História Believe - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Justin Bieber
Tags Believe, Bieber, Drama, Justin, Romance
Visualizações 19
Palavras 5.736
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Desculpa a demora meninas, eu tava viajando e não tive como escrever aqui. Espero que gostem do capitulo.

Capítulo 7 - Tell em that is my birthday (especial)


Qual é! Quem não ama a Ellen? Chegamos no hotel e eu e Justin fomos pro meu quarto. 

- Meu amor tá tudo bem mesmo ? Não quer um remédio ? 

- Não princesa não precisa se preocupar é só um mal estar. 

- Lógico que eu tenho que me preocupar. Deita ai na cama eu vou tirar esse vestido e essa maquiagem e já volto. 

- Ok. 

Fui ao banheiro tirei meu vestido e coloquei um roupão, liguei a torneira e escutei um barulho alto de coisas caindo no chão. 

- JUSTIN ? AMOR? - Ele não respondia e eu resolvi ver o que tinha acontecido. Abri a porta do banheiro e vi Justin estirado no chão. Pálido. - AI MEU DEUS, JUSTIN ACORDA AMOR ACORDA - Sacudi ele para ver se ele acordava e nada, ele tava febril e muito pálido, eu já não conseguia me controlar, as lágrimas foram inevitáveis. - SOCORRO. - sai do nosso quarto atrás de alguém da equipe, na verdade até o quarto de Pattie - PATTIE ABRE A PORTA RÁPIDO SOCORRO POR FAVOR. - eu batia freneticamente, mas parecia que não tinha ninguém, vi minha mãe abrir a porta do quarto dela. 

- Minha filha o que ta acontecendo ? Por que você tá chorando ? 

- Mãe o Justin - mal conseguia terminar a frase e sai puxando ela pro meu quarto. Mostrei o que havia acontecido e ela foi atrás de algum segurança pra levarmos no hospital, enquanto eu  tentava acordar o Justin. 

- Justin por favor - a cada palavra que eu dava eu suspirava tentando sessar o choro. 

[...] 

- Acompanhantes do Sr. Bieber?

- Eu - me levantei rapidamente da cadeira. 

- Deixa que eu cuido disso querida. - Pattie se levantou da cadeira, ela tinha chegado a poucos minutos quando ficou sabendo do acontecido. 

[..] 

Pattie e o médico saíram da sala de espera e eu me sentei de novo. 

- Mãe, será que vai ficar tudo bem? 

- Lógico que vai meu amor, Justin é forte e você sabe disso. Foi apenas um susto que levamos. 

- Mas porque ele passaria mal do nada?

- Não sei, mas vamos esperar pra ver o que houve. 

O hospital já estava rodeado de paparazzis querendo saber o que houve, bando de curiosos, que saco. 

[...] 

- Senhorita Julie?

- Sim? 

- Você já pode ir ver o Sr. Bieber. 

- Ai graças a Deus, que demora.

- Me acompanhe. - Ele disse querendo rir, pela falta de paciência minha.  

O acompanhei, seguindo-o pelos corredores daquele hospital. 

- É aqui senhorita. 

- Muito obrigada. 

- Por nada. Se precisar, é só apertar o botão que tem ao lado da cama, e uma enfermeira vem. 

- Ok. 

Ele saiu, me deixando em frente aquela porta branca de número 1256, ironia? Talvez. Não perdi tempo em abri-la. Ele tava com soro no veia, o que me deu uma aflição enorme. Ele escutou a porta se fechando e me olhou, abrindo aquele sorriso, que eu não sei mais viver sem. 

- Oi meu amor - Ele disse com a voz meio falha e cansada.

- Você me deu um susto - sentei ao seu lado na maca mesmo e acariciei seu rosto.

- Desculpa. Já sabem o que aconteceu ? 

- Não sei, sua mãe ficou conversando um tempão com o Doutor, e eu fique lá que nem tonta esperando. Ela ainda não veio te ver? - Estranhei pelo fato de Pattie quase ter tido um infarto quando soube da noticia. 

- Ainda não, se veio eu ainda tava desacordado. A quanto tempo estamos aqui ? 

- Não sei 2 horas talvez, ou mais. 

- Quero ir embora não gosto daqui. - Ele disse me puxando, me fazendo deitar ao seu lado.

- Talvez quando o soro acabar podemos ir. 

- Tá com sono ?

- Não, só cansada. 

