História Belo Truque - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Exibições 361
Palavras 5.767
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi, gente! Voltei.

Primeiramente quero pedir desculpas pelo meu atraso. Não fiquei bravos comigo, please.

Em segundo, devo avisar que não falta muitos capítulos para que eu finalize a fanfic, talvez mais quatro capítulos no máximo.

Em fim, perdoem-me pela demora e está aqui, espero que gostem. Kisses, boa leitura!

Capítulo 12 - Capítulo 12- Decisão de um Truque


Fanfic / Fanfiction Belo Truque - Capítulo 12 - Capítulo 12- Decisão de um Truque

Capítulo 12- Decisão de um Truque

"~"~"

Porque está aqui? Pretende ver outra pequena amostra de mágica barata?

Mágica. É isso que você deseja, certo?  

Eu poderia lhe mostrar, poderia vir aqui e fazer aquela cena ridícula e dizer coisas banais sobre mágica e que ela sempre vem quando precisa. Mas você está aqui agora, é mais esperto do que isso e viu além de minhas mãos.

Vamos! Olhe para minhas mãos. O que exatamente você vê?

Nós não somos donos da verdade e tão pouco conduzimos a mentira. Eu já disse, não há o que acreditar.Apenas faça por você mesmo. Não há mais ninguém que possa lhe persuadir.

Pois você, agora, está livre de minha ilusão. Eu tão pouco desejo fazê-la agora.


"~"~"

Eram sete e quarenta e cinco da noite. Todo nos encontrávamos no departamento e ao redor de uma pequena mesa de ferro na sala do Kakashi. A pequena mesa tinha em cima de si um mapa, ou melhor, uma planta de todos os cômodos, corredores, passagem de ar do Venetian Casino.

Kakahi nos fez revisar todos nossos passos. Ele alegou, dizendo que tudo precisava ser perfeito, já que era uma infiltração, poderia haver mortes. E cá, entre nós, ele realmente tinha razão.

- Todos estão com suas identidades? - Kakashi disse e todos balançamos a cabeça respondendo que sim. - Yamanaka, não esqueça de pegar os cartões chaves dos guardas do cassino.

- Deixa comigo, chefia! - A loira soltou retocando seu batou extra vermelho nos lábios.

- Naruto e Neji irão ficar na mini van ao lado de trás do cassino, vão monitorar tudo pelas câmeras de segurança.

Naruto havia voltado para ajudar com o plano, portanto, com seu pulso ainda ruim, Kakashi e todos do departamento o impediram de fazer qualquer esforço, então, concordaram em deixá-lo ser os nossos olhos pelas câmeras.

Descobri que Neji era bom com computadores, ele tinha uma grande facilidade para editar vídeos e invadir câmeras e códigos de seguranças. Naruto apenas daria apoio a ele, junto com o resto dos policiais, que estavam apenas esperando um pequeno sinal para invadir o local.

Shino era quem estava responsável por todo o resto dos policiais lá fora.

- Logo após entrar, lembre-se de entregar o cartão chefe para Sasuke, e enquanto vocês estiverem no salão tomando a atenção para si, Sasuke e eu entraremos na ala Sul. Danzo estará em uma sala protegida, ele provavelmente estará fazendo alguma reunião com alguns de seus aliados mais confiáveis e haverá alguns guardas. - Ao terminar de falar, Kakashi tomou fôlego.

Tudo começava com Sasori e Ino, saíram de um carro preto e pararam a frente a entrada como uma casal de família rica.

Eu não estava com eles, eu já encontrava-me ao lado de dentro. Concordamos em entrar como pares para evitar chamar a mínima atenção, neste, eu e Konan éramos apenas duas irmãs ricas querendo se divertir em uma noite qualquer.

"- Nomes? " - Pela escuta, pude ouvir nitidamente um dos guardas dizer para Ino e Sasori.

"- Senhor e senhora, Alavaski." - Sasori disse. Obviamente ele usaria um sobrenome russo. Ri baixo enquanto tomava um gole de uma bebida da qual eu não sabia o que era.

A essa altura, Naruto e Neji já havia invadido o sistema do Cassino e inserido o sobrenome "Alavaski" no meio da lista de convidados importantes.

"- Ah, sim. Claro! Podem entrar." - Ouvi novamente o homem dizer. "- Tenham uma boa festa."

Alguns segundos depois, do balcão redondo de vidro iluminado, que era onde eu estava, pude avistar Ino e Sasori ao lado de dentro das grandes portas de vidro.

"- Estamos dentro." - Ouvi Sasori dizer pela escuta.

"- Certo, agora sigam para o camarote" - Naruto disse pela escuta.

