História Beloved Beast - Capítulo 21


Escrita por: ~ e ~ClaytonSantos

Postado
Categorias Naruto
Personagens Chiyo, Chouji Akimichi, Deidara, Fugaku Uchiha, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hidan, Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Jiraiya, Juugo, Kabuto, Kakashi Hatake, Kankuro, Karin, Kiba Inuzuka, Konan, Kurama (Kyuubi), Kushina Uzumaki, Madara Uchiha, Minato "Yondaime" Namikaze, Nagato, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Obito Uchiha (Tobi), Orochimaru, Pain, Rock Lee, Sai, Sakura Haruno, Sasori, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Shino Aburame, Shizune, Suigetsu Hozuki, Temari, Tsunade Senju
Tags Sasunaru
Visualizações 645
Palavras 2.391
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Fantasia, Lemon, Luta, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 21 - Reconciliação


Fanfic / Fanfiction Beloved Beast - Capítulo 21 - Reconciliação

– Irei direto ao ponto, quero que você volte para o nosso quarto, precisamos nos acertar, Naruto. - falou.

– Ah é mesmo? E por que está tão interessado nisso se já tem sua amiguinha Haruno? - falei com ironia.

Dessa vez não quis usar palavrões, talvez como uma forma de respeito pelos mortos ou para evitar uma briga séria como a que poderia ter acontecido caso Gaara não tivesse aparecido.

Precisava manter a cabeça fria inclusive se fosse mesmo fugir.

– Porque Sakura não é meu companheiro, tampouco minha amante como você pensa. Achei que tinha deixado isso muito claro. Sou um homem de palavra, não digo mentiras nem engano as pessoas, como outros por aí. - falou.

– Ah não? Então por que estava falando de mim pra ela? O que tinha medo de como eu iria reagir, senão sobre o seu caso sórdido? - perguntei.

– Não era nada sobre romance ou sobre alguma coisa entre Sakura e eu. Era algo sobre mim, mas não vem ao caso agora. Haruno Sakura não é uma vadia como você pensa, por isso fiquei tão chateado por você ter falado dela daquela maneira. Ela entende que estou casado e jamais se envolveria com o marido de outra pessoa. É decente e inclusive está noiva de outro homem. - explicou.

– Então por que ainda tem segredinhos com ela? - eu não era de me convencer facilmente.

– Por favor, eu já expliquei isso. Somos amigos desde quando éramos muito jovens. Vivemos coisas juntos na guerra que você não compreenderia, mas já disse que o que sinto por ela é diferente do que sinto por você. Ela também não ficou chateada contigo quando você a ofendeu embora tivesse motivos, compreendeu que você é jovem e que estava com ciúmes. - falou.

– Ah, ótimo! Então agora eu sou a criancinha birrenta e ciumenta, como se não tivesse motivos pra estar bravo! - levantei meu tom de voz, lá se foram meus planos de permanecer calmo.

– Não disse que não tinha motivos, Naruto. Compreendo o que você pensou e sua reação. Mas também não gostei de vê-lo bebendo daquela maneira com outro. Sei que está magoado comigo e que talvez eu não seja o marido com o qual sempre sonhou, mas está enganado com aquele rapaz. É um irresponsável e teve casos com várias pessoas, inclusive casadas. Conheço bem homens como ele, sei que pra você ele pode parecer jovem, bonito e até divertido, mas isso não significa que seja bom. - falou.

– Não estou interessado em Sasori. Se eu fosse o tipo de pessoa que se interessa apenas pela beleza e juventude de um homem, agora estaria casado com Inuzuka Kiba. - falei.

– Olha, apenas quero que você volte, vamos nos acertar, Naruto. - pediu segurando minha mão.

Eu realmente queria voltar, mas ainda sentia que o abismo que havia entre nós em contraste com a intimidade que havia entre Sakura e ele eram um empecilho que me magoava muito.

– Não sei, eu gostaria de um tempo pra pensar. - falei.

– Podemos trabalhar nisso, realmente quero que dê certo. Posso te dar um tempo, mas preciso que pelo menos volte para os nossos aposentos e fique perto de mim. Eu me preocupo com a sua segurança e você não está seguro perto do Príncipe. - ele disse.

– Como assim? O que quer dizer com isso? - perguntei.

– O assassinato da regente Kankuro, acredita-se que foi algum tipo de golpe e que o próximo será o Príncipe Sabaku. Não conte a ninguém, mas existem rumores de que as mortes do Rei e da Rainha não foram um acidente. - contou.

Empalideci na mesma hora, Gaara havia dito algo a respeito, mas eu não havia acreditado por não conseguir imaginar alguém fazendo mal a duas pessoas tão boas. O pai de Gaara foi o melhor rei que já existiu e ainda me lembrava da Rainha tão bondosa comigo quando esteve em Konoha com seu filho.

– Mas se isso é verdade, tenho que contar a Gaara, ele está correndo perigo! - falei preocupado.