Ficamos um tempo conversando ali, até que o médico veio tirar a agulha do braço do Justin, que já tinha acabado. Depois de esperar mais um pouco o médico explicou que Justin só teve uma recaída por falta de proteína, ou em outro nome anemia, nada grave, mas que ele seguisse uma dieta especial por uma semana melhoraria. Voltamos pro hotel, teríamos pouco tempo pra dormi e logo cedo voltaríamos pro Canadá. 

Acordei, tomei um banho para despertar e me arrumei (1). Pedi meu café e do Justin e fui tentar acordar o senhor preguiça. Sentei ao seu lado na cama.

- Amor? - sussurrei. Eu não queri acordá-lo, ele parece um anjo dormindo, mas era preciso - Justin ? - Acariciei seu rosto - Acorda minha preguicinha. - Ele se mexeu um pouco e resmungou algo que eu não entendi e escondeu seu rosto de baixo do travesseiro, ri e subi em cima dele fungando em sua nuca e vendo os seus pelos se ouriçarem. - Vem levanta dorminhoco. - beijei seu pescoço. 

- Huuhm - ele resmungou de novo - 5 minutos? Juro que acordo. 

- Nem 5 nem 2 kk Vamos nos atrasar bebê. - Beijei seu pescoço de novo. 

- Poxa amor num precisa provocar. - rimos. 

- Então vem. - Sai de cima dele e o puxei. Ele coçou os olhos ainda sentado na cama. 

- Bom dia princesa. 

- Bom dia meu príncipe.- Ele se levantou e nos abraçamos. - Já pedi nosso café, agora vai tomar um banho seu porquinho. - Dei um tapa na sua bunda e rimos. - Ele entrou no banheiro e eu escutei a campainha tocar, provavelmente nosso café. O moço deixou a bandeja na mesa de centro e eu agradeci fechando a porta pra ele. Tinha tudo que era saudável e o que o médico havia pedido pro Justin. Sentei no sofá e comecei a comer os morangos, liguei a TV e fiquei assistindo Nick.

[...]

O aeroporto estava lotado, maioria era meus fans e fans do Justin, além de conhecerem ele por ser meu namorado, ele é muito conhecido pelo hóquei. Depois de passar pelos fans fomos num jatinho particular. Nos acomodamos e esperamos o piloto avisar que poderíamos decolar.

-  Amor?

- Oi

- Daqui duas semanas começa a temporada de jogos estaduais, vamos comigo ?

- Claro bebê - selei nossos lábios rapidamente.

O piloto avisou que iriamos decolar.

[...]

Chegamos no Canadá eu fui direto pra casa tomar um banho e me arrumar pra entrevista com a Ellen. Me arrumei (2). Minha mãe gritou que o motorista já estava esperando na frente de casa. EITA! To adorando essa vida de motorista, segurança kkkk.

- VAMOS FILHA!

- to descendo, to pegando meu celular.

Desci, e dentro do carro estava, a Pattie, o Justin, minha mãe e eu. Encontraríamos Scooter no estúdio. Minha mãe ia na frente com Kenny - tadinho alem de segurança é motorista - Ainda bem que nos entendemos, porque ele é um negão de tirar o chapéu kkkk quando mostrei essa música pra ele, a gente quase caiu de rir quando eu terminei de traduzir a música pra ele. KKKK

- Ai que nervoso.

- Calma amor, você vai se sair bem.

- Fala isso porque não é você que vai subir no palco e ter uma entrevista com a linda da Ellen. - Meu olhos brilhavam. 

- Vamos tirar um pouco da sua tensão. - Ele começou a fazer muitas cocegas em mim, e a Pattie coitada ficou toda espremida de tanto que eu mexia.

- PARA JUSTIN PARA POR FAVOR .... AAAH ... - todos no carro só riam, nem pra me ajudar.

- Parei - eles continuavam rindo de mim.

- Agora eu vou fazer a entrevista parecendo um mendiga descabelada. - eu passei a mão no meu cabelo tentando amenizar a situação.

- Não insulte os mendigos - Ele tentou segurar a risada mas não conseguiu.

- Nossa quanto amor meu namorado tem por mim.

- Aawn minha princesa eu te amo muito - ele me abraçou e distribuiu beijos por todo meu rosto.

- OW OW OW SEM PEGAÇÃO NA MINHA FRENTE - Minha mãe gritou. Fazendo todos rirem.

