História Bem vinda ao seu melhor pesadelo - 2 Temporada - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Eldarya
Visualizações 21
Palavras 1.952
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Fantasia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá! Estou de volta.
Aqui está o cap que eu disse que traria, vou tentar trazer o próximo na sexta feira que vem.
Boa leitura!

Capítulo 4 - Precisamos voltar ao passado...


 

 

   - Ezarel. – Leiftan chamava enquanto batia na porta do laboratório. – Você sabe onde está a Eclaire?

   - Eu não a vi durante toda a manhã. – o elfo não parava de mexer em seus frascos testando novas poções. – Ela não está no jardim?

   - Não, será que ela foi embora por causa de toda a confusão?

   - Ela não é disso.

   - Ezarel pense bem anos se passaram, ela não é e nunca foi uma garotinha inocente.

   O elfo finalmente parara o que estava fazendo para encarar o lorialet. Entraram num consenso de organizar um pequeno grupo para procurá-la. O grupo era pequeno, afinal ela não poderia ter ido tão longe, sendo composto por Nevra, Ezarel, Leiftan e Karenn.

   - Vocês tanto falam de quando essa garota chegou, mas eu não me lembro dela aqui no QG. – Karenn reclamava.

   - É claro que não, você passava praticamente todo seu tempo trancada no quarto. – seu irmão lhe dava um sermão, enquanto ria da face nervosa que ela fazia. Nevra parava de andar e fechava os olhos sentindo um cheiro familiar próximo. – Eu a encontrei, não está muito longe.

   - Onde ela está? – Leiftan perguntava ainda calmo.

   - Se formos pela praia logo acharemos ela.

   - Se importam se eu for sozinho? – o loiro questionava. Todos arqueiam uma sobrancelha, mas não contestavam, esperavam uma explicação para aquele pedido. – Creio que ela não queira que muitas pessoas a questionem nada no momento, se apenas um de nós for acho mais provável de ela conversar.

   - Ele tem razão... – Ezarel comentava. – Traga ela de volta a salvo.

   - Não se preocupe.

   Nevra, Karenn e Ezarel já davam meia volta rumo ao QG, nisso Leiftan seguia para a praia para continuar procurando Eclaire. Não foi preciso muito para que ele a encontrasse, ela estava agachada na areia desenhando alguma coisa com um graveto.

   - Eclaire? – Leiftan a chamava. Ela o encara com os olhos entristecidos. Era a primeira vez que o lorialet via tanto rancor naqueles pequenos oceanos. – Tudo bem?

   - Por que veio atrás de mim? – ela se virava novamente para o desenho que fazia.

   - Você sumiu do nada, ficamos preocupados.

   - Mas quando eu cheguei ninguém parecia feliz... – ela não chorava, mas era óbvio que fazia esforço para segurar a tristeza.

   - Só tomamos um susto, não esperávamos ver você de novo.

   - Eu não entendo...

   - Não se preocupe, logo você vai entender. – Leiftan estava sentado ao lado da garota, ele se levantava e estendia a mão para que ela a segurasse e pudessem voltar ao QG. Para a surpresa dele, ela se encolhe quando percebe sua mão estendida.

   - Eu não quero entender logo... Quero saber porque o Valkyon não suporta ficar perto de mim, porque os outros sempre fazem cara de dó quando me vêem, e porque aquela raposa sempre tem que segurar o choro perto de mim. – ela fecha os olhos com força e agarra seus braços num abraço em seu tronco. – Eles têm músicas tão tristes... E tudo por minha causa...

   Ele suspira derrotado, não conseguia esconder alguma coisa daquela pequena criaturinha. Ele se ajeita e volta a se sentar ao lado da garota, que parecia um tanto quanto surpreendida com o ato dele.

   - Acho que você tem direito de saber já que tudo te envolve. – ele coça a nuca brevemente antes de continuar. – Há oito anos atrás você ajudou Valkyon, salvou a vida dele e trousse um artefato muito importante. Você se envolveu muito como todo mundo, principalmente com o Valkyon, e depois de um ano o QG foi atacado por um grupo de assassinos e você morreu nesse incidente.

   - E-Eu morri...?! – ela repetia.

   - Bom... Nós achávamos que sim, até você reaparecer junto de Roullyne e Mikaela. – um breve silêncio pairou sobre eles.