– Não é necessário, a guarda real já sabe disso e estão fazendo o possível pra descobrir quem está por trás. O Príncipe já está sendo alertado sobre os perigos e sinceramente, não há muito que você possa fazer sobre. Eu não suportaria se algo acontecesse a você, Naruto. Não sei se conseguiria viver com isso. - ele me puxou para seus braços.

Eu não esperava aquele gesto e não o afastei, talvez por causa da notícia que havia acabado de receber. Quando se sabe algo assim, fica-se mais próximo das pessoas a quem amamos.

Pela maneira como ele falou, compreendi que ninguém da nobreza estava seguro, especialmente nós que éramos aliados e servos leais do Príncipe.

– Olha, vou voltar para os nossos aposentos, mas isso não significa que eu vou abandonar Gaara no momento em que ele mais precisa de mim. Sou o melhor amigo que ele tem e já foi difícil não poder estar com ele quando os pais morreram. - falei.

– Estou de acordo, também não estou pedindo para abandoná-lo. O Príncipe Sabaku parece ter um bom coração, como os pais dele. Apenas quero estar perto de você e garantir que estará seguro. - explicou.

– Está bem, posso viver com isso, mas eu ainda estou magoado com você. - declarei.

Eu estava aceitando a proteção de Sasuke por nosso filho, apesar de ainda não ter contado sobre a gravidez.

– Também posso viver com isso, por enquanto. Vamos? Precisamos nos arrumar para a cerimônia fúnebre. - estendeu o braço na minha direção.

Segurei em seu braço e caminhamos juntos para o Castelo.

 

~...~

 

A cerimônia fúnebre de Kankuro foi triste e solene. Eu não gostava muito dele em vida, pois era mais um desses nobres arrogantes que menosprezam as pessoas simples do povoado, mas ainda assim me senti mal por sua morte.

Kankuro também estava longe de ser uma pessoa querida para Gaara, mas ainda assim ele pareceu devastado com sua morte.

Depois de pronunciar as palavras sobre o falecido, Gaara aproximou-se de mim e eu o abracei.

– Sinto muito, Gaara! - falei enquanto acariciava seus cabelos.

As lágrimas molharam as roupas negras que eu estava usando.

– Estará comigo no Baile do Réquiem? - perguntou.

– Com certeza que sim, o Duque e eu lhe daremos todo o apoio, não vou te deixar sozinho. - prometi.

Se antes eu havia planejado fugir, agora com certeza teria que colocar esses planos de lado, não podia deixar Gaara em uma situação tão difícil.

– A coroação acontecerá mais cedo por causa disso. Querem que eu assuma agora, pois não querem um novo regente. Tudo estava previsto para depois que eu me casasse com Lee, mas decidiram apressar as coisas e serei Rei antes de me casar. Estou aterrorizado, Naruto. Ainda não me sinto pronto. - Gaara me confidenciou.

Segurei suas mãos e olhei em seus olhos tentando passar confiança.

– Tenho certeza de que se alguém nessa Côrte pode ser um bom Rei, esse alguém é você, Gaara. Tem a mesma bondade e generosidade no coração que sua mãe possuía, se preocupa de verdade com o bem estar do povo independente de suas classes sociais e tem a força de seu pai. - falei.

– Ah, Naruto! Espero que esteja mesmo certo! Ainda bem que você está aqui comigo dessa vez. - falou apertando minha mão.

Dei um sorriso.

Lee se aproximou para consolá-lo também, sentíamos que Gaara necessitava de muito apoio naquela hora, por isso ignorei os avisos de Sasuke para que eu ficasse mais distante dele.

Após o jantar, quando voltamos para nossos aposentos, Sasuke sentou-se na cama ao meu lado e me encarou.

– Naruto, me disseram uma coisa, gostaria de saber se é realmente verdade. Ouvi rumores de que você está grávido. - ele disse.

Quase dei um salto pensando em como aquilo havia ido parar no ouvido dele, já que eu queria dizer pessoalmente.

– Não são apenas rumores, é verdade, mas quem foi que contou? - perguntei.

– Ouvi aquela menina, Princesa Temari comentando. Por que você não me disse isso? - ele pareceu ressentido como se eu tivesse escondido algo muito importante dele.

Ah, a maldita boca grande de Temari! Podia entender um pouco porque Gaara a achava tão irritante, apesar de provavelmente ela não ter deixado escapar a novidade por mal.

– Eu estava indo te contar, quando o peguei conversando com aquela mulher. Tinha acabado de descobrir, mas fiquei muito magoado com você e acabei não falando. - expliquei.

Ele tomou minhas mãos nas suas, sua expressão era indecifrável.

– Eu não sabia disso! Um filho! Por isso esteve se sentindo tão mal. - falou.

– O que você acha disso? - perguntei.

Queria saber se ele gostava da idéia de ser pai ou não. Prendi a respiração para ouvir sua resposta.

– Bem, eu gosto. Sempre gostei muito de crianças e um filho com você será muito bem vindo. - ele disse com animação. - E quanto a você? O que acha disso?

