História Beside Me - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Amizade, Amor, Anjos, Colegial, Demonios, Escola, Lobos, Romance, Vampiros
Exibições 4
Palavras 2.436
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Escolar, Festa, Ficção, Luta, Mistério, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 21 - Episódio 20.


Fanfic / Fanfiction Beside Me - Capítulo 21 - Episódio 20.

♢ Victória P.O.V ♢

Acordei mais cedo hoje por conta de alguns gritos super altos vindo do corredor, me levantei assustada procurando pelas meninas. Por sorte, todas estavam no quarto, mas dormindo.

- Bya? Bya, acorda, tá ouvindo isso? – Perguntei enquanto Byanca acordava.

- Isso o quê? – Ela perguntou.

- Esses gritos – Falei e ela arregalou os olhos.

- Mas que merda tá acontecendo lá fora? – Byanca comentou.

- Também queria saber – Respondi.

- E aí, o que a gente vai fazer? – Lowhane perguntou.

- Eu não sei, não tenho ideia – Respondi.

- Olha, não dá pra gente ficar aqui parada. Nós estamos em quatro então a Vic e eu vamos lá ver o que está acontecendo, vocês duas ficam aqui e qualquer coisa a gente liga, ok? – Byanca propôs.

Concordamos e seguimos o plano de Byanca. Abri a porta lentamente em esperança de ver algum coordenador no corredor mas, não havia ninguém.

- Vamos – Falei e Byanca veio do meu lado.

Andamos alguns corredores e víamos apenas sangue no chão. Sangue e mais sangue. Andamos até chegarmos na ponta da escada direto pro pátio.

- Meu Deus – Byanca comentou assim que viu aquela cena.

- Que bosta – Falei.

Estavam todos os alunos jogados no pátio, não dava pra dizer se eles estavam mortos, mas parecia.

- O que a gente vai fazer? – Byanca perguntou.

- Vamos ligar pras meninas. Ou melhor, você liga para as meninas e avisam elas. Eu vou tentar ligar para os meninos – Falei e Byanca assentiu.

Deslizei a mão pelo bolso da calça e peguei o celular, fui até o contato de Gustavo e liguei torcendo para ele atender. No exato momento ouvi um barulho de celular igual o de Gustavo ali perto, olhei para Byanca que também prestava atenção no celular tocando agora.

- Pode ser coincidência – Byanca falou.

- Bota coincidência nisso – Rebati – Vou ir ver de onde é, você vem? – Perguntei.

- Vou esperar as meninas – Ela respondeu e eu assenti com a cabeça.

Continuei deixando a ligação chamar, enquanto o barulho do celular ecoava pelos corredores e eu ficava tentando adivinhar de qual lugar vinha. Avistei uma porta e quando cheguei mais perto, o barulho ficou um pouco mais alto, respirei fundo e abri a porta. Assim que abri estava os quatro sentados no chão com o pescoço sangrando. Foi meio difícil se manter em pé depois de ter visto aquilo tudo de sangue mas era preciso. Me aproximei de Gustavo.

- Gustavo? Gustavo acorda – Falei e nada.

Peguei meu celular e liguei pra Byanca enquanto tentava acordar Gustavo.

♢ Byanca P.O.V ♢

- Oi? O que você encontrou? – Perguntei na ligação.

- Nada bom, vem aqui, tô no corredor de cima, na quarta porta á direita – Vic falou pela ligação.

- Tá bom – Respondi.

- Era a Vic? – Lowhane perguntou assim que desliguei.

- Era, ela falou que encontrou os garotos mas não tem noticias boas – Respondi.

- Vish – Amanda comentou.

- Pois é, vamos que ela tá esperando – Falei enquanto começava andar.

- Ela falou onde ela está? – Amanda perguntou.

- Corredor de cima, quarta porta á direita – Respondi enquanto subia as escadas pro corredor de cima.

- Deve ser essa – Falei quando chegamos na quarta porta.

Abri devagar.

- Caralho – Falei – Será que eles tão bem? – Continuei.