- AMOOOR você vai deixar ela falar assim com a gente - fingi indignação.

- Mamãe falou, tá falado. 

  Chegamos na entrevista e tinha um tapete vermelho para eu descer. Eu fiquei tipo: NOSSA NOSSA EU SOU TÃO IMPORTANTE E FODA ASSIM? Tipo cara um tapete vermelho especialmente pra mim. Ok ja deu kk. Ajeitei meu cabelo, respirei fundou e sai do carro. Escutando aquela gritaria, todos chamando por mim, flashes em minha direção. Andei pelo tapete parando para dar autografos, abraços e foto. Entrei no prédio e logo me direcionaram para meu camarim. 

- Aqui é seu camarim se precisar de alguma coisa meu nome é Clarie. - Ela falou toda simpática e saiu me deixando sozinha. Pelo menos tinha balinha lá kkkk Depois de uns 5 minutos ou mais abriram a porta, era o Justin, minha mãe, a Pattie e o Scooter.  

- Hey. 

- Filha mandaram avisar que em 20 minutos começa a gravação. 

- Ok. 

Ficamos conversando, ai um cara enorme veio me buscar para ficar pronta pra entrar quando Ellen chamasse. Ok. Minhas mãos estão suando frio. E então escutei. 

- E VAMOS RECEBER AQUI PELA PRIMEIRA DE MUITAS VEZES EM NOSSO PROGRAMA A MAIS NOVA ESTRELA DOS CINEMAS JULIE.

Entrei acenando e com o melhor sorriso que eu poderia fazer. Nos abraçamos e sentamos. 

- Que honra recebe-la aqui. 

- A honra é minha de vir, realmente estou muito feliz. 

- Que linda. Bom então vamos começar. Como foi fazer o filme ? Digo como foi sua relação com o elenco?

- Aah eu me adaptei bem com eles, formamos uma família na verdade, todos temos uma relação boa e implicamos uns com os outros como se fossemos irmãos kkk, é divertido. Sempre é bom ter uma relação boa com os colegas de trabalho, torna menos cansativo. 

- E teve alguma cena que demorou muito pra fazer ou você não se adaptou?

- Na verdade todas as cenas foram tranquilas, em relação a duração teve várias cenas que a gente olhava um pro outro e ria sem parar e levaram horas pra ficar prontas. 

[...] 

- Bom gente nossa programa está chegando ao fim .. 

- AAAAH - a plateia fez um coro que me fez sorrir. 

- Mas prometo trazer a Julie de volta. 

- E eu prometo voltar. 

- Então é isso pessoal, uma boa noite! 

Começou a tocar a música de fechar o programa e eu e a Ellen saímos do palco conversando e rindo. 

- Muito obrigada por me receber Ellen. 

- Que isso, o prazer foi meu. Eu já vou no seu camarim cumprimentar a todos, só preciso falar com o produtor antes. 

- Ok. 

Segui pro meu camarim e fiquei conversando com o pessoal. 

[...] 

Mas um dia acordando cedo. Não me importava de ir pra escola, na verdade foi uma escolha minha continuar na escola, já que daqui um ano estarei me formando. Tomei meu banho gelado, já que o calor estava insuportável e me arrumei (3). Quando terminei de escovar meus dentes, meu celular começou a tocar, olhei no visor e indicava ''Amor''.

- Bom dia príncipe. 

- Bom dia linda, to passando ai em 10 minutos para irmos pra escola.

- Ok, to esperando. 

- Te amo, tchau. 

- Também te amo.  

Em exatos 10 minutos Justin estava buzinando na frente de casa. Abri a porta e Justin saía de seu carro, todo arrumado (4)  e foi de encontro a mim.

- Que shorts grandes não? - me selou

- Que namorado receptivo não? - devolvi o selinho

- Eu te amo e você sabe.

- Eu amo só as vezes.

- haha engraçadinha - ele abriu a porta do carro pra mim e deu a volta entrando no lado do motorista.

- Carro novo? 

- Sim.

- Seu pai ?

- Na verdade meu avô e meu pai. Disseram que eu só fico com ele se o time ganhar o estadual.

- Acho que alguém vai apelar nos treinos - rimos. Estava fingindo não lembrar do aniversário dele e acho que ele já estava começando a se incomodar com isso, eu não podia fazer nada, já que não queria estragar a surpresa que tinha preparado. 

