História Best friends or... something else? - Capítulo 30


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Piece
Personagens Bellemere, Cavendish, Coby, Eustass Kid, Genzo, Jewelry Bonney, Koala, Monkey D. Garp, Monkey D. Luffy, Nami, Nefertari Vivi, Nico Olvia, Nico Robin, Nojiko, Portgas D. Ace, Roronoa Zoro, Sabo, Sanji, Trafalgar D. Water Law, Trafalgar Law
Tags Adolescentes, Comedia, Drama, Hancock X Luffy, Insinuação Zorobin, Internato, Luffy X Nami, Luna, Lunami, Melhores Amigos, Nami X Luffy, One Piece, Romance, Universo Alternativo, Vida Escolar
Exibições 141
Palavras 1.064
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Famí­lia, Festa, Fluffy, Hentai, Mistério, Policial, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Depois de muitos dias, tô de volta, eba! o/
Desculpem-me a demora, final de ano é a pior coisa: sao provas atrás de provas, fora o estudo para o vestibular e o meu pc que havia quebrado ;-; Mas agora a poeira abaixou e pude aparecer aqui de novo. Aproveitem o capt e até lá embaixo <3

Capítulo 30 - Rancor


2 dias depois...

Nami ON

Eu estou muito confusa, é muita coisa se passando na minha cabeça agora... Não tive coragem de voltar pra casa e eu não sei se eu tenho. Meu "pai" já veio aqui para tentar conversar comigo, e eu disse que, se o Luffy deixasse ele entrar, eu bateria nos dois com um cabo de vassoura. E ele, claro, não deixou meu pai entrar.

Amanhã vamos voltar para a escola; e eu sinceramente não quero. Eu desejo conversar com o meu pai, mas ao mesmo tempo não. Será que alguém me entende? E outra... tem a Nojiko, ela pediu minha ajuda e eu não a ajudei. Hoje é o seu aniversário de dezesseis anos, e eu não estou lá com ela.

- Bom dia Laranjinha. -Luffy entra no quarto com uma bandeja de café da manhã.

- Assim eu vou ficar mal acostumada, Luffy. -sorrio e ele beija minha testa.

- Mas era essa a intenção. -Ele ri.- Come, depois vamos lá falar com o seu pai e com a sua irmã.

- Eu não vou Luffy, nem pense nisso! -Respondo decidida e ele faz cara feia.

- Você vai, sim. Já te dei tempo suficiente para pensar. Agora para de agir feito uma criança e faça o que eu te peço, uma vez na vida. - ele diz e eu dou de ombros.

- Você acha que é fácil para mim? Que até ontem tinha uma família, e agora, nada?

- Eu sei que não é, mas ao contrario da sua mãe, o seu pai é gente boa. E ele quer te explicar a verdadeira história sobre você. Não quer saber dela?

- É tudo o que eu mais quero.

- Então, agora você vai comer, e depois iremos lá falar com eles, que estão lá embaixo. -Luffy diz.

- Meu pai sabe da gravidez da Nojiko?

- Creio que não.

- Eu só quero saber como será a reação dele... Espero que a compreenda.

- Eu também... -Luffy suspira e rouba um morango meu.

 

***

 

Coloco uma calça jeans e uma blusa branca de mangas cumpridas. Calço a primeira coisa que vejo e passo um perfume. Luffy passa sua mão ao redor da minha cintura e descemos lá para a sala.

- Vocês estão realmente juntos? -Meu pa... Genzo, pergunta.

- Sim, Genzo. -Respondo.

- Filha... Vamos conversar e--

- Não me chame deste modo. -Sinto meus olhos arderem.

- Sente-se, vou deixar vocês conversarem a sós. -Luffy diz beijando minha testa- Venha, Nojiko.

Eles se levantam e vão para a cozinha. Respiro fundo ao senti-lo segurando minhas mãos.

- Você era tão pequena... Sem teto, iria direto para um orfanato, mas eu e sua mãe--

- Ela não é minha mãe. -interrompo ele grossa o bastante.

