História Bet - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Jikook, Mpreg, Namjin, Vhope
Visualizações 725
Palavras 1.739
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OPA GALERA KSMSKSJ Ah nem demorei pra voltar dessa vez, e esse capítulo é aquele especial que eu tinha dito. Bem, namjin ganhou então vamo lá!
Boa leitura!

Capítulo 11 - Eu te amo - Namjin


Namjoon estava oficialmente cansado daquele jogo de basquete; ele sempre foi apaixonado pelo esporte, vivia dia e noite na quadra da escola treinando e jogando, mas hoje em especial estava muito desanimado pra qualquer coisa, só havia participado dos primeiros vinte minutos de jogo e pedido pra sair alegando não se sentir muito bem. Mas não era exatamente isso. 

Desde há alguns dias estava ocupado demais ponderando sobre a sensação estranha quando estava perto de Seokjin. Ele devia confessar que nunca ficou tanto tempo apenas com uma pessoa, desde que fora pra cama pela primeira vez com Jin não saiu ou transou com mais ninguém, o que era estranho, muito estranho e atípico para seu gênio de "pegador" do colégio. 

Não sabia o que sentia pelo mais velho, já fazia algum tempo que seu corpo e a forma como aquele moreno rebolava em seu colo o atraía tanto quanto o sorriso bonito e os gestos doces e delicados, tudo era confuso e Namjoon sinceramente tinha medo disso. 

- Namjoon oppa... - o loiro despertou de seus devaneios ao ouvir a voz aguda de Yang Mi perto de seus ouvidos. Essa era uma das garotas que já havia passado por sua cama, a menina era bonita, tinha um corpo exepcional, mas mal tinha assuntos interessantes para se desenvolver, era o típico exemplo de fútil e superficial. 

- O que você quer? - foi direto e talvez grosso demais, porém não se importou muito, paciência era o que menos tinha naquele momento. 

- Oppa... - a garota choramingou afagando o braço do Kim. Namjoon revirou os olhos, quase a expulsando dali de uma vez por todas. - Por que está saindo com aquele nerd sem graça? Ele é tão sem sal, eu sou muito mais bonita que ele não sou? - com um sorriso malicioso, Yang guiou uma das mãos do mais velho a um de seus seios, o fazendo apertar a região; mais do que de imediato o mais alto puxou sua palma dali, empurrando a garota pro lado sem realmente machuca-la, apenas num ato para deixa-la longe.

- Não, você não é mais bonita que ele, o Jin é único, ele sabe como me deixar louco de uma forma que ninguém nunca deixou. - Namjoon levantou-se, puxando seu casaco junto, não sem antes dizer mais algumas palavras a garota. - Ah, e ele sabe fazer um oral incrível. - soltou, e logo em seguida saiu da quadra. 

Sua cabeça estava girando um pouco, mas não era nada demais, nada além do ainda assunto de Seokjin, mas lembrava-se de ter algum trabalho importante pra fazer, por isso optaria por ir pra casa e talvez depois ligasse para o mais velho, não estava afim de transar, só queria ouvir aquela risada engraçada mas gostosa enquanto lhe fazia cócegas. 

Parou em frente ao seu armário para pegar o livro que estava lendo, havia guardado ali mais cedo, mas acabou ouvindo algo como um ruído antes de sair de vez dali. 

O garoto fitou ao redor confuso, pensou ter ouvido o ruído outra vez, e decidiu seguir o som, vinha de uma sala, sua mão grande tocou a maçaneta e a girou lentamente, com cautela, empurrou e então se surpreendeu ao encontrar um Seokjin encolhido e sentado no chão daquela sala de aula vazia. O horário de aula já havia acabado, fazia algum tempo, e seu coração se apertou ao ouvir um soluço seguido de um fungar vindo do mais novo que tinha o rosto escondido entre os joelhos, os braços em volta dos mesmos. 

Namjoon não pensou duas vezes, correu para o castanho e o abraçou com uma força protetora, como se quisesse passar toda a segurança, todo o afeto que tinha por aquele ser. 

Jin não se deu ao trabalho de tentar se esquivar ou sair dos braços alheios, os conhecia bem, sabia de quem eram, e não podia negar, precisava tanto do calor, da proteção que só o abraço de Namjoon o fazia sentir que não poderia nem se quisesse afastar o loiro, ao contrário, quando teve chance, agarrou o pescoço com garra e voracidade, e simplesmente beijou aqueles lábios carnudos, sua perdição, o motivo de ter se apaixonado tão perdidamente e estar chorando naquela sala vazia, pensando que seus sentimentos jamais seriam correspondidos. 

Mesmo assustado, o jogador de basquete correspondeu ao ósculo molhado e apressado, firmou as mãos fortes no rosto molhado do outro, e descolando os lábios, beijou cada uma das bochechas, a testa, os olhos, o nariz, enquanto o sentia tremer e chorar mais, porque aquele carinho todo era apenas um reflexo, uma atitude para acalma-lo, nada mais que isso.

- Shhh, calma... - Namjoon o trouxe para seu peito, apertou-o num abraço forte, beijando constantemente os fios acastanhados e cheirosos, ele fez isso até que tivesse certeza absoluta de que já não havia mais choro, e então afrouxou seus braços em volta do seu garoto, porém não o tirou dali. 

Queria perguntar o que havia acontecido para te-lo encontrado chorando daquela forma, Jin não era de chorar, não mesmo, era sensível sim, mas nunca fora realmente alguém que chorasse por nada. Algo sério estava acontecendo. 