- O que vai fazer hoje ?

- Provável que eu vá no shopping com minha mãe faz tempo que não ficamos juntas só eu e ela.

- Aaah - ele fez uma carinha que deu dó, aah tenho que aguentar firme. - Mas e os paparazzis ? Não prefere fazer isso outro dia.

- E o que os paparazzis tem a ver com o dia ?

- Sei lá, só achei que .. - Ele não terminou a frase e ligou o som.

Tadinho dele, mas eu não posso fazer nada eu tenho que me aguentar. Em poucos minutos estávamos na escola.

- Oi Cait, Chris!

- Oi Ju. - falaram em coro

- Eai

- Oi jus - Cait falou indo abraçar ele

- Eaee - Justin fez seu toque estranho com Chris depois de partir o abraço com Cait.

Cait e Chris estavam me ajudando na surpresa, entāo eles tinham que ficar calados.

- vou dar uma volta pela escola.

- quer que eu vá junto bebe?

- não precisa é rápido - me selou e saiu. Assim que vi ele atravessar a porta da sala eu continuei.

- aaai gente ele ta tāo triste achando que esquecemos o aniversário dele.

- verdade mas precisamos manter segredo pra ser tudo perfeito.

- eu to é pensando na comida - chris disse com uma cara de bobo

- credo christian - caitlin deu um tapa na sua cabeça e eu só sabia rir dos dois. Depois de um tempo rindo avistei justin entrando pela porta seguido logo do professor. Que beleza primeira aula de segunda e temos filosofia, posso dormir mais um pouco.

[...]

5 ... 4 ... 3 .... 2 ... 1 PEEEEEEEN! O barulho mas irritante, porém mas amado pelos estudantes. O sinal da libertaçāo kkkkk juntei meus materiais e esperei Justin, Chris e Cait juntarem os seus, guardamos em nossos armários e fomos para o estacionamento.

- que tal almoçarmos juntos?

- gostei da ideia Ju.

- pode ser amor.

- ja que todos vāo eu que nāo fico. - Chris sempre bobo.

Fomos para um restaurante perto de casa, era pequeno, o que teríamos sossego e a comida de lá era ótima.

- Então o que vão querer?

- Eu quero ... peixe. - Cait e sua ''dieta'' que ele não precisa.

- Eu quero lasanha.

- Pode escolher o nosso amor. - Ele selou minha bochecha e eu sorri instantaneamente. Chamei o garçom e logo ele veio.

- O que vão querer? 

- São dois spaghettis a bolonhesa e dois sucos de laranja.

- Um risoto de peixe e suco de laranja.

- uma lasanha pra mim e um suco de laranja também - Chris finalizou o pedido.

- Com licença. 

- Então o que vão fazer hoje ? - Chris perguntou começando com nosso teatrinho.

- Eu ainda não sei. - Cait fez uma cara de tédio.

- Eu vou ficar de bobeira em casa.

- Achei que você iria no shopping com sua mãe amor. - Justin perguntou desconfiado.

- AAaah .. - droga - ver.da.de aah eu tinha me esquecido - DROGA mil vezes droga. - Obrigada por me lembrar - beijei sua bochecha amenizando a situação.

- Vocês não estão esquecendo nada importante ? - começou com as indiretas, isso significa que ele ta acreditando no nosso fingimento.

- Não, acredito que não. - E assim foi o almoço todo, cheio de indiretas.

Ficamos comendo e conversando, pagamos a conta e pedi para que Justin me deixasse em casa. Assim ele fez.

- Obrigada amor, te amo. - Selei nossos lábio dando inicio a um beijo.

- Eu te amo mais minha pequena. - Ele falou com os lábio ainda próximos ao meu. - Quando voltar do shopping me liga ?

- Ligo. - Sai do carro e esperei ele sumir da minha vista para ligar pra Cait e pro Chris me ajudarem na decoração.

Passamos a tarde toda arrumando, contratamos um DJ, chamamos os amigos mais íntimos de Justin, o pessoal do time e das líderes, os avós de Justin e quando terminamos tudo era umas 6:30. Cait e Chris foram pra casa se arrumarem e eu fui tomar meu banho. Me arrumei (5) e liguei pro Justin.

- Amor, cheguei do shopping.

- Ok princesa. O que vai fazer agora ? 

- O que vamos fazer.

- Aahn ? 

- Se arruma, rapidao, fica bem lindo.