Olhei para Konan que já se colocava de pé, fiz o mesmo e assim, caminhamos para perto das mesas de poker. Logo avistei Kakashi aproximar-se de Ino e meu irmão.

- Senhor, Alavaski, é realmente um prazer revelo nesta magnifica festa. - Kakashi disse entrando na frente de Ino e Sasori.

O Hatake estava vestido como um funcionário do cassino. Ele segurava em sua mão direita uma bandeja de cor prateada e algumas bebidas, isso fora a barba falsa e a peruca de cor castanho escuro.

- O prazer é todo meu. - Sasori retrucou

Passei a mão na lateral de uma das mesas de poker, enquanto a outra mão livre ainda segurava minha taça meio cheia. Olhei para meu relógio de pulso falso, este marcava as nove e trinta e sete.

Vi meu irmão, ainda segurando o braço de Ino, caminhar até a mesma mesa que eu estava perto. Reparei de relance, Ino caminhar e rebolar a bunda seca para longe de onde estávamos.

- Estou a procura de algo realmente... Excitante. - Sasori disso, soltei um sorriso falto e interesseiro.

- Não acha essa mesa excitante, senhor?...

- Alavask. - Estendeu uma das mãos para mim. Estiquei uma das mãos e ele a beijou. - E respondendo sua pergunta, Bela dama, aqui neste evento há um lugar ainda mais excitante do que possa imaginar. - Meu irmão disse, ele se referia ao camarote que Danzo "possivelmente" se encontrava.

"- Meu Deus! Parem de flertar." - Ouvi neji pelos fones de ouvidos.

"- Ui! Incesto." - Naruto acrescentou. Eu poderia rir alto com os comentários.

- Gostaria de me acompanhar? - Acrescentou Sasori.

- Eu adoraria.

- Essa mesa parece excitante. - Ele soltou. - Meu bem, porque não pega uma bebida para seu noivo, sim? - Meu irmão acrescentou sem desviar os olhos castanhos claros de mim.

Ele me guiou até uma enorme porta de cor branca, mas esta estava estava sendo bloqueada por dois guardas enormes. Eles pareciam uma muralha.

Descaradamente, demos meia volta e paramos não muito longe dos guardas. Olhando-os pelos ombros e pensando em um meio de passar por eles.

- E agora, como a gente vai entrar? - Sussurrei.

"- Yamanaka, Konan, provoquem uma briga perto de Sakura e Sasori." - Neji disse rápido.

Segundos depois, ouvi barulho de taças sendo quebradas. - Isso é um absurdo. - Ino gritou. - Você por acaso sabe quem é meu noivo? Você vai se arrepender de ter derramado está bebida com este cheiro absolutamente intragável em meu vestido. - Ino gritava feito uma gaivota louca.

Os dois guardas, como eram os mais perto da pequena "discussão", foram até elas. - Senhorita, acalme-se. - Eu ouvi um deles dizer.

Não pude avaliar outras coisas, pois após que estes saíram da porta, eu e meu irmão corremos para perto da mesma. Konan esbarrou contra meu corpo e colocou em uma da minhas mãos o cartão chave.

Abri a porta com pressa, assim que entramos, tratei de trancá-la.

"- Tudo bem, Sakura-chan, vocês só precisam seguir em frente." - Naruto fala agora."- Vocês vão encontrar uma porta, quando abri-la vão ver uma escada. Quando descerem, logo chegarão ao camarote." - O loiro finalizou.

-" Sasuke e Kakashi logo estarão lá também. "

Assim como Naruto havia nos dito, descemos os degraus e logo chegamos a uma terceira porta. Quando foi aberta, revelou mais dois guardas, um de cada lado da mesma. Senti meu corpo todo travar, mas para nossa sorte, estes não pediram nossas identidades, ou perguntaram quaisquer coisa nossa.

Recompondo minha cara de "mulher bilhonária", eu e meu irmão caminhamos até duas poltronas livres.

Com certa cautela, meus olhos foram por todo o local. O ambiente era escuro, tinha poucas luzes em alguns cantos e cheirava a charutos e bebidas fortes. Havia algumas mesas de poker. Notei alguns homens jogando.

Em frente a nossa poltrona havia uma grande mesa de vidro. A mesma era feita em uma forma oval e se encontrava no centro do grande cômodo.

Era como se estivéssemos preste a fechar algum negócio.

Do lado direito, pude reparar um palco erótico. Havia algumas moças semi nuas e algumas até mesmo sem sutiãs, elas dançavam e se mexiam com sensualidade.

Vasculhando outra vez o ambiente em que estávamos. Notei a presença, ou melhor, a falta de alguém ali. Danzou não estava.

