História Beloved MinHo (2Min) - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Lee Taemin, SHINee
Personagens Jinki Lee (Onew), Minho Choi, Taemin Lee
Tags 2min, Choi Minho, Drama, Lee Taemin, Lemon, Romance, Shinee, Yaoi
Exibições 42
Palavras 1.022
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drabble, Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Shoujo-Ai, Slash, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 9 - Lágrimas


Passaram-se três semanas e, nesse período, Jinki veio visitar-me em Cheongju. Ele entregou-me à vista um envelope com dinheiro e não ficou por mais de duas horas, uma vez que não queria criar suspeitas à respeito de nada. Depois daquele sábado, eu não tive contato direto com mais ninguém além de Jung, pois a neve interditara todo o meu trabalho de vender minha arte e MinHo sumira do meu mapa. A ultima vez em que o vi fora no centro da cidade, como comentei. Ele não recebera minha mensagem ou atendera às minhas ligações. 

Todo o meu tempo era gasto pensando no que eu poderia ter feito ou dito para que MinHo não quisesse ter mais contato comigo. Ele era meu único amigo na cidade, pois chegava a considerar Jung uma segunda mãe. Mas, depois de um certo tempo, coloquei em minha cabeça que nossa amizade não tinha nada de especial, pois, para ele, eu só era mais um para aumentar sua lista de conhecidos, - mesmo não sabendo se isso era verdade, permaneci com a ideia na cabeça, porque era mais fácil tê-la do que pensar que algo poderia tê-lo ocorrido. 

[22/01/16 às 09:23AM] TaeMin: Como está o seu amigo?

[30/01/16 às 07:06AM] TaeMin: MinHo, poderia buscar sua encomenda hoje na loja de Jung?

[04/02/16 às 11:01PM] TaeMin: Está tudo bem com você?

[04/02/16 às 11:01PM] TaeMin: Eu disse-lhe algo com que se magoou?

[04/02/16 às 11:02PM] TaeMin: Por favor, entre em contato o mais brevemente possível.

[07/02/16 às 00:046PM] TaeMin: MinHo????

Consegui então pagar, com a ajuda de meu melhor amigo, grande parte das minhas contas e, com sucesso, meu notebook fora vendido por um preço mixuruca. O aluguel estava em dia e eu tinha recuperado a água quente, pois, cai entre nós, se eu morresse congelado seria um prejuízo ao dono da casa. Brincadeiras à parte, estava estabilizando-me na cidade e havia feito compras, tinha conseguido um pequeno "emprego" tirando a neve da calçada de um comércio local e ganhava de acordo com a vontade e bom-humor do meu chefe. Eu não podia ter sonhado com coisa melhor, podia?

Eu já não tinha mais encomendas e arrependera-me de ter comprado aquele material para desenho, quando eu não aguentava mais ver uma folha de papel. Estava realmente lutando para manter-me de pé com o pouco que eu tinha, - sem comentar que tive que, sozinho, consertar o encanamento da pia da cozinha, depois que o acúmulo de comida fez-a entupir -. Começara a arrepender-me de ter deixado Seoul e alguns problemas para arranjar outros ainda maiores. 

Essa fora minha vida em algumas semanas resumidas em alguns pequenos parágrafos. Provavelmente, você está querendo saber à respeito de MinHo, e eu também, admito. Até que, no meio da noite, enquanto pensava sobre a possível possibilidade de voltar à minha cidade natal, recebi uma mensagem dele, onde dizia:

[06:01AM] Choi MinHo: Estou bem, não preocupe-se. 

Curto e direto, fora como ele agiu naqueles 25 caracteres. Assim que a recebi, corri para logo respondê-lo, em uma ansiedade e alívio e mal cabiam no peito.

[06:02AM] TaeMin: Você sumiu... Aconteceu algo? Como está seu amigo?

Houve um intervalo de quase 10 minutos entre o momento em que ele visualizou-a e o momento em que respondeu-a. 

[06:11AM] Choi MinHo: Ele faleceu há algumas semanas.

Foi aí em que eu percebi o real motivo pelo qual ele desaparecera. Simplesmente não sabia o que falar-lhe, então pensei na possibilidade de vê-lo e talvez dizer-lhe algo motivador, ou simplesmente deixa-lo passar por isso sozinho. Respirei fundo, um tanto apreensivo.

[06:13AM] TaeMin: Posso vê-lo hoje? 

 [06:17AM] Choi MinHo: Não estou apresentável ultimamente. 

 [06:17AM] TaeMin: Não me importo. - admiti pensando no fato de talvez estar preocupando-me demais. - Quer passar aqui em casa? A neve talvez não faça bem e... Estou com sua máscara e o desenho para entregar...

 [06:21AM] Choi MinHo: Passe-me seu endereço. 

Disse-lhe que iria encontra-lo em um ponto de referência perto de onde morava e, ele assim concordou-me. Não sabia o horário, pois não havíamos marcado-o, mas eu, logo depois de bloquear o celular, levantei-me para trocar de roupa e tirar os copos e restos de comida pela casa e ir até esse ponto. Não estava 100% claro, já o sol estava nascendo, a neve tornara-se ainda pior e eu esfregava minhas mãos, umas nas outras, procurando esquentá-las. MinHo logo apareceu, em meio ao branco, sempre bem-vestido. Não prestei atenção ao mínimos detalhes, simplesmente cumprimentei-o e fomos até minha casa. Tirando a touca e batendo os pés no carpete, eu passei pela porta, seguido por ele.

— Desculpe pela bagunça... —  eu dizia. — Eu não sou muito bem organizado e, talvez isso você já tenha percebido... —  eu tirava o cachecol, colocando-o sobre o braço do sofá quando virei-me para olha-lo. Ele tinha o rosto abaixado, olhando seus sapatos e a porta pela qual passara ainda estava aberta. Estranhei-o e também o fato de ele não ter dito nada desde que nos vimos, - era somente eu o animado ao vê-lo? -, e o seu longo intervalo entre mensagens. Tímido, aproximei-me dele e tentei fazer com que ele erguesse o rosto. — ...MinHo...? —  eu sussurrava. — ...Olhe para mim...

Então levantou o olhar. Tinha os olhos irritados por conta do choro, o rosto úmido de lágrimas e aparentava ter emagrecido mais de cinco quilos desde a ultima vez em que o vi. Sem saber como reagir, - e isso era nítido em minha face surpresa -, eu passei a manga da blusa no canto inferior de seus olhos e mantive-lhe um contato visual. 

—  Vai ficar tudo bem... Ele... Não gost....

Eu tentava falar algo acolhedor, até que sufocadamente, ele envolveu seus braços em minha cintura, inclinou-se, apoiando sua cabeça em meu ombro e, silenciosamente, começou a chorar. Abracei-o, sem muito saber o que fazer ou o que falar. Levei minha mão gelada até a parte de trás de sua cabeça, acariciei-o os fios de cabelo, enquanto fitava a parte superior de uma união entre duas paredes mofadas. Senti que ele apertou-me contra seu corpo, o que me fez franzir o cenho e fechar os olhos, enquanto ouvia-lo, em um chiado, chorar. 

 

 


Notas Finais


Sabe aquele pressentimento de que a história está enrolando e vocês não estão gostando? Então, estou com ele no momento ><


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...