- Ta né. 

- Em 20 minutos to ai, no máximo 30. Te amo.

- Beijo, te amo mais. 

Tadinho, tá tão desanimado. Cait e Chris chegaram e fomos receber os convidados. Já tinha chego mais da metade da festa, faltava pouco.

- Gente tá na minha hora de ir. Vou buscá-lo e dar uma volta com ele, enrolar sei lá, mas quando tiver todo mundo aqui me liguem e eu venho correndo com ele.

- Ok pode ir amiga.

Subi no meu quarto, peguei meu celular e o presente de Justin, peguei meu carro e fui até a casa dele. Chegando lá dei um toque no seu celular.

- Amor to chegando ai.

- Ok, a porta dos fundos ta aberta. 

Desliguei e estacionei o carro, entrei pelos fundos e subi as escadas apressadamente com o presente na mão. Bati na porta e esperei ele abrir.

- Feliz aniversáaario amooor - Ele abriu um sorriso tão grande que foi inevitável não sorrir junto e abraçá-lo.

- Você não esqueceu. - Ele disse ainda em meio ao abraço.

- Nunca esqueceria de você meu amor. - Separamos o abraço e começamos um beijo. Meu vicio, minha droga, o beijo dele era a melhor coisa do mundo. Ele estava lindo (6). - Já está pronto?

- Calma. - Ele correu até o espelho deu uma checada, passou mais perfume e voltou para perto de mim. Entreguei o presente e completei.

- É apenas uma coisinha, o outro presente eu só entrego mais a noite.

- Não gosto que gaste dinheiro comigo. Eu que tenho que fazer isso com você. - ri fraco e me pronunciei.

- Hoje os papéis são invertidos. Vamos ?

- Podemos ir - rimos juntos. - Afinal onde vamos?

- Segredo.

- Aah amor fala.

- Não. kk - Trancamos a casa e entramos no meu carro.

Meio que enrolei com o carro, fiquei dando umas voltas, até o ele começar a desconfiar.

- Amor, sério onde a gente tá indo? Estamos rodando e rodando. 

- Calma apress... - Antes mesmo de eu terminar a frase o celular toca. ALELUIA.

- Oi.

- Pode vir.

- Ok.

Desliguei o celular e segui pra casa.

- Eu só preciso passar em casa acabei de lembrar que esqueci uma coisa lá. Juro que é rápido.

- Ok, mas to começando a me arrepender de ter saído, poderíamos ter ficado em casa vendo filme e curtindo a noite, do que perdidos. 

- Para de falar besteira amor. - Estacionei o carro na porta de casa. - Amor desce comigo.

- Aaahh pra que? 

- Por favor, para de ser chato.

- To indo. - Assim que ele saiu do carro, tranquei e segui em direção a porta, vi que as luzes estavam apagadas do jeito que eu havia planejado. Abri a porta e dei passagem pro Jus, quando eu ascendi a luz..

- SUPRESAAAAAAAAAAA! - E logo em seguida o DJ começou a tocar.

- Eai se arrependeu mesmo ?

- Me arrependo de ter te dito isso. - Ele me abraçou - Eu tenho a melhor namorada do mundo. Eu te amo.

Continuamos a festa, Justin cumprimentou a todos e ficamos curtindo até dar meia noite quando decidimos cantar o parabéns.

[...]

Hoje era o dia do primeiro jogo de hóquei nas estaduais. Dormi na casa de Justin pra irmos juntos pro jogo. Eu estava pronta (7), e esperando Justin terminar de se arrumar (8). 

- Amoor, vamos nos atrasar. - Eu gritei da sala

- To terminando o cabelo. - Ele gritou de volta

- Já arrumou sua mochila ? 

- Já... - Ficamos ''conversando'' a base de gritinhos, depois de 10 minutos Justin apareceu pronto, analisou bem minha roupa. - Olha já brigamos muito por isso, eu já parei de falar, mas hoje você abusou na roupa. 

- Eu sei. - Eu realmente sabia disso, mas eu queria tanto usar essa roupa. 

- E porque continua com ela?

- Porque eu gostei. 

- Aargh. - Ele saiu irritado em direção ao carro. Já brigamos muito por causa das minhas roupas, mas é inevitável não comprar algumas e ele devia confiar no taco dele. Segui pro carro e antes que ele ligasse eu tirei a chave da ignição o fazendo olhar pra mim. - O que tá fazendo? Vamos nos atrasar. 