   - Foi por isso que ficaram tão assustados?

   - Exato. – ele balançava a cabeça junto da resposta. – Miiko não queria que você soubesse de nada para que se fosse uma armadilha não saíssemos prejudicados.

   - Entendo...

   Era muita informação para processar de uma vez só. Ela já havia morrido? Como havia voltado? Ou então quem cuidara dela por tanto tempo? Tantas perguntas que não se calavam em sua mente.

   - Eclaire, como você ficou viva?

   - Eu não sei...

   - Você morreu e foi ressuscitada então? – ele insistia em obter respostas.

   - E-Eu não sei. Eu não me lembro de nada.

   - Do que você se lembra?

   - De uma voz, e depois de acordar na praia, pouco depois aquelas duas garotas me acharam aqui.

   - Tenho certeza que vamos recuperar sua memória. – Leiftan se levantava e estendia sua mão novamente. Dessa vez ela aceitava e se levantava com a ajuda do loiro. – Vamos voltar.

   Ela assente com a cabeça e vai o caminho todo até Eel cabisbaixa. Sua tristeza havia passado de certa forma, agora sabia um pouco mais sobre o que havia de tão ruim em sua estadia naquele lugar, mas a confusão de como tudo chegara naquele ponto era evidente. A angustia de não se lembrar dos momentos que tivera com cada e um e de não saber o quão importante eles eram, a fazia tremer de medo.

   Quando chegaram foram recebidos por Nevra e Shaitan, o Black Gallytrot do vampiro.

   - Bem vinda de volta pequena. – o moreno passava a mão nos cabelos loiros. O que chama sua atenção é ver que ela estava completamente vidrada na criatura atrás de si, os olhos dela chegavam a brilhar.

   - De quem é ele?

   - Esse é o Shaitan, meu familiar!

   - Ahh, eu posso brincar com ele?!

   - Eu não aconselho, ele é- não houve tempo para protestar, quando se deu conta Eclaire estava abraçando o animal e o fazendo carinho.

   Segundos e Eclaire se afasta do Black Gallytrot bruscamente, parecia que havia levado um choque depois de tocá-lo. Nevra e Leiftan se encaram preocupados.

   - Eclaire está tudo bem? – o vampiro perguntava.

   - Está sim, eu só... Deixa pra lá. – ela sorria largo como de costume. Nevra e Leiftan sabiam que havia algo de errado, mas não poderiam pressioná-la.

   Talvez fosse parte de suas memórias voltando, não queriam atrapalhar ou fazê-la se esquecer. Miiko logo aparece na sala das portas chamando Nevra e o guiando até a sala do cristal, tinha uma missão pra ele, e considerava essa missão de extrema importância.

   - Tão urgente assim?

   - Sim, as instruções estão com Ykhar, todas por escrito, nada deve ser comentado pelo QG.

   - Tudo bem, eu pego as instruções com ela e parto imediatamente.

   - Não é apenas isso. – o vampiro arqueava uma sobrancelha com a fala de sua superior. – Você deverá ir acompanhado, essa missão pode se tornar perigosa.

   - Miiko você sabe que eu-

   - Sei muito bem que trabalho em grupo não é o seu forte Nevra, mas você não vai sozinho nessa missão. Nem que seja um novato apenas pra lhe ajudar em coisas simples.

   - Certo, então você sugere alguém? – o vampiro estava impaciente com a decisão da raposa, Valkyon estava tão distraído e nervoso que levá-lo seria um risco em potencial, Ezarel agora era pai, não podia levá-lo e deixar que Roullyne cuidasse de ambas as filhas sozinha, e com certeza não levaria Karenn exatamente por ser muito perigoso.

   - Cuide disso você, assim poderá escolher alguém que tenha mais afinidade.

   Nevra bufava de raiva e saia da sala do cristal, imaginava quem levaria para a missão. Talvez Alajéa...? Não, ela ficaria mais preocupada em se agarrar com ele do que cumprir a missão. Tinha que pensar em alguém, Miiko o obrigava a fazer a missão em grupo.

   - Ykhar eu preciso- se interrompeu quando avistou a humana conversando com a Brownie animadamente.

   - Ah Nevra, aqui está o que você precisa, e já sabe com quem fará a missão?

