História Believe in Your Dreams "NaLu" - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Lucy Heartfilia, Natsu Dragneel
Tags Nalu
Visualizações 42
Palavras 1.084
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Fantasia, Hentai, Mistério, Poesias, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi... Td bem????? Kkkk

Boa leitura a todos... Desculpe os erros ❤️🖤

Capítulo 5 - Medo?


Fanfic / Fanfiction Believe in Your Dreams "NaLu" - Capítulo 5 - Medo?

Abri meus olhos, observei o teto com uma frase que eu mesmo gravei no forro de pvc, para que sempre que eu esteja num dia ruim essa frase possa me ajudar

– A dor é inevitável, o sofrimento é opcional... E com certeza o que não me mata, me fortalece! – me sentei na cama, com meus pensamentos filosóficos de todas as manhãs, como querendo se algo mudasse, apenas seja a esperança de um dia após o outro ser melhor que esse… – Porém nada é mais como antes – levantei meu braço esquerdo, segurando com a mão direita meu cotovelo até ele estalar, logo fiz com o outro é por fim movimento minha cabeça de um lado para o outro, como se fosse no ângulo 180° e depois uma volta completa para a esquerda e outra para a direita, me levantei e pus minhas mãos no chão com minhas pernas retas até escutar um tac – Aí, estava assim tão enferrujado? – Natsu

Logo me dirigi ao banheiro para fazer minhas higiene pessoal e de quebra tomar um banho para relaxar um pouco, a água estava boa, nem quente nem fria estava na medida certa para meu corpo, ensaboei o mesmo e logo enxaguei

Saindo banho com uma toalha em volta de minha cintura e outra na cabeça por causa do cabelo molhado, assim as tirei e coloquei minha roupa de trabalho, que era uma calça jeans totalmente pintada de várias cores, uma regata preta quase cinza, junto com meu tênis azul marinho, desci para a sala, quando vi o colchão já arrumado, porém não vi a loirinha. Andei mais alguns passos e nada

– Me procurando? – sabe o que é dá um pulo de susto? Digamos que fiz isso só que, como dizer, de uma maneira muito constrangedora – Lucy

– Aaah criatura… – coloquei minha mão em meu peito – O que você ganha em assustar os outros desta forma? – Natsu

– Desculpe – ela colocou suas mãos em sua boca para segurar o riso – Desculpe Natsu – Lucy

– Ok… foi só um susto – disse tentando me acalmar – Natsu

– Sei susto – lucy

– Não me amole… – disse indo para a cozinha e a mesma me segue, peguei uma maçã, lavei e dei uma mordida na mesma olhando para Lucy – O que quer? – Natsu

– Trabalhar?! – Lucy

– Isso foi uma pergunta? Ou uma afirmação? – Natsu

– Já tem alguma ideia do que fazer? – Lucy

– Sim… dividirei em partes alguns sentimentos humanos… Esculturas Raiva e ódio, fotografias alegria, bondade, compaixão, empatia e paciência, Artesanatos, gravuras, colagem que inclui várias coisas podemos destacar a tristeza, decepção, angústia, medo, inutilidade e para os quadros  amor… paixão… desejo… vontades, prazer – Natsu

– Entendi… – Lucy

– Além de outras coisas como reflexão da vida, frases filosóficas, artes diferentes, nada muito clichê mas também nada muito exagerado, apenas quero retratar os sentimentos, ou a mistura deles em uma pessoa só – Natsu

– Isso se chama bipolaridade – Lucy

– Se chama, tentar encontrar o seu verdadeiro eu – Natsu

– Ok senhor Sabe tudo, vamos começar – Lucy

– Sim… pera me chamo do que? – Natsu

– Senhor sabe tudo, tem certeza que tomou banho? – Lucy

– Absoluta – Natsu

– Eu não vi – Lucy

– Nem vai – Natsu

– Tá bom… o que vamos fazer? – Lucy

– Vamos mexer com a argila, gesso, colagens e esculturas – Natsu

– Quanto tempo vai levar? – Lucy

– Creio.que duas semanas – Natsu

– Entendo… – Lucy

– Já que tu é a minha assistente sei lá o que… ligue para Elfman e marque para amanhã uma seleção de candidatas e candidatos para serem modelos das fotografias, das esculturas e dos quadros que vou fazer – Natsu

– Já estou ligando… um alguma preferência? – Lucy

– Hum… etto… quero duas adolescentes entre 12 a 17 anos… daí quero também 4 mulheres de 18 a 25 anos…  uma ruiva, uma platinada, uma morena e uma de cabelo azul é uma baixinha – Natsu

– Algum menino? – Lucy

– Etto… quero 5 homens… aí vê com uma agência para fornecer eles… amanhã – olhei para o calendário – Dia 27 fizemos a seleção as 7 da manhã – Natsu

– Para quais serão estes modelos… – Lucy

– Para algumas esculturas, alguns quadros, fotografias… a e não se esqueça quero que eles não se conheçam… para deixar as coisas mais interessantes – Natsu

– Entendi – ela estava marcando em seu caderno tudo o que eu falei – Lucy

– Vem cá – a peguei pela mão e a levei no estúdio a mesma ficou sem reação e eu entrelacei nossos dedos fazendo ela corar de leve – Relaxe e não grite – a mesma fechou os olhos e algo quente caiu em nossas mãos, ela mordeu seus lábios para não gritar – Já vai passar – assim que ela abriu seus olhos ela viu algo bravo em volta de sua mão e da minha também – E um tipo de escultura nova que eu estava trabalhando e agora que tenho você poderia concluí-la… – Natsu

– Podia ter falado antes né… chefinho – Lucy

– Você é engaxada – Natsu

– Seu bobo – continuamos ali até dar o tempo no cronômetro e eu tirar as nossas mãos do local e ficar a escultura perfeita – Que lindo – Lucy

– É… lindo mesmo – Natsu


[...]


– Foi um dia longo hoje – Natsu

– É – ela se jogou na poltrona – Já liguei para Elfman ele marcou no saguão da galeria amanhã às 7 e meia… – Lucy

– Hum… então podemos dormir bem hoje – logo um clarão no céu foi feito e depois em seguida um estrondo arrebatador foi escutado – É acho que vai chover – Natsu

– T-trovões iih – ela se encolheu ao escutar mais um trovão – Odeio trovões – Lucy

– Não me diga que você tem medo? – Natsu

– Eu não tenho me… – ela se escondeu debaixo da coberta… – Medo – Lucy

– Humhum finjo que acredito – Natsu

– Você não tem nenhum medo não? – Lucy

– Bom, acho que eu tenho medo de se feliz, porque toda vez que eu consigo ficar feliz… algo de ruim acontece – Natsu

– Então você tem medo de ser feliz? – Lucy

– A compreensão humana nos deixa incapaz de saber o que é a felicidade verdadeira, conhecemos apenas os picos de felicidades que temos no decorrer da caminhada – Natsu

– Filosófico como sempre… não se cansa não? – Lucy

– Existem coisas que a vida nos ensina… é uma delas é ter o olhar crítico e Filosófico mesmo não querendo – Natsu

– É… isso é algo que eu não tenho não – ela se escondeu debaixo da coberta quando outro trovão resolveu aparecer – Natsu… tô com medo – Lucy

– Não adianta pedir não vai dormir comigo – Natsu

– Natsu por favor… não precisa ser na mesma cama… só no mesmo quarto eu levo o colchão – Lucy

– Peste eu disse não… Boa noite – me levantei e fui para o meu quarto, troquei de roupa e me deitei – Natsu



Notas Finais


O que acharam???? Espero.que tenham gostado...
#Beijokas


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...