História Bem Me Quer, Bem Me Pague - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Chanyeol, D.O
Tags Agorafobia, Chansoo, Texting
Exibições 113
Palavras 1.541
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 4 - Let's talk sugar 4


- Então, aqui diz que você tem que ser interessante no seu primeiro encontro com seu SD. Seja você mesmo, mas demonstre confiança, sabe? Você quer aquilo e está certo disso, mas tome cuidado para-  – Baekhyun falava alguma coisa, eu escutava mas não entendia direito, era como se eu estivesse assistindo um filme sem prestar atenção – está me escutando, Kyungsoo?

- Estou sim... – suspirei. Estamos sentados em um banco na praça, um carro virá nos pegar e nos levará para o Chanyeol, não achamos boa ideia ele saber meu endereço logo de cara, sendo que nem sabemos se vamos dar certo. Agora que está tão perto, sinto que não sei direito o que estou fazendo.

- Você tem certeza que está bem com isso? A gente pode voltar agora...

- Não, eu quero fazer isso. – assenti para mim mesmo, fechando minha mão em punho e quase soltei um FIGHTING quando peguei o olhar de Baek. Ele tem me ajudado bastante, até pesquisou sobre o assunto, além de ser paciente comigo.

- Kyung, um conselho. – ele disse, apontando o dedo para mim – não pense no dinheiro, não pense em site de relacionamento nem em compromisso. Você está indo conhecer um cara legal e interessante. Só isso.

Pensando assim fui começando a me sentir mais confiante, realmente eu não preciso ficar nervoso. Esse encontro vai ser tão natural quanto encontrar um homem qualquer, eu não sou obrigado a aceitá-lo, assim como ele também não é obrigado a me aceitar.

Vamos jantar, conversar e se no final nos dermos bem, levaremos isso a diante.

Olhando por esse ponto acho inclusive que posso fazer isso sozinho, ninguém levaria um amigo num encontro, não tem motivo para eu torturar o Baek desse jeito. Nós dois procuramos Chanyeol no Google ontem e com certeza ele não é um maníaco que quer arrancar meus órgãos e vender. Não como se isso iria estar escrito na Wikipedia dele, mas ele é conhecido por seu trabalho, tem condições de ser SD.

- Baek – eu disse e vi um carro prata se aproximando, era do mesmo modelo que Chanyeol disse que o pegaria, um homem saiu, todo vestido de preto, deve ser o tal motorista. – eu irei sozinho. Está tudo bem.

- Sério? – disse arregalando um pouco os olhos.

- Sim. Obrigado, Hyung. – o abracei, que riu me abraçando de volta.

- Vai lá Kyungsoo, boa sorte.

- Isso.

- pega esse milionário.

- ISSO.

Deixei o Baekhyun e fui em direção ao homem que olhava em volta, provavelmente me procurando.

- Oi – disse sorrindo.

- Oi – olhou para mim, o homem tinha olhos grandes de gato e um sorriso gentil – Você é...

- Kyungsoo.

- Sim, por favor entre, eu sou seu motorista hoje. – disse abrindo a porta para mim. Eu me virei para Baekhyun que ainda permanecia no mesmo local, sorrindo feito louco. Lhe mostrei um joinha e entrei no carro.

/

A casa de Park Chanyeol era exatamente como eu imaginava, não nos detalhes, mas era grande e cheia de coisas caras, tipo de coisa que tem nos dramas onde o personagem é rico. O motorista que se apresentou como Minseok entrou comigo e me pediu para me sentar enquanto ele busca Chanyeol. O sofá era tão bom que eu quase cochilei, pelo menos não estava em pânico.

Escutei passos e me levantei de pressa, olhando para ver um homem alto, olhos grandes e curiosos, orelhas bem visíveis que me confirmam que esse é Park Chanyeol, com quem eu tenho falado nos últimos dias.

- Kyungsoo – ele disse, sua voz grossa me surpreendendo, antes que eu respondesse me vi de cara com peitos largos. Oh, eu estou sendo abraçado nesse momento, pensei respondendo o abraço, não sou de abraçar as pessoas, mas tentei. – eu estou muito contente que você veio, o jantar daqui a pouco será servido, Minseok te tratou bem? Ele é uma graça não é? Eu marcaria isso em um restaurante, mas não é uma boa ideia...

- Ah, está tudo bem – eu disse, com meu talento conversacional, estou fazendo um ótimo trabalho até agora, parabéns eu. Sarcasmo.

- Então – Chanyeol suspira, será que já estou entediando ele? Mas foram só três minutos. – sabe Kyungsoo.. eu não imaginei que você fosse assim..

- O que? – eu disse, sei que não posso julgar, ele ainda não explicou,  mas não consigo evitar que um sentimento estranho tome conta de mim, meus olhos começando a queimar.