- Pelo bilionésima vez, eu uso essas roupas, mas não é pra fazer com que você fique com ciúmes e muito menos irritado comigo, eu te amo, e a roupa que eu uso não tem nada a ver com o meu amor por você, se os outros olham, deixem que olhem, mas antes você tem que guardar não só na cabeça, mas no seu coração que eu sou sua e você é meu, pra todo sempre, e não quero que o jeito que eu me vista, interfira nisso, por favor, eu te amo. - falei tudo o que que sempre falava quando ele se irritava com minhas roupas, mas dessa vez foi mais profundo, não sei teve algo a mais. Acariciei seu rosto, o fazendo fechar os olhos e aproveitar meu toque. 

- Me desculpa ? - Me selou e perguntou abrindo os olhos. - Eu também te amo, e meu defeito é mostrar isso com meu ciúmes. 

- Eu te perdoo, mas só seeee... 

- E la vem bomba. - rimos junto.

- Fomos rapidinho pro starbucks porque eu to morrendo de fome... 

- Gorda. - Levantei minha blusa e apertei minha ''banha''. - Olha quanta gordura, credo. - Ele falou zuando e ligando o carro logo em seguida. - Vou ir atrás de uma namorada magra, por que a que eu tenho é muito gorda. 

- Tua bunda que você vai atrás de outra moleque, tu vai ficar com a gorda aqui. 

- E porque ? 

- Porque sim. A gorda ta mandando o gordo dela ficar com ela. 

- Eu sou gordo amor ? 

- Muito. 

- Mais que você ? 

- Nossa muito mais. 

- Então somos um casal de gordos ? 

- Somos... gordos cantantes. - Liguei o rádio e tocava scream and shout.  Começamos a cantar e assim ficamos até chegar no primeiro starbucks que vimos. Pedimos dois chocolates quente e um croissant e fomos comendo até chegar na arena onde seria o jogo, o pai de Justin já havia ligado umas 4 vezes pra gente. Encontrei o Chris, Cait e um pessoal na arquibancada e fiquei lá com eles esperando o jogo começar.

- Que pena hóquei não ter líder de torcida, ia ser tão legal. - Cait atrapalhou o assunto anterior pensando alto, até de mais,

- Ia nada, imagina vocês lá dentro, sendo atingidas por discos e esmagadas contra parede pelos jogadores. - Eu falei pra ela cair na real. 

- Éeeh retiro o que disse. - Rimos e continuamos conversando. 

Justin.

Eu havia acordado meu mal hoje mas preferi ignorar, vai ver era a fome. Passamos no Starbucks e fomos pro jogo, onde eu era o único que faltava do meu time.

- Eai galera. - Eu cheguei sorrindo, e logo fui desfazendo o mesmo vendo a cara do pessoal que me esperava. - Ei ei calma ai.. o outro time ainda nem chegou por inteiro. 

- Por isso mesmo, temos mais tempo pra relembrar nossa estratégia. - Meu pai e treinador, já disse se irritando comigo, se era possível ficar mais do que ele já estava.

- Ta legal, vamos ver isso. 

Ficamos conversando sobre as estratégias, e como já sabíamos a do outro time, eles sempre faziam a mesma, a nossa estava praticamente impossível de perder. Quando o outro time terminou de chegar, deram 10 minutos e fomos colocar os uniformes.  Entramos na arena, cumprimentamos o outro time e logo o jogo começou. 

Julie.

Eu não tava entendendo nada a essa altura do jogo,kkkk,no começo até tava indo mas agora tá uma bagunça e eu e a Cait só sabemos gritar pro nosso time ganhar que nem loucas.

[...]

HAAA GANHAMOS UHUUUL..

tá nem tanto uhul assim, o pessoal está indo pra uma festa mas eu estou levando Justin ao hospital... no final do jogo um carinha do outro time, que pelo visto não aceita perder, foi querer tretar com o Justin e o jogou contra a parede de vidro da arena, o que fez com que o vidro quebrasse e cortasse a mão de justin, só não cortou os braços por causa do uniforme, graças a deus, e com o impacto no chão o está fazendo sentir dores nas costas e falta de ar, o cara era tipo 3 vezes maior que o justin em todos os sentidos kkkk o braço dele era gigante um soco dele deve doer pra caramba, então nem imagino a dor que o Justin está sentindo.

