História Bem Vindo Ao Submundo - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Capitulos, Corvo, Inferno, Médico Da Peste, Pássaros, Submundo, Terror, Theo
Visualizações 5
Palavras 1.196
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Luta, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sadomasoquismo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Boa leitura 💙
Espero que gostem *3*

Capítulo 1 - Welcome to the Underworld


Fanfic / Fanfiction Bem Vindo Ao Submundo - Capítulo 1 - Welcome to the Underworld

Estavamos no carro como uma família feliz e tranquila , meu pai conversava com minha mãe , seus olhos sempre mudaram de direção deixando a estrada e revirando para sua mulher "Minha mãe" .

Até que um caminhão de carga em alta velocidade , no qual escapou do olhar de meu pai , desliza sobre o asfalto tentando desviar mas acaba se chocando com o nosso carro , fazendo-o bruscamente capotar e ficar para baixo. 

Meu pai não se encontrava mais no banco do motorista , infelizmente ele só colocava cinto em lugares com o terreno barroso ou em rodovias , portanto cometendo esse erro quando o carro se chocou ele foi jogado violentamente para fora do carro. Enquanto minha mãe bate sua testa no vidro da janela ao seu lado quebrando-a , meus irmãos e eu ficamos menos feridos , porém com o impacto que fez o carro virar de cabeça para baixo , não sabia se iríamos sobreviver sangrando á espera de uma ambulância ou qualquer outra coisa que ajude. 

Alguns segundos depois do impacto consigo ver pouco entre as vendas dos meus olhos , meu irmão mais novo com 16 anos estava com os olhos abertos seu corpo já não tinha mais vida , aquilo foi só o que eu consegui ver, depois disso fiquei inconsciente.

Após horas depois do acidente duas ambulâncias e três aviaturas estavam no local , claramente os médicos tiraram os corpos de meus pais , após disso o dos meus irmãos e em seguida o meu. Consegui ouvir as vozes dos médicos dizendo " apenas dois sobreviventes "

Aquela voz me provocou um choque a minha mãe , meu pai , e um dos meus irmãos não havia sobrevivido. Comecei a sentir um zunido alto que doía no fundo do ouvido , percebi que a luz branca que da lanterna que clareava minhas pálpebras se distânciava , algo me puxava para baixo indo a um lugar escuro e profundo , até que um corvo crocitou alto , aquilo me deixou assustado , minutos depois de afundar no pesadelo sem fim...

Uma luz branca vem em minha direção e eu abro os olhos e a primeira coisa que vejo e a cortina sendo levada pelo vento e o sol iluminando o pano quase transparente , ouço um bip vindo do cardiograma vejo a enfermeira entrar na sala e pergunto :

Théo : enfermeira onde está minha família ?

A enfermeira não me respondeu , ela caminhava até mim quando sua mão atravessou-me eu tremi esticando o corpo respirando rápido , meus batimentos cardíacos estavam desesperados e acelerados era possível ouvir se manter silêncio.

Me levantei e vi meu corpo deitado na cama , me assustei indo para parede tremendo ao ver eu deitado lá ainda em coma , dava tapinhas no rosto e berrei alto apavorado :

Théo : ACORDA !!! Acorda agora !!!

Nada adiantava então me enfureci colocando a mão no cabelo puxando-o levemente dizendo fechando os olhos.

Théo : é só um sonho.... é só um sonho !

Tremi abrindo os olhos e percebendo que ainda estava na sala do hospital. Me levanto preocupado e saio da sala segurando nas paredes , de repente começo a ficar tonto e demasiadamente fraco , vários médicos e pacientes passavam por mim eu dizia " oi " as vezes "pode me ajudar ?" tentando chamar sua atenção mas novamente nada adiantou , minha vista começou a embasada tentei recuperá-la , mas no momento em que sai do hospital cai no chão perdendo a consciência pela segunda vez.

Acordei assustado com crocitar do corvo negro me levantei e sacudi a mão perto do pássaro negro com um bico negro e penas velhas empoeiradas , tentei espantá-lo , ele abria as asas pulando de um lado pro outro mas não saía , ele gritou sua voz saiu roca e sua língua tremeu ao crocitar.

Corvo : ahh ! idiota !

Tentei espantá-lo novamente , mas ele contínuou a repitir a palavra " idiota " que me deixava mais furioso.

Théo : onde estou...?

perguntei sem olhar para o pássaro negro , o corvo riu e abriu vôo , não consegui ver onde o pássaro foi , só consegui ver penas caindo e ouvir um farfalhar de asas.

Sombras me cobriram , eu olhei para cima mas a iluminação forte do sol não permitia que eu enxergasse seus rostos. Um deles disse me pegando pelo colarinho :

??? - bem vindo novato !

Quando levantado por um deles notei que seus rostos eram cobertos por máscaras do tipo (máscaras de baile , de animais , de Halloween) perguntei como qualquer humano que estivesse num lugar no qual não conhece :

Théo : quem são vocês...?!

Eles riram do meu medo , o cara que me segurava me jogou no chão respondendo :

??? : eu sou o Alan , seja bem vindo

perguntei confuso :

Théo : bem vindo a onde ?

Uma voz feminina foi ouvida junto com um bufar de ignorância :

Ellen : levanta logo bebê chorão !

Ela me puxou erguendo-me e me empurrando, pelos lados e por trás da máscara que a mulher usava dava para ver seu cabelo loiro , a mesma ainda me empurrando disse :

Ellen : bem vindo ao submundo novato !

Não acreditei no que acabei de ouvir , estava no submundo e não fazia ideia de como sair de lá , entramos numa casa negra como se fosse assombrada , as enormes portas se abriram e uma sociedade de almas com diversas máscaras de animais todas com roupas pretas , olhei para todos os lados engolindo seco , era muito semelhante a uma igreja era espaçosa , havia um capete vermelho.

Théo : que lugar é esse ?

Alan : fique quieto e ande !

O garoto que cobria o rosto com uma máscara me empurrou mais uma vez fazendo com que eu quase tropeçasse.

Avistei um homem com uma mascara branca com bico era assemelhada a uma cabeça de hospedagem e um casacão de couro preto e também composto por luvas, botas e pela calca que estava sob o longo casaco e tudo era bem fechado para impedir todos de vê seu rosto e seu corpo.

Eles me empurram para perto do homem sinistro com o rosto oculto , ele se levantou do trono negro e estendeu um bastão fino.

Plague : bem vindo Théo Underwood 

A voz do homem com o rosto coberto por uma carcaça amedrontadora era suave porém sinistra , encarei a única coisa que conseguirá ver. Seus olhos de cor avermelhada como se vivesse o próprio fogo em sua íris , portanto perguntei:

Théo : estou mesmo no submundo...?

Ele concordou sem dizer nenhuma palavra , então perguntei mais uma coisa :

Théo : e por que vocês utilizam máscaras ?

O homem veio até mim lentamente e disse : 

Plague : ainda tem muito a aprender...

Plague o homem que ainda não sabia o nome murmurou em meu ouvido e vez um sinal com a mão por trás de mim pedindo para Ellen me acompanhar até o quarto. A loira foi até mim agarrando-me pelo braço e puxando até o corredor ao lado direito.

Enquanto fora da casa , O corvo negro está observando a casa que aparentava ser um cripta antiga , o pássaro negro crocitou alto e abriu vôo entrando pela janela da casa.



Notas Finais


Até o próximo cap 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...