- Tô tentando descobrir mas ninguém acorda, já dei uns sete tapa na cara do Gustavo e ele não acorda – Victória respondeu.

Amanda começou a rir.

- Desculpa mas foi engraçado – Amanda falou e eu revirei os olhos.

- E o Leo? – Lowhane perguntou enquanto tentava acordar Leonardo.

- Nada também – Victória respondeu.

- Eu e a Byanca vai ir atrás das outras meninas, vocês vão ficar bem? – Amanda perguntou.

- Sim, tomem cuidado – Lowhane respondeu e assentimos com a cabeça.

♢ Amanda P.O.V ♢

- A gente já andou a escola toda e nada, as meninas estão do mesmo jeito que os meninos – Falei na ligação com Lowhane.

- Que droga – Lowhane comentou – Parece que o Gustavo tá acordando – Lowhane continuou.

- Sério? Que ótimo, nós estamos voltando aí – Falei e desliguei a ligação.

- O que foi? – Byanca perguntou.

- Lowhane falou que o Gustavo já está acordando – Respondi.

- Amanda, sabe o que foi isso né? – Byanca me falou.

- Não... exatamente – Respondi.

- A Nicolly transformou eles – Byanca falou e deu uma pausa – Mas a gente tá intacta, nem marcas no pescoço, nem nada. Isso não é nada bom – Byanca falou.

- É – Falei.

Isso só podia mesmo significar alguma coisa, metade da escola estava sangrando e com os pescoços marcados e nós estávamos bem, e isso não era nada bom. Realmente. Em meio de tudo isso, minha cabeça também ficava no Caleb, enquanto a gente procurava pelas meninas eu também tentava achar Caleb mas ele não estava em lugar nenhum, liguei algumas vezes para o celular dele e nada. Cada momento eu ficava mais preocupada com o que podia ter acontecido com ele.

Voltamos para onde os meninos e as meninas estavam.

- E aí? – Perguntei.

- E aí o quê? – Gustavo falou.

- Como tá se sentindo? – Perguntei.

- Sei lá, parece que arrancaram meu coro – Ele falou enquanto passava a mão no pescoço.

- Eu vou ir até a enfermaria pra dar um talento nesse machucado, qualquer coisa... – Victória falou mas interrompemos.

- A gente liga – Respondemos em coro.

- Uau – Gustavo falou e rimos.

- Tomem cuidado – Victória falou e assentimos.

♢ Lowhane P.O.V ♢

- Que cara é essa? – Lowhane perguntou.

- Sei lá, a Bya me contou que eles foram transformados em Revener mas a gente tá intacta, ninguém tocou em nós, isso não é nada bom – Amanda respondeu.

- É, e lembram que tem aquela coisa de “Revener puros não permanecem vivos”? Pois então... – Byanca comentou.

- Cada hora que passa dá mais medo do que tá acontecendo – Lowhane falou.

- Nem me fale – Byanca falou.

Leonardo tossiu.

- Leo? – Lowhane perguntou enquanto se virava pro mesmo.

- Lo? – Ele perguntou.

- Oi, sou eu – Ela falou.

- O que aconteceu? – Ele perguntou.

- Você e o resto do pessoal se tornaram oficialmente Revener’s – Falei.

- Como assim? – Leonardo perguntou.

- Nem a gente sabe explicar o que aconteceu Leonardo – Byanca falou.

- É, não sabemos – Falei enquanto concordava com Byanca.

♢ Zophiel P.O.V ♢

- O que tá acontecendo? – Perguntei á Phul.

- Nem eu sei dizer mas, parece que tá acontecendo alguma coisa lá embaixo – Phul respondeu e eu o olhei com desprezo. - Não me olhe assim, você é um anjo misericordioso não pode olhar as pessoas assim – Phul me falou.

- Você descreveu o Uriel. E você nem é pessoa, é anjo também – Falei e ele revirou os olhos.

Sebathiel caminhou até nós enquanto suas asas grandes e douradas tocavam o chão.

- Zophiel, Phul – Ele falou como quem cumprimentasse.

- Olá Sebathiel – Respondi.

