História Believe in yourself - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Believe, Drama, Romance
Exibições 5
Palavras 1.118
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Ola pessoal. Primeiro capitulo, espero que voces gostem. Deixem comentarios, sugestoes etc.

Capítulo 1 - O começo


Fanfic / Fanfiction Believe in yourself - Capítulo 1 - O começo

Pela vigesima terceira vez termino de conferir as malas, sento na cama aliviada por estar tudo em ordem.
- Violet, o jantar esta pronto! – minha mãe grita do andar de baixo. Desço as escadas e por incrível que pareça, encontro todos sentados a mesa de jantar, meus dois irmão mais velhos, minha irma mais nova e minha mãe.
- Uau! Ate parece a ultima refeição de um condenado – me sento a mesa sorrindo.
- Bom, se você parar para pensar é quase isso – brinca Lissa, minha irmã mais nova – não é atoa que a mãe fez tudo isso de comida. Parece ate que o quartel do Dylan vai vir jantar aqui.
- Não esquece que temos um devorador em casa –  mamãe se defende olhando para Negan seu segundo filho que já esta comendo.
Mamãe repassa tudo durante o janta, onde vou ficar, quando vou chegar, quem vai me buscar, quando vou entrar em contato, numero de emergência, código de emergência, faz mil e uma perguntas e no final chego a conclusão de que realmente, esse jantar era a ultima refeição de um condenado.

Subo para o meu quarto e me jogo na cama. Esse més tem sido estressante e extremamente exaustivo, sei que esse periodo de estresse e exaustão ainda vai durar por mais alguns meses, mas estou disposta a passar por isso. Ouço uma batida na porta e logo em seguida Liss coloca a cabeça para dentro do quarto.
- É seguro entrar? – ela brinca enquanto entra no quarto. – Estava indo dormir?
- Não, estava só deitada, estou um pouco cansada, irei dormir logo – respondo sentando-me na cama.
- Esta ansiosa? – ela pergunta
- Um pouco. Estou com um pouco de medo de viajar sozinha – O problema não é viajar sozinha, o problema é pegar um avião sozinha.
- vai dar tudo certo – ela sorri – já avisou todos os seus amigos? Já se despediu de todos eles?
- Quase todos. Nate ira me acompanhar ate o aeroporto. Mas todos já sabem.
- E como ele reagiu? – ela pergunta.
- Ah, ele ficou feliz... Eu acho. Não da para ter certeza né, mas... ele vai ficar bem - digo sorrindo levemente. A verdade é que nem eu sei o que pensar disso tudo. É difícil deixar os amigos para trás.
- Já checou as malas?
- Umas 30 vezes eu acho – damos risada. – Esta tudo certo.
- Tudo bem então, vou deixar você dormir. – ela se levanta e vai ate a porta
- Não se preocupa, vou ate o seu quarto antes de sair – digo a ela.
- Tudo bem. Boa viagem – ela diz e fecha a porta atras de si. Eu volto a encarar as malas pensando se é realmente isso o que quero... Deixar tudo para trás e começar uma vida nova, em outro pais, totalmente sozinha... Bom, não é como se eu pudesse desistir agora. Me deito na cama, coloco os fone de ouvido, desligo o abajur e tento dormir um pouco. Estou quase pegando no sono quando escuto batidas na porta da minha sacada. Ligo o abajur.
- To entrando – escuto Nate dizer enquanto destranca a porta de vidro e entra no quarto.
- o que se ta fazendo aqui? – olho para o relogio do computador – você esta 4 horas e meia adiantado – digo sentando na cama e batendo a palma da mão no colchão, convidando a se sentar ao meu lado.
- Estava entendiado então resolvi vir mais cedo. Ganhar um tempo extra contigo. – ele diz se sentando ao meu lado. Eu o encaro, ele parece... triste.
- Fala – digo fitando seus olhos castanhos
- Eu só... achei que fosse ser mais fácil. Olha, sei que é uma grande oportunidade para você, a realização de um sonho e coisa e tal mas, achei que teríamos mais tempo. Achei que eu teria mais tempo para me acostumar com tudo isso. – ele abaixa a cabeça. Eu não sei o que dizer, estou “sofrendo” tanto quanto ele, não esta sendo nem um pouco fácil deixar todos para trás, deixa ELE para trás. Nate é meu melhor amigo, nos conhecemos a dois anos e ele sempre foi incrível comigo. Nos meus piores dias ele era o único que conseguia arrancar um sorrio meu, as vezes ate uma gargalhada, sempre foi assim, desde o primeiro dia em que conversamos, era como se nos conhecêssemos a decadas, eu sempre fui um livro aberto para ele e ele sempre foi um livro aberto para mim. Era assim que funcionava ate eu dar entrada no processo de intercambio.
“- você tem certeza que quer fazer isso? – ele me fitava com os olhos preocupados
- relaxa – eu disse bagunçando seu cabelo – ainda vai demorar para eu sair do pais. Você não vai se livrar de mim tao fácil assim.”
Dois meses depois cá estamos nós, sentados na minha cama, com as malas prontas e a passagem apenas de ida em cima da escrivaninha. O processo foi bem mais rápido que eu esperava. Eu também não estava preparada para ir embora, mas foi isso que eu escolhi e sei que não posso jogar essa oportunidade fora.
- Nate, vai por mim, eu não esperava que fosse tao rápido assim também, mas aconteceu. Então o que podemos fazer para melhorar essa situação? Simples, manteremos contato e assim que eu tiver uma pausa você vai me visitar. Voila! – digo como um magico que acaba de fazer o truque mais incrível do universo, sorrio para ele – vamos fazer isso funcionar. Prometo.
Me encosto na cabeceira da cama, cruzo as pernas e coloco um travesseiro no meio delas, ele logo se deita com a cabeça no travesseiro. Ficamos em silencio, eu mexo em seu cabelo, ele parece mais tranquilo, mas sei que ainda vai demorar para se acostumar com a ideia.
- Você acha que vai se acostumar rápido com a vida la? – ele rompe o silencio
- Talvez. Não é como se eu fosse para a China ou Japão. A alimentação não vai ser tao diferente daqui e referente aos pessoas... ai só convivendo para saber. Mas se eu aturo você todos os dias então acho que vou tirar de letra - digo sorrindo para ele.
- você é boba demais – ele diz se levantando. – Vem, melhor você descansar um pouco – ele se deita na cama – vai ter um longo voo pela frente.
Eu me deito com a cabeça apoiada em seu peito, o cheiro da sua colônia me tranquiliza, eu o encaro por um momento, ele sorri e eu penso em como sera difícil viver se ver aquele sorriso todos os dias, ele pousa um beijo na minha testa
- Descanse um pouco pequena – ele diz enquanto mexe nos meus cabelos. Rapidamente caio no sono.
 


Notas Finais


Entao é isso. deixem as sugestoes de voces.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...