Eu havia visto ele por fotos quando Sasuke me mostrou. Isso foi a quase três meses atrás, quando eu ainda estava presa. Porém, mesmo que eu não tenha lhe visto pessoalmente, nenhum dos homens que eu olhava aqui se pareciam ou tinham traços de Danzou.

Alguma coisa não estava certa.

A porta se abriu novamente e desta saiu Kakashi acompanhado de Konan e logo atrás, Sasuke e Ino. Ambos os casais sentaram em lugares distantes.

Uma moça semi nua passava pelas fileiras de poltronas enquanto entregava algumas bebidas e charutos. Notei em seus olhos o brilho e como estavam estalados. Ela com certeza estava drogada.

Novamente a porta foi aberta e de trás desta apareceu um homem engravatado com o olhar de poucos amigos. Seu cabelo era meio alaranjado e o corte parecia algo como moicano misturado com outro corte.

Logo após este, Notei uma mulher. Seus cabelos eram vermelhos intensos e a mesma tinha a pele morena e usava uma vestido preso, longo e bastante apertado. Está também possuía uma feição fechada.

Segundos depois, meus olhos foram para a próxima pessoa que pisava no local. Este, pude ter certeza, que era o verdadeiro Danzou. Notei mais três outros guardas entraram logo após de Danzou e assim, a porta foi fechada e trancada.

Ele sentou na única poltrona não ocupada ali. Se arrumou, colocou os braços em cima da mesa de vidro e cruzou os dedos.

- Bem vindo, companheiros. - Ele começou. A voz daquele homem era tão assustadora, eu nunca havia sentido pânico, mas naquele momento era exatamente o que eu sentia dentro de mim.  - Não sintam-se tão tensos, afinal, estamos comemorando. - Ele zombou enquanto pegava uma taça em cima da mesa e a erguia.  

- Primeiramente: vou informá-los que o desvio pelas empresas Nara's foi muito bem sucedido. Deveriam se sentir honrados. - Ele tomou um gole de vinho. Portanto, suponho que vocês já sabiam disso, correto? Então, vamos ao que realmente interessa. Vamos colocar as cartas na mesa. - Vi Danzou colocar a taça agora vazia em cima da mesa e logo após mexer sua outra mão livre.

Ele retirou algo como um papel. Não! Era como um convite e, então o colocou em cima da mesa. Outros homens também fizeram os mesmos e aos poucos foi sobrando somente nós seis.

Todos meus músculos travaram quando Danzou nos olhou, um por um e notou que talvez não nos conhecia, mas pior ainda, notou que não havíamos apresentado o tal "convite" e o colocado em cima da mesa.

- Apresente seus cartões, por gentileza. - O cara do cabelo estranho falou. Meus olhos foram desesperadamente para Kakashi e logo após para Sasuke.

- Como queira... - Sasuke disse antes de levantar junto de Kakashi e apontarem suas armas; Os homens de Danzou também fizeram a mesma coisa.

Eu me encontrava novamente em meio de um tiroteio e tudo que consegui fazer foi jogar-me ao chão e me proteger.

Agachada, e rezando para Thor que tudo acabasse bem, eu engatinhava para longe do tiroteio. Meu coração bateu rápido quando senti alguém puxar meu pulso, mas me senti aliviada assim que notei o dono da mão que me segurava: Uchiha Sasuke.

- Você está bem? Está machucada? - Ele perguntava.

- Eu estou bem. - Respondi. Nós estávamos escondidos atrás de uma mesa de poker.

- Dobe, como está o pessoal? - Sasuke perguntava enquanto recarregava sua arma. Eu nunca ia me acostumar com aquilo.

"- Nenhum ferido." - Ouvi Naruto pelo pequeno fone.  "- Teme, vocês precisam sair daí. Neji está rastreando a presença de mais homens."

 "- Homens de Danzou?" - Sasori perguntou pela escuta

- Provavelmente. - Sasuke respondeu.

 "- Abortar Missão." - Ouvi Kakashi dizer. "- Sasuke e eu vamos dar cobertura enquanto Konan os lidera para fora daqui." - Hatake acrescentou.

Sasuke inclinou o corpo para frente, mas logo voltou a esconder. - A Sakura e eu estamos muito longe da saída. Eu ainda posso dar cobertura, mas ela vem comigo.

"- Positivo." - Neji respondeu.

Sasuke me olhou e segurou minha mão. - Se prepara para correr. - Ele disse. Eu apenas concordei e retirei os sapatos. Assim como da última vez.

Corri para trás de outra mesa de poker. Meus olhos foram para o chão, onde havia algo como uma passagem secreta aberta.

