História Belo bandido - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Belo Bandido, Belo Bandido Webnovela, Bete, Cláudia Odete, Novela, Novela Belo Bandido, Romance
Visualizações 12
Palavras 1.684
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 13 - Envolvimento perigoso


Cena 01 – Fazenda Ribeiro – Sala – Dia.

Bete e Cláudia Odete se encaram. A filha de José parece muito feliz e sorri em todo momento.

- Alguém vai me impedir de ficar na minha casa? – Questionou Cláudia.

- Não, Cláudia! Ninguém aqui vai lhe expulsar, mas ao menos você deve nos respeitar nesta casa, o seu pai acabou de morrer, não queremos problemas! – Disse Bete.

- Se você pensa que vai ser minha amiga, eu já vou logo avisando que nunca vai acontecer. Eu dou no máximo dois dias para você sair da minha casa, olha que estou sendo boazinha! – Disse Cláudia.

- Eu não vou a lugar algum, esta casa também é minha, eu sou a viúva do seu pai e com toda certeza ele não me quer longe daqui! – Disse Bete.

- Você vai conversar com meu advogado! Matias prepare o meu cavalo especial. Vou me aprontar! – Disse Cláudia saindo.

- Eu não sei se vou aguentar tudo isso! – Disse Bete.

- Eu vou preparar o cavalo! – Disse Matias saindo.

- Não deve se preocupar, está grávida e pode fazer mal para a nossa menina! – Disse Francisca.

 

Cena 02 – Prefeitura – Dia.

Alguns dias depois...

Lucrécia reserva a sala de reunião e recebe Rodrigo.

- Como vai? – Perguntou o advogado ao conhecer Lucrécia.

- A Cláudia está chegando e pediu para que esperasse aqui. Vou pedir que minha secretária venha lhe servir. – Disse Lucrécia saindo.

Simone encarou a primeira-dama e sorriu.

- O Prefeito Jorge ainda não chegou! – Disse Simone.

- Que estranho, sai cedo, mas o Jorge já não estava mais em casa! – Disse Lucrécia.

- O seu prefeito na verdade é cheio de compromissos! – Disse Simone.

- Fique de olho nele para mim! – Pediu Lucrécia.

 

Cena 03 – Prefeitura – Sala de reunião.

Cláudia entra e encontra o advogado Rodrigo. Ela se senta para tratar sobre o testamento.

- Alguma novidade? – Perguntou Cláudia.

- Bem, tive a oportunidade de analisar o testamento que o seu pai deixou, o José Fernando Ribeiro. De fato, o documento é válido! – Disse Rodrigo.

- Mas eu disse a você que ele se casou com uma golpista e que o filho que ela espera pode não ser do meu pai! – Disse Cláudia.

- Cláudia, pelo que pude entender de toda a história, o seu pai se casou com a Maria Betânia da Silva. Ela também tem direito da herança do seu pai e a criança que ela espera, mesmo que não seja biologicamente do seu pai, ele a reconheceu desde o começo. – Disse Rodrigo.

- Eu não posso acreditar, mas eu vou lutar até o fim para provar que ela é uma golpista! – Disse Cláudia.

- Dona Cláudia, a senhora vai receber 40% de toda a fortuna do seu pai, os outros 40% ficará com a criança quando se tornar maior de idade e a Dona Maria Betânia com o restante. É justo, não será prejudicada em nada, foi assim que seu pai desejou. – Disse Rodrigo.

- Eu não posso aceitar uma barbaridade dessas, e a fazenda? – Perguntou Cláudia. – Eu não vou abdicar os meus direitos sob a fazenda!

- Bem, a fazenda não está incluída para as pessoas que acabei de citar. – Disse Rodrigo.

- Como assim? – Perguntou Cláudia.

- A Fazenda Ribeiro ficou no nome da irmã do seu pai! – Disse Rodrigo.

- Não, não, não! – Disse Cláudia furiosa.

 

Cena 04 – Fazenda Ribeiro – Tarde.

Rodrigo sobe as escadas do casarão e encontra Bete na varanda. Os dois se entreolham seriamente e ela faz um geste para que o advogado sente.

- Então, é verdade? O José deixou um testamento? – Perguntou a viúva.

- Sim, mas você é uma das beneficiadas! – Disse o homem.

- Eu não me importo com o dinheiro do José, muitos vão dizer isso, mas eu não quero nada além do justo...

- Você, Maria Betânia... Vai ficar com 20% de toda a fortuna e mais 40% ficará para a sua filha, ela só vai poder ter acesso após ficar maior de idade, mas você será a tutora, a mãe! – Disse Rodrigo.

- O José foi um grande homem! – Respondeu Bete.

- A filha, Cláudia Odete Ribeiro ficará com 40% e a fazenda o José optou por deixar para sua irmã! – Disse Rodrigo.

- Dona Olga? – Perguntou Maria Francisca ao chegar.

- Eu não a conheço! – Disse Bete.

- Não sabemos onde a irmã do José se encontra, mas fica evidente que não precisam sair da fazenda, a não ser que ela apareça querendo o que lhe pertence! – Disse Rodrigo.

- E a Cláudia? – Questionou Maria Francisca.

- Bem, ela é a minha cliente, mas eu mesmo quis dar à notícia a outra beneficiada, você Bete. Como estou tratando da papelada, então, nada mais justo! – Disse Rodrigo.

- Obrigada, mas eu não sei se vou ficar por muito tempo no mesmo teto que a Cláudia. – Disse Bete.

- Entendo... – Respondeu Rodrigo.

- A Bete não pode sofrer com estresses! – Disse Maria Francisca.

 

Cena 05 – Casa de Cláudia – Tarde.