– Eu ainda não sei direito. - decidi ser sincero. - Nunca me imaginei encarando a paternidade, acho que não levo muito jeito pra isso, mas também já tenho sentimentos pelo pequeno. O que me deixa triste é a idéia de que o pai dele tenha tantos segredos. Serei o progenitor de uma criança sem nunca nem ter visto o rosto do pai dela. De um homem que pode mostrar como é de verdade pra outra mulher e não a mim.

– E se eu mostrasse e você não gostasse? Não acha que seria muito pior? - perguntou.

– Não acho que pode ser pior do que isso. Você fala como se eu fosse um jovem qualquer imaturo que vai sair correndo se vir você. Isso me magoa. - expliquei.

– Está bem, Naruto. Se é isso que você quer, então você terá. - respondeu.

Suas mãos foram até a máscara e prendi a respiração no momento em que ele começou a tirá-la.

Não era tão ruim assim, o rosto de Sasuke, ao menos não a primeira vista.

A pele era branca, um pouco mais do que a metade de seu rosto que vivia descoberta e marcada por algumas cicatrizes de queimaduras, em maior concentração abaixa do olho, descendo na direção da boca e bem menos na testa. Era nítido o contraste com o belo e jovem lado do rosto descoberto, mas nada que eu não pudesse olhar.

Ele não se parecia com um monstro. Me aproximei mais dele e com minha mão o toquei pra sentir a textura.

– Não vai sair correndo assustado? - perguntou.

– Não, não é tão ruim quanto pensei. Esperava algo bem pior. - falei sorrindo.

Deslizei a mão por seu rosto e pus uma mecha de seu cabelo atrás da orelha.

– Mas mesmo que fosse, ainda seria você. Eu jamais sairia correndo de você. - disse com firmeza olhando-o nos olhos.

– Ah Naruto! - soltou um suspiro e olhou para a máscara em sua mão.

Tomei a máscara de suas mãos e pus na cabeceira da cama, depois sentei-me no colo de Sasuke e o beijei.

Ele não esperava aquele meu gesto e retribuiu o beijo, eu precisava mostrar pra ele que ainda o amava, do jeito que ele era, por mais que talvez ele não merecesse.

– Como eu te amo! - falou e deslizou a mão na direção do meu ventre. - E vou amar muito o nosso bebê, principalmente por ser meu filho com a pessoa que eu mais amo. Não se afaste de mim de novo novamente.

Aproximei os lábios de seu ouvido e sussurrei:

– A única coisa que pode me afastar de você é aquela mulher. Eu a odeio, por favor, não seja mais amigo dela, enterre o seu passado e pensa no nosso futuro. Não quero ela na nossa vida. Mesmo você dizendo que ela é noiva de outro homem e não tem mais nada com ela, me incomoda saber que um dia você a tocou. - implorei.

Eu sabia que estava abusando um pouco do poder que meu bebê estava me dando, mas sentia muito ciúmes e queria que o Duque se afastasse pra sempre de Sakura.

– Naruto, você está exagerando. Entendo que sinta ciúmes, mas ela não é uma má pessoa, foi ela quem me aconselhou a mostrar como sou de verdade pra você. Era sobre isso que estávamos falando naquele dia quando você nos flagrou. - falou.

– Era sobre isso? Tinha medo da minha reação? - perguntei.

– Sim. Sakura estava justamente me dizendo que eu deveria dar uma chance a você, pois se você gostasse de verdade de mim como disse não iria se importar com as cicatrizes e que tinha o direito de ver por inteiro o homem com quem se casou. - ele disse.

Tinha que concordar com ela nesse ponto, se era mesmo a verdade, talvez ela não fosse mesmo tão ruim quanto eu pensava.

– Está bem, se ela disse isso talvez não seja má pessoa, mas mesmo assim eu me sinto mal quando você fica perto dela. É da mesma maneira como você se sentiria se eu me tornasse amigo de Inuzuka Kiba ou quando você me vê conversando com Lord Akasuna. - expliquei.

– Já expliquei que é diferente, mas está bem. Se é dessa maneira que você se sente, então vou evitar Sakura. Particularmente não acho que ela mereça isso, mas farei isso por você porque nosso casamento é muito mais importante. - falou.

– Você promete? - pedi.

– Prometo, Naruto. O que eu não faço por você? - Sasuke prometeu.

Sorri com a mais pura felicidade e o abracei muito forte.

– Muito obrigado, milorde! Não sabe a alegria que está dando a mim e ao nosso bebê! - falei.

– Só mais uma coisa - falou fazendo com que eu o encarasse. - Vamos parar com essa história de milorde. Percebi que estava sendo tolo em permitir que continuasse me chamando desse jeito. Se pode chamar aquele moleque e até mesmo o Príncipe pelo primeiro nome, então a partir de hoje quero que me chame de Sasuke.

– Até que enfim! Pensei que nunca fosse dizer isso, Sasuke! - falei.

Ele riu e começou a fazer cócegas em mim.

Naquele dia senti que todas as barreiras entre nós haviam sido rompidas. O dia pode ter começado triste por causa das mortes de Kankuro e Konan, mas acabou se tornando um dos dias mais felizes da minha vida.


Notas Finais


Espero que tenham gostado da reconciliação dos dois, deixem nos comentários suas opiniões.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...