- Bom dia Sebathiel – Phul falou. Sebathiel sorriu.

- Descobriu o que está acontecendo lá em baixo? – Perguntei ansioso pela resposta.

- O inferno – Sebathiel respondeu e eu engoli seco.

- Como assim? – Phul perguntou.

- Sabe a Nicolly? A mulher que ficamos vigiando a meses? Ela colocou dois alunos para transformarem os outros alunos que ainda eram puros – Ele respondeu e encolheu as asas.

- Então... – Comecei a falar mas Sebathiel me impediu.

- E tem quatro garotas que não foram transformadas – Sebathiel continuou.

- Bom, então a gente pode fazer alguma coisa por essas garotas – Phul propôs.

- Exato, mas ainda discutiremos isso, vou ir falar com o Pathiel, ver o que ele acha sobre isso – Sebathiel falou e saiu caminhando.

- Acho que vai sobrar pra nós – Falei.

- Nunca. Nós nem sabemos usar nossas asas direito – Phul comentou.

- Sabe que se for da vontade de Deus, nós vamos até o inferno né? – Falei e Phul assentiu com a cabeça.

- É, eu sei mas ele não faria isso conosco – Phul falou e eu ri irônico.

- Bom tanto faz, eu aceito as ordens de Deus para mim, vou ir ver Ariel – Falei.

- Tudo bem, até mais – Phul falou.

Caminhei pelo jardim até achar Ariel, o mesmo estava sentado de frente para a imensidão da cidade.

- Se quer voar, sentado não vai conseguir – Falei e Ariel olhou para mim rindo.

- É bom vê-lo também Zophiel – Ele falou.

Me sentei ao seu lado.

- Qual o problema? – Ariel me perguntou.

Ele parecia Deus. Ele só olhava para os outros anjos e já sabiam se tinha algo de errado com eles.

- Ficou sabendo do que tá acontecendo lá embaixo né? – Perguntei.

- Claro. Deus me contou tudo. – Ariel respondeu.

- Pois então, sabe me dizer se eu terei que descer para resolver o problema? – Perguntei.

- Não posso te dizer – Ariel falou enquanto ainda olhava para a cidade.

- E porque não? – Perguntei – Tudo bem, não precisa contar, mas então fala pra Deus não me deixar descer lá embaixo, eu nem sei voar direito Ariel – Tentei me explicar e ele me olhou.

- Tem tanto medo assim? – Ele perguntou.

- Não medo de voar, é medo de descer e não conseguir por as coisas no lugar sendo que Deus vai estar confiando tanto em mim para as coisas se acertarem lá embaixo – Respondi.

- Deus tem um propósito para você, ás vezes nesse propósito pode estar incluso de algumas coisas darem errado mas, confie. Ele está cuidando de tudo – Ariel falou.

Era incrível como o Ariel tinha paz até pra falar, paz para ver o outro lado das pessoas, para ouvir Deus, para ajudar os outros. Eu nunca tinha entendido até hoje o fato dele não ter descido para a Terra, mas como ele mesmo tinha acabado de falar, talvez não estava nos planos de Deus que ele descesse lá. Mas ao mesmo tempo era estranho pensar que logo EU, poderia descer. 

- Não desobedeça as ordens de Deus, Zophiel - Ariel falou e eu assenti com a cabeça.

- Não irei, só espero receber forças para conseguir realizar o que Ele pedir - Falei.

- Você terá. Confie e espere - Ariel falou e sorriu sem mostrar os dentes.

Zara P.O.V ♢

- Tail não faça isso - Falei enquanto o Tail ia quebrar o vidro da janela do carro.

- Olha eu não estou disposto a andar - Tail falou e eu revirei os olhos.

- Porquê não corre? - Meu pai perguntou ao Tail.

- Tô com muito tempo pra suas piadas Heath - Tail falou se referindo ao seus poderes cortados - Eu não entendo até agora, todos voltaram com seus poderes, outros até mais fortes e eu voltei sem todos eles - Tail falou.

- Deus não queria que você fizesse mais merda - Falei e ri.