- Amor vai devagar por favor.

- Sua mão ta sangrando e você me pede pra ir devagar qual é ..

- Eu prefiro sentir dor na mão do que nas costas.

- Desculpa amor - disse diminuindo a velocidade.

- Tudo bem, seria pior se não tivesse os paramédicos lá na arena.

- Pois é. - Bom e agora você me pergunta o porque deu estar levando ele pro hospital se lá na arena já tinha quem cuidar dele, lá eles não podiam fazer ponto na mão do justin, eles apenas tiraram o caco e limparam a região, agora estamos indo pro hospital, pra ver se o corte foi fundo a ponto de ter que costurar e se as dores nas costas são graves ... - O que vamos fazer depois principe ?

- Como assim ? Vamos pra festa, nós ganhamos amor.

- Justin pelo amor de Deus, olha sua situação... Nós vamos pra casa, não vamos pra festa nenhuma. Vão ter muitas outras pela frente.

- Aaah amor que isso eu to bem.

- Justin não pronto e acabou.

- Amooor para eu posso ir, nem precisamos ir pro hospital, vai de meia volta e vamos pra festa eu to bem, olha. - ele foi tentar sentar no banco e deu um gemido de dor.

- é to vendo o quanto você tá bem, deita ai de novo, já estamos chegando, umas 4 quadras daqui.

- Aaaf. Você é muito chata.

- Eu também te amo.

- blá blá blá. - dei um tapa na perna dele, bem de leve sabe kkk .- Aaai amor, eu to dodói..

- Na hora da festa não tá né.

- Não. kkkk

- Ai meu Deus, só eu pra te aguentar. Chegamos. - Estacionei o carro e fui até a outra porta ajudar o Justin a sair. Apoiei ele no meu ombro, acionei o alarme do carro e fomos entrando com o Justin mancando. - Ai amor, tu pode fazer uma dieta, tá muito gordo.

- Eu to gostoso nem vem.

- Convencido.

- Nem um pouco.

- Senta aqui, que eu vou falar com a moça da recepção.

- Tá. - Deixei ele sentado e fui dar entrada do Justin.

[...]

- Bom Justin Bieber certo ?

- Sim senhor.

- Deixe me ver esse corte. - tudo o que eu fazia era observar e escutar, tinha uns 20 minutos que estávamos ali, foi rapidinho até - Bom, não vai precisar de ponto, mas vamos ter que fazer um curativo e você vai refazer toda vez após o banho e passar um remédio.

- Ok.

- Bom agora vamos lá tirar alguns raio-x para ver o que houve com suas costas.

Eles foram fazer o raio-x não demorou tanto e quando eles entraram no quarto só peguei um pedaço da conversa.

- Bom Justin é apenas alguns alongamentos, na hora que acordar ou quando for dormir, você quem sabe.

- Ok, muito obrigada doutor. - Ele anotou algumas coisas em um papel e fez uma receita médica.

- De nada, bom já estão liberados. Licença. - Ele saiu do quarto.

- Eai amor, o que deu suas costas ?

- A não foi nada, só dor por causa que foi um impacto meio forte, mas como ele disse alongamento e ele pediu pra comprar uma pomada muscular.

- Ta legal, vamos pra casa ?

- Vamos.

Parei na farmácia, peguei os remédios do Justin e seguimos pra casa.

- Amor liga pro seu pai, ele pode estar preocupado.

- Depois eu ligo.

- Ta legal então.

Estacionei o carro e subimos pro meu quarto.

- Toma um banho, eu vou preparar alguma coisa pra comermos.

- Ta legal, tem ainda roupa minha aqui ?

- Tem na primeira gaveta uma calça moletom e uma cueca, as blusas devem estas na segunda gaveta.

- Ta bom, obrigado princesa.

- De nada meu anjo - selei ele e quando eu ia fechar a porta do quarto ele me chamou.

- Amor ?

- Oi ? - me virei olhando pra ele.

- Eu te amo - Ele sorriu maravilhosamente.

- Eu te amo mais meu amor. - e retribui seu sorriso.

Desci as escadas e minha mãe me perguntou.

- Pode me explicar o que houve ?

- No final do jogo, um jogador do outro time ficou com raiva do Justin ter feito o ponto da vitória e acabou arremessando ele contra a parede, mas ta tudo bem mãe.

- Ok, se precisar de alguma coisa é só chamar, estou no quarto.