- Tá... Mas Bellemere e eu resolvemos adotar você, porque até então ela não conseguia engravidar. Durante um ano e meio você foi a princesinha dela, ate...

- A Nojiko nascer. -Completo pra ele, que concorda com a cabeça.

- Sim. Ela queria te devolver para o orfanato e eu logo disse que não. Porque eu te amava tanto quanto amava Nojiko. E ainda é assim, você sempre foi e sempre será minha princesinha. -Ele diz com os olhos cheios de lágrimas.

- Mas, pai... -suspiro- Quem são meus pais verdadeiros?

- Meu irmão e sua esposa... eles sim, são seus pais verdadeiros. Prometi pra ele que você iria ser a nossa princesinha. Seu nome, foram eles que escolheram. Nami...

- Pai... Eu.. -Começo a chorar e ele me abraça.- Tudo faz sentido, agora sei porque ela sempre preferiu a Nojiko e por tudo mais... E agora que ela vai me odiar mesmo por saber que eu e o Luffy ficamos juntos, mas na real foi apenas isto! Não foi eu que engravidei aos quinze anos por um cara qualquer e--

Gelo ao perceber que cometi a maior burrice da minha vida. Acabo de entregar minha irmã caçula, para o meu pai!

- A Nojiko, está grávida? -Ele me solta no mesmo instante e me analisa, com um olhar sério.

- Pai, é...

- Não minta para mim, Nami.

- Não estou mentindo, ela está mesmo. Mas, por favor... pai, não brigue com ela... -Imploro e seguro suas mãos.

- Eu não vou brigar com ela. -Ele diz e passa as mãos no cabelo.- De nada adiantaria, ela já fez a burrada com a vida dela mesmo.

- Ela é apenas uma criança, pai...

- Eu sei. Acha que não sei que ela é apenas uma criança? Hoje mesmo eu daria à ela uma bolsa de estudos para balé e teatro fora do país. Você acha mesmo que eu vou dar? - ele se levanta.- Não, porque ela não merece isso! Meu... Deus...

- Pai, ela sempre quis ser uma modelo. E uma bailarina... sem contar atriz. -Suspiro lembrando de quando eramos pequenas e Nojiko ficava me contando o que queria ser completamente alegre.

- Nami, ela está grávida... Aos dezesseis anos... Não tem mais nada o que fazer. Ela vai ter que conversar com o pai desta criança.

- Ela não quer o pai presente nisto.

- Não interessa. Ele vai assumir ela e vai casar com Nojiko. -Ele diz em tom normal, porém muito irritado.

Nunca o vi deste modo, só no dia em que ele gritou com a mulher que até então eu achava que era minha mãe.

- O quê? -Nojiko entra na sala e nos olha espantada.

- Isso mesmo que você ouviu. Você vai conversar com esse cara e ele vai te assumir Nojiko! -Meu pai repete mais alto.

- Não! Eu não quero esse bebê. Eu já resolvi, eu vou tirar ele de mim! -Nojiko grita e começa a chorar.

- Não! Você não vai tirar o meu neto. Você não foi mulher o suficiente para faze-lo? Não se achou adulta o suficiente para fazer? Então, agora arque com as suas consequências e se banque sozinha, ou com o pai do seu bebe.

Ele sai batendo a porta com força. Ando um pouco hesitante e receosa até a Nojiko. Ela me empurra.

- Eu confiei em você. Mentiu para mim, Nami! -Ela exclama e sai correndo também da casa do Luffy.

- Deus... O que eu fiz... -Sussuro e sento no chão.

- Acalme-se, Nami. Tudo vai se ajeitar... -Luffy diz e me abraça.


Notas Finais


Relaxem que daqui a pouco eles estao de volta ao colegio. :v
Sorry, pelo tamanho do capt. Alem de eu demorar trago à vocês ele pequeno, mas espero que compreendam.
Até a proxima. '3'


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...