História Bem Vindo Ao Submundo - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Capitulos, Corvo, Inferno, Médico Da Peste, Pássaros, Submundo, Terror, Theo
Visualizações 19
Palavras 1.196
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Luta, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sadomasoquismo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Boa leitura 💙
Espero que gostem *3*

Capítulo 1 - Welcome to the Underworld


Fanfic / Fanfiction Bem Vindo Ao Submundo - Capítulo 1 - Welcome to the Underworld

Estavamos no carro como uma família feliz e tranquila , meu pai conversava com minha mãe , seus olhos sempre mudaram de direção deixando a estrada e revirando para sua mulher "Minha mãe" .

Até que um caminhão de carga em alta velocidade , no qual escapou do olhar de meu pai , desliza sobre o asfalto tentando desviar mas acaba se chocando com o nosso carro , fazendo-o bruscamente capotar e ficar para baixo. 

Meu pai não se encontrava mais no banco do motorista , infelizmente ele só colocava cinto em lugares com o terreno barroso ou em rodovias , portanto cometendo esse erro quando o carro se chocou ele foi jogado violentamente para fora do carro. Enquanto minha mãe bate sua testa no vidro da janela ao seu lado quebrando-a , meus irmãos e eu ficamos menos feridos , porém com o impacto que fez o carro virar de cabeça para baixo , não sabia se iríamos sobreviver sangrando á espera de uma ambulância ou qualquer outra coisa que ajude. 

Alguns segundos depois do impacto consigo ver pouco entre as vendas dos meus olhos , meu irmão mais novo com 16 anos estava com os olhos abertos seu corpo já não tinha mais vida , aquilo foi só o que eu consegui ver, depois disso fiquei inconsciente.

Após horas depois do acidente duas ambulâncias e três aviaturas estavam no local , claramente os médicos tiraram os corpos de meus pais , após disso o dos meus irmãos e em seguida o meu. Consegui ouvir as vozes dos médicos dizendo " apenas dois sobreviventes "

Aquela voz me provocou um choque a minha mãe , meu pai , e um dos meus irmãos não havia sobrevivido. Comecei a sentir um zunido alto que doía no fundo do ouvido , percebi que a luz branca que da lanterna que clareava minhas pálpebras se distânciava , algo me puxava para baixo indo a um lugar escuro e profundo , até que um corvo crocitou alto , aquilo me deixou assustado , minutos depois de afundar no pesadelo sem fim...

Uma luz branca vem em minha direção e eu abro os olhos e a primeira coisa que vejo e a cortina sendo levada pelo vento e o sol iluminando o pano quase transparente , ouço um bip vindo do cardiograma vejo a enfermeira entrar na sala e pergunto :

Théo : enfermeira onde está minha família ?

A enfermeira não me respondeu , ela caminhava até mim quando sua mão atravessou-me eu tremi esticando o corpo respirando rápido , meus batimentos cardíacos estavam desesperados e acelerados era possível ouvir se manter silêncio.

Me levantei e vi meu corpo deitado na cama , me assustei indo para parede tremendo ao ver eu deitado lá ainda em coma , dava tapinhas no rosto e berrei alto apavorado :

Théo : ACORDA !!! Acorda agora !!!

Nada adiantava então me enfureci colocando a mão no cabelo puxando-o levemente dizendo fechando os olhos.

Théo : é só um sonho.... é só um sonho !

Tremi abrindo os olhos e percebendo que ainda estava na sala do hospital. Me levanto preocupado e saio da sala segurando nas paredes , de repente começo a ficar tonto e demasiadamente fraco , vários médicos e pacientes passavam por mim eu dizia " oi " as vezes "pode me ajudar ?" tentando chamar sua atenção mas novamente nada adiantou , minha vista começou a embasada tentei recuperá-la , mas no momento em que sai do hospital cai no chão perdendo a consciência pela segunda vez.

Acordei assustado com crocitar do corvo negro me levantei e sacudi a mão perto do pássaro negro com um bico negro e penas velhas empoeiradas , tentei espantá-lo , ele abria as asas pulando de um lado pro outro mas não saía , ele gritou sua voz saiu roca e sua língua tremeu ao crocitar.

Corvo : ahh ! idiota !

Tentei espantá-lo novamente , mas ele contínuou a repitir a palavra " idiota " que me deixava mais furioso.

Théo : onde estou...?

perguntei sem olhar para o pássaro negro , o corvo riu e abriu vôo , não consegui ver onde o pássaro foi , só consegui ver penas caindo e ouvir um farfalhar de asas.

Sombras me cobriram , eu olhei para cima mas a iluminação forte do sol não permitia que eu enxergasse seus rostos. Um deles disse me pegando pelo colarinho :

??? - bem vindo novato !

Quando levantado por um deles notei que seus rostos eram cobertos por máscaras do tipo (máscaras de baile , de animais , de Halloween) perguntei como qualquer humano que estivesse num lugar no qual não conhece :

Théo : quem são vocês...?!

Eles riram do meu medo , o cara que me segurava me jogou no chão respondendo :

??? : eu sou o Alan , seja bem vindo

perguntei confuso :

Théo : bem vindo a onde ?

Uma voz feminina foi ouvida junto com um bufar de ignorância :

Ellen : levanta logo bebê chorão !

Ela me puxou erguendo-me e me empurrando, pelos lados e por trás da máscara que a mulher usava dava para ver seu cabelo loiro , a mesma ainda me empurrando disse :

Ellen : bem vindo ao submundo novato !

Não acreditei no que acabei de ouvir , estava no submundo e não fazia ideia de como sair de lá , entramos numa casa negra como se fosse assombrada , as enormes portas se abriram e uma sociedade de almas com diversas máscaras de animais todas com roupas pretas , olhei para todos os lados engolindo seco , era muito semelhante a uma igreja era espaçosa , havia um capete vermelho.

Théo : que lugar é esse ?

Alan : fique quieto e ande !

O garoto que cobria o rosto com uma máscara me empurrou mais uma vez fazendo com que eu quase tropeçasse.

Avistei um homem com uma mascara branca com bico era assemelhada a uma cabeça de hospedagem e um casacão de couro preto e também composto por luvas, botas e pela calca que estava sob o longo casaco e tudo era bem fechado para impedir todos de vê seu rosto e seu corpo.

Eles me empurram para perto do homem sinistro com o rosto oculto , ele se levantou do trono negro e estendeu um bastão fino.

Plague : bem vindo Théo Underwood 

A voz do homem com o rosto coberto por uma carcaça amedrontadora era suave porém sinistra , encarei a única coisa que conseguirá ver. Seus olhos de cor avermelhada como se vivesse o próprio fogo em sua íris , portanto perguntei:

Théo : estou mesmo no submundo...?

Ele concordou sem dizer nenhuma palavra , então perguntei mais uma coisa :

Théo : e por que vocês utilizam máscaras ?

O homem veio até mim lentamente e disse : 

Plague : ainda tem muito a aprender...

Plague o homem que ainda não sabia o nome murmurou em meu ouvido e vez um sinal com a mão por trás de mim pedindo para Ellen me acompanhar até o quarto. A loira foi até mim agarrando-me pelo braço e puxando até o corredor ao lado direito.

Enquanto fora da casa , O corvo negro está observando a casa que aparentava ser um cripta antiga , o pássaro negro crocitou alto e abriu vôo entrando pela janela da casa.



Notas Finais


Até o próximo cap 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...