Senti a presença de Sasuke ao meu lado, ele ainda segurava a arma. Sasuke olhou para a passagem e pareceu pensar por alguns segundos.

- Dobe, tenta localizar Danzou. - Sasuke falou.

"- Nada de nada. É como se ele não estivesse no radar." - Naruto respondeu.

"- Vocês precisam de apressar. Os outros já saíram daí, só falta vocês dois. Além disso, ainda estou rastreando mais homens chegando." - Neji falou dessa vez.

"-Verdade, eles já estão dentro do cassino, no salão para ser mais exato" - Naruto acrecentou.

Sasuke e eu ainda estávamos escondidos, pois ainda haviam homens de Danzou e, estes estavam atrapalhando a passagem. Talvez com a intenção de ser proposital, para que nós não saíssemos.

Sasuke passou as mãos pelos cabelos e respirou fundo.

- Vamos descer. - Ele disse.

"-Descer para onde?" - Naruto perguntou.

- Tem uma passagem secreta aqui, não sei onde vai dar e talvez seja provável que Danzou tenha passado por ela. - O Uchiha disse.

"- Ficou doido, Uhchiha!" - Kakashi praticamente gritou pelo fone

Sasuke tomou fôlego. - Ainda há alguns homens de Danzou tampando a passagem da porta, meus cartuchos de balas estão acabando. Estamos praticamente encurralados aqui. - Respirou outra vez. - Vem, Sakura!. - Puxou meu braço para mais perto da entrada encontrada no canto do chão.

Apenas obedeci, afinal, eu queria viver, certo? Claro que também era mais que isso. A verdade, era: Eu confiava nele e por isso não fazia quaisquer pergunta.

Enquanto eu descia pela escada de ferro enferujada de mão, vi Sasuke recarregar sua armar.

- É provável que nós fiquemos sem sinal por alguns segundos. Estejam alertas quando o sinal voltar, vou precisar de vocês para buscar a gente. - Sasuke dizia enquanto descia as escadinhas.

"- Positivo".

Sasuke segurou em minha mãos com força, mas não o suficiente para machucar, na verdade, era algo como protetor ou sei lá. Ele havia guardado sua arma e iluminava o corredor escuro com uma lanterninha.

Ei, Sasuke! Muito bacana esse seu kit policial.

Balancei a cabeça, eu poderia rir com meus pensamentos, mas aquela não era hora para fazer piadas. Até mesmo eu sabia disso.

Então, Sasuke parou.

Não enxergávamos dez dedos depois da iluminação fraca da larnterna que ele carregava. Meus olhos foram para o rosto de Sasuke, ele parecia pensar.

- Por aqui. - Me puxou e voltou a andar, virou a esquerda onde tivemos acesso a outro corredor grande e escuro.

Paramos em frente a uma porta escura, Sasuke verificou a tranca e estava fechada. Ele soltou minha mão, pegou a arma e mirou na fechadura para logo em seguida atirar. A porta foi aberta e nós entramos.

Estávamos diante de outra escada, também não havia iluminação e essa tal escada parecia tão imunda quanto a última.

- Vamos subir. - Sasuke disse.

- Tá bom. - Disse segurando a barra de meu vestido e subindo. Ao todo, eu havia contado quinze degraus.

Abrimos uma portinha no chão, quase igual a que usamos para descer. Ao subir completamente, meus olhos analisaram o local. Parecia algo  como um armazém velho.

Senti a mão grande de Sasuke segurar a minha novamente, ele me guiou até a porta, o que demorou alguns segundos, já que este parecia tão perdido quanto eu.

Mas então, Sasuke parou novamente. E eu também quando comecei a ouvir um barulho semelhante a uma hélice de helicóptero. Olhei para Sasuke que também parecia ter pensado a mesma coisa.

Danzou estava fugindo novamente.

Passamos pela porta onde chegamos a um grande espaço aberto. Havia um helicóptero levantando voou. No chão, de frente para nós, estava a mulher ruiva e o cara do cabelo esquisito.

Do lado de dentro do helicóptero, ouvi Danzou gritar algo em japonês. Não sei o que era, mas confesso que não gostei daquilo. Principalmente quando as duas pessoas em nossa frente pegaram suas armas e miraram para nós.

Olhei para Sasuke, não tinha a menor ideia do que fazer. Eu estava com medo, afinal, havia uma arma apontada para nossos rostos.

Em retribuição, Sasuke levantou as mãos com cuidado, me olhou e entendi que eu deveria fazer o mesmo.

"- Sasuke, aguente firme, Kakashi estará ai para te ajudar." - Neji falou.

