História Believe - Capítulo 37


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Alfredo Flores, Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Jeremy Bieber
Tags Believe, Bieber, Justin Bieber
Exibições 69
Palavras 1.399
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


LEIA AS NOTAS FINAIS PORQUE TEM COISA SUPER IMPORTANTE VIU
LEIA AS NOTAS FINAIS PORQUE TEM COISA SUPER IMPORTANTE VIU
LEIA AS NOTAS FINAIS PORQUE TEM COISA SUPER IMPORTANTE VIU
LEIA AS NOTAS FINAIS PORQUE TEM COISA SUPER IMPORTANTE VIU
LEIA AS NOTAS FINAIS PORQUE TEM COISA SUPER IMPORTANTE VIU

Capítulo 37 - The Best Night of All( Parte II)


Hailey Baldwin

 

 

  Já se passavam das duas da manhã quando Justin se separou de mim. Antes disso, eu e ele estávamos dançando, até que ele e Fredo saíram da festa e foram até o jardim. Respirei bem fundo e fui andando em direção ao bar. Eu já estava lá mesmo, então ia tentar me divertir. 

- Um sexy on the beach, por favor. - pedi ao barman assim que sentei em um dos bancos que ficavam de frente para o balcão. 

- Não fazemos isso aqui. - o barman respondeu, arqueando uma sobrancelha e me analisando. - Essa não é uma festa para gente como você. - ele disse, revirando os olhos. 

- Hein? Ta, que seja. Prepara qualquer bebida para mim. – sem muita paciência, ignorei seu comentário. 

- Não vou preparar nada. - ele respondeu simplesmente. Eu fiz uma cara de indignação.

- Como assim? Você é o barman! Seu trabalho é preparar as bebidas quando as pessoas lhe pedem. – disse, sem entender qual era a dele. O que aquele cara estava pensando? Ele não podia ser normal.

- Pensa comigo, até a mais fraca bebida que eu preparar para você vai te dar uma pirada. - depois de ouvir isso, me perguntei em que mundo eu estava, porque não era normal um barman se importar com a bebedeira das pessoas, ainda mais em uma festa como aquela. 

- Deixa de ser ridículo e me atende logo! – aumentei um pouco o tom de voz. Eu fiquei realmente irritada. Como se não bastasse ser abandonada por Justin (outra vez), o barman não queria me deixar beber. Mas que droga! 

Antes que o barman mais anormal do mundo me negasse novamente uma bebida, ouvi uma voz atrás de mim. 
- Charlie, libera uma garrafa de vodka aí. – o dono da voz pediu, e Charlie o olhou com cara de poucos amigos. 

- Justin, não está vendo que eu estou aqui ocupado, resolvendo com a menina? - o barman respondeu e voltou a me encarar. Revirei os olhos e apoiei a cabeça em uma das mãos, demonstrando tédio. 

Olhei para Justin, que sorriu para mim. Resolvi encarar isso como um pedido de desculpas por ter me deixado plantada na pista de dança.

- Então, eu não posso te vender bebida se eu sei que pessoas como você passam mal com qualquer quantidade de álcool. – ele me imitou, revirando os olhos. Que legal, hein! A pessoa nem me conhece e já sai afirmando uma coisa dessas. 

- Olha aqui, eu estou realmente comovida com a sua preocupação, mas me dá logo uma droga de bebida! 

Antes dele falar qualquer coisa, . 
- Charlie, porra! Dá logo o que ela quer, de preferência uma bebida bem forte para ela parar de incomodar, e libera a minha vodka! -  Justin disse de uma forma que fez meu sangue ferver de raiva. Eu não estava incomodando ninguém.

- Aqui, boneca. Mas vê se não vomita no meu balcão. - Charlie( o barman)pediu, me entregando uma bebida azul.

  - Não vou vomitar no seu balcão e obrigada, finalmente. – agradeci, revirando os olhos e dei um gole no meu drink. Logo depois, Charlie entregou a garrafa para Justin que a abriu e tomou um longo gole no gargalo.

- Ei, - Ouvi a voz de Justin me chamar. Estava um pouco escuro naquela área da casa, o que fez com que eu não conseguisse ver o rosto de Justin tão nitidamente assim. - me desculpe, o Alfredo teve um problema e me pediu para ajudar. - Ele disse.

- Tudo bem. - Eu não estava mais tão brava por ele ter me abandonado. - Agora, vamos. - Disse dando outro gole na bebida azul. Justin me encarou meio confuso. - Você disse que nós iriamos nos divertir essa noite. - Falei sorrindo. Justin retribuiu o sorriso.

(...)

  Consigo ouvir a risada escandalosa de Chaz mesmo com a música ensurdecedora que ecoa pelo local, não consigo evitar rir também. Não posso deixar de admitir que é mesmo engraçado a forma como eu quase cai duas vezes por causa dos saltos em meus pés.  A verdade é que, quando eu terminei de tomar aquela coisa azul, não estava mais normal. Sentia muito calor e uma vontade gigantesca de me movimentar. E então, os meninos apareceram e eu literalmente me joguei.

Chaz já estava mais do que bêbado e Chris foi até o bar pegar mais bebida.Tenho medo da coisa desandar e que eu acabe fazendo alguma besteira se abusar do álcool. Então, por enquanto, eu só bebi aquela coisa azul. Como eu disse, por enquanto...

