História Best of me - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Drama, Jikook, Jimin, Jungkook, Lemon, Romance, Shoujo, Vhope, Yaoi
Visualizações 17
Palavras 1.021
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Ficção, Fluffy, Lemon, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura e desculpe os erros💙

Capítulo 2 - Lembranças de um dia ruim;


Fanfic / Fanfiction Best of me - Capítulo 2 - Lembranças de um dia ruim;

''Você é o mundo inteiro para mim''
''Me abrace mais forte, até doer''

...

O sino do intervalo soou despertando-me do pseudo sono, não consegui dormir a noite, esperava que por um minimo tempo pudesse não pensar, errado. Pois eu pensei em tudo que poderia pensar até o nascer do sol, tanto que a carteira parecia-me confortável e aconchegante, não era. 

- Jungkook vamos! _Taehyung me cutucou. 

- Vai passar o almoço dormindo de novo Jeon? _A voz melodiosa de Jimin se fez presente em um tom minimamente risonho. Me pus de pé rapidamente em um salto ajeitando os fios levemente bagunçados ouvindo uma risadinha doce. 

- Não. _Disse, o loiro ajeitou a franja e saiu da sala, seu amigo, Min Yoongi o esperava na porta. 

- Qual é cara? Você 'ta estranho! _Tae passou o braço em volto do meu pescoço me arrastando pra fora. 

- Estou ótimo. _Em um tom monogâmico falei. - Estou com sono. _Dramatizei choramingando. 

- Claro que esta! _Ao passarmos pelo corredor ele olhou disfarçadamente ala Tae para Jung Hoseok, ou como ele chamava Jung gostosão. Apenas o veterano mais descontraído e palhaço do colégio, todos eram amigos dele, todos gostavam dele. Tae não era diferente, ele sim estava apaixonado, não eu, certo? - Quando você não esta com sono? _Perguntou vermelho depois de receber um sorriso de Jung que também o encarou por um milésimo de segundo o qual fez meu amigo, meu único amigo suspirar. 

- Quando estou dormindo? _Disse rindo antes de empurra-lo levemente ao passarmos pela porta do refeitório. - O que acha de ir lá pra casa depois do colégio? A tia vai cozinhar, podemos jogar a noite toda. _Propus me sentando em uma das mesinhas. Olhei rapidamente para Park que sentava poucas mesas ao lado, desviei mutuamente quando ele olhou para mim também. 

- Pode ser. _Tae seguiu meu olhar, dando um sorriso ladino e uma cara safada que eu odiava. - Como quer não estar com sono se não dorme? _Era uma boa pergunta, a qual eu não tinha uma resposta, dei de ombros. Assim o intervalo passou, conversamos, rimos e o mais importante, passeamos com nossos olhos pelo refeitório diversas vezes, ele para um certo Jung e eu, bom eu, para um certo Park. 

...

''Nós compartilhamos algo''
''E você não pode fazer nada''
''Nada''
''Diga que não vai esquecer''
''Você e eu''

...

Taehyung cantarolava baixinho uma musica a qual eu não conhecia, enquanto arrastavamos nossas baikes, eu como sempre estava no mundo da lua, o ano mal começará e grande parte das matérias eu não entendia, pior, não me prestava a prestar atenção, em minha mente havia muitas coisas mais importantes do que a hipotenusa, ou a soma dos catetos. Certo, dependendo do curso que escolhesse iria ter de saber, mas eu queria ser corredor. Não engenheiro ou físico, motos eram minha paixão, paixão que eu tinha desde de pequeno, minha mãe era corredora. Um dos motivos pelo qual meu pai nunca me deixou chegar perto de uma mota, fora a forma que ela morreu. Empressada d'baixo de outras diversas motos em um acidente na pista, era uma corrida importante pra ela. Eu me lembro, ela estava feliz, todas as vezes que penso nela prefiro lembrar daquele sorriso que ela deu antes de por o capacete e subir na moto. É melhor que lembrar dela toda ensanguentada no chão, ou com aquele vestido preto dentro de um caixão. 

- Vou passar na minha casa pegar roupas, depois volto, okay? _Tae me despertou, assim percebi que já estávamos em frente ao meu portão, não disse nada, nada saía, me vi sem voz e com os olhos ardendo por aquelas lembranças, aquelas tristes lembranças. Anui com a cabeça e entrei em casa. 

- Filho que bom que chegou! _Disse meu pai assim que encostei a bicicleta no muro. - Aconteceu algo Jungkook? _Perguntou meio desesperado. Era tarde demais, lagrimas já escoriam de meus olhos, havia coisas as quais evitava pensar, quando algo doí demais é normal que a enterremos o mais fundo possível na memoria, mas cedo ou tarde elas voltam, e dilaceram nossa alma com a força de quando aconteceram, provando que o termo "Superar" não passa de uma ilusão. 

Mais uma vez assenti com a cabeça, abraçando meu pai, que assustado me apertou de volta, pra ele eu chorava sem motivo nenhum, pra mim eu chorava pela injustiça da vida, por uma brincadeira maldita do destino, por uma lembrança que não devia voltar, mas voltava, sempre voltava, e sempre feria como da primeira vez, da vez que ainda não era uma lembrança, da vez que era um acontecimento. 

Depois de pouco chorar soltei de meu pai que passou as mãos em meus cabelos, e rosto enxugando as lagrimas, suas mãos calejadas eram um refúgio que eu ainda tinha, mostravam carinho e amor, doía-me que seus calos sangrassem pelo seu esforço para por comida em casa, desde a morte da minha mãe havia sido apenas eu e ele, e e havia jurado ao céus que iria dar a ele tudo que merecia, assim suas mãos nunca mais iriam sangrar. 

Apenas movimentei a cabeça e disse que estava tudo bem, não estava, mas iria ficar, eu esperava que fosse. Ele perguntou se eu queria conversar, eu queria, talvez eu quisesse á muito tempo, mas não com ele, então neguei. Entrei em casa e tomei um banho, quente, não, pelando, o suficiente para deixar minha pele vermelha e ardendo. Quando já me vestia, Taehyung entrou no quarto sem ao menos bater. 

- Ai a educação mandou um oi! _Exclamei. 

- Ai Kookie-ah não faça drama, nós crescemos juntos, já vi seu pintinho balançando muitas vezes. _Riu se jogando na cama. 

- Pintinho? Serio Taehyung? Quantos anos tem? Sete? _Terminei de por a blusa indo para o banheiro, ouvi o mesmo resmungar. 

- Okay, okay. Vamos apenas jogar, e falar de garotas ta bom? _Sai do banheiro com o cabelo já seco sentando ao seu lado no chão. 

- Garotas? _Ri debochado. - Vamos apenas jogar seu patife! 

...

Você tem o melhor de mim.

Cuide bem do meu coração.


Notas Finais


Taetae bem engraçadinho ele😊


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...