O cara do cabelo esquisito ainda possuía em suas mãos a arma, caminhou para mais perto de Sasuke ainda apontando este objeto para a cabeça dele.

- Policial Uchiha Sasuke. - Ele começou. - Tão jovem e tão temido, mas olha só para você agora: Logo seu cérebro vai ficar moidinho com a minha bala. - Zombou.

O homem estava muito perto de Sasuke, agora. Ambos estavam apenas centímetros de distância. Tão perto, e eu não pude prever o movimento de Sasuke: Uma cabeçada no rosto do homem e um chute no estômago.

Movimentos muito rápidos e, em questão de segundos, Sasuke o deixou inconsciente, pegou sua arma no bolso de dentro da jaqueta e apontou para a mulher ruiva, atirando nela e fazendo-a cair no chão também.

A princípio, pensei que ele havia matado ela, mas foi só ver ela se mexendo e agonizando com a dor do tiro que tive a conclusão de que ela estava viva.  

- Tudo bem? - Sasuke me perguntou.

- Não foi eu que levei um golpe de kung fu e nem um tiro, então, estou sim. - Respondi. Ele soltou uma risada.

Meus olhos foram para a mulher baleada no chão poucos metros de nós, Sasuke com toda a certeza possuí um boa mira, mas provavelmente não atirou nela para machucar. Concluí isso ao notar que o ferimento dela não era tão grave, nem se encontrava em pontos fatais no corpo.

Vi Sasuke se afastar de mim, acho que ele falava com alguém no celular, pois não ouvia nada em nossos fones.

Foi quando vi o homem antes, desmaiado, se levantar e ir em direção a Sasuke. Este parecia distraído o suficiente para não perceber a ameaça chegando.

Por um momento perdi os sentidos e antes de perceber, eu já havia corrido em direção ao homem de cabelos estranhos e chutado suas bolas com toda a minha força possível. Este, caiu ajoelhado, mas logo se levantou e, lutando contra as dores nos testículos, virou em minha direção e avançou. Parecia estar bastante irritado.

Mas Sasuke o interceptou com seus movimentos rápidos outra vez.

Olhei novamente para a mulher no chão, para ter certeza de que ela não tentaria qualquer coisa. Ela continuava esticada na poça de seu próprio sangue.

Me assustei quando a única porta existente ali foi aberta com brutalidade e rapidez. Alguns homens de preto posicionaram-se em volta de nós quatro enquanto apontavam suas armas.

- Mantenham as mãos para cima. - Um deles falou.

Afinal, o que era aquilo? CIA? Interpol?

Sasuke me cutucou e levantou as mãos, fiz o mesmo. - Quem são vocês? - O Uchiha bonitão perguntou, mas não houve resposta. Ficamos com as mãos levantada por alguns segundos até um homem usando óculos e de cabelos meio prateados apareceu, ele perguntou alguma coisa para um dos homens que logo lhe respondeu formalmente.

- Meu nome é Uchiha Sasuke, sargento do departamento de polícia de Las Vegas e exijo alguma resposta. - Sasuke falava enquanto apresentava o distintivo retirado do bolso de dentro da jaqueta.

- Sargento Uchiha? Você não está a altura para tal resposta. - O homem de óculos falou.

- Mas eu, sim. - Kakashi apareceu atrás deste. - Hatake Kakashi. - Ele disse. - Mande seus homens recuar e conversaremos em minha sala, Kabuto.

- Você não tem autoridade aqui. - O tal Kabuto soltou.

- Está é minha cidade. Quem não tem autoridade aqui? - Kakashi retrucou.

O homem pareceu pensar por alguns segundos. - Recuem todos. - Disse apenas.

Durante toda aquela cena -parecendo mais cena de filme de ação- eu mantive minhas mãos para o alto, na verdade havia esquecido de abaixá-las.

- Konan, preciso de uma ambulância para essa mulher. - Kakashi ordenou.

"~"~"

- Então, qual vai ser? - A porca perguntou enquanto mordia seu lanche

- O que? - Neji perguntou

- Fala sério! - Ela jogou os fios loiro da franja para trás. - Eles estão lá dentro já tem mais de três horas. - Ela se referia a sala de Kakashi, onde o próprio e seu conhecido Kabuto encontravam-se.

- Só precisamos sentar e aguardar. - Neji disse por fim.

A verdade era que Kakashi e o tal Kabuto aparentemente se conheciam. Não sabia como e nem porque, também não fazia questão de saber. Mesmo assim, era preocupante eles estarem lá dentro tanto tempo assim.

Olhei para Sasuke com rabo de olhos. O mesmo parecia pensativo, mais do que o normal.