  Confesso que não estava nem um pouco animada quando cheguei aqui, agora já no início da madrugada, não tem mais nenhum vestígio de desânimo em mim. A casa de Alfredo está enfeitada com luzes neon, o chão vibra com a batida da música eletrônica e as pessoas parecem não se cansar de dançar. Chris volta para perto de nós dois segurando dois copos, ele  está longe de se encontrar bêbado.  

 

(...)

Justin Bieber

Hailey e eu estávamos sentados nos sofás, estávamos um pouco cansados, pois dançamos sem parar por muito tempo. Ela bebeu um pouco demais. Eu disse para ela parar de beber, mas ela não me ouviu. E para falar a verdade, ela não estava bêbada, só estava solta demais.

De repente,  Hailey se levantou ficando na minha frente então,  Ride do SoMo começou a tocar e eu engoli em seco, aquela música é do tipo que você ouve uma vez e pensa " Eu ainda vou foder ao som dessa música" . Hailey sorriu e foi até a pista de dança improvisada onde todos dançavam. Ela rebolava olhando diretamente nos meus olhos e tudo que eu queria no momento era toca-lá. Ela virou de costas sem parar de rebolar e foi descendo até o chão fazendo meu olhar acompanhar sua bunda, eu juro por Deus que nunca tinha visto ela assim.

Um pouco antes de ela se levantar, eu estava conversando com ela. E ela não estava nem um pouco bêbada. O que me leva a crer que, provavelmente ela estava me provocando. Sei que aquilo não fazia sentido algum, afinal, ela já namorava, e eu tinha, literalmente, acabado de terminar meu relacionamento com Selena.

Continuei vendo Hailey dançar. Olhei em volta e percebi que não era o único a olhar para ela. Na boa, acho que mais da metade dos garotos que estavam ali estavam olhando para ela. Alguns ficavam até chamando ela! Aquilo estava me deixando nervoso.

De repente, Hailey parou de dançar. Ela caminhou até mim e me puxo pelo braço. Encarei a mesma sem entender.

- Preciso fazer uma coisa!- Ela disse mordendo o lábio inferior.

Hailey, ainda me puxava pelo braço, ela me levou até um dos corredores da casa do Alfredo. Eu estava nervoso. Quando chegamos lá, vi que não havia ninguém naquela área, todos estavam na sala, dançando e bebendo.

  Hailey me puxa, apoiando suas costas na parede, coloco uma mão apoiada a cada lado de sua cabeça,  ela  aproxima ainda mais o seu rosto do meu, de forma com que seus lábios toquem os meus. Suas mãos seguram a minha  camisa me puxando para perto enquanto eu espero pelo beijo que não vem. Abro os olhos, encontrando os de Hailey fechados enquanto seus lábios pairam sobre os meus.  

  — Justin — Ela arfa,  enquanto seu hálito bate contra meus lábios. — Eu preciso disso. Por favor, só uma noite. Eu não consigo ficar com Scott se não fizer isso.

  Todo o barulho e a multidão ao nosso redor parecem não existir agora.

 

Hailey passa a língua entre os lábios. Ela se mantém na mesma posição, e eu continuo a  encurralando contra a parede.

Eu afasto o seu rosto do meu o suficiente para que consiga observar cada parte do meu rosto, procurando por algum sinal de que ela está bêbada e que não está falando sério. Ela  solta a respiração que segurava quando eu continuo encarando-a. Ela não está bêbada. Pelo contrário, Hailey me encarava séria, enquanto ainda me segurava pela camisa.

Eu precisava daquilo. Eu precisava dela. Mesmo que só por uma noite. Eu precisava senti-la pelo menos uma vez. Mesmo que ela ficasse com o Scott depois. Apenas por uma noite.

  — Só uma noite.  — Digo e logo em seguida empurro seu corpo para um dos quartos da casa.

Aquela seria a melhor noite de todas!


Notas Finais


AAAAAAAAAAAH

EU TO ME SENTINDO TOMBADA AQUI!

ATÉ EU TO SURPRESA COM O QUE EU ESCREVI, SÉRIO. BOM, MAS SÓ PARA DEIXAR CLARO, MEUS PLANOS PODEM MUDAR ATÉ O PRÓXIMO CAPÍTULO, TALVEZ, A HAILEY TRANSE COM O JUSTIN, OU NÃO...

AHHAHAHA

AI JESUS, SEI QUE TO ESCREVENDO EM CAIXA ALTA, MAS É PORQUE EU ESTOU REALMENTE MUITO, MUITO, MUITO ANIMADA AQUI!

E, ALIÁS,ATUALIZEI RÁPIDINHO, NÉ?!

BOM, É ISSO, DÁ AQUELE FAV/VOTO E COMENTA O QUE ACHOU.

E AGORA, UMA COISA SÉRIA AQUI SOBRE OS COMENTÁRIOS DE VOCÊS.

Bom. gostaria de dizer que eu amo muito vocês, e que, eu amo escrever a fanfiction. Porém, quando vejo que vocês não comentam nada fico totalmente desanimada. Ah, qual é? Isso é desanimador para todo mundo!

Então por favor, comentem o que vocês acharam. Não to pedindo elogios, pelo contrário, se vocês quiserem dar uma criticazinha, eu não ligo. Pelo contrário, é bom saber o que vocês estão achando para que eu melhore.

E eu queria agradecer a sere1a e falar que... O Scott não é quem ela pensa que é. Ou seja, nem vem shippando a Hailey com ele, porque não vai dar!
HIHIHIIH

Bom, é isso, moçada.

Beijos, Nath.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...