- Jinnie... Me diz o que houve. - o silêncio desconfortável foi quebrado pela voz grossa e reconfortante. Seok gelou, parando de brincar com os próprios dedos ao ouvir a pergunta, abaixou a cabeça e suspirou; ridículo, se sentia ridículo, mas além disso se sentia quebrado também, magoado. 

- Eu só... Deixa pra lá. 

- Não, eu não vou deixar. - o Kim levantou o queixo do pequeno, seu polegar passou abaixo dos olhos vermelhos, sentindo-o ainda molhado, seu coração se apertou. Merda, Seokjin mexia tanto consigo, tanto que o deixava assustado. 

- Eu só... Não deveria ter deixado isso evoluir. - reclamou baixo, o mais alto o olhou confuso. 

- Do que está falando? 

- Eu vi você na quadra com a Yang Mi. - disse de uma vez. Namjoon se mostrou surpreso enquanto Jin se levantava e se colocava de pé, ele levantou junto, e tentou se aproximar do menino, mas este apenas se encolheu em seu próprio corpo, olhando pro chão fixamente e rodopiando o pé sob o mesmo.

- Jinnie eu... E-eu posso explicar, não é o que você ta pensando... 

- Não, você não precisa explicar. A culpa é minha, totalmente minha. - Seokjin apertou os braços contra seu peito, sentia o coração acelerado, mas não conseguiria mais esconder algo tão explícito e grande quanto aquele sentimento, ele amava Namjoon, e precisava dizer isso antes que seu peito explodisse. - Eu não deveria sentir o que eu sinto por você, eu não deveria ter deixado isso se tornar grande, deveria ter me afastado quando vi que estava me apaixonando, pouco a pouco. Mas eu não fiz nada, eu não me afastei porque não consegui pensar em ficar longe de você, longe do seu sorriso, dos seus braços, do seu toque. E então isso foi crescendo, mesmo eu dizendo a mim mesmo que você na verdade não me pertencia, porque... Você não me pertence, não é só meu, e isso ficou bem claro naquela quadra hoje. Eu te amo, Namjoon, e eu não posso mais fingir que não sinto nada cada vez que te vejo com uma garota. - Jin apenas jogou tudo pra fora como se necessitasse disso, e ele necessitava, só não sabia como o Kim reagiria a tudo isso. 

O loiro teve a reação de arregalar os olhos diante da confissão; suas mãos esfregaram-se contra o pano da calça nervosas, ele correspondia, ele sentia tudo o que Seokjin sentia, ele o queria da mesma forma, mas porque não conseguia simplesmente dizer isso?

- Não precisa dizer nada, Namjoon. - Jin sorriu triste, segurando o choro. - Eu já entendi. - o menor virou as costas, pronto a sair daquela sala e chorar uma tarde inteira enquanto devorava um pote de sorvete e assistia um filme de romance, mas se surpreendeu ao sentir uma mão magra em seu pulso, o puxando com força pra trás e logo, seus lábios sendo tomados com força, sendo amassados contra os lábios carnudos e macios de seu amado. 

Jin queria ter forças pra afastar aquele homem, queria ter forças pra sair dali, mas ele não tinha, sabia que não tinha e que o máximo que poderia fazer era se entrega. Suas mãos se embrenharam contra os fios louros e sentiu os dedos alheios em sua cintura, apertando com tanta pressão que poderia dizer que ficariam marcas depois. 

As línguas produziam um som molhado enquanto se enrroscavam, era algo que ia muito além de desejo, vontade, haviam sentimentos, um desespero sobrenatural de demonstrar tudo o que sentiam. 

Namjoon suspirou exasperado entre o beijo, apertou com força as coxas grossas e as trouxe num impulso inesperado para enrolarem-se em volta de seu corpo. 

Jin gemeu abafado ao ter as costas batida com tanta brutalidade contra a parede, seu corpo inteiro estava arrepiado e quente, sua mente dizia para parar porque depois apenas se machucaria ao pensar que Namjoon queria apenas sexo consigo, mas o que poderia fazer se era tão bom estar nos braços de seu amor? 

Os lábios partiram para que o Kim mais novo seguisse com os mesmos para a pele lisinha do pescoço branquinho. Namjoon se sentiu a vontade para beijar e maltratar da maneira que bem quisesse aquele pescoço tão delicioso, suas palmas desceram para o traseiro volumoso o espremendo com vontade.

E foi aí que o Kim mais velho despertou do transe que eram aqueles beijos, aquele homem, apertou os ombros largos e conseguiu afastar o mais alto com muito custo.   

- N-nam... Por favor, não... - Seokjin respirou fundo, fungou baixo e sentiu uma lágrima descer. Merda, doía tanto amar Namjoon, tanto. 

- Jin... Não... N-não chore... Eu te amo, eu te amo, não chore... - o mais novo mordeu os lábios e fechou os olhos ao dize-lo, era difícil dizer aquelas palavras, era vergonhoso. 

- Você... 

- Sim, eu te amo. - e abriu os olhos. - Eu te amo, só não sabia como lidar com isso. Me perdoe... Meu amor. - o castanho o olhou fixamente, até processar o que lhe havia sido dito, e então ele sorriu, sorriu largo beijando os lábios agora avermelhados em selinhos contínuos, sorrindo. 

- Eu... Eu te amo tanto, Nam. - Namjoon sorriu salientando as covinhas em suas bochechas e beijou o outro docemente, sentindo seu coração palpitar. 


Ele estava oficialmente apaixonado. 


Notas Finais


Galera foi mal pelos erros, muito obrigada por lerem! Beijinhos da tia sweet e até a próxima! ♡♡♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...