Meus olhos moveram-se com rapidez para Konan que havia praticamente entrado correndo na pequena salinha de descanso. - Tem um homem com o nome Orochimaru, na recepção e este parece um tanto irritado. - Ela tomava fôlego. - Ele quer falar com o responsável. - Concluiu ela.

- Orochimaru? Quem é esse?- Sasori perguntou.

- Nem queria saber.- Konan apenas disse.

- Eu falo com ele. - Sasuke levantou da cadeira, seu rosto era bastante sério. Ele ainda pensava em algo.

Está certo que a falha da operação pega Danzou foi algo chocante, mas sentia que havia algo mais preocupando ele. O que poderia ser?

Vi Sasuke passar pela porta e sumir no corredor. Logo, meus olhos foram para Ino que comia loucamente seu lanche sem se importar com o amanhã.

Ela notou meu olhar sobre ela e parou de comer. - O que? - Perguntou.

- Eu trombei com sua irmã um dia desses. - Disse e vi ela fazer careta. Umedeci os lábios e me arrumei na cadeira. - Depois que tudo isso acabar, sabe... Ah, sei lá! Você deveria ir falar com ela. Afinal de tudo ela é sua irmã. - Disse por fim. Em retribuição recebi outra careta.

Balancei a cabeça negativamente. Não era uma coisa da minha conta, mas ao mesmo tempo era.

Era um assunto complicado para a Porca.

Tratei de deixar este assunto de lado, me levantei da cadeira e me afastei da mesa.

- Onde vai, Haruno?

- Ao banheiro. - Respondi. Antes de passar pelo corredor pude ouvir algum questionamento da Porca, perguntando o porque deles deixarem eu andar sozinha por aí e ela não. Tudo que ouvi de volta foi um "Sente e fiquei quieta, Yamanaka."

Pude rir baixo com isso.

- Isso não fazia parte do acordo. - Alguém disse em voz alta. Parecia a voz de Sasuke.

Eu estava seguindo direto para o banheiro, mas a voz de Sasuke por trás da porta ao lado me fez dar alguns passos, desviando o caminho do banheiro para a porta de Hatake.

- Kakashi, eu não vou permitir isso. AMBU no meio da investigação? - Era realmente a voz de Sasuke, mas o que ele estava dizendo? AMBU? o que era aquilo.

Eu claramente fazia careta enquanto tentava desvendar o núcleo da conversa.

- Ele contratou AMBU por fora, o que podemos fazer? Como policiais locais, é o nosso dever continuar esta investigação. - Kakashi retrucou. Houve longe segundos de silêncio

Eu me encontrava com a orelha direita colada na madeira da porta. A curiosidade era muita.

- Deixe ela ir. - Ouvi ele dizer. - Ela fez tudo que podia, obedeceu e tudo mais. Cumpra o acordo e deixei ela ir. - Disse ele por fim. Sasuke estava falando de mim?

- Sakura-chan?! - Assustei-me com Naruto me chamando, pulei para longe da porta e arrumei descaradamente os cabelos.

- Naruto, oi, Naruto... Oi. - Eu disse olhando para os lados.

- Espiar atrás da porta é feio, viu. - Ele disse.

- Eu não estava espiando. - Cutuquei a testa e joguei a franja para trás. Vi ele rir.

- Okay. Então, vamos dizer que eu não te vi com a orelha colada na porta enquanto tentava escutar o assunto.

- É! Acho uma boa. - Retruquei. Vi ele sorrir novamente.

Ele deu meia volta, ia me deixar sozinha, mas parou. - Sakura-chan, vem cá. Vou te mostrar uma coisa bem interessante. - Ele disse antes de voltar a andar.

Por alguns segundos, tentei adivinhar o que era tão interessante para ele querer me mostrar. Depois de perceber que não iria ter nenhuma ideia do assunto, decidi me dar por vencida e seguir Naruto.

Paramos em frente a sua mesa, havia duas cadeiras e Naruto me mandou sentar em uma delas. Sem reclamar, obedeci.

Naruto retirou de dentro de uma gaveta alguns documentos, um deles era uma pasta azul clara. Ele abriu e me entregou o conteúdo de dentro.

Uma coisa que estava longe de eu ser, era burra, mas eu admiti para mim mesma que não sabia ler os resultados escritos no papel em minha mão. Olhei para Naruto, esperando uma resposta.

- É o resultado do laudo do meu distintivo. - Ele disse. Meus olhos levemente se arregalaram.

- É mesmo? E o que diz aí? - Brinquei, eu já sabia que ele sabia ser eu a pessoa que roubou. De algum jeito, eu sabia.

