História Bella Theory - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Os Heróis do Olimpo, Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Jason Grace, Nico di Angelo, Percy Jackson, Will Solace
Tags Jasico, Nico Di Angelo, Percico, Percy Jackson, Perjasico, Pernico, Políamor, Solangelo, Yaoi
Visualizações 107
Palavras 1.015
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, FemmeSlash, Festa, Hentai, Lemon, Luta, Mistério, Orange, Romance e Novela, Slash, Universo Alternativo, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


EU VOLTEI PELA GRAÇA DE HADES
TUDO BOM?
NÃO ME MATEM
EU AMO TODOS VCS

Capítulo 7 - Todo mundo mente, Solace


Ah! A primeira ressaca. Não é tão gloriosa quanto o primeiro beijo, a primeira transa, ou... a primeira vez comendo um limão. Acabei de decidir que primeiras experiências são um saco.

Enfim, voltando ao assunto principal: Ressaca. A cabeça doendo, a boca seca, a tontura e aquela linda sensação de que você passou 30 dias no deserto com a Pabllo Vittar gritando "iêêêê" no seu ouvido. E, por ultimo mas não menos importante. O fato desesperador de que você não vai se lembrar de porra nenhuma.

É claro, vão ter flashes passando por sua cabeça, momentos desconexos que acabam no exato ponto do aviso de que você já está no limite. Eu lembro do começo, do meio, luzes piscando, eu pegando Will, eu pegando Percy, eu pegando Jason.... deuses, como alguém consegue ser tão piranha?!

Ai vem mais um momento desesperador, o momento que eu me toquei que eu podia ter entrado numa suruba muito louca com os três. E perdido minha virgindade de uma forma tão épica que a dor no meu cu seria a única lembrança daquela fatídica noite. Vamos as verificações paranoicas de Nico di Ângelo:

 

-Conferir se não reconhece o lugar onde está

-Olhar para todos os cantos da cama para ver se tem alguém adormecido

-Olhar embaixo das cobertas e ver se está vestido

-Se mexer lentamente, sentado, é claro, e confirmar se sua bunda dói.

 

Eu estava no meu quarto, não tinha ninguém na cama, eu estava vestido e meu cu não doía. Ok, pureza salva com sucesso. Uma paranoia a menos.

 

As paranoias seguintes foram tão desesperadoras quanto a primeira:

 

-Como eu cheguei em casa?

-Meu pai me viu?

-Hazel chegou bem?

 

Por que foram tão desesperadoras? Você me pergunta. E eu lhe respondo com um nome: HADES DI ÂNGELO.

 

Eu sabia o tanto que meu pai repudiava bebidas alcoólicas, eu sabia que se ele tivesse visto o estado que cheguei em casa eu estaria morto, se algo acontecesse a Hazel eu estaria morto.

Morto não, morte é muito simples para alguém que desobedeceu Hades.

Ele era um ótimo pai, quase como Deus. Mas se quisesse ser cruel, superava todos os demônios do Inferno juntos.

 

Acho que agora você entende o meu pânico.

 

-EU ESPERO QUE VOCÊ ESTEJA ACORDADO- Hazz abre a porta e entra toda animada.

 

Hazel está viva e bem, uma paranoia a menos.

E só pra constar, ter a Pabllo Vittar gritando em meu ouvido é muito melhor do que ter Hazel Levesque Di Ângelo gritando em meu ouvido.

 

-Fala baixo Hazz- segurei minha cabeça, como se ela fosse criar perninhas e sair correndo pra longe do meu corpo a qualquer instante.

-Não devia ter bebido tanto- disse ela quase sussurrando.

-Eu sei disso, acho que vou morrer- volto a me deitar

-Para de drama Niquito- ela abre as cortinas escuras e o sol atinge minha cara. Quando tempo será que leva pra um magricela de ressaca enterrar uma garota de 14 anos?

-O papai sabe?- é o que digo, poderia matá-la depois.

-Sabe e ele não está nada feliz. Disse que conversa com você quando estiver melhor e o Will também quer falar com você- ela

 

Gemi irritado, vou ser torturado friamente por um Hades muito puto e não preciso da animação de Solace logo cedo.

 

-Agora eu quero mesmo morrer- me levanto rápido demais e preciso me apoiar em meu criado-mudo para não desabar no chão.

Hazel me entrega um comprimido e um remédio, imagino que seja daqueles pra ressaca e tomo de uma vez

-Quer que eu mande Will embora?- ela

-Posso conhecê-lo há pouco tempo, mas sei que ir embora é a última coisa que ele vai fazer. Fala pra ele esperar, eu já desço.

 

Caminho lentamente até o banheiro e me encaro no espelho, a pele branca ainda mais branca, as olheiras ainda mais fundas, meu cabelo todo em pé, bagunçado e um pouco oleoso. O cheiro de cerveja e maconha estava por todos os cantos de mim. Solto um murmurio de desaprovação e entro no box, colocando no mais quente possível.

Relaxo assim que a água atinge meu corpo.

 

Será que era assim que Percy se sentia quando nadava?

Isso é irrelevante, por agora.

 

Não sei quanto tempo passei ali, com a água quente dando uma cor vermelha na folha sulfite branca que chamo de pele. Boiando em meus pensamentos que se resumiam em nada.

Fui acordado de meus devaneios pela voz de Solace do outro lado da porta.

 

-Nico! É bom você não estar morto!- ele diz, parecia irritado.

-Para sua felicidade e para minha decepção eu estou bem vivinho Solace, obrigada.

-Ainda bem, anda, sai daí, precisamos conversar- ouço os passos deles se afastarem e desligo o chuveiro, e me seco, e me visto com apenas um shorts preto que eu usava pra dormir.

Quando abro a porta, dou de cara com Solace me encarando com uma cara séria, que ele não conseguiu manter por 3 segundos.

-Você ta todo vermelho- ele faz careta

-Assumi minha verdadeira identidade, Lúcifer, é um prazer- digo irônico e ele ri fraco

-Seu mau humor nunca muda- ele

-Dá um tempo Will, to de ressaca- caminho até a cama e me jogo lá

-Eu também tô e nem por isso to morrendo.

-Foi meu primeiro porre- digo

-Eu sei disso agora- ele suspirou- Seguinte... o que aconteceu ontem... - ele começa e eu o interrompo antes que ele possa falar do beijo, eu não queria falar sobre o beijo.

-Como voltei pra casa?

- Jason, ele não bebeu muito, te trouxe de carro- ele.

Sorrio, Jason era realmente muito foda. Foi nesse momento que eu decidi que queria Grace na minha vida por muito tempo.

-Tenho que agradecer ele depois... o que aconteceu com você e Percy?- continuei. Me repreendi na hora por ter feito essa pergunta, eu não devia me importar.

-Jackson desmaiou na mesa de centro e os caras do time o levaram pra casa, eu fui muito bem sozinho.

-Eu não acredito em você- digo

-Eu não minto- ele rebate e eu sorrio

-Todo mundo mente, Solace.- pisco


Notas Finais


MARIA DEUSA
ESSE CAP É PRA VC
SUA GOSTOSA


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...