- Quero dizer.. – Chanyeol se sentou no sofá e me puxou pelo braço com ele – eu acho isso tudo tão estranho, você é uma pessoa de verdade. No site que me cadastrei tem uns cartões de visita com um homem com óculos escuros a noite e uma mulher vestida de vermelho tomando champagne, no banco de trás de um carro. Aqui eu tenho um rapaz real e ele nem consegue olhar para mim. – riu um pouco.

- Você queria que eu fosse como os modelos das fotos?

- Não, eu gosto de você assim – ele tocou em mim com um indicador enorme, seus olhos são brilhantes e estão sorrindo. Acho que estou ficando muito poeta. – me diz a verdade, você achou que eu fosse assim? – apontou para sua forma geral.

- Achei que você fosse sedutor e misterioso – eu disse, seu rosto está mais próximo, eu devo ter me aproximado dele – como o Christian Grey.

- Você e esse cara de novo – Chanyeol revirou os olhos, mas estava rindo, dentes a mostra. Eu ri também, me lembrando porque gostei de falar com ele.

Alguém clareou a garganta e olhamos para Minseok olhos de gato sorrindo para nós.

- O jantar está servido, Senhores. – Eu Senhor também? Me sinto importante. Mas espera, ele não é o motorista?

- Seu motorista é cozinheiro também? – perguntei enquanto acompanhávamos Minseok, Chanyeol andava ao meu lado, olhei para cima para ver ele me olhando também.

- Não, ele gosta de fingir que é meu mordomo. – disse olhando para o rapaz a nossa frente por um momento – ele é mesmo um bom amigo para mim.

- Ah, está bem então. - assenti. 

/

Quanto mais eu conversava com Chanyeol melhor eu me sentia próximo dele, sou alguém de poucos amigos e não me dou bem com todas pessoas, mas me sinto bem com Chanyeol e não preciso fingir, contar piadas, eu estou sendo eu como Baekhyun aconselhou.

Depois do jantar Chanyeol pediu para me levar até o portão onde o carro para me levar estava, Minseok já estava me esperando e andávamos devagar. A noite estava bonita, boa para um passeio. Chanyeol me explicou sobre seu caso de agorafobia, sobre como ele não sai sozinho e não vai a certos lugares, eu não conheço os limites dele, não devo pedir apesar da noite bonita.

- A noite foi muito agradável para mim, Kyungsoo – Chanyeol disse, nós dois paramos no portão, o carro não muito longe de nós – Eu descobri que deveríamos ter falado sobre isso antes de nos encontrarmos, mas já que não falamos, eu deixei para o final.

- Sobre o que? – perguntei curioso, Chanyeol estava sério, mas não parecia ser algo pesado.

- O que você quer? – a pergunta me pegou de surpresa, nem sei direito se eu entendo o que ele quer dizer, parece que ele entendeu pela minha falta de resposta e começou a falar de novo – eu quero companhia, quero esquecer os meus estresses, do meu trabalho, quero agradar você também, quero que nós dois fiquemos contentes com o arranjo, eu quero fazer qualquer coisa por você.

Eu desviei o olhar para meus sapatos, tão estranho alguém contar tanto de si assim, não sei me expressar, como contar para ele o que eu quero, como não soar como um aproveitador?

- Algo com benefícios mútuos e sem cobranças? Talvez seja isso que eu esteja procurando – eu não sei se estava pensando direito, mas agora vejo que não tenho palavras –  eu quero começar devagar e ver o que acontece, acho que o que quero vai além do luxo, eu quero sentir que alguma coisa é real, não consigo te explicar... acho que sou melhor com mensagens.

- Você quer ser o único então.

- Sim. – quase gritei, meu Deus me socorre, joga um raio, faz Jesus voltar assim todo mundo vai estar preocupado com o apocalipse e essa conversa não tem que acontecer.

- Vamos fazer o seguinte, você me manda por mensagens no que eu posso ajudar você – o financeiramente não dito ficou bem no ar – e nós combinaremos como vamos nos ver e o que vamos fazer.

- Ok – disse por fim, Chanyeol me abraçou de novo. Percebi que paramos em frente ao portão, sem sair para a rua.

- Você é uma coisa – disse apertando minha bochecha, encarei ele com o que eu espero ser minha cara de julgamento e ele me soltou, sorrindo tímido. – desculpa, falamos depois. Boa noite Kyungsoo.

- Boa noite. – disse e Chanyeol abriu o portão, eu saí e olhei para ele que permaneceu do outro lado.

Chanyeol apenas piscou para mim e eu corri para o carro, Minseok abriu a porta, eu entrei e não olhei para ver se Chanyeol ainda estava lá ou já estava voltando para dentro.

Estou sonolento, falar de sentimentos é muito cansativo.


Notas Finais


Já dizia o Red Velvet:
Keojineun Heart b-b-beat
Ppallajineunde
Neodabji anhge Heart b-b-b-beat
Georyeo nareul bol ttae
Majimak nameun sungankkaji
Jeomjeom dagaoji Crazy
Ajjilhage gyeonun Russian Roulette
Ah-ah-ah-yeah
La-la-la-la-la (neon imi)
Heart b-b-b-beat


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...