- Diz que suas digitais estavam no meu distintivo, mas você claramente já imaginava isso. - Ele disse.

Umedeci os lábios e balancei a cabeça em um sinal positivo.

- A quanto tempo você tem isso?

- Talvez á uns dois meses, eu acho. - Ele riu sem graça e coçou a cabeça.

- E porque você nunca disse nada? - Me senti perplexa.

Vi ele rir. - Eu achei que você iria mudar. - Disse dando de ombros. - Ninguém sabe disso, nem mesmo o Sasuke. Na verdade, todos acham que o Gaara é o culpado.

Do modo bondoso que Naruto falava, pude sentir uma pontada de culpar em meu peito.

- Você é uma pessoa boa, Naruto. - Disse olhando a folha ainda em minha mão.

- Eu achei e anda acho que você pode mudar, mas e você, Sakura-chan? Você acha que pode mudar? Ou que mudou, mesmo que não sendo por completo. O que você acha?

Parei por um momento, eu tentava  absorver sua pergunta. Eu havia mudado? Tentei refletir sobre mim mesma.

- Mudar... É complicado e assustador. - Eu disse.

- As vezes, mudanças são necessárias. - Naruto disse enquanto olhava para Sasuke que acabará de entrar no cômodo em que estávamos. Eu entreguei o papel para ele, que o guardou quase que imediato.

Naruto se afastou de sua mesa e de mim, não me importei de ficar sozinha, afinal, eu estava navegando em minha própria mente naquele momento.

A verdade era que eu nunca havia pensado no fato de eu ter escapado a custas de uma pessoa inocente. Querendo ou não, Gaara era inocente. Ele não havia roubado o distintivo de Naruto, mas eu sim.

A culpa era toda minha dele estar preso. E isso nunca havia passando pela minha cabeça.

O que me fazia pensar: Eu havia mudado? A resposta era: Sim, eu havia. Como eu não tinha reparado nisso antes?

Meus pensamentos mudaram de rumo quando me veio a cabeça que os homens que Neji estava rastreando não eram homens de Danzou, e sim, homens da tal AMBU.

- Bolachinha? - Sasuke me deu uma tilasca na testa, o ato me fez sair de meus próprios pensamentos. Fiz careta para Sasuke, em resultado, recebi um sorriso.

- Então... Já acabou tudo na sala do Kakashi? - Perguntei.

- Não tudo, mas já está tarde. Vamos embora. - Ele disse.

- Você que manda. - Pisquei me levantando.

Um resumo momentâneo sobre mim: Eu ainda usava vestido e um quilo de maquiagem. Eu usava um tênis azul e branco que Konan havia me emprestado porque mais uma vez, eu havia largado meus sapatos no meio de tudo aquilo. O tênis ficou um tanto largo, fazia meu pé nadar no ar, mas eu não reclamei.

Dentro do carro voltando para o apartamento de Sasuke, eu me peguei tão presa nas palavras de Naruto que esqueci sobre o assunto da tal AMBU. E ao lembrar deste assunto, o mesmo cismava em não sair mais da minha mente.

Quando chegamos no apartamento tratamos de jantar, depois Sasuke disse que eu podia tomar banho primeiro, e que ele tinha que enviar alguns e-mails que Kakashi pediu. Então, sem reclamar, eu corri para o banheiro.

Não demorou muito para eu sair. Ainda me sentia agoniada com a história de "Deixe ela ir e blá, blá, blá"

Sasuke teria que me explicar isso com detalhes.

Bisbilhotei o quarto do Uchiha. Lá estava ele sentado na cama, com seu notebook em cima das pernas. Ele estava sem camisa.

- Bisbilhotando, Sakura? Seu irmão não te ensinou a ter bons modos? - Ele zombou. Desviou o olhar da tela para mim.

Dei alguns passos para dentro do quarto. - Na verdade, foi ele que me ensinou a bisbilhotar. - Retruquei, zombando também.

Ele soltou um sorriso de canto, esticou o braço e estendeu a mão para que eu a pegasse. Caminhei até ele e segurei sua mão para logo depois sentar na beira da cama, ao seu lado.

- O que você estava conversando com o Naruto? - Ele perguntou levando minha mão até seu rosto.

- Nada de mais. Ele só estava me dizendo que gostava muito de Rámen. - Eu respondi e me senti mal por mentir para ele. Mordi os lábios. - Você parece meio triste. - Disse.

- Impressão sua. - Me respondeu. Mentiroso.

Eu ri baixo. - Será que tem alguma coisa relacionada com AMBU e tal?... - Dei uma de desentendida.

- Onde ouviu isso?

