História Best friends or... something else? - Capítulo 32


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Piece
Personagens Bellemere, Cavendish, Coby, Eustass Kid, Genzo, Jewelry Bonney, Koala, Monkey D. Garp, Monkey D. Luffy, Nami, Nefertari Vivi, Nico Olvia, Nico Robin, Nojiko, Portgas D. Ace, Roronoa Zoro, Sabo, Sanji, Trafalgar D. Water Law, Trafalgar Law
Tags Adolescentes, Comedia, Drama, Hancock X Luffy, Insinuação Zorobin, Internato, Luffy X Nami, Luna, Lunami, Melhores Amigos, Nami X Luffy, One Piece, Romance, Universo Alternativo, Vida Escolar
Exibições 115
Palavras 1.308
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Famí­lia, Festa, Fluffy, Hentai, Mistério, Policial, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Como eu havia dito, hoje eu já atualizaria e aqui está mais um capítulo. ^^ Boa leitura pra vocês, nos encontramos nos comentários.
Ah, o menino do gif vai aparecer neste capítulo, ok? O coloquei para terem uma noção de como ele é. (Muito lindo por sinal, cof cof.) Vamos a leitura.

Capítulo 32 - Verdades


Fanfic / Fanfiction Best friends or... something else? - Capítulo 32 - Verdades

Luffy ON

Poxa, ela tem que entender o meu lado. Eu a amo, aquele cara não amava ela de verdade, e se amava, demonstrava pra caramba, né. Porque aquelas malditas cartas era eu quem as escrevia! Eu!

Desço as escadas e vejo Dadan colocando uma torta em cima da mesa.

- Que cara é essa, meu filho? -Ela pergunta.

- A única que eu tenho.

- Olha como você fala comigo, moleque! Sou sua avó, não suas negas! -Ela grita e me bate com a toalha de limpar pratos.

- Ok, desculpa. É que eu briguei com a Nami... -Explico de cabeça baixa.

- E por que brigou com ela? Posso saber? -Pergunta virando-se para lavar a louça.

- Você falou do Sanji e ela chorou. Chorou sendo que tem um namorado que ama ela mais que tudo! Ela não me am--

- Monkey D. Luffy! -Ela vira para me olhar- Eu não admito você dizer que Nami não te ama. Eu tenho uma coisa chamada "sentido de mãe" e esse não se engana, ela te ama moleque.

- Eu também amo-a... Mas, se ele estivesse vivo ela ainda estaria com Sanji.

- Claro, porque o trouxa aí -Dadan aponta pra mim- ainda estaria escrevendo as cartinhas de amor pra esse garoto assinar e entregar a ela como se fosse dele.

- O quê? -Ouço uma voz na ponta da escada.

Um tremor passa pelo meu corpo e eu olho pra minha avó, que está com uma cara de desculpas estampada em seu rosto.

- Eu posso explicar... -Digo e me levanto da cadeira

- Ora! Típica frase de quem apronta, né Luffy! Arg. -Ela grita e se vira para subir a escada novamente.

- Nami! NAMI ESPERA! -Grito e olho pra minha avó.- Pow Dadan, valeu aí... de novo.

Corro as escadas e coloco o pé na porta antes d'ela tranca-la.

- Nami... -Chamo-a quando ela corre e se tranca no banheiro.- Nami, abre essa porta.

- Foi você... Todo esse tempo? -Nami pergunta chorando.

- Nami... -Suspiro e sento-me encostado na porta.

- Ele nunca me amou, Luffy?

- Eu não sei ... Mas eu te amo.

- NÃO ESTOU FALANDO DE VOCÊ! E SIM DO SANJI! -Ela grita.

-CLARO! O SEU ETERNO AMOR QUE NEM PRA FAZER UMA MALDITA CARTA SERVIU!

- Você não tem nenhum remorso? Você era, acima de tudo, meu melhor amigo. Você me enganou, Luffy... -diz, chorando.

- Por favor... Por favor não chora. -Encosto minha testa e minha mão na porta branca.

- Por que você se importa tanto, hein...

- Porque quando você chora, meu coração dói. -Respondo e ela chora mais ainda.- Pára, por favor...

- Agora você sabe como é ter um coração dolorido, Luffy? -diz.

- Nami, pára. Você está fazendo drama. -Digo sem pensar e em um instante a porta se abre.

- Não é drama! -Nami aponta o dedo na minha cara.- Sanji; meu primeiro namorado. Eu o amava mais que tudo, nós planejávamos um futuro inteiro pela frente. Aí, do nada, ele morre! E do nada, também, descubro que as cartas lindas e românticas que ele me mandava, era na verdade você, meu atual namorado quem as escrevia! Você acha que eu estou fazendo drama?

- Tá sim... Isso é passado. -Digo e encosto minhas mãos em seu rosto molhado pelas lagrimas.