- Deus? Que Deus? Quem me atendeu foi o próprio Lúcifer - Tail falou sério.

- Sério? - Meu pai perguntou.

- É. Super sério. - Tail respondeu.

- Acredito que cada um recebeu o que mereceu - James falou.

- É, e você ainda vai pro inferno, fica só vendo - Tail falou sério.

- Não sou tão ruim quanto você - James rebateu.

Tail ficou com raiva e acabou indo pra cima de James o encostando com tudo na árvore no meio da floresta.

- Vou te matar e aí sim vou ter motivo pra ir pro inferno - Tail falou sério.

- Tail, você não vai fazer isso nessa altura do campeonato, solte-o - Heath falou e Tail obedeceu o soltando.

♢ Abigor P.O.V ♢

- Está tudo bem Agatodemon, eles não vão durar muito tempo - Falei para o mesmo.

- Como pode ter tanta certeza? - Agatodemon me perguntou.

- Esqueceu que eu vejo coisas do futuro? - Perguntei.

- Me prove - Agatodemon me desafiou.

- ABIGOR! - Mefistófeles gritou assim que me viu e eu o olhei assustado.

- Sim, Mefistófeles - Falei.

- Mandei você ficar de olho naqueles anjos e Sebathiel veio até a Terra, andou em cima de nossas cabeças e você nem soube - Ele falou alto.

- Eu-e-u coloquei Saarecai para tomar conta... - Fui interrompido.

- E desde quando "Abigor" virou "Saarecai"? -  Mefistófeles gritou novamente comigo.

Agatodemon ria de mim.

- Que isso não se repita! Você tem sorte de já estar no inferno - Mefistófeles falou e saiu do local que estávamos.

Gabriel P.O.V

- Então é isso? Viramos Revener? - Perguntei.

- Exatamente - Gustavo respondeu.

- Por que será que de repente todos nós formos transformamos ao mesmo tempo? - Gustavo perguntou.

- Iremos descobrir - Walison falou.

Victória chegou no quarto.

- Nicolly tá chamando todo mundo pra ir pro pátio - Ela falou e assentimos nos levantando e caminhando até o pátio.

- Lá vem as palestras da Nicolly - Pedro falou enquanto abraçava Duda.

- Cala a boca e ouve - Amanda falou.

- Olha aqui, você não tem o direito de falar assim comigo, sou um Revener agora e posso te matar sabia? - Pedro falou e rimos.

♢ Nicolly P.O.V ♢

Depois de todas as transformações terem acontecido, era hora de dar bem vindas aos meus novos alunos.

- Boa noite alunos, todos já devem estar sabendo que foram transformados, não sabemos se são todos 100% Reveners, então, amanhã de manhã teremos batalha. Irá ser do seguinte modo: um aluno contra o outro. Se um morrer, infelizmente significa que não é 100% Revener, se nenhum dos dois morrer, felizmente são Revener’s. Obrigada pela atenção - Falei e saí do pátio seguindo a minha sala.

Gustavo P.O.V ♢

Assim que Nicolly terminou de falar, olhei para as meninas e elas estavam tão assustadas que pareciam ter vistos fantasmas.

- Não se preocupe, nós vamos dar um jeito, ninguém vai precisar morrer - Falei e abracei Victória.

- Vai ser difícil mas realmente, ninguém vai morrer, pelo menos, ninguém de nós - Walison falou e assentimos com a cabeça.


Notas Finais


Oi migas, então, esse é o último episódio da 1° temporada, o próximo já é na 2° temporada. Eu não vou fazer a 2° temporada por essa mesma história porque se não vai ficar muito bagunçada, mas ai eu coloco o link da história para a 2° temporada.
Bom, espero que não tenham se perdido na parte dos anjos e demônios, lembrem-se é tudo FICÇÃO! Os nomes dos anjos e dos demônios são reais e os significados também mas a história de cada um NÃO É COMO É NO IMAGINE! ISSO É UMA HISTÓRIA FICTÍCIA! Não baguncem as coisas! Beijo, fiquem com Deus.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...