Guilherme prepara um drink e serve em duas taças para ele e sua companheira Cláudia.

- Fiquei bastante contente em poder ficar na sua casa por esses dias! – Disse Guilherme.

- Você não precisa ficar nessas pensões xexelentas, a minha casa é mais confortável e aqui te encontro mais fácil! – Disse Cláudia.

- E agora você vai fazer com todo esse dinheiro? – Perguntou ele.

- Eu vou gastar! Quem sabe uma viagem para algum lugar da Europa... Mas antes, farei de tudo para conseguir a outra parte da herança do papai. – Disse ela.

- Mas se você me disse que ele se casou com outra mulher, ela tem direito a uma parte! – Disse Guilherme.

- Eu não admito, ela não vai ficar com nada, é uma golpista! – Disse Cláudia.

- E o que vai fazer? – Perguntou Guilherme curioso.

- Eu ainda não sei... Ela está no final da gravidez, será que eu daria para ser uma boa mãe? – Questionou Cláudia.

- Está pensando em matar a esposa do seu pai? – Perguntou Guilherme.

- Eu não sou uma assassina, se der sorte, ela morre mesmo no parto! – Disse Cláudia.

- Talvez eu possa lhe ajudar! – Disse Guilherme.

- Guilherme, eu estou envolvida com você, mas o seu passado deve permanecer lá, eu o amo tanto que não posso pensar em te perder! – Disse ela.

- Eu juro que não voltarei mais para a vida que eu tinha antes de lhe reencontrar! – Disse Guilherme.

- Eu não sou uma assassina! – Disse Cláudia.

 

Cena 06 – Fazenda Ribeiro – Quarto – Noite.

Bete sente dificuldade de andar e Luísa a ajuda para ir ao quarto. Ela deita-se na cama com cuidado e começa a sentir contrações.

- Eu acho que está chegando a hora! – Disse Luísa.

- Não, está previsto para daqui a uma semana! – Respondeu Bete.

- Não, não vai dar tempo, a sua menina está chegando! – Disse Luísa.

Maria Francisca entra no quarto segurando um copo de água e se apavora com o estado de Bete.

- Meu Deus do céu! – Reagiu Francisca.

- Vai nascer Francisca! – Disse Luísa.

Bete continuou sentindo contrações e Francisca saiu do quarto para fazer um telefonema. Luísa ficou ao lado de Bete.

- Dona Carolina, a Bete vai ter o bebê! É melhor a senhora vir o quanto antes! – Disse Francisca ao telefone.

 

Cena 07 – Casa de Cláudia – Noite.

Cláudia sai do quarto e encontra Guilherme na sala falando ao telefone, ele desliga a ligação quando a vê.

- Algum problema querido? – Perguntou Cláudia.

- Nada demais, meu amor! – Respondeu Guilherme.

- Eu posso lhe perguntar uma coisa? Você ainda continua trabalhando como um...

- Cláudia, por favor! Eu sei que escolhi certos caminhos, não posso voltar atrás e não é fácil sair assim. – Disse Guilherme.

- Eu não estou te julgando, mas eu fico preocupada, eu fico imaginando se não estamos correndo risco de vida! – Disse Cláudia.

- Vamos ficar bem, eu prometo! Eu pedi um tempo e que estou pretendendo mudar de vida! – Disse Guilherme.

- E será que eles vão deixar você em paz? – Perguntou Cláudia.

- Nada vai lhe acontecer, estou aqui do seu lado! – Disse Guilherme beijando sua amada.

 

Cena 08 – Casa de Lucrécia – Noite.

Isabel prepara pipoca para comer enquanto assiste a um filme com seu namorado Thiago.

- Você ainda não me disse qual filme iremos assistir? – Perguntou Thiago.

- Eu disse que era surpresa, mas vou dar um pequeno spoiler... É o meu filme predileto! – Disse Isabel.

- Os homens preferem as loiras? – Questionou Thiago.

- Não, esse é muito bom, além de ser um clássico, mas um filme que gosto muito é Lisbela e o Prisioneiro. – Disse Isabel.

- Ah, um filme maravilhoso! – Respondeu Thiago pegando a pipoca de sua namorada.

 

Cena 09 – Rua – Noite.

Cláudia encontra Lucrécia e as duas entram em um bar convidador da cidade.

- Faz tanto tempo que não entro nesse lugar! – Disse Lucrécia.

- Isso pode ser sinal de velhice! – Disse Cláudia.

- Não, nem que eu faça todas as plásticas que uma mulher vaidosa precise! – Respondeu Lucrécia. – Por que quis conversar aqui?

- Porque aqui duas amigas e primas podem conversar a vontade, além de beber um pouco! – Disse Cláudia.

- Meu médico me proibiu de beber, mas hoje eu abro uma exceção, afinal o Jorge vai ficar até tarde hoje na prefeitura. – Disse Lucrécia.

- Estou um pouco aflita, mas sei que foi uma escolha minha e não me arrependo. – Disse Cláudia.

- Ainda a história da herança? – Perguntou a primeira-dama.

- Tenho medo que alguém queira fazer mal a mim e ao Guilherme! – Disse Cláudia.

- Ele é um matador de aluguel, com certeza ele está envolvido com muita gente perigosa, eu aconselho você a pular desse barco! – Disse Lucrécia.

- Eu o amo e não vou desistir fácil! – Disse Cláudia.

- Você sabe da decisão que está tomando! – Disse Lucrécia.

 

Cena 10 – Terro baldio – Noite.

Um carro estaciona ao lado do terreno e alguém desce do carro. Guilherme está perto de um portão velho segurando firme a sua arma.

- Pensei que estivesse desistido do nosso encontro! – Disse Guilherme quando a outra pessoa chegou.

 

Continua...

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...