sua frente, mas o mesmo a puxou pelo braço a imobilizando e colocando uma faca em seu pescoço.

-Se gritar de novo vai ser pela última vez! -Disse a voz áspera bem perto do ouvido de Madu -Agora me diz onde fica o cofre!

-Eu não sei, eu nem sabia que eles tinham um cofre! -Madu respondeu com a voz embargada pelo choro.

-Solta ela! -Rich falou entrando no quarto e encontrando os dois.

-Eu quero o dinheiro do cofre! -O ladrão enfatizou sua fala apertando Madu um pouco mais forte e aproximando mais ainda a faca do pescoço dela quando Rich ameaçou se aproximar.

-Eu te levo até o cofre se deixar ela ir!

-Não! Dinheiro primeiro, dama em perigo depois! -Rich respirou fundo.

-Está bem… -Ele percebeu que estava desarmado então não tinha o que fazer. Rich abriu a porta do closet no canto do quarto e puxou um fundo falso no chão. Madu arregalou os olhos, nunca tinha visto um cofre a não ser nos filmes.

-Abra! -Rich engoliu em seco, se abaixou sem tirar os olhos de Madu e colocou o dedo no leitor para que sua digital abrisse o cofre.

O ladrão sorriu para Rich enquanto se abaixava para pegar o dinheiro. Madu começou a lutar contra ele para tentar se desvencilhar de seus braços, mas a segurou ainda mais forte quando ouviu o barulho das viaturas policiais se aproximando.

-Tão querendo morrer? -O bandido perguntou segurando Madu mais perto e andando mais para longe de Rich -Mais um passo e eu corto a garganta dela!

-Pelo amor de Deus solta ela! -Rich gritou.

Christine e David saíram do quarto completamente aterrorizados quando ouviram o barulho da viatura. Foram direto ao quarto em que eles estavam por conta da luz estar acesa.

-Meu Deus do céu! -Christine falou tapando a boca com as mãos.

-NINGUÉM SE APROXIMA! -O ladrão berrou dando alguns passos para trás e arrastando Madu junto com ele.

O barulho das botas dos policiais subindo as escadas começou a ecoar pela casa, todos estavam tão em choque que nem perceberam quando Maya e Analú chegaram em frente ao quarto.

-Solte a garota, isso é uma ordem! -Disse um dos policiais apontando a arma na direção do bandido.

O rapaz de capuz preto se viu encurralado, sua única opção era pular pela janela e levar consigo apenas o pouco dinheiro que tinha conseguido colocar em sua mochila. Ele olhou para os guardas, depois olhou para Madu e percebeu que ela encarava Rich o tempo todo, o bandido sorriu e encarou Rich.

-Foi ideia sua chamar a polícia, não foi? -Rich abriu a boca para dizer algo, mas o bandido continuou -Se querem que eu sofra numa cela então ela também vai sofrer! Pode se considerar culpado por isso!

O ladrão falou dando logo em seguida uma facada bem abaixo da costela de Maria Eduarda que gritou o mais alto que pôde sendo jogada no chão pelo bandido.

Todos estavam tão preocupados em gritar chorar e tentar socorrer Madu que os policiais foram os únicos que perceberam quando o bandido saltou para fora da janela.

-Enviar uma ambulância para cá -Um dos policiais falou em seu rádio -Rápido, garota esfaqueada e bandido fugindo a pé pela rua.

Madu estava no chão. O sangue jorrava manchando todo o carpete do em frente a janela e também as mãos e a roupa de Rich que estava desesperado para ajudá-la.

-Não mexa nela -O policial avisou -Alguém traga uma toalha, é preciso fazer pressão para estancar o sangramento.

Rich chorava ao lado dela completamente sem chão.

Madu não conseguia assimilar nada por conta da dor, só o que sabia era que todos estavam lá. Chris e David pareciam ser os mais chocados e desolados o que era totalmente compreensível já que eles eram responsáveis por todos alí. Maya e Analú choravam, mas Madu não sabia dizer se choravam por ela ou pelo susto da situação inteira.

Foi então que Madu olhou para Rich. Ela tentou respirar fundo, mas a dor era tanta que ela já estava tonta, quase nem tinha noção da presença do policial alí do seu lado pressionando uma toalha contra o ferimento.

Madu colocou a mão sobre a de Rich que chorava com a cabeça baixa o fazendo levantar o olhar e prestar atenção nela.

-Eu vou ficar bem! -A voz dela quase nem saiu, mas foi o suficiente para fazer com que ele chorasse mais.

Madu podia ouvir o som da ambulância vindo longe, podia ver os rostos aflitos de todos ao seu redor. Era a última coisa que tinha registrado antes da dor ficar tão insuportável que ela fechou os olhos e apagou.

 


Notas Finais


Então... capítulo tenso...
Confesso pra vcs q a minha ideia não era colocar um ladrão, na vdd eu não tinha muito ideia nenhuma de como ia continuar essa parte, mas isso me levou a pensar numa ponte para umas coisas q vão acontecer nos próximos caps...
Gente, só queria avisar pra vcs q a fic está acabando :(
So sorry
Mas acho q não teremos mais tantos capítulos, essa com certeza vai ser beeem mais curta do que briga de cachorro grande (do q todas as minhas fics em geral pq a maioria tem uns 40 cap pra mais)
Só avisando vcs...
Muito obrigada pelos comentários! Amo todas vcs corujinhas <3 <3 <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...