- Ok mãe, brigada.

- De nada minha filha - ele beijou minha testa e logo seguiu pro seu quarto e eu pra cozinha.

 

Meu não é possível que não tenha nada pra comer nessa joça de casa. Vou fazer pipoca mesmo kkk Fiz pipoca e peguei uma coca. Subi com tudo de uma vez, seria muito trabalho voltar e pegar o resto. Preguiçosa? Talvez. Cheguei no quarto e eu ainda escutava o barulho do chuveiro. Deixei a pipoca e o refri na comoda do lado da cama e entrei no banheiro.

- Amor vou tomar banho com você.

- Tá, eu vou precisar da sua ajuda com o curativo. 

- Ok. - me despi e entrei no box.

- Sabia que eu estou com saudades de fazer certas coisas? - ele agarrou minha cintura e falou bem próximo ao meu lábio.

- Ae? Muita saudade ?

- Você não faz ideia. - Começamos um beijo, mas não foi qualquer beijo, esse tinha desejo, saudades. Mas Justin está machucado, vamos deixar isso pra depois MUAHAAHAH sou má.

- Amor - tentei separar nossos lábios mas ele queria mais. - Justin é sério, vamos deixar pra uma próxima.

- Aaah porque ? 

- Por favor.

- Tá legal, mas eu vou cobrar. 

- Pode cobrar kkk.

Terminamos nosso banho e eu me enrolei na toalha.

- Vem aqui vou te ajudar com esse curativo. - peguei a caixa de primeiros socorros e o remédio que o médico passou. - Prontinho.

- Obrigada meu amor. - Ele selou nossos lábios.

- Não foi nada, vai secando seu cabelo, que depois eu vou usar o secador.

- Pega minha roupa, eu não peguei ainda. 

- Ok. - Peguei a roupa dele e coloquei em cima da cama e fui me trocar. Como já estava no final da tarde decidi colocar um pijama mesmo. Coloquei uma lingerie e uma blusa do Justin, ele não vai precisa dela mesmo kkk. Logo ele terminou com o secador e era minha vez.

- Nossa minha blusa virou camisola sua agora ? 

- Ué tu não vai usar agora mesmo.

- tu não vai usar agora mesmo nhanhanhanaha - Ele disse me imitando e fazendo cara de deboche.

- bobão.

- Sou naaada. 

Sequei meu cabelo e voltei pro quarto encontrei Justin deitado apenas com a box que eu havia separado e deitado de barriga, ou seja, aquela beleza de bunda, durinha e gigante toda preparada pra levar um tapa muhaaha. Qual é ? a bunda dele é gostosa de bater licença, dito e feito.

- AAAAAAAAAAAAI tá louca mulher ? 

- Não é que sua bunda é boa de bater ué kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

- Bobona quero um beijo pra sarar. Já não basta minhas costas tem que deixar minha bunda doendo também ?

- Vai ficar querendo. Tem sim.

- Para de ser má amor. 

- Tá vou ser boazinha com você, como você tá com dor nas costas vou fazer uma massagem bem gostosa.

- Agora eu vi vantagem. Vem aqui me dá um beijo. - Ele abriu os braços e eu deitei em cima do seu peitoral. Que cada dia está mais definido, oh senhor muito obrigada pelo namorado que tenho kkkk. Nos beijamos e continuei.

- Vai querer a massagem então?

- Com certeza.

- Ta então vira ai de novo que eu vou pegar algum creme.

- Vai rápido. 

- Oo senhor apressado, calma ai. - Peguei um creme qualquer de corpo meu e voltei pra cama, me sentei na bunda de Justin e coloquei um pouco de creme na costa dele.

- Aah amor vou querer mais dessa massagem outro dia. - Ele falou em meio a gemidos... tipo não sabia que minha massagem era tão boa, ou era a dor que ele tava sentindo? Enfim né.

- Tá legal, mas você também tem que fazer em mim, só você leva a melhor ?

- Eeei eu to dodói. 

- Haha que engraçado. - Fiquei mais alguns minutos fazendo massagem nele, passei a pomada que o médico pediu e finalizei com uns beijinhos no pescoço. - Prontinho - sussurrei no seu ouvido.

- Obrigada amor. 

- De nada bebê.

Liguei a TV e deitei ao lado de Justin, nem comemos a pipoca, ficamos ali assistindo vários e vários filmes.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...