- Digamos que eu meio que ouvi uma conversa sua com Kakashi atrás da porta, mas não é isso que me incomoda de verdade.

- E o que é? - Ele levou a mão até meu rosto.

- "Deixe ela ir. Ela fez tudo que podia, obedeceu e tudo mais. Cumpra o acordo e deixei ela ir." - Repeti suas palavras.

- Acabei de conversar com Kakashi por mensagem, só mais uma semana e você será liberada disso. - Apontou para minha tornozeleira. - Você será livre. - Ele disse tocando sua tenta na minha. No final, não eram essas palavras que eu queria ouvir.

Senti em mim um sentimento de decepção.

- O que AMBU significa? - Tentei mudar de assunto

- É uma organização solitária. Diriam que são como policiais, só que particulares. Orochimaru é quem lidera- Respondeu-me. Tomou fôlego. - O homem com óculos que você viu é o segundo comandante, Kabuto.

- Diriam?

- Eu diria que não. Sei que todo departamento tem seu lado sujo, mas na AMBU não há somente um lugar sujo. Todas as partes são podres, eles são mercenários e se Shikamaru Nara realmente os pagou para pegar Danzou, eles não vão parar.

- Eles vão matar pessoas inocentes para isso?

- Provavelmente.

Mordi os lábios. Algo dentro de mim não estava certo, sentia meu coração apertar. Tomei fôlego. - Você sabe daquele cara ruivo que foi preso por estar escondendo um distintivo em seu bolso, isso aconteceu no dia que você me deixou no xadrez por estar em uma boate. Você lembra?

- O que tem ele?

- Então, ele é inocente.

- O que? Não, ele foi preso em flagrante com o distintivo...

- Estava comigo. - Eu o cortei. - Eu roubei o distintivo de Naruto quando nos conhecemos em uma boate, você rebarrou em mim na escada da ala Vip e eu peguei a primeira coisa que estava no bolso de Naruto. - Disse, eu não sabia porque estava contando aquilo para ele. Respirei fundo. - Coloquei no bolso da pessoa mais perto de mim para que eu não levasse a bronca, esta pessoa era o Gaara.

- Por que me contou isso? - Ele não parecia irritado, na verdade, ele estava muito calmo. Pareceu aceitar numa boa.

- Eu não quero mentir... - Balancei a cabeça e fechei os olhos, negando o que eu mesmo havia acabado de dizer. - Eu não quero mais mentir. - Corrigi-me abrindo meus olhos.

Sasuke não disse nada, apenas me olhava. O silêncio da parte dele estava me deixando inquieta.

- Você está irritado? - Perguntei.

- Não, não estou. - Ele me abraçou e sem perceber, eu havia soltado um sorriso em retribuição.

Nos separamos porque Sasuke disse-me que precisava tomar um banho. E analisando bem, eu nunca havia ficado completamente sozinha no quarto de Sasuke.

... E obviamente eu saí por ai mexendo em tudo que via pela frente.

Encontrei a carteira dele, eu abri a mesma, mas não procurava dinheiro e sim a foto de família que o mesmo guardava. Era realmente uma foto bonita.  

Meus olhos foram para o relógio no pulso esquerdo do pai de Sasuke. Eu precisava organizar a minha vida, eu precisava pegar de volta o objeto de valor sentimental que eu havia pegado de Sasuke.

Mas como eu poderia fazer isso sendo monitorada vinte e quatro horas por dia? Eu precisava esperar por mais sete dias, só mais sete dias. Não é como se eu fosse embora, porque na verdade, eu voltaria.

Mas não era algo que eu poderia dizer para Sasuke.

Depois de ficar minutos observando a foto antiga em minhas mãos, tratei de guardá-la de volta em seu devido lugar. Fechei a carteira e me deitei na cama.

Sem menos esperar, eu havia pegado no sono.

Aquela foi a primeira vez que eu havia dormido com tanta facilidade.

É um jogo sem fim. Pensando bem, há sim um fim. Somente um. Não sabemos para onde vamos, não sabemos porque viemos ao mundo. Não há ilusão pior do que se perder dentro de si mesmo.

Então, vamos jogar as cartas na mesa. Este é um jogo da qual já deveria ter acabado, concorda? Eu estou cansada e não quero mais fazer isso.

Apenas deixei partir meu eu com truques e mentiras, meu eu com ilusões e persuasão. Eu estou cansada de fazê-lo.

Não quero que olhem, não dessa vez. Pois eu também não irei olhar.

Não mais.

"~"~"

 


Notas Finais


Sakura parece decidida com o que quer.

O que acharam? Contem-me suas opiniões.

Os vejo no próximo. Kisses!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...