- Quem começou isso foi você. Você que saiu desse quarto brigado comigo porque eu chorei de saudades dele. Entenda, ele sempre vai ter um lugar no meu coração, afinal, ele foi importante para mim.

- Foi? Ele não é mais? -pergunto.

- Ele foi, ele é... e sempre ficará lembrado como o meu primeiro namorado. A pessoa que me fazia rir em momentos tristes. Querendo ou não, Sanji era um garoto bom, muito bom. -Ela diz olhando pro chão.

- Então quem deveria ter morrido não era ele, era eu. -Saio do quarto.

Se ela se importa tanto com ele, se Sanji ainda tem um lugar no coração dela, por que está comigo? Apenas por estar? Para por alguém para tomar o lugar dele? Eu não quero pegar o lugar de ninguém. Quero ser o único amor dela, o único amor da vida dela, como ela é o meu único amor.

Nami ON

Mas que saco! Luffy não me entende... não entende nada do que não quer! Ele só entende o que... Ah, eu já estou me confundindo aqui!

Deixo ele ir. Não vou atrás dele. Luffy está fazendo drama, e...

Quer saber? Vou sim, eu amo aquele marrento.

Corro atrás dele e o mesmo está sentado nas escadas. Sento do seu lado e ele levanta.

- Ah, qual é! -Disparo ficando em pé e ele se senta novamente.

- Me deixa. -Luffy suspira e eu me sento, e ele levanta.

- Tá me zoando? Brincando do quê? Morto e vivo? -Grito e ele abre um sorrisinho.- Não ri, palhaço!

- Pára, Nami, não é engraçado.

- Quem ta rindo aqui é você, macaco. -Me irrito. Luffy tem o dom de me irritar.

- Ah que saco, some. Sai daqui e deixe-me em paz, droga! -Luffy grita e eu me levanto super mais rápido que o normal.

- Ok... -Sussuro sentindo meus olhos cheios de lágrimas.- Você vai me pedir perdão, Luffy. Como sempre faz quando está errado.

- Quando eu estou contigo, você desperta o meu pior lado. E eu não quero ser essa pessoa. -Ele diz e suspira.

- Ou seja... acabou? -Pergunto contenho minhas lágrimas.

- Você ama o Sanji.

- AH, LUFFY! VAI TOMAR NO MEIO DO SEU... ARG! SEU PALHAÇO! ELE FOI MEU PRIMEIRO NAMORADO E SEMPRE VAI SER IMPORTANTE PARA MIM. O PRIMEIRO AMOR A GENTE NÃO ESQUECE. ELE MORREU, OUTRA COISA QUE EU NUNCA VOU ESQUECER, PORQUE A CULPA FOI MINHA! -grito deixando as lagrimas caírem.

- Hum.

- É tudo o que você tem a dizer? -pergunto e ele se levanta ficando bem na minha frente.

- Deixa eu pensar. -Por fim ele fala.

- Vai pensar pra bem longe de mim, então.

- Você está na minha casa e--

- Ah, é mesmo. -Digo e passo por ele.

Pego minha mala e desço as escadas. Luffy vai atrás de mim e tira ela de minha mão.

- Eu não disse pra você ir embora, Nami. -Ele diz e acaricia meu cabelo.

- Idai? Acha que eu vou só por que tu mandou?

- Por que você entende sempre tudo errado? Posso saber?

- POR QUE EU SOU ASSIM. E SE ESTÁ DESCONFORTADO COM ISSO, VOLTA PARA SUA NAMORADA PERFEITA! -Grito e jogo minha bolsa no chão.

- PELO MENOS ELA NÃO DÁ ESSES ATAQUES QUE VOCÊ TEM! -Ele grita também e eu balanço a cabeça em desaprovação.

- Conseguiu me magoar. Era isso que queria? Me ver triste? Parabéns. -Aplaudo brevemente.- Esta está virando sua especialidade ultimamente.

Nem espero ele responder, saio dali e bato a porta.

Ando pelas ruas que nem uma zumbi. Sento num banco, do lado de uma árvore e fico olhando o movimento dos casais que passam ali, e dos grupinhos de amigos que há por perto. Suspiro e fico pensando em mim e no Luffy.

A gente estava feliz, a gente se amava. Quer dizer, eu ainda o amo. Ele deve me amar ainda, ou não... Porque, quem ama, não faz isso.

- Inferno de vida... -expiro o ar encostando a cabeça no tronco.

- Uma menina tão linda falando isso...? -Um garoto loiro de claros olhos verdes senta do meu lado.

- Propaganda enganosa... -Digo entediada.

- Tenho certeza que você é super meiga. -Ele sorri.

- Nem um pouco. Como eu disse antes, propaganda enganosa. -Sorrio e ele estende sua mão.

- Sou Jean. -Apresenta-se e sorri.

- Nami. -Aperto sua mão.

- Você é muito linda, Nami. -Ele diz com um ar galanteador.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...