   - Ainda não encontrei ninguém pra me acompanhar. – ele solta um suspiro. – Parece que todos estão ocupados.

   - Talvez eu possa te acompanhar? – Mikaela ficava de prontidão a frente do moreno sorrindo largo.

   - A missão é perigosa, não aconselho.

   - Hm... Tudo bem, mas se precisar eu ainda estarei disponível.

   Pouco tempo depois e Nevra já estava de volta na biblioteca chamando a humana para o acompanhar na missão, ao final realmente não havia muitas opções pra ele escolher. Se arrumaram e em questão de minutos já estavam saindo do QG.

   Nevra abria o envelope com as instruções da missão enquanto caminhava para fora do QG, Mikaela o acompanhava em silêncio esperando as ordens. Apesar de que o vampiro franzia o cenho com suas “instruções”. A começar com o primeiro tópico dizer o local exato em que a guarda da Cruz fora totalmente exterminada. Contudo apesar de ser tudo estranho ainda não dizia o verdadeiro motivo de estarem indo para lá.

   - Você já está calado há um bom tempo... Tudo bem? – Mikaela tenta a o acompanhar e o analisava de cima a baixo desconfiada com o silêncio absoluto que se mantinha há quase duas horas.

   - As instruções não são claras como eu gostaria que fosse, apesar de que sei o que provavelmente devemos procurar.

   Mikaela tira das mãos do vampiro o papel e o lia atenta tanto a sua volta quanto ao que lia. Porém ainda tinha algo que a incomodava, tudo pelo que estavam passando era perturbador e ficava ainda mais assustador com o fato de nem mesmo Miiko saber de absolutamente nada.

   - Hm... Nevra e a garota?

   - O que tem ela?! – não era necessário mais pra que ele entendesse que se tratava de Eclaire, afinal desde que ela chegara todos só falavam nela.

   - É seguro deixar ela no QG sem saber como ela voltou dos mortos?

   - É exatamente isso que estamos indo procurar.

   - Mas as instruções falam sobre grupos humanos... Não faz sentido. – a garota esbravejava com o papel em mãos enquanto relia cada tópico.

   - E se dermos sorte encontraremos também o motivo da Eclaire ter voltado subitamente.

   - Então ela tinha/tem uma ligação com organizações humanas?

   - Não só ela, mas toda Eel tinha uma ligação com um grupo humano em específico.

   - Tinha?!

   - É, tinha. Todos eles foram assassinados por outra organização enquanto o QG sofria um ataque do mascarado.

   - Mascarado?!

   - Roullyne não mencionou nada dele pra você? – a garota apenas balança a cabeça em negação fazendo Nevra suspirar pesado. – Você ainda tem muito o que saber então...

   - Estou aqui apenas há seis meses e duas semanas. – ela inquiria fazendo bico. De alguma forma a careta de Mikaela conseguiu arrancar um sorriso do vampiro. Desde que Eclaire aparecera rodos estavam tensos e nervosos, ele achava que finalmente conseguiria relaxar e sair do clima de tensão.

   Aproveitaria também a oportunidade pra conseguir algo com a humana, ela era a primeira garota que não caia em seu charme, todas as investidas falhavam miseravelmente, o fazendo sentir ainda mais desejo por ela. Porém sempre a escutava falar sobre Valkyon, como ele era forte e como gostaria de aprender a lutar com ele, entre outras coisas.Sentia certo ciúme ao ouvir tais coisas, e o pior era sempre saber que o coração de seu amigo brutamontes seria para sempre de Eclaire.

   Pararam de andar numa pequena área maia aberta na floresta. Nevra encarava o lugar com amargura pelas más recordações e ainda pela má fama que o lugar tinha.

   - Aah céus o que é aquilo?! – Mikaela gritava e agarrava ao braço do vampiro enquanto que gritava apontando para o que a amedrontava. Nevra encara sem mudar sua reação para onde sua companheira apontava. Aquilo indicava que estavam no lugar certo, especialmente pela marca na árvore.

   - É a cabeça de uma bruxa, mais especificamente a cabeça da bruxa de prata.

 

 

 


Notas Finais


Espero que tenham gostado, erros me avisem!
Vou tentar postar os cap toda sexta-feira. Digo e repito: vou TENTAR! ok?
Vejo vocês em breve!
PS: Feliz dia das crianças! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...